Mostrando postagens com marcador TV Inovação. Mostrar todas as postagens

Estão abertas as inscrições para o Curso de Formação de Líderes da Lei Nossa Quadra. O curso será online via zoom, com as aulas iniciando às 19h da próxima quinta-feira, dia 28 de janeiro



O Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil é tema de curso gratuito da Vice-Presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal. O curso vai apresentar, entre outros temas, elementos básicos para a elaboração de um Plano de Trabalho e abordará a execução de contratos e a prestação de contas.

O deputado Delmasso (Republicanos), vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, elaborou projeto de lei, e a CLDF aprovou para que as quadras do Distrito Federal possam ser revitalizadas. A execução das melhorias será feita em parceria com as associações de moradores, prefeituras comunitárias, conselhos comunitários e cooperativas habitacionais.

Com a  Lei nº 6.915/2021 , o poder público poderá estabelecer parcerias com as organizações mencionadas para revitalização de áreas internas das quadras do Distrito Federal. São contemplados serviços como jardinagem, roçagem, manutenção de pontos de encontro, quadras poliesportivas, parques e demais instalações de uso comunitário. "O crescimento populacional exige do Poder Público uma melhoria na qualidade dos serviços públicos e na manutenção nas cidades", diz Delmasso.

Dessa forma, o Governo estabelecerá vínculos com as comunidades, facilitando no levantamento de necessidades e agilizando o processo de manutenção, que por vezes, é lento e ineficaz. A transferência de recursos também facilitará a manutenção e instalação dos espaços, que são relevantes no convívio comunitário. "A respectiva política pretende unir esforços de atuação do poder público e das organizações da sociedade civil para revitalizar ou conservar as inúmeras áreas públicas existentes nas quadras residenciais no Distrito Federal", comentou Delmasso.

O Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC) – Lei nº 13.019/14 – é tema de curso a distância da Vice Presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal, que terá uma turma a partir do dia 28 de janeiro próximo. Destinado a integrantes de associações de moradores, prefeituras comunitárias, conselhos comunitários e membros de OSC, constituída há pelo menos dois anos, o treinamento está com inscrições gratuitas abertas.

Além de noções do MROSC, o curso vai apresentar, entre outros temas, elementos básicos para a elaboração de um Plano de Trabalho e abordará a execução de contratos e a prestação de contas na perspectiva da Política Pública de Participação das Organizações da Sociedade Civil, que trata do apoio à manutenção de equipamentos e à conservação de áreas verdes, previsto na Lei nº 6.915/2021.

Serviço: Curso de Formação de Líderes da Lei Nossa Quadra
Dias de aula: 28 e 31/01 e 02 e 07/02.
Horário de aulas: de 19h30 às 22h.
Informações: 61 99807-2015
Valor do curso: Gratuito.
Inscrições pelo link: https://forms.gle/VvohKNVH2X1HQfSH6

#nossaquadra
#curso

Pela primeira vez em muitos anos, orçamento da Administração Regional do Guará inclui recursos significativos para obras na cidade. Influência do deputado distrital Rodrigo Delmasso no governo e aumento da arrecadação garantem investimentos para este ano



Todo ano era a mesma coisa, o orçamento da Administração Regional do Guará mal dava para cobrir os próprios gastos. No ano passado, 2021, foram previstos R$ 10,8 milhões no orçamento da RA. Desses, R$6,8 milhões eram para pagamento de pessoal e encargos, outros R$2,9 milhões para demais despesas do órgão, sobrando apenas R$1 milhão para investimentos na cidade. Mas, em 2022, o orçamento trouxe uma novidade boa para a cidade: um acréscimo considerável de receita, em sua maioria para investimentos.
Quase R$ 1 milhão estão destinados à reforma de praças e parques e R$ 1 milhão para reforma de espaços esportivos. Os prédios públicos da Administração vão receber R$ 2 milhões e mais R$ 1 milhão para modernização do sistema de informações e compra de equipamentos.

Sem emendas
Neste ano, as receitas para investimentos não tiveram origem na Câmara Legislativa, através de emendas parlamentares, como sempre aconteceu (apesar de constar R$ 500 mil para obras, de autoria da deputada Julia Lucy). Dois fatores contribuíram para o acréscimo de investimentos: a articulação do deputado Rodrigo Delmasso junto ao governo e o aumento da arrecadação.
Parte desses recursos vieram de Desvinculação das Receitas da União, a DRU, um mecanismo pelo qual o governo tem o poder discricionário de livre movimentação de receitas do orçamento da Seguridade Social, no percentual de 30%. Esse orçamento pode ser alocado livremente pelo governador do Distrito Federal, mas, a pedido do deputado Rodrigo Delmasso, foi destinado ao Guará, que é a Região Administrativa que mais recebeu este recurso em 2022, até mais que o Plano Piloto. Dessa fonte de recurso vieram R$ 2,36 milhões para reforma de praças, parques, espaços esportivos e construção de calçadas.

Aumento da arrecadação
Um feito surpreendente foi o aumento significativo da arrecadação própria da Administração Regional do Guará através de cobranças de taxas de feirantes, quiosques, ocupação de área pública e espaços do governo. Essa verba retorna para a própria Administração aplicar na cidade. Com o aumento, a sede da Administração e outros prédios públicos receberão reformas no valor de R$ 2 milhões. Com as obras, o auditório, as salas da Administração, o Centro de Convivência do Idoso, o Salão de Múltiplas Funções, a Casa da Cultura, entre outros, poderão voltar a atender adequadamente à população. "A equipe da Administração atua na vistoria da sede do órgão, pátio de obras, Casa da Cultura e Salão de Múltiplas Funções. O processo será encaminhado para aprovação dos órgãos competentes em breve", garante a administradora regional Luciane Quintana.
Outra melhoria é a implantação do Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicações da Administração do Guará, uma revolução tecnológica no órgão, "visando a produtividade, agilidade, confiabilidade e inovação com colaboração, mobilidade e inteligência, no atendimento ao cidadão", de acordo com a justificativa. E também a compra de equipamentos para a manutenção da cidade e para o próprio funcionamento da repartição.

Aplicações do dinheiro
Nos planos da Administração Regional para este ano estão a recuperação das áreas de lazer e convivência, com a revitalização das praças, parques urbanos de gestão da Administração do Guará (Denner e Bosque dos Eucaliptos). Algumas destas obras estão com projetos prontos, como as praças das novas quadras, a praça da QI 8 e uma praça no Park Sul, ao lado do condomínio Living.
Quadras poliesportivas e campos sintéticos estão nos planos de reforma, em especial as das QI 18, QI 20 (conjuntos L/M), QE 38 ao lado do campo sintético, QI 11, QE 34, EQ ½, QE 26 (conjunto M), QE 40 – Área Especial 02, QE 17 e QE 15.
Calçadas devem ser reformadas ou construídas nas QI 25, EQ13/15, EQ 15/17, EQ 19/21, EQ 24/26, EQ 26/28, EQ 28/30, EQ 30/32, EQ 32/34, EQ 34/36, além do calçadão da Avenida Contorno entre a QE 24 e a QE 36.

Essas obras vão sair?
O orçamento é uma estimativa da entrada e saída dos recursos públicos no ano. Portanto, a disponibilidade do dinheiro depende da arrecadação e outras fontes de recursos, como convênios e vendas de lotes. Se, por qualquer motivo, houver uma arrecadação menor, o orçamento não será executado como planejado. Ou, se houver uma mudança nas prioridades do governo, por um imprevisto, por exemplo, o governador pode remanejar os recursos. Portanto, a concretização do orçamento depende de muita coisa, inclusive de acordos políticos.

O deputado Rodrigo Delmasso, vice-presidente da Câmara Legislativa e morador da cidade, garante que os recursos serão aplicados em 2022. "Temos um acordo com o governador de realizar essas obras no Guará, esperadas há muito tempo pela população. Uma das garantias é justamente a destinação dos recursos previstos diretamente para a Administração Regional, que é uma forma de garantir que o dinheiro será aplicado ainda este ano", afirma o deputado.

Orçamento da Adm. do Guará – Quanto é e de onde vem

Recursos oriundos de Desvinculação de Receita

R$ 900 mil para a reforma de praças e parques

R$ 900 mil para reforma de espaços esportivos

R$ 562 mil para construção de calçadas

 

Recursos oriundas do aumento de arrecadação

R$ 2 milhões para reforma de prédios e próprios

R$ 300 mil para a manutenção da Feira

R$ 450 mil para modernização do sistema de informação

R$ 600 mil para aquisição de equipamentos

R$ 730 mil para apoio ao trabalhador preso – Funap

R$ 60 mil para a reforma de praças e parques

R$ 60 mil para reforma de espaços esportivos

 

Emendas parlamentares

R$ 200 mil – Iluminação Pública (Dep. Julia Lucy)

R$ 300 mil – Obras de Urbanização (Dep. Julia Lucy)

Inflação alta, economia frágil e eleição presidencial impactam a confiança dos empresários, na avaliação de Luiz Marcatti, presidente da MESA e especialista em governança corporativa  

 


O avanço da vacinação contra a covid-19 e a gradual retomada da atividade econômica não foram suficientes para as empresas brasileiras adotarem uma visão otimista para 2022. Em meio à fragilidade da economia e às incertezas do cenário político a tendência é de que persista uma postura de cautela nos próximos meses, na avaliação de Luiz Marcatti, administrador de empresas, especialista em governança corporativa e sócio e presidente da consultoria MESA Corporate Governance.

“Com exceção das que atuam no agronegócio, setor que deve crescer em 2022, as demais empresas devem operar com um conservadorismo ainda mais intenso. O Brasil inicia o ano com inflação nas alturas, combustível caro, escassez de insumos, aumentos de cerca de 10% na mão de obra, por conta de dissídios, e um governo sem condições de investir. Uma tempestade perfeita. Se o País conseguir pelo menos segurar a inflação, já será uma vitória”, diz Marcatti.

Apesar desse cenário, Marcatti continua apostando no potencial do Brasil, principalmente por causa da diversificação da economia. Um ponto positivo, destaca, é a perspectiva de continuidade da onda de aberturas de capital na bolsa — sinal de aquecimento do mercado de capitais, fonte essencial para a destinação de recursos para investimento do setor privado. “A expectativa é de mais IPOs [sigla em inglês para ofertas públicas iniciais de ações] em 2022, já que não há crise de liquidez no País. Entretanto, os investidores devem estar mais seletivos do que na onda de novas listagens entre o fim de 2020 e o início de 2021. Não deve ter tanto ‘curioso’ quanto naquela época, já que a economia não cresceu como deveria”, ressalta.

No próximo ano, observa Marcatti, o Brasil continuará atraente para os investidores estrangeiros, incentivados principalmente pelo dólar, que deve permanecer alto. “O País está ‘barato’ para os estrangeiros. O receio desses investidores está mais relacionado à instabilidade política.”

Eleições

Além dos planejamentos com base em diversos cenários e ponderações, a preocupação dos empresários em 2022 estará voltada às eleições de outubro. “Os extremismos, de direita ou de esquerda, não são o melhor caminho para o ambiente de negócios. As empresas precisam de uma agenda mais liberal, que incentive o crescimento das operações com investimentos em infraestrutura, e há uma necessidade de atenção às demandas sociais. Para voltar a crescer o Brasil precisa de um planejamento que independa de interesses eleitorais”, afirma.

Pandemia

Embora neste fim de 2021 existam muitos receios e dúvidas em relação à variante ômicron, Marcatti diz que o avanço da vacinação e os aprendizados da pandemia ajudam a manter a situação no Brasil pelo menos estável. “Mas se houver uma nova onda a economia do País não vai conseguir acelerar com os cofres públicos vazios”, finaliza.

 

Luiz Marcatti é sócio e presidente MESA Corporate Governance, administrador de empresas com especialização em comércio exterior e marketing, certificado em mediação pelo Instituto Familiae – SP e com formação de Conselheiro de Administração pelo IBGC. Ao longo de 35 anos de experiência profissional, atuou como executivo do mercado financeiro com passagens pela área internacional do Banco Francês e Brasileiro e pela área comercial – varejo e middle market – do Banco Mercantil de São Paulo. É membro das Comissões de Capacitação e Recursos Humanos do IBGC, membro associado da NACD – National Association of Corporate Directors – USA, professor de Governança Corporativa nos MBAs da Business School São Paulo e da FIA – São Paulo, e membro independente de Conselhos de Administração. É coautor do livro “Nos Bastidores da Educação Brasileira”.

 

Sobre a MESA Corporate Governance

A MESA Corporate Governance trabalha a governança corporativa e familiar na dimensão humana do poder, dinheiro e afeto. A empresa é constituída por uma equipe de consultores especialistas e experientes que atendem às necessidades nos diferentes momentos de modernização de empresas de origem familiar ou multissocietárias, quer sejam de capital fechado ou com ações listadas em bolsas de valores. Também é filiada às seguintes entidades e instituições: AMCHAM Brasil, IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, ICGN – International Corporate Governance Network, FBN – Family Business Network e NACD – National Association of Corporate Directors.

Com certeza você conhece a Netflix e o sucesso que essa companhia esbanja no mundo inteiro, correto? Em sete anos, a empresa expandiu seu negócio para 197 países. Apesar de parecer um curto período, a plataforma mereceu o sucesso adquirido graças a sua estratégia de marketing global, que inclusive pode ser utilizado para escalar seu negócio e torná-lo global também


*Por Kauana Benthien

Linha do Tempo da Netflix:

1997 – Nasce a Netflix na Califórnia como um sistema de vendas por correspondências, era possível encomendar filmes e games via internet e um motoboy entregava e buscava na sua casa. O pagamento era feito por título locado.
1998 – Amazon tenta comprar a Netflix e empresa recusa. Atualmente a Amazon é a grande concorrente da Netflix com o Amazon Prime Vídeo.
1999 – É implementada uma taxa fixa para o consumidor assistir quantos filmes desejar.
2000 – Netflix propõe ser comprada pela Blockbuster por USD50 milhões e Blockbuster recusa. Blockbuster vem a falir logo em seguida.
2003 – 1 milhão de assinantes americanos.
2007 – 1 bilhão de DVDs alugados.
2010 – Estreia internacional no 1º país: Canadá.
2011 – Se separa dos DVDs e foca apenas no streaming online.
05/09/2011 – Entra no Brasil.

Atualmente a Netflix tem mais assinantes do que todas as plataformas de vídeo juntas, mesmo a Amazon possuindo grande parte do território asiático. Mas a que se deve esse sucesso?  Pensar globalmente e agir localmente.

Em sete anos, a Netflix expandiu seu negócio para 197 países. Apesar de parecer um curto período, a plataforma mereceu o sucesso adquirido graças a sua estratégia de marketing global somado a visão global do seu fundador e CEO da Netflix, Reed Hasting, que foi capaz de tornar um produto capaz de atingir pessoas de diferentes partes do mundo e de diferentes perfis e também países que possuem diferentes leis, culturas, políticas e tecnologias.

Estratégia de globalização

 A globalização é o processo de aproximação entre diversas sociedades e nações, pode ser no âmbito social, econômico, cultural e político sendo que esse é um tema que  a Netflix entende bem. O sucesso no mundo se deu graças ao respeito pelas diferenças socioeconômicas e socioculturais de cada país e estratégias implementadas ao longo do tempo.

A Netflix não quis dominar o mundo de um dia para o outro, ela agiu geograficamente, iniciando pelo Canadá, país mais próximo do Estados Unidos, com costumes semelhantes e mesmo idioma, fazendo diminuir o choque cultural que poderia acontecer caso a empresa decidisse entrar em um país asiático, por exemplo.

Além disso, a empresa realiza fortes pesquisas de mercado antes de ingressar em um novo país, é muito cuidadosa com as ofertas de conteúdo que são analisadas de região por região e se limitam às restrições regulatórias de acordo com o país.

Por exemplo: A Netflix lutou por alguns anos para conseguir se estabelecer na China, comprometendo-se diversas vezes em respeitar as leis e os regulamentos chineses, porém sem sucesso: o país preza por empresas orientais e despreza determinados conteúdos da plataforma, que ainda não é permitida na China. Para a Netflix não deixar de lucrar nesse nicho milionário, o conteúdo original é negociado para companhias de mídias locais e distribuídos por elas.

Comunicação

A plataforma também é muito cuidadosa com a comunicação com o consumidor, afinal o que é interessante para uma cultura, pode acabar afastando a outra. Exemplo: Xuxa apareceu em um comercial para promover a série "Stranger Things", Inês Brasil promoveu a série "Orange Is The New Black" e teve até a música "Cilada" do grupo de pagode Molejo para promover a série "You".

Provavelmente se esses comerciais fossem transmitidos em outros países as pessoas ficariam sem entender nada... Por esse motivo a Netflix entrega para cada nação algo personalizado, para que cada usuário sinta que a plataforma corresponde com seus costumes e tradições.

Inovação

É outra característica marcante da Netflix. A plataforma nunca fica para trás e sempre entrega experiências novas aos seus usuários, o exemplo disso é o filme da série Black Mirror, em que o usuário pode interagir com cenas do filme em diversos momentos. A plataforma está sempre preocupada com avanços tecnológicos para aumentar a segurança e engajar ainda mais os usuários.

A última notícia do streaming é o serviço de jogos por assinatura que inicialmente foi testado em países como Polônia, Itália e Espanha: a Netflix Games em breve estará disponível em todo o mundo.

O profissional de marketing, assim como a Netflix, deve ter o dom da comunicação, saber debater com as mais diferentes nações de forma única e exclusiva, respeitar culturas, tradições e costumes, deve pensar globalmente e agir localmente de modo que consiga atingir o benefício mútuo entre os países envolvidos em cada negociação. Deve manter-se atualizado e inovando nas áreas de sua atuação com o objetivo de conquistar os envolvidos em cada operação. E, por fim, deve saber enfrentar as barreiras legais, tecnológicas, sociais e políticas sempre com aceitação e gentileza.

*Kauana Benthien A. Pacheco  é formada em Negócios Internacionais e pós-graduanda em Big Data & Market Intelligence. É consultora de marketing para empresas de Comércio Exterior na ComexLand.

O administrador André Massaro explica a alta inflacionária e traz dicas de como o consumidor pode reduzir os seus impactos no dia a dia



O IBGE - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística divulgou ontem (11), que o IPCA (Indicador de Preços de Consumidor Amplo), indicador oficial de inflação do País, encerrou 2021 em 10,06%, maior nível desde 2015, ficando acima do teto da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que era de 5,25%.

A alta inflacionária, segundo André Massaro, coordenador do Grupo de Excelência em Administração Financeira – GEAF, do Conselho Regional de Administração de São Paulo – CRA-SP, pode ser justificada, principalmente, por dois fatores. O primeiro é a inflação de custos (ou de oferta), causada pela desestruturação de diversas cadeias produtivas e de distribuição ao redor do mundo por conta da pandemia como, por exemplo, a falta de chips de silício que afetou a indústria automotiva e de eletrônicos. Já o segundo fator é a inflação de demanda, causada pelos estímulos fiscais aplicados por vários governos no mundo todo.

"Os dois fatores estão levando a uma aceleração inflacionária não só no Brasil, mas também em diversas economias desenvolvidas que, até então, estavam em situação de estabilidade de preços", explica Massaro.

Além da alta da inflação, o mercado financeiro prevê também uma redução no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,40% para 1,20% neste ano. Para Massaro, a justificativa é que, além das questões associadas aos efeitos econômicos da pandemia, como a aceleração inflacionária, o Brasil também passa por incertezas internas no campo político, institucional e fiscal, que afetam o desempenho econômico do País.

"Estamos começando a ter uma visão mais clara dos efeitos econômicos de longo prazo da pandemia. E o cenário, definitivamente, não parece animador. Aparentemente, caminhamos para aquilo que se chama de 'estagflação', que é a combinação de baixo crescimento econômico com alta inflação", opina o coordenador do GEAF.

Como reduzir os impactos da inflação no orçamento doméstico

Uma inflação alta inevitavelmente impacta no bolso do consumidor e saber equilibrar o orçamento, mantendo as contas em dia, parece um desafio. Por esta razão, Massaro traz algumas dicas sobre como reduzir os impactos da inflação neste início de ano.

"O consumidor pode tentar, na medida do possível, reduzir seu consumo. Além disso, ele deve fazer pesquisa de preços, no intuito de buscar ofertas e condições vantajosas. E, em alguns casos, é recomendável comprar antecipadamente os itens que serão consumidos", sugere.

Outro problema que aflige muitas famílias, além da inflação, é o desemprego. Nesse cenário, que implica na perda da fonte de renda, o ideal é que as pessoas evitem o endividamento. "É interessante pensar também em fontes de renda alternativas", aconselha Massaro.

Quanto a dúvida que sempre surge no início do ano, entre pagar as contas à vista com desconto ou optar pelo parcelamento, o coordenador comenta que, em regra geral, o desconto precisa ser de uma taxa igual ou maior do que o 'custo de oportunidade'.  "Este custo seria a taxa que a pessoa obteria em uma aplicação financeira de baixo risco e pagaria, aproximadamente, a Taxa Selic líquida de impostos, que seria de 7,40% (considerando uma Selic Bruta de 9,25%). Porém, não é uma conta feita de forma direta, aplicando a taxa integralmente ao valor à vista. É preciso considerar os prazos e pagamentos das parcelas", explica.

 A inflação pode recuar no decorrer de 2022?

De acordo com Massaro, os fatores que causam a inflação de custos tendem a ser transitórios, ou seja, quando as cadeias de produção e distribuição afetadas pela pandemia voltarem à normalidade, os preços tendem a se equilibrar ou mesmo recuar aos níveis anteriores.

"Já a inflação de demanda, causada pelo aumento de dinheiro em circulação e dos estímulos fiscais, é um pouco mais difícil de ceder. Ela exige medidas de contenção como aumento de juros e suspensão de auxílios e estímulos financeiros, que são medidas impopulares e de alto custo político. No entanto, há a possibilidade de recuo da inflação, mas muitos agentes econômicos já trabalham com um cenário em que a inflação não será, apenas, um 'fenômeno temporário'", finaliza o coordenador do GEAF.

 

Sobre André Massaro: graduado em Administração e pós-graduado em Economia, Massaro é autor, consultor, professor e palestrante especializado em finanças, investimentos, economia, pensamento crítico e tomada de decisões. Publicou diversos livros sobre investimentos e finanças e é autor/editor do blog www.andremassaro.com.br .

Sobre o CRA-SP: O Conselho Regional de Administração de São Paulo – CRA-SP é uma autarquia federal, criada em 1968 (três anos após a regulamentação da profissão de Administrador) que, atualmente, reúne cerca de 65 mil registrados, entre pessoas físicas e jurídicas. Embora suas principais funções sejam o registro e a fiscalização do exercício profissional nas áreas da Administração, o CRA-SP tornou-se referência na qualificação de profissionais, ao disponibilizar, de forma gratuita, palestras e eventos em um ambiente onde o conhecimento é tratado como uma poderosa ferramenta, capaz de promover profundas mudanças sociais. Atualmente, o CRA-SP é presidido pelo Adm. Alberto Whitaker.

Desde segunda-feira (17), o Senac-DF abre o segundo edital de 2022 do Programa Senac de Gratuidade (PSG). São 3.081 mil vagas em 55 cursos gratuitos de qualificação profissional. Entre as áreas ofertadas estão: Gastronomia, Beleza, Moda, Tecnologia da Informação e muito mais. O prazo para inscrição vai até o dia 31 de janeiro, ou até todas as vagas ofertadas serem preenchidas. Para participar, é necessário acessar o link: https://www.df.senac.br/inscricao-psg/



A diretora regional do Senac-DF, Karine Câmara, diz que o Senac espera formar o maior número de pessoas possíveis, em diversos segmentos. "Nossa missão é contribuir para a qualificação dos profissionais das áreas de comércio, serviços e turismo. Deste modo, também ajudamos toda uma cadeia produtiva, que passará a contar com colaboradores atualizados e capacitados", informa Karine. A diretora destaca ainda que o Senac-DF assinou acordos com sindicatos e institutos do DF com a intenção de oferecer cursos gratuitos.  "O Programa Senac de Gratuidade é muito amplo e com uma capacidade de atender alunos em vários segmentos. Queremos transformar Brasília em uma cidade referência em qualificação e atendimento aos clientes do comércio", conclui.

Karine explica ainda que as turmas ofertadas observam as características da modalidade presencial. No entanto, enquanto prevalecer a necessidade de adoção de medidas para contenção da disseminação da Covid-19, algumas das atividades educacionais serão desenvolvidas com apoio de recursos tecnológicos ou com atividades flexíveis entre modelos presenciais e remotos. A instituição informa ainda que seguirá todos os protocolos e decretos do Governo do Distrito Federal.

Para participar dos cursos do Programa Senac de Gratuidade é necessário possuir renda familiar per capita de até dois salários-mínimos; ter a escolaridade exigida para o curso escolhido; e não ter evadido ou desistido de outro curso PSG, com prazo igual ou inferior a um ano da data de evasão ou desistência. Vale ressaltar ainda que é obrigatória a participação do aluno no primeiro dia de aula para garantir a matrícula no PSG. Em caso de impedimento em comparecer ao primeiro dia de aula, o estudante deverá justificar a ausência por meio de processo formal, considerando os motivos amparados pelo Regimento Escolar do Senac-DF.

A classificação dos inscritos obedecerá aos seguintes critérios: atendimento aos requisitos de acesso, ordem de inscrição e quantidade de vagas ofertadas no curso escolhido. O resultado da classificação será divulgado até às 23h, no dia 18 de fevereiro, no site do Senac-DF. O candidato tem do dia 21 a 25 de fevereiro para realizar a matrícula. Para acessar o edital com todas as regras para a participação, acesse o link: http://df.senac.br/psg/#/programa-senac-de-gratuidade

Fábrica Jasmine Alimentos
Jasmine Alimentos

Jasmine Alimentos aposta nessa tendência e anuncia plataforma de e-commerce própria

Impulsionado pelas restrições ao funcionamento do comércio varejista e novas dinâmicas de consumo, o comércio eletrônico brasileiro passa por um processo de aceleração e crescimento vertiginoso há aproximadamente dois anos. A Associação Brasileira de E-commerce (ABComm) estimava um crescimento de 18% para o setor em 2020. Mas uma pesquisa da Neotrust, realizada no primeiro trimestre de 2021, revelou um aumento impressionante. Nos três primeiros meses de 2021, foram feitas 78,5 milhões de compras on-line, 57,4% a mais em comparação ao mesmo período do ano passado, e um faturamento de R$ 35,2 bilhões (72,2% maior do que em 2020).

Precursora do segmento de alimentação saudável e sempre atenta aos movimentos do mercado, a Jasmine Alimentos lança nesta segunda-feira (10)  uma plataforma de e-commerce própria.  A plataforma é a nova aposta da marca para levar seus produtos para todas as regiões do Brasil. Presente em mais de 20 mil pontos de venda por todo o país, a empresa investiu aproximadamente R$100.000,00 para conceber e elaborar seu próprio marketplace, após uma experiência de sucesso vendendo seus produtos pela Amazon.

“A nova operação visa o aumento da nossa cobertura, já que o cliente não dependerá de uma visita presencial em lojas e supermercados para encontrar os produtos Jasmine. Qualquer pessoa poderá acessar nosso e-commerce, encontrar todos os produtos do nosso portfólio e encomendar diretamente de casa”, destaca Rodolfo Tornesi Lourenço, CEO da empresa.

Por meio da estratégia de um marketplace B2C, a empresa busca fortalecer a presença e o alcance da marca em todo o território brasileiro. A nova plataforma de e-commerce terá abrangência nacional e entregará em todas as regiões do país, sem quaisquer restrições. “Nosso ponto de virada, o game changer, por assim dizer, foi a bem-sucedida parceria com a Amazon em 2020 para a venda dos nossos produtos. Em pouquíssimo tempo, alcançamos excelentes resultados com mais de 100 mil unidades comercializadas pelo canal. Entendemos que precisávamos ter a nossa plataforma própria com todo o portfólio disponível para o país”, complementa Rodolfo. 

Alimentos por delivery e supermercado on-line são categorias que mais cresceram na websfera

Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), os segmentos de comida por delivery e compras de supermercado online foram as categorias com maior crescimento no número de consumidores no comércio eletrônico. Ainda, uma pesquisa da Bain & Company aponta que 76% dos brasileiros passaram a fazer compras de supermercado online em 2021. 

A nova operação virtual da Jasmine é essencial para atender aos clientes de maneira integrada e completa. “Precisamos ser omnichannel. Hoje, os canais on-line e offline se completam. O marketplace é a melhor forma de atendermos todas as necessidades dos nossos clientes e proporcionar a melhor experiência de consumo”, explica Rodolfo.

O projeto vem sendo estudado e elaborado há 04 meses e, neste primeiro momento de lançamento, as vendas estão concentradas apenas para o Brasil, mas, com expectativa de expansão para outros países ao longo dos próximos meses. O serviço do marketplace oferecerá uma logística integrada a partir de um centro de distribuição localizado em Itapevi (SP). “Temos equipes especialmente treinadas e dedicadas exclusivamente à seleção dos produtos, empacotamento e envio, o que torna o processo rápido, seguro e eficiente”, finaliza Rodolfo.

Para conhecer o e-commerce da Jasmine, clique aqui (www.loja.jasminealimentos.com). 

 

Sobre a Jasmine Alimentos

A Jasmine Alimentos é uma empresa referência em alimentação saudável. Com produtos categorizados em orgânicos, zero açúcar, integrais e sem glúten, a marca visa atingir o público que busca alimentos saudáveis de verdade e qualidade de vida. A operação da Jasmine começou de forma artesanal há 30 anos, no Paraná. A Jasmine está consolidada em todo Brasil e ampliando sua atuação para a América Latina. Desde 2014, a marca pertence ao grupo francês Nutrition et Santé, detentor de outras marcas líderes no segmento saudável na Europa. Mais informações: www.jasminealimentos.com. 


 


Especialistas em educação dão dicas para voltar a rotina a todo vapor 

Com as férias chegando ao fim, driblar a procrastinação e retomar os estudos torna-se um desafio para milhares de estudantes. Para ajudar os alunos a se dedicarem ao novo ano letivo, especialistas em educação afirmam que, com determinação e autorreflexão, é possível dar um gás nos estudos e transformar a tarefa em uma atividade mais fácil e prazerosa, além de garantir boas notas. 

Confira as dicas dos especialistas: 

Reflita! 

O professor Pedro Lima, que ministra aulas de Língua Portuguesa no Reciclagem Educacional, orienta que o aluno realize uma autorreflexão. “O que o estudante fez no último ano que inviabilizou seu sucesso? Ele deve ter em mente quais foram as suas fragilidades enfrentadas ao longo de 2021 para, assim, poder vencê-las em 2022”, explica. A partir dessa resposta, montar o seu cronograma de estudos pode se tornar muito mais fácil. 

Selecione as maiores dificuldades e comece a revisar conceitos básicos. Isso dará mais segurança para aprofundar os estudos quando as férias acabarem, de modo a ter muito mais êxito nas próximas provas que for fazer

Não fique ansioso. Organize-se! 

Um dos principais motivos da procrastinação é pensar no total de coisas que têm de ser feitas e desanimar a começar. É importante que o estudante crie pequenas metas e foque em cada passo. “Em vez de pensar em todo o conteúdo que tem de estudar, comece pelas matérias de maior recorrência e relevância”, orienta André Goofy, professor e coordenador pedagógico do Reciclagem Educacional.

Descansar é fundamental

Saber a hora de dar pausas curtas ou longas para descansar é essencial quando o objetivo é organizar o seu horário de estudo e não desanimar com a parte “não tão divertida”. Não pense em abrir mão de alguma atividade de lazer saudável de que goste; apenas priorize os estudos.

Se o aluno gosta de ler livros ou de assistir a filmes e a séries para relaxar, por exemplo, ele deve usar isso em benefício próprio. “A literatura e o cenário audiovisual são áreas do conhecimento legitimadas pelas provas de Redação. Por isso, esse momento de diversão pode ajudar a compor o repertório sociocultural do estudante”, reforça o professor Pedro Lima.

Celebre suas conquistas e se recompense!

Celebre as suas conquistas diárias. Cada pequena meta tem de ser comemorada, como postar uma foto na academia celebrando que conseguiu mais um dia da sua meta. A dica de ouro é: “Não pense em quanto falta, e sim no que você já conseguiu fazer”, explica André.

Fez um bom trabalho? Presenteie-se com uma recompensa. “Estudou, cumpriu aquela meta do dia? Vá assistir a um episódio daquela série ou àquele filme de que você gosta, coma um doce ou algo de que goste, faça o seu cérebro sentir prazer ao fazer uma atividade programada, condicionando-o à recompensa”, finaliza Goofy.

Reciclagem Educacional

Endereço: CRS 512 Bloco C, entrada 72. W3 Sul.

Telefone: (61)3554-2138 

Siga: @reciclagemedu


Iniciativas de capacitação profissional, como o projeto Trilha Digital do ICI, ganharam importância para aumento da inclusão digital
Créditos: Divulgação

 Ensino híbrido e crescente customização da aprendizagem apontam para principais tendências da educação em 2022

Cinco horas ou mais na escola todo dia, grade curricular engessada, provas em papel, apostilas, lousa e carteiras enfileiradas. Esse modelo de educação até funciona, mas não é de hoje que vem sendo questionado. Com a pandemia, as inovações no âmbito educacional tiveram que ser implantadas de modo acelerado e a tecnologia passou a ser indispensável, impondo muitos desafios para profissionais da educação e estudantes. Mesmo assim, a continuidade do ensino híbrido e a crescente customização da aprendizagem apontam para algumas das principais tendências para o futuro do ensino. Desenvolver habilidades cognitivas mais complexas, colocar o aluno como protagonista e democratizar a tecnologia são algumas das expectativas da educação para o ano de 2022.

A pandemia apresentou e acelerou o ensino híbrido em todas as instituições de ensino do país. E, quando alunos e professores puderam retornar às salas de aula, o uso da tecnologia tem sido revolucionário, especialmente porque tornou o ensino mais personalizado, flexível, motivador e, também, mais inclusivo. Uma pesquisa da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), publicada em agosto de 2021, apontou que 55% dos alunos preferiam a volta das aulas de forma híbrida. São estudantes que viram no estudo remoto uma alternativa durante a pandemia e fizeram com que a busca por cursos nessa modalidade aumentasse 50% no Brasil. Tendência constatada pelo Censo da Educação à Distância, feito pela Associação Brasileira de Educação à Distância (ABED) e publicado em junho de 2021. 

Além de escolas e universidades, a educação digital foi procurada por profissionais de várias áreas e ganhou importância com iniciativas de capacitação. Como o projeto Trilha Digital que, ao longo de 2021, alcançou 22 mil pessoas com palestras sobre carreira, tecnologia e sustentabilidade. O projeto vem se expandindo desde 2020, com a necessidade da adaptação das aulas para o modelo EAD, chegando a um número maior de pessoas que buscam atualização profissional. Realizada desde 2019, a iniciativa é do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI), em parceria com a Associação dos Deficientes Físicos do Paraná (ADFP). 

A educação do futuro não depende de dispositivos sofisticados, projetos caros ou sala de aula completamente virtual. Mas o uso de ferramentas tecnológicas que contribuam para a convergência entre o físico e o digital é fundamental para garantir o bom aproveitamento das aulas daqui em diante. É o que mostra o Relatório Tendências para a Educação 2022, elaborado pela Layers Education, com apoio do Educbank. "A tecnologia ajuda muito, não como fim em si mesma, mas como ferramenta para estimular investigação, colaboração e produção de conhecimentos, e ainda, para engajar e motivar o aprendizado, não só dentro da escola, mas também para exercer a cidadania", afirma o diretor de Sistemas e Inovação do ICI, Mauricio Pimentel.

Inclusão digital na educação

Mas o que deveria ser apenas solução, também se tornou obstáculo para estudantes brasileiros nos momentos mais críticos da pandemia. As dificuldades de acesso à internet e, até mesmo, a falta de recursos aparecem como as maiores barreiras para as aulas remotas, segundo pesquisa da startup de educação Descomplica e do Instituto Locomotiva. O levantamento divulgado em outubro de 2021 mostra que 80% das famílias relataram problemas de infraestrutura, outros 54% esbarraram em barreiras socioemocionais e 16% enfrentaram questões de letramento digital. A falta de acesso à tecnologia na pandemia provocou a evasão escolar. Apenas em 2020, o número de crianças e adolescentes fora das escolas no Brasil subiu de 1,1 milhão em 2019 para mais de 5 milhões, segundo estudo realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Nesse cenário, é cada vez mais importante pensar em formas de transpor barreiras e diminuir a desigualdade. Levantamento feito com 27 mil escolas públicas brasileiras apontou que apenas 5.425 delas têm a velocidade de internet adequada. O estudo foi feito pela Fundação Lemann, que usou dados do Censo Escolar 2020 e um medidor de velocidade, o Simet. "É preciso ver a inclusão digital como prioridade nas cidades inteligentes. A verdadeira disrupção é quando conseguimos democratizar uma tecnologia que até então era centralizada. Antes de pensar se o aluno vai ficar em casa ou na escola, ou em ambos, é necessário pensar na rede de apoio. Dar acesso a tecnologias é fundamental para colocar os estudantes no caminho das oportunidades e, inclusive, preparar os jovens para um mercado de trabalho que sequer existe ainda", declara Pimentel.

Sobre o ICI

O ICI – Instituto das Cidades Inteligentes é uma organização criada em 1998, com atuação em todo o território nacional, referência em pesquisa, integração, desenvolvimento e implementação de soluções completas de TIC para a gestão pública. Mais informações: www.ici.curitiba.org.br.





Muita animação e ansiedade para a gravação do novo DVD – Degrauzinho por Degrauzinho. É desta forma que os integrantes do Akatu, grupo mineiro de pagode, estão nos dias que antecedem o tão aguardado show que acontece no dia 27 de janeiro, quinta-feira, a partir das 21h, no Expominas  (Av. Amazonas,6200 - Gameleira, Belo Horizonte - Minas Gerais). A apresentação, que terá participações especiais de Belo, Ferrugem, Menos é Mais, Suel, Di Propósito e Matheus Fernandes, terá como resultado a gravação de 16 faixas, sendo algumas inéditas. O lançamento do audiovisual está previsto para o mês de março deste ano.

De acordo com Beg Candeia, vocalista do Akatu, a gravação do DVD expressa perfeitamente toda a história do grupo. Além disso, ele diz que será uma forma de sentir, ainda mais, toda a energia dos fãs. "Degrauzinho por Degrauzinho é um marco importante em nossa carreira. Sem sombras de dúvidas, esse registro será inesquecível para todos nós, mas tenho certeza de que também para o público, até porque, teremos nomes de destaque na música brasileira, que até pouco tempo nós íamos prestigiar nos shows e hoje temos a honra de dividir palco com eles", comenta.

O outro vocalista, Lukas Gabriel, destaca que, além das músicas que os fãs já conhecem, a gravação do novo trabalho ainda terá algumas canções inéditas. "Serão 16 faixas no total nesse novo trabalho do Akatu. Claro que vamos trazer algumas novidades para os fãs com músicas inéditas e que já estamos compartilhando nas redes sociais para as pessoas já possam chegar cantando. Será uma noite de festa, pagode e  muitas energias boas", conclui.

Grupo Akatu

Formado atualmente por Angelo (reco e voz), Caique (tantan e voz), Lucas (pandeiro), Lukas Gabriel (voz) e Beg (voz), o Akatu foi criado em 2015 por jovens apaixonados por pagode na capital mineira. Hoje é uma banda em ascensão, que a cada dia ganha mais espaço no cenário musical.

Semente boa e mundo melhor: essas são as traduções do nome de origem Tupi, que hoje ecoa entre o público. Há mais de seis anos, o grupo segue conquistando fãs com o seu pagode animado e irreverente. Desde o início da carreira, além de animar os shows, o Akatu sempre esteve focado nas produções de registros audiovisuais. Em 2017, lançou o CD "Meu Momento" e no ano seguinte o DVD Vamo Cantar. Já em 2020, foram três trabalhos: Ensaio Akatu, Akatu Relax e Luau Akatu. Em 2021, lançaram com o Encontro de Gerações, gravado com o Revelação, conquistando repercussão nacional. E agora, os mineiros se preparam para mais um marco na trajetória do grupo, a gravação do DVD Degrauzinho por Degrauzinho.

Acompanhe o grupo Akatu na redes sociais

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZRz1x875YmSEDjkmREKMtQ

Instagram: https://www.instagram.com/akatuoficial/

Facebook: https://www.facebook.com/grupoakatu

 

Serviço

Akatu grava DVD em BH com 16 faixas e participações especiais

Data: 27 de janeiro – quinta-feira

Horário: 21h

Participações: Belo, Ferrugem, Menos é Mais, Suel, Di Propósito e Matheus Fernandes

Ingressos - 3º lote:

Setor Vip + (Par) Aquecimento DVD Akatu: R$ 65,00

Camarote + (Par) Aquecimento DVD Akatu: R$ 120,00

As comidas e bebidas serão vendidas à parte nos dois setores do evento.

Vendas: https://www.centraldoseventos.com.br

 

Vendas: Loja By Night (Shopping Cidade)

Horário funcionamento:

Segunda a sexta-feira de 12h as 21h

Sábado de 10h às 16h

Parcelamento em até 3 x no cartão

 


Livre de vírus. www.avast.com.

O GDF publicou novas medidas de enfrentamento à pandemia. Pistas de dança em bares, restaurantes, boates e casas noturnas estão proibidas


O Governo do Distrito Federal publicou, nesta quarta-feira (19), novos decretos com ações que visam conter o avanço do número de casos de covid-19. As medidas tratam da obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços públicos e em todos os ambientes ao ar livre, e da proibição de pistas de dança em bares, restaurantes, boates e casas noturnas. Os textos foram assinados pelo governador em exercício, Paco Britto.



Publicado em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF), o Decreto nº 42.928 determina a utilização obrigatória de máscaras de proteção facial, conforme as orientações da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal.

A regra vale para todos os espaços públicos, inclusive ambientes ao ar livre, como parques, vias públicas, equipamentos de transporte coletivo, estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços, e nas áreas de uso comum dos condomínios residenciais e comerciais. No entanto, não há mudanças em relação às recomendações de isolamento social.

O texto ainda estabelece que pessoas sem máscaras estão proibidas de entrar e permanecer nos espaços elencados no decreto. A exceção vale apenas para atletas em jogo e arbitragem durante o tempo das competições; e vocalistas e instrumentalistas que executem instrumentos musicais de sopro em apresentações ao vivo (os demais integrantes devem usar máscaras e os microfones devem ser individuais).

A outra medida trata da proibição de espaços para dança em bares, restaurantes, boates e casas noturnas. O Decreto nº 42.927 também altera o Decreto nº 42.730. O texto diz que espaços para dança e aglomeração de pessoas em áreas públicas ou privadas, seja em eventos pagos ou gratuitos, estão proibidos.

Recentemente, o governo suspendeu a realização de eventos, shows, festivais e afins, que sejam realizados mediante venda de ingressos ou cobrança de qualquer valor de contribuição dos convidados, ainda que seja revertido em consumação.

Em virtude das novas medidas sanitárias, o governo anunciou também o encerramento antecipado do evento Brasília Iluminada, montado entre a Esplanada dos Ministérios e o Eixo Monumental. A programação desta quarta-feira (19) já está cancelada e as estruturas serão desmontadas na quinta-feira (20).

 


O espaço tem como objetivo apoiar e valorizar a economia criativa e a produção local


Um levantamento realizado no ano passado pelo Observatório Itaú Cultural aponta que o número de postos de trabalho na economia criativa cresceu 14% no último trimestre de 2021. Tendo em vista os crescentes dados positivos sobre o setor em um cenário de retomada, um negócio com custos mais baixos é o desejo de qualquer empreendedor, principalmente aqueles que estão iniciando. E é assim que a economia compartilhada, onde se encaixam as lojas colaborativas, se torna uma opção vantajosa para a consolidação de novos comércios. 

Esta é a alma do negócio no Espaço 365 Collab & Coffee, loja que se reinventou nos últimos dois anos e traz produtos de diversos segmentos, além de oferecer experiências únicas aos seus clientes. O espaço, localizado na Asa Sul, conta com moda japonesa, produtos de beleza e bem-estar veganos por conta da Mercearia do Banho e recebeu, recentemente, a Stonia Gelatos que são sorvetes em camadas e a Galeria Ballon, loja especializada em balões personalizados.

Outras marcas que já fazem parte do espaço são a KawaFish, que garante itens exclusivos de aquarismo, a Magnólia Papelaria, a Mercearia do Banho, com produtos de beleza e bem-estar, e a Bird Sunglasses, especializada em óculos de sol. 

Já a Suika trabalha com a venda de kimonos adulto e infantil e a Verso 21, com camisetas estampadas com frases leves e divertidas. Por fim, a cafeteria 002, que oferece cafés e chás especiais, além de deliciosos acompanhamentos doces e salgados, para seus clientes.

Para quem quiser fazer parte do espaço colaborativo 365 Collab & Coffe, ele está com desconto especial de 20% no pagamento antecipado dos três primeiros meses (tempo mínimo de permanência). Os valores mensais são a partir de R$260. 


Espaço 365 Collab & Coffee - Um espaço, infinitas possibilidades!

Endereço: CLS 402 Bloco A Loja 15 - Asa Sul

Mais informações: (61) 99865-0051 / 402sul@somos365.com.br

Horário de funcionamento: Seg a Sáb: 10h-21h / Domingo: 10h-16h

Instagram: @espaco365.collab


Na programação, pintura de rosto, pula-pula, pipoca e algodão doce 


O mês de janeiro chegou e trouxe com ele o clima de férias para o Brasil Center Shopping. Para a diversão da garotada, o centro comercial celebra o mês com várias atrações.

As férias no Brasil Center Shopping acontecem toda sexta-feira, a partir das 18h, e aos sábados, a partir das 14h. Entre as atrações, pula-pula, pipoca, pintura de rosto e muito mais. 

Confira a programação:

-Sexta 21/01/2022 (18h às 20h) - Pula-pula, pipoca e algodão doce

-Sábado 22/01/2022 (14h às 17h) - Oficina de pintura de rosto e balão mania

-Sábado 22/01/2022 (15h às 17h) - Pula-pula, pipoca e algodão doce

 

Brasil Center Shopping 

Endereço: BR 040 Av. Marginal - Parque Esplanada III - Valparaíso de Goiás

Segunda a Sábado: 9h às 20h

Domingo (Facultativo lojas): 14h às 20h

Praça de Alimentação (Seg a Sáb): 10h às 22h

Praça de Alimentação (Dom): 12h às 20h

Siga no Instagram: @brasil_centershopping 

Site: http://www.brasilcentershopping.com.br/acontece.php


Ter acesso a grandes best-sellers da literatura mundial de negócios através de um clique e o melhor, de graça. É isso que o Instituto Ester Assumpção, entidade que trabalha há 34 anos em prol da inclusão de pessoas com deficiência, em parceria com o Grupo Voitto, escola de negócios, e a PocketBook4You, uma das maiores plataformas de resumos de livro on-line, vai fazer. A promoção que dará acesso gratuito de 6 meses a diversos apanhados de obras de vários segmentos, que vão de empreendedorismo, liderança e gestão, marketing e vendas, cultura corporativa e outros, será válida até o dia 10 de fevereiro. Mas, para garantir esse presente, é preciso aplicar o cupom 'INSTEAPB4Y' através da plataforma https://pocketbook4you.com/pt.

De acordo com Cíntia Santos, psicóloga e coordenadora de projetos do Instituto Ester Assumpção, essa é uma chance de otimizar o tempo e ter acesso a ricos conteúdos literários. "Essa parceria entre o Instituto Ester Assumpção e o Grupo Voitto é uma ótima oportunidade para quem não tem tempo para ler. Com ela, a pessoa terá acesso ao resumos de diversas obras através da plataforma PocketBook4You e nela, ter a possibilidade de encontrar obras dos maiores autores e best-sellers do mundo de negócios para encaixar no dia a dia. São resumos, com texto, áudio e PDF disponíveis em 8 idiomas e em 10 categorias diferentes que passam pelo empreendedorismo, liderança e gestão, marketing e vendas, cultura corporativa, produtividade e muito mais", comenta.

Segundo Cintia Santos, a promoção é por tempo limitado e depois da data, o cupom para a assinatura premium não será mais válido. "Esse presente só valerá até o dia 10 de fevereiro. Para os que são apaixonados e já tem o hábito de leitura, o resumo das obras através do celular é a chance de transformar em realidade o sonho de conhecer muitas obras literárias ao mesmo tempo. São mais de 500 resumos de livros disponibilizados", conclui.

 

Instituto Ester Assumpção

Fundado no ano de 1987, o Instituto Ester Assumpção é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos criada por Ester Assumpção, educadora nacionalmente conhecida pelo caráter pioneiro e inovador no campo da educação. A instituição atua no campo da inclusão da pessoa com deficiência e tem como foco contribuir para a construção de uma sociedade mais inclusiva, onde a diversidade seja aceita e respeitada na sua integralidade. As principais frentes de atuação são a qualificação e inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho e a consultoria para que as organizações se adequem e cumpram o papel social de promover a inclusão.

 

Site: https://www.ester.org.br

Instagram: https://www.instagram.com/institutoesterassumpcao/

Facebook: https://www.facebook.com/institutoesterassumpcao/

 


Assinatura: aplicar o cupom 'INSTEAPB4Y' através da plataforma https://pocketbook4you.com/pt.

Promoção válida até o dia 10 de fevereiro

 


Livre de vírus. www.avast.com.



Oferta é válida entre os dias 19 e 21 de janeiro

Se você quer aproveitar as férias de janeiro ou celebrar o início do novo ano, a Buffalo Bio preparou uma oferta especial para você, ideal para reunir familiares e amigos em volta da mesa. Entre os dias 19 e 21 de janeiro, a churrascaria oferece, no jantar, o rodízio da casa por R$ 72,90 por pessoa.

A opção dá direito a uma variedade de cortes especiais de carne bovina, como ancho, cupim defumado, shoulder steak, picanha e costela, mas também frango e linguiças. O público ainda pode saborear os diversos acompanhamentos preparados pela casa, que incluem saladas, queijos, arroz, frios, sashimi e sushis, entre outros.

Buffalo Bio

Endereço: Colônia Agrícola Samambaia Chácara 35 – Marginal da EPTG sentido Taguatinga (Frente à residência oficial do Governador) 

Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, almoço das 11h30 às 15h30; Jantar das 18h30 às 23h; Sábado e domingos, almoço das 11h30 às 16h; e Jantar das 18h30 às 23h

Telefone: 3397-2443 / 3397-2446

Siga no Instagram: @buffalo_bio

Daniel Medeiros*


Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista. Se você é uma pessoa que repudia práticas racistas de qualquer natureza, certamente ficará desconcertada com essa imputação e descobrirá rapidamente que o “correto” é escrever mesa de cabeceira. E só então aparecerão diversas ofertas para a sua livre escolha. E melhor, com a consciência limpa: você não é racista.

À despeito dessa contribuição tão edificante do maior site de compras do mundo, a discriminação e a violência contra negros não param de crescer. O mapa da violência é um exemplo claro: ser jovem e negro no Brasil faz com que se tenha 17 vezes mais chances de ser morto pela polícia do que se a pessoa for jovem e branca. Mesmo que todo mundo passe a dizer “mesa de cabeceira” três vezes ao dia, em voz alta, na praça.

Mas, o mais curioso não é o empenho em ensinar como falar coisas prosaicas sem ser racista: é que a associação da expressão criado-mudo com a escravidão é simplesmente falsa. Não há nenhuma relação entre escravos que serviam seus donos no Brasil do século XVIII, XIX, com o movelzinho que serve para colocar o livro de autoajuda que você lê antes de dormir e os remédios para dor de cabeça que você toma assim que acorda. É como o verbo denegrir, outro enjeitado termo “racista” que é motivo de cancelamentos massivos nas redes sociais dos incautos que desavisadamente o praticam. Termos que ficam com a reputação manchada para sempre. Ou seja, são denegridos.

Mark Lilla, em famoso artigo publicado no The New York Times, em novembro de 2016, chamado O fim da identidade Liberal, no qual anteviu a derrota de Hilary Clinton para Donald Trump, já destacava que a onda do politicamente correto atingia pessoas que nunca alimentaram qualquer comportamento discriminatório e que o mal-estar provocado por essas acusações só serviu para afastar esses grupos moderados do campo democrata, enfraquecendo as chances de um governo empenhado nas causas reais e urgentes para o país, como a desigualdade social e as políticas ambientais. Afirmava o autor: “A política de identidade está produzindo uma geração de liberais e progressistas narcisistas e inconscientes das condições existentes fora dos seus grupos autodefinidos, e indiferentes à tarefa de atingir os estadunidenses em todos os âmbitos da vida.”

O importante a destacar é que fazer a crítica dos excessos do controle terminológico identitário não implica, em absoluto, deixar de reconhecer o problema da marginalização de muitas dessas minorias. O que tem acontecido, porém, é que fazer a crítica tem se tornado um problema grave, na medida em que há uma rápida obstrução e um movimento em pinça de acusação e cancelamento que impedem que a crítica seja desenvolvida em seu campo natural, o do debate público, marcado pela liberdade de expressão e pela civilidade da refutação fundamentada. O caso da escritora J.K. Rowling é emblemático. Aliás, lembro que ela grafou seu nome com duas consoantes para escapar da estigmatização do autor feminino e buscar um lugar em um universo no qual o machismo ainda é prevalente. Pois agora, a criadora do universo de Harry Potter foi desconvidada do especial de vinte anos do primeiro filme da série, para evitar constrangimentos, em face de uma declaração que ela fez e que foi considerada politicamente incorreta. Mas essa é só uma gota no oceano de posturas correcionais que têm gerado pânico nos mais diversos produtores de conteúdo e, muitas vezes esse pânico se transforma em ressentimento e esse ressentimento acaba alimentando os oportunistas de plantão que ganham visibilidade defendendo justamente a discriminação que essas posturas tentam combater. É o paradoxo do politicamente correto servindo de lenha para a fogueira dos que defendem a perpetuação da desigualdade. Prova de que o clichê “de boas intenções o inferno está cheio” está mais atual do que nunca.

O que deve ser ressaltado, como lembra a pensadora Hannah Arendt, é que não existem direitos humanos sem políticas protetivas dos direitos humanos. São essas que constituem a garantia necessária a uma vida digna e elas só podem ser elaboradas e aplicadas por governos comprometidos com o bem-estar geral da população, fundamentados em regras de aplicação geral, reconhecendo a isonomia corretiva necessária para compensar as profundas desigualdades ocorridas ao longo da nossa história sem perder, porém, o horizonte de um projeto de sociedade múltipla em identidades e igual em direitos e deveres. Fraturar essa ideia de igualdade cidadã em nome do reconhecimento multifacetado das identidades pode funcionar, ao contrário do que se parece desejar, empurrando para os grupos conservadores a ideia de Pátria e de Unidade, de Sociedade e de República, (conquistas iluministas, nunca esqueçamos), e fortalecer justamente aqueles que mais se distanciam da busca por respeito e reconhecimento de direitos para todos. Como lembrou Emmanuel Macron, em entrevista para a revista Elle de primeiro de julho de 2021: “Estou do lado universalista. Não me reconheço em uma luta que remete a cada um a sua identidade ou seu particularismo."

O criado-mudo não é uma expressão racista. Isso é falso. Mesmo que fosse, sua manifestação não deveria ser repudiada e criminalizada, mas contextualizada e pedagogizada, pois quem desconhece não comete um crime. Pelo contrário, torna-se grato por aprender sem ser acusado. Ao ser acusado, sente-se injustiçado e ressente-se. Ressentimentos são peças-chave da política de divisão que vigora nos nossos tempos. Por isso, deve ser combatida. Devemos buscar resgatar campos comuns de aproximação, suspendendo o dedo acusador e substituindo-o pela mão estendida ao bom diálogo e ao acordo em torno de uma pauta de direitos para todos e de resgate dos mais vulneráveis. O resto é só comida para lobos.

*Daniel Medeiros é doutor em Educação Histórica e professor no Curso Positivo.
daniemedeiros.articulista@gmail.com
@profdanielmedeiros

 

**Artigos de opinião assinados não reproduzem, necessariamente, a opinião do Curso Positivo.

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.