Mostrando postagens com marcador TV. Mostrar todas as postagens


Em busca de proporcionar a melhor experiência aos seus clientes, o BRB inaugura sua primeira agência com novos conceitos. A unidade fica no Terraço Shopping, em Brasília, e oferece ambiente confortável e arquitetura moderna



"Queremos proporcionar aos nossos clientes um ambiente único, acolhedor, com atendimento padronizado, moderno e que represente o novo BRB", afirma o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

As mudanças fazem parte do novo modelo de atendimento de Varejo do BRB. Em fase de implementação, ele é baseado em eixos, entre os quais destacam-se o novo modelo de ambiência das agências, a melhoria dos processos, o reposicionamento da Rede e a nova segmentação.

Em relação à ambiência, a nova agência Terraço Shopping já vai trazer o novo conceito. Ela conta com totens interativos, café exclusivo BRB e integração das experiências física e digital.

O processo de abertura de conta, por exemplo, está totalmente reformulado. Ainda que esteja presencialmente na agência, o cliente fará todo o onboarding no Banco na palma da mão, por meio de acesso de seu celular, abrindo conta, escolhendo o posto de atendimento de preferência e sendo direcionado de acordo com seu segmento.

"O novo modelo de Varejo é um reposicionamento do Banco com foco nas necessidades e experiências dos nossos clientes, permitindo maior independência e interação personalizada. Ele leva em conta o novo contexto do mercado financeiro, com necessidade de inovação e customização de produtos e serviços", afirma Paulo Henrique Costa.

Outra novidade nessa agência é a presença de equipamento para esterilizar os numerários, proporcionando, assim, mais segurança e cuidado aos seus clientes e empregados.

A partir da inauguração da nova agência do Terraço Shopping, o BRB vai reformular outras unidades de atendimento, de forma planejada e gradual.



Atualmente, o BRB possui mais de 2 milhões de clientes, considerando também os do banco digital Nação BRB FLA. Lançado em parceria com o Flamengo, em pouco mais de um ano já possui 1,7 milhão de clientes, e se posiciona como banco moderno, completo e inovador.

Na comemoração dos 73 anos do município, o governador Ronaldo Caiado, acompanhado do prefeito Samuel dos Reis Cotrim e do deputado federal Célio Silveira, inauguram o Sistema de Esgotamento Sanitário, entrega dois ônibus escolares, autoriza implantação de quadra coberta e de passarelas em colégio estadual. Somados, os investimentos são de R$ 14,8 milhões. O município de Vianópolis completa 73 anos, tudo começou em terras da antiga Fazenda Tavares, em consequência da Estrada de Ferro Goiás. Quando, em 1924, o Diretor da Estrada marcou o lugar para ser construída a Estação, Felismino de Souza Viana adquiriu parte da fazenda e deu início à povoação denominada Vianópolis, em sua homenagem. Com a inauguração, em 1926, da rede de energia elétrica, de propriedade do fundador Levy Fróes, a localidade se desenvolveu, inclusive, no setor comercial, gerando rivalidade com Bonfim, hoje Silvânia, território em que se localizava



O distrito foi criado em 16 de maio de 1927, pela Lei Municipal nº 121 e o Município, desmembrado de Silvânia (ex-Bonfim), em 19 de agosto de 1948, pela Lei Estadual nº 115. A instalação ocorreu no ano seguinte. Antes de se tornar município, a região ficou conhecida como "Pouso do Carreiro" por ser o ponto de parada dos boiadeiros e tropeiros. Era também chamada de "Cabeceira da Vereda", devido ao córrego do mesmo nome. Mais tarde, o lugar passou a ser chamado de "Estação Tavares", que recebeu essa denominação em homenagem à família Tavares, que na época era dona das terras onde começou a cidade. Foi aí que o coronel Felismino de Souza Viana logo adquiriu dois alqueires da área e deu início à formação da cidade.
 
O governador Ronaldo Caiado inaugurou, nesta quinta-feira (19), o Sistema de Esgotamento Sanitário de Vianópolis, assinou ordem de serviço para implantação de quadra coberta e passarelas no Colégio Estadual Armindo Gomes e entregou dois ônibus escolares, durante as comemorações dos 73 anos de emancipação política do município, localizado na região da Estrada de Ferro.

Somados, os investimentos são de R$ 14,8 milhões. Caiado também autorizou a construção de 42 unidades habitacionais e participou da entrega de obras de responsabilidade da gestão municipal.

O governador citou parcerias com deputados federais, estaduais, prefeitos e vereadores. "Só fazemos se tivermos uma ação conjunta", afirmou. Antes da solenidade, ele vistoriou a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que integra o sistema e conta com quatro lagoas, sendo duas facultativas e duas de maturação; leitos de secagem; caixas de areia; dentre outros equipamentos. Foram investidos R$ 14,1 milhões para execução de 65,4 quilômetros de novas redes coletoras, interceptores e emissário final, além de mais de 3.200 ligações de esgoto.



"Esse é o padrão a que queremos chegar no Estado de Goiás para atender à totalidade dos municípios", comentou o governador. "Na hora em que você coloca a Saneago no leito normal, você vê a quantidade de obras que são realizadas", destacou.

Já o vice-governador, Lincoln Tejota, reiterou que investir em esgoto e tratamento de água é investir na saúde. "Nos últimos 100 anos, a nossa expectativa de vida mais do que dobrou. O que mudou? Justamente o emprego do esgoto e da água tratados".

Com o novo empreendimento, a Saneago conseguirá atender a cerca de 66% da população urbana de Vianópolis. O sistema irá contemplar os seguintes setores: Bairro Blazi, Bairro Mutirão, Central, de Lourdes, Delfino, Ferreira Santos, Manoel Gouveia, Michelle, Mutirão, Santo Agostinho, Santos Dumont, São José, Sonhos Parques, Vila dos Santos e Vista Alegre. Já o abastecimento de água é universalizado, e toda a população urbana recebe água tratada em casa.

"Isso significa muito para a saúde das pessoas, menos doenças causadas pela falta de esgoto, mais conforto para as pessoas e cuidado com o ambiente", declarou o presidente da Saneago, Ricardo Soavinski. "Não é uma obra que a gente inaugura e fica anos ou meses sem entrar em funcionamento. Ela é já inaugurada e entra em operação", completou.

O prefeito de Vianópolis, Samuel dos Reis Cotrim agradeceu os investimentos. "É algo que a população almeja". Para ele, uma boa gestão é o que faz diferença na vida da comunidade. "Política é feita dessa forma que o governador está fazendo, com muita seriedade e transparência", reforçou.

"Dia lindo em Vianópolis, comemorando os seus 73 anos como município, com a inauguração de obras e entrega de benefícios. Satisfação imensa em contribuir com milhões de reais em emendas para o progresso desta cidade que tem um prefeito competente, como o Samuel Cotrim, e um ex-prefeito que fez história, como meu amigo Issy Quinan. Alegria celebrar esta data com lideranças de toda a estrada de ferro", comentou o deputado federal Célio Silveira.

Educação
Os dois ônibus rurais escolares (ORE) entregues ao município foram adquiridos por R$ 387.264,00, por meio de recursos de emendas parlamentares apresentadas pelo deputado federal Célio Silveira, um representante de Goiás no Congresso Nacional. Cada um tem capacidade para 29 passageiros.

Já a ordem de serviço assinada nesta quinta-feira, no valor de R$ 316.439,77, autoriza implantação de quadra coberta e passarelas no Colégio Estadual Armindo Gomes. No local, será demolida a antiga estrutura e construídas uma nova quadra coberta e passarelas de ligação.

"Eu acredito na Educação, porque é o vetor mais importante para mudar a vida das pessoas. O cuidado que sempre tive, ao chegar ao governo, foi fazer mudanças substantivas no dia a dia, na vida das crianças do nosso Estado", destacou o governador Caiado.

Na Educação, os investimentos do Governo de Goiás em Vianópolis, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), alcançam R$ 3,2 milhões. O município conta com três escolas da Rede Estadual de Ensino, que atendem a 1.223 alunos. Com o programa Reformar, destinado a pequenas reformas nas unidades escolares, foram investidos no município R$ 171 mil, enquanto que pelo Equipar foram R$ 472,5 mil para compra, de forma direta e descentralizada, de equipamentos como computadores, materiais de laboratório e utensílios de cozinha.

Para aquisição de kit escolar, tênis e uniforme, foram destinados R$ 161,1 mil. Outros repasses foram para transporte (R$ 1 milhão), merenda (R$ 574,4 mil), Conectar (R$ 15,3 mil) e Pró-Escola (R$ 188,3 mil). Está no início a obra de execução da quadra coberta com vestiário do Colégio Estadual Jandira Bretas Quinan, na qual serão injetados R$ 631 mil.

A revolução na educação provocada pela gestão de Caiado já mostra resultados. A aluna do 6º ano do ensino fundamental do Colégio Estadual Armindo Gomes, Valentina Soares da Silva, de 11 anos, não vê diferença entre o conteúdo ministrado nas escolas particulares e públicas. "Eu me mudei para Vianópolis há pouco tempo. Estava em um colégio particular, e o estudo [da escola pública] está bem alinhado ao da rede privada", contou a estudante.

Política habitacional
O governador autorizou, durante a solenidade, a construção de 42 unidades habitacionais em Vianópolis, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab). "Mais um presente para vocês. Pode levar a documentação para a Agehab, que já está incluída para esta primeira licitação. Entregando toda a documentação, já vamos iniciar a construção rapidamente", anunciou.

No município, graças à parceria com governo federal e Associação Estadual dos Pequenos Agricultores de Goiás (Aepago), o Governo de Goiás investe na construção de 12 unidades habitacionais na zona rural. A obra está com 80% de execução e previsão de conclusão em dezembro de 2021. O valor total do investimento é de R$ 556,2 mil, sendo R$ 180 mil do Governo Estadual e R$ 376,2 mil de contrapartida do Governo Federal.

Outras ações
Localizado na Regional de Saúde Centro-Sul, na Macrorregião Centro-Sudeste, o município já foi contemplado, só na área da Saúde, com R$ 2.087.637,48 em repasses das contrapartidas estaduais e dos planos de fortalecimento para custeio e investimento. Na Macrorregião Centro-Sudeste, em que se localiza Vianópolis, o Governo de Goiás mantém e regula 114 leitos de UTI distribuídos em oito hospitais de cinco cidades (Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Catalão, Itumbiara e Senador Canedo).

Por meio da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), também estão em execução duas obras de reconstrução (microrrevestimento): uma, em toda a extensão de 44 quilômetros da GO-330, entre Vianópolis e Orizona, no valor de R$ 8,8 milhões; e outra em 85,2 quilômetros da GO-139, no trecho de Vianópolis ao entroncamento com a GO-213 (Caldas Novas), com custo de R$ 4,2 milhões.

Vianópolis está contemplada no "Goiás em Movimento – Eixo Municípios" e receberá obras de restauração de ruas e avenidas da cidade. No total, serão investidos R$ 200 milhões pela Goinfra na primeira etapa do programa, abrangendo 100 municípios. "Na Goinfra, hoje, os prefeitos sentem a diferença. Coloquei regras claras, e agora vocês veem as coisas funcionarem. Temos um compromisso sério com as pessoas", declarou Caiado.

Com 843 propriedades rurais, o município também foi contemplado, no programa Mecaniza Campo, com dois maquinários (trator agrícola e plaina com concha). O investimento total é de R$ 103,1 mil. Os equipamentos devem auxiliar na manutenção de 489,56 quilômetros de estradas vicinais na região. Dentro do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA Estadual), nove produtores são atendidos, com volume de produção de 14.670 quilos e investimento de R$ 66,6 mil.

Em maio de 2020, o governo de Goiás, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), assinou protocolo com a AHL PULP Indústria de Alimentos Ltda para instalar suas atividades no município. A empresa atua na fabricação e conserva de legumes, moagem e fabricação de produtos de origem vegetal. A previsão é de investimentos na ordem de R$ 5 milhões e geração de 600 empregos, sendo 150 diretos e outros 450 indiretos.

Área social
Entre janeiro de 2019 e julho de 2021, a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) entregou 3.580 benefícios no município de Vianópolis, o que melhora a qualidade de vida e traz dignidade para famílias em situação de vulnerabilidade social. Os donativos representaram um investimento de mais de R$ 22,5 mil.

De janeiro de 2019 a junho de 2021, são 25 estudantes contemplados com a bolsa de estudos, fruto de um investimento de R$ 257,7 mil. A Campanha de Combate à Propagação do Coronavírus, iniciada em maio de 2020, entregou, ao todo, 929 cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade social de Vianópolis. Deste total, 800 foram destinadas à prefeitura e 129 para entidades sociais do município.

O nome Vianópolis é em homenagem ao fundador. Feliz Aniversário Vianópolis!



A Câmara dos Deputados concluiu a votação de uma nova reforma trabalhista no dia 12 de agosto. Caso seja sancionada, a Medida Provisória (MP) 1045/2021 muda uma série de regras para os trabalhadores brasileiros e, com isso, dúvidas acerca dos direitos e deveres podem surgir. Por isso, o advogado trabalhista André Leonardo Couto, gestor da ALC Advogados, explica o que muda na prática para os empregados contratados via Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e jovens aprendizes.

A MP 1.045/2021 renova o programa de redução ou suspensão de salários e jornadas de trabalho com o pagamento de um benefício emergencial aos trabalhadores. As regras valem para quem tem carteira assinada e para os contratos de aprendizagem e de jornada parcial. "É importante que os profissionais do direito e os empregadores se atentem às regras, direitos e deveres para que todas as ações empreendidas sejam norteadas pela legalidade. O atual cenário econômico, criado a partir da crise de saúde mundial, implicou numa série de ajustes e adaptações para a sociedade como um todo e no Direito do Trabalho, sem emitir nenhum juízo de valor, não foi diferente", comenta André Leonardo Couto.

De acordo com André Leonardo Couto, entre as medidas, a que mais pode gerar dúvidas é sobre a redução de salários. "O valor a ser pago ao empregado dependerá de quanto for a redução da jornada. Se o acordo entre a empresa e o colaborador for individual, sem participação de sindicato, a redução só poderá ser de 25%, 50% ou 70%, tanto do salário quanto da jornada de trabalho. Se houver redução de 50%, o funcionário terá direito a 50% do salário e a 50% do seguro-desemprego por mês. É importante deixar claro que, como o seguro é calculado sobre a média dos salários, o valor não chega a ser o mesmo que o reduzido", destaca o advogado.

O especialista ressalta que só poderão ser beneficiados contratos já existentes quando a MP foi editada e que nestas novas determinações, os trabalhadores com contratos intermitentes não poderão receber o benefício. Ele ainda deixa claro que a Medida Provisória permite a redução de salário e jornada com percentuais diferentes por acordo coletivo. "Desta forma pode ser desvantajoso para o trabalhador. Se o acordo coletivo definir que a redução seja menor que 25%, o empregado não receberá nada do governo. Para reduções de 25% até 50%, o benefício será de 25% do seguro-desemprego e diminuições de salários maiores que 50%, até 70%, terão um benefício de metade do seguro-desemprego mensalmente. Já para a redução maior que 70% do salário e da jornada de trabalho, o empregado poderá receber 70% do seguro-desemprego a que teria direito, elucida.

O advogado trabalhista destaca que as negociações por acordo individual ou coletivo poderão ser realizadas somente por aqueles que ganham até três salários mínimos, ou que ganham salário igual ou maior a duas vezes o teto da Previdência Social, que hoje é de R$ 12.867,14 e possuam diploma de curso superior. "Os empregados que aceitarem a redução de 25% no caso de qualquer salário, poderão firmar um acordo individual. Isso vale também para o trabalhador que continuar a ganhar o mesmo salário somando o benefício, o salário reduzido, se for o caso, e o complemento que o empregador pagar. Em qualquer outra situação fora isso, a redução ou suspensão dependerá de acordo coletivo ou convenção coletiva", aponta André Leonardo Couto.

Direito à estabilidade

O advogado André Leonardo Couto ressalta que o trabalhador que participar do programa terá uma garantia provisória contra demissão sem justa causa durante o período e, depois do fim da redução ou suspensão do contrato, por tempo igual ao que passou recebendo o benefício. "Este é um ponto importante que deve ser observado. Caso ocorra a dispensa sem justa causa durante o prazo de estabilidade determinado pela MP, além de ser obrigado a pagar as parcelas rescisórias previstas na legislação, o empregador indenizar o trabalhador com 50% do salário a que teria direito no período de garantia, se a redução de jornada e salário for de 25% até 50% e 75% se a redução tiver sido maior que 50% e até 70%. E ainda, 100% do salário no caso a redução seja superior a 70% ou na suspensão temporária do contrato de trabalho", orienta.

Direito das gestantes

As mulheres grávidas contam com regras específicas previstas pela MP 1045/21. De acordo com André Leonardo Couto, para a concessão do benefício para as gestantes, inclusive empregadas domésticas, quando a licença licença-maternidade for iniciada, o empregador deverá informar o fato ao Ministério da Economia, suspender as regras do programa de redução ou suspensão salarial e de jornada e pagar o salário com base no que ela recebia antes de entrar no programa", alerta, o advogado, que ainda complementa. "A garantia provisória contra demissão para as grávidas contará depois daquela prevista na Constituição, que vai do momento da confirmação da gravidez até cinco meses após o parto", diz

Regras para contratos suspensos

O advogado trabalhista deixa claro que, quando ocorre a suspensão do contrato de trabalho, o trabalhador não perde o vínculo trabalhista e deve receber o valor equivalente ao do seguro-desemprego. "Nesse período, o empregado continua contando com todos os benefícios concedidos pelo empregador. Durante o afastamento, o trabalhador poderá recolher para a Previdência como segurado facultativo, mas se o colaborador mantiver suas atividades laborais, mesmo que parcialmente, com teletrabalho, trabalho remoto ou qualquer outra modalidade, o empregador deverá pagar imediatamente a remuneração, além de todos os encargos sociais de todo o tempo de suspensão e estará sujeito às penalidades previstas na legislação e no acordo coletivo", explica.

De acordo com o texto da MP, no caso da redução ou suspensão, se o empregador desejar, poderá pagar uma ajuda compensatória mensal ao empregado. "Como essa ajuda tem caráter indenizatório, não poderá sofrer descontos para Imposto de Renda, Previdência Social ou Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). E por parte do empregador, não integrará a base de cálculo para demais tributos incidentes sobre a folha de salários, para o Imposto de Renda nem para a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

 ALC Advogados

No mercado há mais de 10 anos, o escritório ALC Advogados é sediado na cidade de Pedro Leopoldo, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Com atuação e vários cases de sucesso, o negócio, que tem à frente o advogado André Leonardo Couto, trabalha principalmente nas áreas do Direito do Trabalho, Cível e Imobiliária, com clientes em diversos Estados. Em 2020, o negócio passou a integrar o grupo empresarial ALC Group.

Siga no Instagram @alcescritorio: www.instagram.com/alcescritorio

Site: https://andrecoutoadv.com.br/

 

 

Exame que mostra o tumor que ia da região nasal até o cérebro
Créditos: Divulgação


 

Em atendimento inédito no Hospital Universitário Cajuru, tumor tem incidência de 1 caso para 1 milhão de pessoas e foi retirado pela região nasal

Dois meses. Esse foi o tempo em que Cláudio Adriano Bittencourt, de 45 anos, sentiu dores de cabeça em um quadro de sinusite. Sangramento no nariz e manchas na visão começaram a aparecer. Foi quando decidiu que era hora de procurar um médico e, ao realizar a ressonância magnética na investigação do caso, descobriu um tumor maligno de incidência rara, com o nome de Estesioneuroblastoma. A lesão começava no nariz, passava por trás do olho esquerdo e chegava às proximidades da região cerebral. O próximo passo - decidido em menos de um mês de intervalo - foi a cirurgia de alta complexidade realizada de forma minimamente invasiva. 

Foram pouco mais de 90 dias entre os primeiros sintomas, a descoberta de uma lesão extremamente grave e rara e a definição do tratamento. O procedimento cirúrgico, realizado no Hospital Universitário Cajuru, em Curitiba (PR), foi feito 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Vendedor de automóveis, de União da Vitória, no Paraná, a vida de Cláudio foi salva pela agilidade do hospital, por equipes de neurocirurgia e otorrinolaringologia de excelência e pela disponibilização de um aparelho de alta tecnologia para a intervenção.

Além da raridade do tumor, o procedimento todo foi inédito na história do hospital e foi a  primeira vez que a equipe médica realizou uma cirurgia de tamanha complexidade. Segundo o neurocirurgião Carlos Alberto Mattozo, esse tipo do tumor tem incidência imensamente baixa, de cerca de 1 caso para 1 milhão de pessoas. De acordo com Mattozo, em mais de 20 anos de carreira, ele presenciou somente dois casos como esse. 

E a cirurgia minimamente invasiva só pôde ser realizada por conta de um aparelho de alta tecnologia. “A composição da equipe e as ferramentas necessárias são difíceis de conseguir nos hospitais, ainda mais quando pensamos em SUS. Para que tudo fosse possível, utilizamos um instrumento de tecnologia avançada e que, naturalmente, tem um custo elevado, além de ser restrito para locação e para pacientes de convênios particulares. Mas, nesse caso, tivemos a sorte de obtermos equipamentos de ponta para fazer o procedimento”, explica o médico. 

Recuperação rápida depois do susto

Cláudio comenta que levou um susto ao descobrir o tumor. Relembra que teve uma dor de cabeça e, em pouco tempo, se viu diante de algo complexo que nunca imaginava. “Foi tudo muito rápido e inesperado. Eu me sinto muito grato por ter conseguido realizar essa cirurgia e, principalmente, da forma como foi. Ágil, com equipamento de primeira e excelentes médicos. Muita gratidão pela descoberta e solução do problema de forma tão rápida. Salvaram a minha vida”, se emociona.

Quatro dias depois do procedimento, o vendedor já conseguiu voltar para casa, onde vai finalizar seu processo de recuperação. Menor tempo de hospitalização, retorno mais rápido às atividades cotidianas e menor índice de infecção. Esses são justamente alguns dos benefícios de cirurgias realizadas de maneira minimamente invasiva. “É normal o paciente ter receio e medo de passar por essas intervenções, ainda mais quando se trata de uma operação complexa. No entanto, com o avanço da medicina aliada à tecnologia, se tornou possível executar esses procedimentos da maneira mais segura possível e ainda refletir no pós-operatório”, afirma o gerente médico do hospital, José Augusto Ribas Fortes. “Além disso, a cirurgia de rápida recuperação faz com que a permanência na UTI seja reduzida, o que é um alívio no contexto de pandemia, que pressiona o sistema de saúde como um todo, pela superlotação dos leitos”, complementa. 

Procedimento

A proposta complexa da cirurgia foi realizar a retirada do tumor pelo nariz. Para tal técnica, as equipes médicas de neurologia e otorrinolaringologia do hospital entraram com uma câmera de vídeo pela narina. Para dar sequência ao processo, foi utilizado um equipamento chamado shaver, com um tipo de ponteira. “No final dessa ferramenta tem uma ‘espécie’ de triturador, que é extremamente útil para conseguir tirar rapidamente essa parte do tumor nasal”, salienta. 

A cirurgia durou seis horas e foi um sucesso. “O nosso trabalho também é mostrar para as pessoas o que é possível fazer. Grande parte dos cirurgiões acabaria abrindo o crânio do paciente por cima, fazendo uma craniotomia, uma conduta muito invasiva e traumática. Mas nós retiramos o tumor exclusivamente pelo nariz, o que traz muitos benefícios, principalmente na recuperação”, finaliza Mattozo.


José Lucio Glomb é ex-presidente da OAB/PR e conselheiro do Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE/PR).
Créditos: divulgação



*José Lucio Glomb
 
 Para trabalhos especializados, trabalhadores especializados. Por mais lógico que pareça o raciocínio, ainda há um longo caminho a ser percorrido para que as empresas brasileiras consigam levá-lo ao pé da letra. No Brasil, a falta de adequação comportamental e de qualificação profissional são citadas como as principais dificuldades encontradas por 48% dos recrutadores na hora de contratar jovens talentos. O dado é de uma pesquisa realizada pela Catho. Preparar os jovens para o mercado de trabalho é um desafio em um país que ainda luta para melhorar até mesmo a educação básica. Mas é um dos caminhos mais promissores para construir uma economia fortalecida, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Capacitar quem ainda não começou sua vida profissional é uma forma eficaz de garantir mão de obra com as características necessárias para os diversos setores produtivos. Para acelerar esse processo e assegurar um crescimento monitorado dos jovens foi criada, em 2000, a Lei de Aprendizagem. Ela determina que toda empresa de médio e grande portes deve contratar aprendizes na faixa etária dos 14 aos 24 anos. O foco do programa está no acompanhamento dessa primeira experiência profissional com uma equipe multidisciplinar, além de oferecer aos jovens um vínculo de trabalho formal, com carteira assinada, uma renda fixa e todas as garantias trabalhistas. Assim, se, por um lado, o Programa de Aprendizagem dá às empresas a oportunidade de qualificar seus colaboradores desde o primeiro momento, por outro ele protege os direitos de quem participa dele. Nessa outra ponta da relação, aliás, os ganhos são ainda mais significativos. O Programa de Aprendizagem tem um forte papel social de inclusão. O aumento do desemprego no país é uma triste realidade e atinge especialmente a população mais nova, mais pobre e com menor grau de escolaridade. Os avanços da aprendizagem nesse sentido são imensos. É por meio dela que um grande contingente de jovens consegue romper o ciclo de pobreza em que nasceu. Não se trata de uma solução para todos os problemas relacionados ao emprego, naturalmente. Há outras questões envolvidas quando se pensa em um projeto que ajude a evitar que as pessoas fiquem sem trabalho. No entanto, ela corrige uma lacuna importante deixada pela baixa qualidade do ensino e pela falta de condições dignas de moradia, saúde e alimentação, por exemplo. Os resultados podem ser vistos conversando com jovens que foram inseridos no mercado por meio do Programa de Aprendizagem. Testemunhos dessa transformação se encontram aos montes no Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE/PR). De jovens que foram efetivados ao final do programa a jovens que usaram as lições aprendidas para iniciar seu próprio sonho empreendedor. Essa é, então, uma ferramenta fundamental e eficaz, mas não pode ficar estagnada. Afinal, já se completam 21 anos desde sua implementação. Outro aspecto importante do programa é o estímulo para que os matriculados busquem uma formação contínua ao longo da vida. Isso é feito por meio de uma orientação personalizada com psicólogos, assistentes sociais, instrutores e outros profissionais. Segundo um levantamento do Datafolha, 43% de todos os jovens aprendizes do CIEE entre 2016 e 2017 se matricularam em uma graduação. Um passo notável para quem, até pouco tempo antes dessa oportunidade, muitas vezes estava lidando com uma situação de completa vulnerabilidade social. A conclusão não chega a ser uma novidade: muitos jovens brasileiros só precisam de uma chance para mudar o rumo de suas trajetórias. Enquanto isso, as organizações podem moldar aquele colaborador do zero, de acordo com as necessidades de cargos, funções e quadro de funcionários. Quando o trabalho de inserção desse jovem é bem feito, gera-se uma identificação quase emocional entre as duas partes, que podem crescer juntas. Investir e contribuir para a melhoria de iniciativas como o Programa de Aprendizagem é investir e contribuir com o futuro da economia brasileira. 

 *José Lucio Glomb é ex-presidente da OAB/PR e conselheiro do Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE/PR).



Por determinação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB),o Setor de Rádio e TV Sul é urbanizado pra valer, a obra foi entregue nesta quinta (19). GDF investiu R$ 4,5 mi no local, que ganhou mobilidade para pedestres, motoristas e pessoas com deficiência

Foto: Paulo Henrique Carvalho

No coração de Brasília, pulsa uma região por onde passam 40 mil pessoas diariamente. Localizado em área nobre, centro da capital da República, o Setor de Rádio e TV Sul (SRTVS), um conjunto urbanístico formado por pessoas e edifícios, passou pela primeira grande obra. O Governo do Distrito Federal (GDF) investiu cerca de R$ 4,5 milhões em infraestrutura no local. A reforma será oficialmente inaugurada na manhã desta quinta-feira (19).

Diversas obras e intervenções arquitetônicas foram feitas para recuperar esse patrimônio da capital, com vistas a melhorar o acesso das pessoas e o tráfego de veículos. Foi uma completa reurbanização, que contou com a ampliação e organização dos espaços. Foram criadas novas vagas de estacionamento, alguns quilômetros de calçadas foram construídos ou recuperados e o paisagismo é todo novo, com novas praças e área livres. Iniciada em setembro do ano passado, a reforma do SRTVS gerou mais de 300 empregos.

475 novas vagas para carros passam a ser oferecidas no SRTVS, um aumento de 64% no estacionamento público

"Isso é uma repaginação total do setor de rádio, valorizando não só o local, mas os trabalhadores também, e é isso que queremos incrementar isso em todo o Distrito Federal", comentou o governador do DF, Ibaneis Rocha.
 
"As obras proporcionaram melhorias na acessibilidade, organização do trânsito, solução das ocupações irregulares de área pública, estacionamentos e segurança para facilitar o acesso aos estabelecimentos em funcionamento na região", avalia a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro.

Para Alexandre Lins, operador de áudio, trabalhando há 13 anos em uma emissora de televisão sediada na região, agora é preciso que os cidadãos respondam às benfeitorias com educação. "Temos que fazer a nossa parte e manter esse patrimônio bem organizado. A partir do momento em que houve a reforma do setor, todos precisam contribuir com a conservação", enfatiza.

Veículos motorizados
O número de vagas para carros e motos foi ampliado. O local passou a oferecer 475 vagas, um aumento de 64% na oferta no estacionamento público. Até então, eram 288 vagas. Os motociclistas também receberam novas vagas e, agora, são 58 locais exclusivos para as motos. Bicicletas também foram lembradas, com a instalação de 36 paraciclos, as estruturas metálicas que permitem apoiar e trancar as bikes com segurança.

"Colocamos cerca de 100 placas no setor, que indicam desde as vagas exclusivas de pessoas com deficiência (PCD) e idosos até as específicas de trânsito", atesta o chefe do Núcleo de Sinalização Estatigráfica do Departamento de Trânsito (Detran), Rodrigo Salgado Pires.

A partir de agora, o SRTVS passa a ser uma Zona 30. A exemplo do que já ocorre no Setor Hospitalar Sul, a velocidade máxima permitida no local será de 30 quilômetros por hora, medida que vai permitir a humanização do espaço, já que, além dos ciclistas, os pedestres foram priorizados na readequação de espaços.

Cuidado com o pedestre
Foram construídos quase 11 mil metros² de calçadas em concreto. Esses acessos, mais largos, não têm degraus ou obstáculos, facilitando assim o deslocamento das pessoas com dificuldade de locomoção. Os locais de travessia para pedestres também foram melhorados, com uma plataforma elevada, que nivela o asfalto à calçada.

Nas cinco praças, os pisos foram revestidos com placas de vidro prensado, com tons de vermelho, cinza e branco, formando diferentes desenhos. O paisagismo incluiu o plantio de 85 mudas de árvores do cerrado. Todo o espaço recebeu também 46 lixeiras duplas, com capacidade para 60 litros.

"O SRTVS faz parte da história da cidade. Não podíamos fechar os olhos para a situação de completo abandono em que o local se encontrava. Essa reforma trouxe cara nova para a região, estimulando o comércio e o tráfego de bens e pessoas. Estamos trabalhando duro para recuperar todos os espaços públicos do DF", afirma o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

Para a secretária-executiva da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Janaína Vieira, a reforma do setor é "mais uma obra importante a ser entregue para a população, com o objetivo de requalificar toda a região central de Brasília."

O texto estabelece que a valorização da infância e da adolescência deve ser uma política pública fundamental de todo ente público, principalmente no que trata ao combate à pedofilia

Foto: Rogério Lopes.

O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Delmasso (Republicanos), é o autor do projeto de lei n.º 3318/2021 que proíbe a utilização de verba pública em eventos e serviços que promovam a sexualização de crianças e adolescentes. A proposta visa evitar a exposição e resguardar a integridade de crianças e adolescentes.

O texto estabelece que a valorização da infância e da adolescência deve ser uma política pública fundamental de todo ente público, principalmente no que trata ao combate à pedofilia, e à sexualização precoce. Além de evitar alguma forma de desvirtuação daquilo que se entende dos bons costumes e causar conflito no processo de educação e formação ministrado por pais e mães.

A formação dos filhos compete a pais e mães, quando o assunto é sexualidade e a condução do tema junto a crianças e adolescentes. Logo, este projeto foi construído a partir do princípio de preservar crianças e adolescentes e evitar que conflitos indesejados sejam criados em momentos inoportunos para as famílias brasilienses.

O projeto estabelece ainda, que serviços públicos ou eventos patrocinados pelo poder público, independentemente de quem seja o promotor ou executor, deverão respeitar as regras que proíbem a exposição de crianças e adolescentes a imagens, filmes, músicas ou textos pornográficos ou obscenos.

"Entendemos que, tão importante quanto a liberdade individual está a proteção de vulneráveis, lembrando que a proteção integral às crianças e adolescentes está consagrada nos direitos fundamentais constitucionais", disse Delmasso.


Uma história de pioneirismo e amor pela música instrumental. Esse foi o pontapé inicial do duo formado pelas artistas Maria Bragança e Maria Teresa Madeira, que culminou no CD "Duas Marias". A obra, que mescla o erudito e o popular, foi lançada em 2015 e agora é reeditada e relançada com concertos on-line. Com o patrocínio da CEMIG, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, as mulheres talentosas mostrarão ao público a potência que o saxofone e o piano têm juntos. As apresentações serão disponibilizadas em 20 de agosto no Youtube: youtube.com/MariaBragancaOficial. 

O grande reencontro das Duas Marias, Maria Bragança e Maria Teresa Madeira, aconteceu em 2005, com o concerto na Sala São Paulo, a convite da Filarmônica Brasileira. Desde então, não se perderam de vista, com encontros musicais além de gravações no terceiro álbum da saxofonista Maria Braganca, intitulado Trova Brasileira (2055), nas faixas Odeon, do Ernesto Nazareth e Rosa de Pixinguinha.

O CD Duas Marias foi lançado no Festival VAC - Verão Arte Contemporânea. O trabalho foi indicado na pré-final do prêmio Grammy 2016. Em 2020, ganharam o prêmio de melhores instrumentistas da Radio Inconfidência, de Belo Horizonte, e reeditaram o mesmo álbum com o patrocínio da CEMIG, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

A saxofonista Maria Bragança destaca que o seu trabalho em parceria com Maria Teresa Madeira cria pontes entre a linguagem do erudito e do popular. "Interpretamos composições de músicos conhecidos como Radamés Gnattali, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Darius Milhaud e Astor Piazzolla e claro, nossas criações próprias. Mas tem também composições da grande compositora brasileira Chiquinha Gonzaga, como, também, da pianista Eliane Elias que é uma grande artista da música", diz.

Já a pianista Maria Teresa Madeira ressalta como foi o processo de escolha do repertório para o CD Duas Marias. "O disco foi o resultado de um trabalho que a gente já vinha fazendo em concertos e apresentações. É um CD muito eclético musicalmente, que conta com composições minhas e da Maria Bragança. Este trabalho nos trouxe muita alegria e um retorno muito bom do público", explica.

Participações

A reedição de Duas Marias conta com as participações dos percussionistas Marco Lobo e João Bani, além, do baixista Dudu Lima e do contrabaixista Omar Cavalheiro. O trabalho  promove ainda o encontro de Maria Bragança com a percussionista Débora Costa e a baixista Verônica Zanella, que são duas instrumentistas da nova geração da cena musical de Belo Horizonte. "Queremos que, através do nosso trabalho, mais mulheres se sintam motivadas a divulgarem os seus trabalhos. Fato ainda desconhecido pela maioria é que a mulher influenciou a evolução da música no mundo. Afinal, esse espaço foi ocupado por homens, por uma condição social que restringiu, ao longo dos tempos, o papel da mulher apenas como intérprete ou cantora. O reconhecimento da importância do papel da mulher na música é de grande relevância, pois colabora para que esse antigo estereótipo seja superado. No século XVII, em Paris, Elizabeth-Claude Jacquet de la Guerre, tida como a nova descoberta do século, foi a primeira compositora reconhecida pela Academia Royale de Paris. E agora, com a trajetória que Maria Teresa e eu trilhamos, podemos abrir caminhos e criar oportunidades para novas profissionais da música", conta a saxofonista.

 

Clóvis Salgado de Gontijo escreveu um texto sobre o CD Duas Marias. Confira na íntegra:

Duas Marias...

A unidade do dois

É sempre um desafio descrever experiências que se constroem fora do registro das palavras.

Portanto, é preciso ter cautela para dizer algo sobre a música e, mais ainda, sobre a música puramente instrumental.

Cautela para não orientar o ouvinte a um único "sentido" de escuta, para não sugerir referências e imagens que, além de fantasiosas, também poderiam restringir a expressividade múltipla própria a uma composição.

Diante de tais riscos, o que poderia ser dito sobre o CD de música instrumental Duas Marias?

Mais que sobre o teor expressivo das peças que o compõem, cujos títulos já estimulam vagas e abertas sugestões,conviria tecer algumas considerações sobre as particularidades deste duo.

No trabalho da saxofonista Maria Bragança e da pianista Maria Teresa Madeira, encontram-se indissociados os exercícios da interpretação e da recriação. A fim de interpretar grande parte do repertório selecionado, ambas o repensam e o reconfiguram, muitas vezes de maneira conjunta. Até mesmo peças por elas mesmas compostas adquirem neste CD nova roupagem. É o que ocorre em Barro Oco, de autoria da saxofonista, cujo barroquismo é reforçado pelo interessante contraponto bachiano que se ouve no piano nesta versão. A releitura também se nota no célebre Odeon, de Ernesto Nazareth, cujas hierarquias são subvertidas quando Bragança coloca em primeiro plano a linha ascendente do baixo. E, além destes momentos, o processo de recriação e co-criação se revela especialmente nas introduções e conclusões de algumas peças. Madeira inverte a forma do mesmo Odeon, abrindo-o, em atmosfera nostálgica, pela parte B e, no desfecho de Rosa, de Pixinguinha, realiza inesperado encadeamento harmônico, que faz desabrochar do sax arrojada despedida melódica.

O talento para a composição e o arranjo é comum a estas duas intérpretes, que, como o repertório deste CD, se movem na interseção entre o erudito e o popular. Quebrando limitados preconceitos, elas nos mostram quão fecundo é este território de encontro musical: a formação erudita proporciona domínio técnico, precisão e variedade nas articulações e sonoridades utilizadas, enquanto o contato com o popular garante fluidez e espontaneidade nas execuções. Ao ouvir o duo, é fácil confirmar preciosa observação transmitida por Berenice Menegale.

Segundo a pianista mineira, uma peça bem executada é aquela que parece ter sido improvisada. E não é isto o que sempre fazem as duas Marias, mesmo nas obras não adaptadas, como a Valsa triste, de Radamés Gnattali?

Talvez o elemento popular implique, de fato, uma extrema familiaridade com o fazer musical, qualidade que não deveria ser perdida de vista por nenhum músico. Ambas as instrumentistas nos ensinam que é possível mantê-la, sem perder o refinamento jamais... Refinamento da autêntica música de câmera, que transcende as separações entre os gêneros,e já se anuncia desde a primeira faixa do CD. Na Valsa da dor, de Villa Lobos, encontram-se sintetizadas as principais características do duo: a capacidade de "falar" e "responder", de igual para igual, na alternância de quem sempre sabe ouvir a outra voz. Assim se cria a misteriosa unidade musical, que, em vez de apagar, ressalta e  potencializa suas partes constitutivas, neste caso, a musicalidade singular de cada uma das Marias.

Clovis Salgado Gontijo

 

Sobre Maria Bragança

Mineira de Itabira, bacharel em saxofone com título de Mestre em Música pela Robert Schumann Musik Hochschule Dusseldorf -Alemanha. Teve a oportunidade de estudar com Ivan Roth, cursos com Arno Bomkamp e David Liebmann.

Maria Bragança já protagonizou uma série de concertos internacionais, ao lado do pianista Roberto Szidon, Michael Collins. Tocou ao lado dos grandes músicos do jazz como:  :contrabaixista Eberhard Weber, o percussionista Mustapha Tettey Addy, Naná Vasconcelos além de parcerias com o percussionista Djalma Corrêa e o guitarrista Toninho Horta. Atualmente é professora de musica da Fundação Artistica Belo Horizonte, realiza projetos sociais através da musica, Desde o lançamento de seu segundo CD Barro -Oco (trilha sonora do filme o poeta de sete faces )  filme sobre o poeta Carlos D. de Andrade no mercado brasileiro, a saxofonista Maria Bragança vem conquistando, no Brasil e na Europa um público seduzido pelas suas interpretações e composições.

 

Sobre Maria Teresa Madeira

Maria Teresa Madeira Estudou piano na Universidade Federal do Rio de Janeiro e fez o mestrado na Universidade de Iowa. É Doutora em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, onde é professora adjunta concursada desde 2009. Como solista e camerista apresenta-se com frequência no Brasil e no exterior, também ministrando masterclasses e workshops em países como E.U.A., França, Alemanha, Finlândia, Espanha, Argentina e Colombia. Em 1999 participou da serie televisiva que homenageou Chiquinha Gonzaga. Nesta ocasião gravou 3 cds dedicados a esta compositora. Com mais de 30 cds gravados, recebeu em 2016 o Prêmio da Música Brasileira e o Prêmio Bravo de Cultura com a Obra Integral de Ernesto Nazareth por Maria Teresa Madeira" (uma caixa com 12 cds totalizando 216 músicas) como melhor CD de música erudita.

 

Serviço

Maria Bragança e Maria Teresa Madeira lançam reedição  do CD "Duas Marias"

Assista a partir de 20/08 pelo: https://www.youtube.com/user/MariaBragancaOficial

A iniciativa conta com o patrocínio da CEMIG, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura

O CD físico está disponível para venda em www.mariateresamadeira.com.br,  na distribuidora Sonhos e Sons, livrarias e lojas de CDs em Belo Horizonte.  As músicas também podem ser ouvidas por meio das plataformas digitais.

Duas Marias no Instagram: https://www.instagram.com/duasmariasinstrumental/

YouTube Maria Bragança: https://www.youtube.com/MariaBragancaOficial

Site Maria Bragança: www.mariabraganca.com

Yotube Maria Teresa Madeira: https://youtube.com/user/pianomadeira  

Site Maria Teresa Madeira: www.mariateresamadeira.com.br

 


Para comemorar o Dia Mundial da Fotografia, celebrado em 19 de agosto, o Turismo de Minas realiza o Concurso Fotográfico #VEMPRABH, a fim de promover os pontos turísticos de Belo Horizonte. Os dez finalistas serão selecionados por uma comissão julgadora e irão para votação popular no site do Turismo de Minas. Os autores das cinco fotos mais votadas serão premiados, cada um, com uma diária de hospedagem com café da manhã, para duas pessoas, em hotéis de Belo Horizonte, além de uma camiseta e uma caneca do #VEMPRABH.

De acordo com os idealizadores da campanha #VEMPRABH, Marden Couto e Luana Bastos, a ideia do concurso fotográfico é fomentar o registro e a difusão de fotografias que retratam os atrativos turísticos da capital mineira. "O primeiro contato que um turista tem com um destino é por meio das imagens. São as fotos que mostram o que pode ser apreciado e vivenciado na cidade, além de ser também um chamariz que desperta a vontade de conhecer os lugares. Por isso, o nosso concurso visa projetar o que BH tem de melhor para atrairmos mais visitantes", comenta Marden Couto.

Para Luana Bastos, as possibilidades que as pessoas têm para retratar a capital mineira são infinitas. "Estamos falando de uma cidade que tem muito a oferecer, pois, além de reunir vários atrativos, BH ostenta dois títulos muito importantes da Unesco: o Conjunto Moderno da Pampulha, que é Patrimônio Mundial da Humanidade, e o município, que é Cidade Criativa da Gastronomia, desde 2019. A partir daí, já é possível pensar nas belezas que o nosso concurso pode revelar", destaca. 

Prêmios

Os autores das cinco fotos mais votadas serão premiados, cada um, com:

1 diária de hospedagem com café da manhã, para duas pessoas, em hotéis de Belo Horizonte (Ouro Minas, Novotel BH Savassi, Tryp BH Savassi, Holiday Inn BH e BH Plaza)

1 camiseta do #VEMPRABH

1 caneca do #VEMPRABH!

Regras

1 - Seguir o Instagram do @turismodeminas

2 - Se inscrever no canal de viagem do Turismo de Minas no youtube: youtube.com/TurismodeMinas

3 - Postar no feed uma foto de Belo Horizonte com as hashtags #VEMPRABH e #FOTOVEMPRABH e contar porque as pessoas devem visitar Belo Horizonte (o perfil deve ser público durante todo o período da promoção, até 20/9/2021).

4 - Marcar o perfil do @turismodeminas na legenda, juntamente com as hashtags #VEMPRABH e #FOTOVEMPRABH

Mais informações no regulamento abaixo.

Cronograma

19/08/2021 a 02/09/2021

Período de participação (publicação das fotos no Instagram)

 

03/09/2021 a 06/09/2021

Escolha dos 10 finalistas pela Comissão Julgadora

 

09/09/2021

Divulgação dos 10 finalistas durante a live do #VEMPRABH no canal de viagem do youtube.com/TurismodeMinas.

 

09/09/2021 a 16/09/2021

Votação pública pelo site turismodeminas.com.br  

 

19/09/2021

Divulgação dos 5 vencedores no Instagram @turismodeminas

 

#VEMPRABH

O #VEMPRABH é uma campanha de retomada do turismo de Belo Horizonte, incentivando moradores e turistas a conhecerem a capital, que tem seis ações principais: press trip com jornalistas de São Paulo, concurso fotográfico, live, vídeos, ebook turístico e campanha de descontos em hotéis e restaurantes. É uma realizaçã do Turismo de Minas e tem os patrocínios da Prefeitura de Belo Horizonte - Belotur, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e da Azul Linhas Aéreas.

 




 

A noite da última terça-feira (17) foi embalada pelo sertanejo raiz em Belo Horizonte. A dupla Júlio César & Aldair, que acaba de assinar com a Fluve/Som Livre, apresentou um show animado, no Porcão, para selar o lançamento do novo DVD, intitulado por "Ao Vivo na Estrada". A apresentação, que trouxe grandes hits e modões, contou com as participações de Geno (ex-Gino & Geno), Xonadão (Trio Parada Dura) e o ícone César Augusto, que assinou a direção musical e produção do novo trabalho.

De acordo com Júlio César, o show do lançamento foi um momento importante para a carreira da dupla. "Foi uma excelente forma de mostrar para os nossos amigos, parceiros e apoiadores o que trouxemos no nosso novo DVD. O trabalho é bem animado e vai agradar quem gosta daquele sertanejo mais raiz. E a noite de lançamento foi mais que especial, pois tivemos a honra de dividir o palco com os amigos Geno, Xonadão e o grande César Augusto, que foi peça essencial na produção do DVD", comenta.

Para Aldair, a apresentação do novo trabalho foi uma realização para a dupla, já que, além de estarem na plataforma de uma grande gravadora, a Fluve/Som Livre, é um é um grande passo para a carreira. "Com toda certeza é uma realização, pois são muitos anos de trabalho que estão gerando resultados cada vez mais gratificantes", conclui.

Audiovisual

O DVD Ao vivo na Estrada conta com 19 faixas e traz para o público grandes sucessos que embalaram gerações, mas com a roupagem e o estilo autêntico da dupla Júlio César e Aldair. Com a direção geral de Wilson Melo Lima e direção musical e produção de César Augusto, o trabalho, gravado e mixado no BR Som Estúdios, em São Paulo, conta ainda com a co-produção de Plauto César e direção de estúdio de Márcio Marote. A iniciativa é uma realização do empresário Rosimar Cardoso, que é responsável pelo Grupo RCS.

Em um depoimento no making of da gravação do DVD, o produtor e compositor, César Augusto, se impressiona. "Dupla inovadora, vozes com timbre super agradável e afinados, com sentimento e personalidade própria, não lembra ninguém, o que é raro hoje no universo sertanejo, pois o que acontece muito quando ouvimos uma nova música é não sabermos quem está cantando, pelo fato de algumas duplas terem o timbre e estilo muito parecidos, com exceção é claro, das vozes mais tradicionais e marcantes", opina.

 

Faixas

Você Ainda Vai Voltar

Foi Você

Diz Pra Mim

Boto Pra Remexer/Comadre e Compadre

Mundo de Ilusões

Talismã

Tudo de Novo

Demorou Demais

Chance

Gostoso Sentimento

Taça de Pranto

Sem Você

Vida Amargurada/Avisa o Pessoal Lá em Casa

Ainda Ontem Chorei de Saudade/Se Eu Não Puder Te Esquecer

Enrola Enrola

Pesadelo

Chega de Brincar

Vestido de Lua de Mel

Salva Meu Coração

 

Músicos

Arranjos: Cláudio Picinin e Luciano Barreto

Violões e guitarras: Cláudio Picinin, Márcio Marote e Emerson Mineiro

Bateria: Raphael Franklin

Baixo: Plauto César

Teclados: Luciano Barreto

Percussão: Marcus César

Sanfona: Bolinha

Sax: Keller Jr.

Vocais: Sabrina e Leiliane Mapa

 

Ficha técnica

Direção musical e produção: César Augusto

Co-produção: Plauto César

Direção de estúdio: Márcio Marote

Gravado e mixado no BR Som Estúdios

Engenheiro de gravação e mixagem: Cláudio Picinin e César Augusto

Realização: Rosimar Cardoso (Grupo RCS)

Direção geral: Wilson Melo Lima.

 

Sobre a dupla

Do município Engenheiro Navarro (MG), os irmãos Jairo da Silva Oliveira e Aldair Silva Oliveira adotaram Júlio César & Aldair como nome artístico para a dupla, que saiu da pequena cidade do Norte Minas Gerais para conquistar o Brasil. A história deles com a música começou desde cedo, pois acompanhavam os pais todos os anos na Folia de Reis, festa tradicional da cidade, onde o pai tocava sanfona e a mãe cantava. Isso, trouxeram neles a paixão pelo sertanejo, onde tiveram como ídolos Milionário & José Rico, Tonico & Tinoco, João Mineiro & Marciano, Leandro & Leonardo, Zezé Di Camargo & Luciano, entre outros. Júlio César aprendeu a tocar violão e contrabaixo e Aldair, violão e viola caipira.

 

Acompanhe a dupla nas plataformas digitais:

Spotify: https://open.spotify.com/artist/39g7168nJrA1Ubmxwq4uDF 

Instagram: https://www.instagram.com/juliocesarealdairoficial/  

Facebook: https://www.facebook.com/juliocesarealdairoficial 

YouTube: https://youtube.com/juliocesarealdairoficial

 

                                     

Créditos: Divulgação

Especialista orienta como os pais devem administrar esse instrumento de educação financeira

Muitos adultos ainda acreditam que dinheiro não é assunto para as crianças, que elas devem se preocupar apenas em brincar e estudar, imaginando que são os estudos que as tornarão indivíduos bem-sucedidos futuramente. Mas uma das bases para um futuro melhor passa pela educação financeira, que deve estar presente na vida de todos desde cedo. Por isso, é fundamental ensinar crianças e adolescentes não apenas a economizarem, mas também fazer com que aprendam corretamente o manejo do dinheiro em busca de uma vida melhor e sem sobressaltos.

Ao ensinar uma criança a lidar com o dinheiro, quando adulta, certamente, ela terá maiores chances de administrar melhor o salário, empreender e organizar a vida. Vai saber guardar para comprar mais tarde ou no momento certo, e também a guardar para poupar mais e mais. De acordo com o consultor pedagógico da Conquista Solução Educacional, Fernando Vargas, a mesada é um poderoso instrumento de educação financeira, pois possibilita à criança a capacidade de ordenar o orçamento, definir escolhas sobre como usar o dinheiro e desenvolver um plano de poupança, uma espécie de "bê-á-bá" das finanças. 

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha em todo o Brasil aponta que apenas 16% dos jovens entrevistados recebem dinheiro mensal dos pais. "Em primeiro lugar, é essencial entender que, em cada idade do desenvolvimento, a visão da criança com relação ao dinheiro muda. Em segundo, é preciso ter consciência de que as crianças estão expostas, desde os primeiros anos de vida, a uma cultura consumista e embasada na ideia de que o dinheiro é mais importante que a ética e os princípios morais", acrescenta Vargas.

Para ajudar os pais nessa missão tão importante que é a de construir as bases para a maturidade financeira dos filhos por meio da mesada, o educador dá algumas orientações.

Regularidade

Segundo Vargas, a mesada só faz sentido se for dada com regularidade, sempre na quantia e na data combinadas, para que a criança seja capaz de planejar os gastos, organizar e ter controle de sua poupança. "Gosto da ideia de 'semanadas' para crianças dos 3 aos 10 anos de idade pois, nessa faixa etária, a noção de tempo é mais curta. Dos 3 aos 5 anos, os pais terão a função de habituá-las a esperar para receber e gastar o dinheiro. Deve ser fixado um dia específico e manter a disciplina de respeitar esse prazo para ensinar a criança a lidar com a ansiedade." A partir dos 11 anos é possível introduzir a mesada. Nessa fase, a noção de tempo já é maior. 

Montante

Para o especialista, não existe valor certo nem definido para uma mesada. O montante ideal é aquele que vai ao encontro do orçamento e da realidade de cada família, sem excessos e variações, para que possa atingir os objetivos da educação financeira. "Sugiro o seguinte cálculo: R$ 1,00 por idade, semanalmente. Por exemplo, cinco anos = R$ 5,00 por semana. E quando passar a ser mensal, multiplicar o valor semanal por 4", aconselha. Com o tempo, e a partir do cenário econômico e familiar de cada um, esse valor pode ser revisto e acordado entre pais e filhos.

Evitar barganhas e castigos

Vargas destaca que é importante nunca usar a mesada como forma de ameaça ou castigo: “Se você não melhorar suas notas eu corto sua mesada” ou “Só lhe darei a mesada se você me ajudar a arrumar a casa”. O objetivo da mesada é ensinar educação financeira para a criança e jovem, deixando que vivam as primeiras escolhas em relação ao dinheiro, não uma troca ou instrumento para chantagem e barganhas. Eles não podem aprender que o dinheiro depende desses subterfúgios.

Dar sentido e significado à prática

Outro ponto fundamental é sempre justificar o motivo da mesada (ou semanada) no dia do pagamento: “Essa mesada é para que você aprenda a lidar com seu dinheiro desde já”. Ao destacar isso todas as vezes, os pais deixam claro que não estão dando aquele valor simplesmente por dar e sim, com o objetivo de aprendizado, delegando assim responsabilidade no uso do dinheiro.

Manter ao alcance dos olhos

A criança deve colocar o dinheiro guardado em um pote de vidro transparente e com tampa para que ela possa ver o dinheiro aumentando gradativamente, descobrindo, dessa forma, o prazer de poupar e que quem poupa sempre tem. O cofrinho fechado, segundo o especialista, não é uma boa opção, pois impede a criança de avaliar a sua poupança e a quantidade guardada. 

Registrar os gastos

Dos 6 aos 10 anos, os pais devem estimular a criança a registrar, todos os dias, seus gastos em um caderno, no computador ou até mesmo utilizar algum aplicativo para esse fim. O registro possibilitará à criança dar concretude ao vai-e-vem financeiro. A maioria das pessoas não descobre o motivo de suas dificuldades financeiras porque não registra e não utiliza os dados a seu favor. 

Ensinar a poupar e também a gastar

Quando já são um pouco maiores, também é importante que os adultos fiquem atentos em relação à total ausência de gastos, pois, se a criança não usa e não gasta em nada, a educação financeira também se dará de forma incompleta e sem equilíbrio. "Se os adultos pagam tudo para a criança e não são estabelecidos objetivos, a criança terá dificuldades em saber aplicar e usar bem o dinheiro a seu favor no futuro, além de desfrutar a vida em plenitude emocional", alerta Vargas.

Permitir os tropeços

Um dos benefícios da mesada é propiciar à criança que ela experimente o susto e angústia de falir. Tendo aprendido as consequências do uso precipitado ou displicente do pouco dinheiro que possui, os filhos aprenderão a evitar, no futuro, tropeços mais graves, com quantias significativamente maiores. "Um dos pontos mais importantes nesse processo de aprendizagem é a falência. Se os pais adotam o sistema de mesada, estão dando chance aos filhos de, ocasionalmente, perderem tudo e aprenderem de maneira prática, antecipada e significativa. E se há uma fase boa na vida para ir à falência é na infância. Diante dessa situação, a criança passará a ter mais controle e disciplina com seus gastos para não deixar acontecer novamente, ou seja, é um aprendizado para toda vida", explica.

"O principal objetivo de educar os filhos em relação ao dinheiro é levá-los a atingir a maturidade financeira, isto é, a capacidade de adiar desejos de agora em função de futuros benefícios. A educação financeira para crianças e jovens deve ser um projeto permanente, não existe idade certa para começar, mas é desejável que seja iniciada o quanto antes. A mesada, desde que bem administrada entre pais e filhos, pode ser um poderoso aliado nesse processo de aprendizagem", conclui o educador.

 

Sobre a Conquista Solução Educacional

A Conquista é uma solução educacional que oferece aos alunos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio uma proposta de educação e futuro que integra a família, a escola e a comunidade. Com diversos recursos, material didático completo e livros de Empreendedorismo e Educação Financeira, o objetivo da solução é ajudar, de forma consistente, os alunos no processo de aprendizagem e estimular o desenvolvimento de suas capacidades. Atualmente, mais de 1700 escolas de todo o Brasil utilizam a solução.



O evento incentiva o apoio às famílias e às entidades que lutam por essa causa e auxilia no combate ao preconceito



A 4ª Etapa da Purple Run 2021 será no dia 22 de agosto e faz campanha pela conscientização sobre a epilepsia. O evento incentiva o apoio às famílias e às entidades que lutam por essa causa e auxilia no combate ao preconceito. A epilepsia é muito mais comum do que imaginamos e, infelizmente, é cercada por preconceitos exatamente pela falta de informação.

Os atletas participarão de percursos de 5km de corrida e 2,5km de caminhada. O regulamento da competição e outras informações podem ser consultadas no site: www.purplerun.com.br. As inscrições já foram encerradas.
 
A entrega dos kits será realizada no dia 21 de agosto, entre 9h e 19h, na Administração do Guará. Uso obrigatório de máscara de proteção!

O evento é realizado pela empresa Instituto Meninos do Por do Sol e Secretaria de Esportes do GDF, através de emenda parlamentar do Deputado Delmasso. A corrida é organizada pela ONG Viva Além das Crises e pelo Centro de Missões Dupla Honra, com a supervisão e o apoio técnico da Federação de Atletismo.

Purple  Run 2021

Data: 22 de agosto

Horário: 07h

Largada: Avenida Central, próximo ao Edifício Consei, Guará II.

Juliana Landolfi Maia*


Em ano olímpico, trabalhar os esportes como conteúdos torna-se um elemento de motivação a mais para os nossos alunos, e 2021 veio cheio de novidades e bons contextos para serem utilizados pelos professores. Mas essa discussão começou muito antes dessa olimpíada, pois em um cenário de pandemia, foi preciso que atletas do mundo inteiro adequassem treinamentos e rotinas para minimizar o impacto que as restrições sanitárias impuseram a todos. No Brasil, várias ações foram necessárias e o Comitê Olímpico Brasileiro ajudou orientando nossos atletas.

Acompanhando todas as modificações impostas às escolas e aos professores, a disciplina de Educação Física precisou de uma nova configuração, e muitas foram as experiências trocadas ao longo dos últimos 18 meses, como aulas remotas e práticas com distanciamento social, exigindo muita criatividade para possibilitar as vivências esportivas, e dentro desse contexto, podemos trazer para a sala de aula algumas das lições aprendidas com a Olimpíada de Tóquio 2021.

Uma das temáticas abordadas nas aulas de Educação Física no Ensino Médio está relacionada às compreensões dos  estereótipos  de gênero por meio de construções sociais e suas possibilidades de superação nas práticas corporais. Essa olimpíada já trouxe vários fatos interessantes que podem nos ajudar a embasar essa discussão. Temos, por exemplo, as ginastas alemãs que, em protesto contra a sexualização do esporte, se apresentaram com uniformes longos, deixando o tradicional collant de fora. Nessa mesma perspectiva, atletas norueguesas de handebol de praia se recusaram a vestir os biquínis típicos desse esporte, chegando, inclusive, a serem multadas, e, por esse motivo, mobilizaram personalidades do mundo todo em apoio à causa. Atrelada a essa mudança de comportamento, temos uma competição que trouxe possibilidades de equipes mistas no tênis de campo, natação e em outras modalidades.

Na outra ponta, está a atleta brasileira Rayssa Leal, primeira medalhista olímpica na modalidade skate com apenas 13 anos de idade. Em uma de suas falas após o pódio ela afirmou que “skate não é só para meninos”. Vale lembrar que a modalidade skate, pela primeira vez numa olimpíada, é uma proposta da unidade temática “Práticas corporais de aventura”,  que consta na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), assim como o surfe, modalidade na qual o Brasil também garantiu premiação.

Destaque também para a atleta Rebecca Andrade, que teve uma participação histórica na ginástica artística, com medalhas na modalidade salto e individual. Além de ser a primeira atleta brasileira a conquistar o pódio duas vezes na mesma competição, ainda se consagra como a primeira atleta negra a realizar esse feito, destacando a importância da representatividade no esporte e nessa modalidade.

No Ensino Médio, também abordamos comportamentos competitivos e cooperativos nas práticas corporais com discussões sobre a influência desses fatores não só nos esportes, mas em diversas ações. A situação vivida pela atleta norte-americana Simone Biles, que optou por não participar da final olímpica, alegando a necessidade de cuidar da sua saúde mental, levantou a discussão sobre a importância dessa temática. A atleta, maior medalhista olímpica da ginástica, apresentou diversos comportamentos cooperativos após desistir de sua participação, influenciando e motivando outros competidores a permanecerem nas disputas, inclusive, torcendo por outros países.

Podemos citar também os avanços tecnológicos nas pistas de atletismo como plataformas de saída, recursos de análise de vídeo, entre tantos outros aspectos que poderiam ser utilizados como pontos de partida para propostas interdisciplinares com outros componentes curriculares.

Enfim, muitas temáticas e acontecimentos interessantes e significativos de serem abordados, seja revisitando gravações da olimpíada ou proporcionando debates em sala de aula. O importante é aproveitar esse momento histórico para trazer a realidade para a sala de aula, quadra ou campo e aproveitar o protagonismo dos alunos para embasar ainda mais temáticas tão relevantes.

 

*Juliana Landolfi Maia é doutoranda em Educação Física pela UNICAMP-SP e faz parte do time de formação de professores do Sistema Positivo de Ensino.

   Somente em 2020, número de vagas oferecidas na área de TI teve um aumento de 310%

                                                                          Créditos: Envato Imagens

Uma pesquisa com mais de 40 companhias de tecnologia, realizada pela Fundação Estudar, aponta que 55% dos líderes das empresas consideram um dos desafios no recrutamento de novos colaboradores a competição com organizações que são referência no setor. Além disso, o levantamento também mostra que 93% dos gestores priorizam a contratação de pessoas que já tenham experiência na área. Condições que tornam o campo da tecnologia da informação um dos mercados com maior rotatividade de profissionais. Prova disso é que, somente em 2020, as vagas em TI tiveram um aumento significativo. Segundo estudo da GeekHunter, o  crescimento foi de 310% no total de oportunidades abertas no setor. E esse número tende a aumentar, de acordo com dados do Banco Mundial. A perspectiva é que surjam em torno de 420 mil novas vagas até 2024.

O diretor técnico do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI), Fernando Matesco, diz que numa área como a de TI, a qualificação é algo vital e em constante atualização. “Como o campo da  tecnologia está crescendo, a busca por mão de obra especializada é alta. E isso acaba motivando os profissionais a buscarem novas experiências e atualizações. Logo, essa necessidade de especialização e qualificação pode ser boa tanto para o  mercado de TI como também para  outros segmentos que precisam desses profissionais”, explica. 

As demandas da pandemia tiveram forte impacto nesse constante número de vagas abertas e, consequentemente, no alto índice de “turnover” – taxa de rotatividade de funcionários em uma empresa. O ICI, que está no mercado há mais de 20 anos, também sente esse efeito, levando a alterações frequentes no quadro de pessoal. “Em 2020, diversas empresas abriram novas vagas para o setor de tecnologia da informação. São oportunidades para que esses profissionais se mantenham em permanente crescimento”, comenta Matesco.

Segundo o diretor, a tendência do mercado de trabalho com o regime de atuação remota, quer seja em home office (parcial) ou teletrabalho (100% remoto), trouxe uma nova variável para os colaboradores e também para as empresas, e alguns perfis de profissionais de TI estão sendo diretamente afetados e contribuindo para o aumento da rotatividade dentro das organizações. “A adesão a esta tendência será um diferencial para viabilizar a manutenção das equipes”, completa.

Possibilitar especializações dentro da própria empresa e criar um ambiente de pertencimento podem ser estratégias na busca pela retenção dos colaboradores. “A empresa deve oferecer trocas de experiência entre os funcionários. Essa estratégia pode ocorrer em cursos, ações de integração e eventos de capacitação dos profissionais, como o ICI realiza. Além disso, demonstrar os valores e princípios para os colaboradores é essencial para o engajamento”, finaliza.

Sobre o ICI

O ICI – Instituto das Cidades Inteligentes é uma organização criada em 1998, com atuação em todo o território nacional, referência em pesquisa, integração, desenvolvimento e implementação de soluções completas de TIC para a gestão pública. Mais informações: www.ici.curitiba.org.br.



Os bichinhos de estimação são, literalmente, integrantes das famílias de muitas pessoas. É uma relação que envolve carinho, amor e cuidado. E a despedida, infelizmente, faz parte do fluxo natural da vida. Para proporcionar as últimas homenagens e ter um local para celebrar a lembrança dos pets, o empresário José Maria Camargo fundou o Cemitério e Crematório de Animais A Reviver, localizado em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A história e a operação do estabelecimento são temas do vídeo da semana do canal Vim te Mostrar, apresentado pelo jornalista Heberton Lopes.  


De acordo com Heberton Lopes, a ideia da reportagem surgiu após perceber o interesse que as pessoas têm em temas relacionados ao universo funerário. "Após ter mais de um milhão de visualizações no vídeo sobre a tanatopraxia, vi que, por mais que falar sobre a morte ainda seja um tabu, é um assunto curioso. Por isso, decidi explorar mais pautas dentro deste segmento e agora apresento este vídeo sobre o cemitério para animais. Confesso que me emocionei com o vídeo  da despedida do Thot, o cachorrinho da atriz Juçara Costa, e acredito que o público também vai se sentir tocado com o vídeo que exibi durante a reportagem. E na próxima semana vou falar sobre o crematório e, inclusive, mostrar como funciona o forno", adianta o jornalista.


O apresentador do canal Vim te Mostrar ressalta que ficou impressionado com a importância afetiva e ambiental de um cemitério de animais. "Existe uma série de protocolos que são aplicados para evitar a contaminação do solo e do ar. Eu conversei com a diretora executiva do empreendimento, Kênia Camargo, filha do Sr. José Maria Camargo, fundador do espaço, que falou sobre como surgiu a ideia de ter um cemitério de animais. O negócio começou justamente pelo amor a um cão e a dor da despedida se transformou em um alento para várias famílias que podem realizar despedidas dignas dos seus bichinhos de estimação", completa.

Assista agora ao vídeo: https://youtu.be/yzTdVk-nFNk



Vim te Mostrar

Conhecido no mercado de comunicação e eventos, por estar à frente do Grupo Balo, agência responsável pela assessoria de imprensa de shows, festivais, artistas e empresas, Heberton Lopes criou o canal Vim te Mostrar, no YouTube, em março de 2020. De acordo com o jornalista, o objetivo é apresentar reportagens e vídeos de curiosidades em geral sob o olhar do profissional.

Para assistir aos vídeos do canal Vim te Mostrar, acesse www.youtube.com/vimtemostrar

.Curta o @vimtemostrar no Facebook: www.facebook.com/vimtemostrar

Siga o @vimtemostrar no Instagram: www.instagram.com/vimtemostrar

 

As sugestões de pautas podem ser enviadas nos comentários dos vídeos, no YouTube, ou pelo e-mail contato@grupobalo.com.

 

 


                                                                                               Shutterstock internet

                                                   

 10 perguntas respondidas para as mamães de primeira viagem

 

Oferecer o leite materno pode se tornar um desafio à mamãe. Mas buscar informações corretas sobre o tema é o primeiro passo para uma amamentação tranquila

 

A amamentação é um dos principais motivos que geram dúvidas até mesmo nas mamães experientes, pois cada gestação é única e traz consigo várias peculiaridades.


O mês de agosto é marcado pela campanha Agosto Dourado, de incentivo à amamentação. Este ano, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) adotou como lema o slogan “Proteger a amamentação: uma responsabilidade de todos”. O tema foi definido pela World Alliance for Breastfeeding Action (Aliança Mundial para a Ação em Aleitamento Materno, organismo internacional que reúne as principais instituições voltadas ao incentivo à amamentação. A pediatra, gerente médica e coordenadora do Banco de Leite da Maternidade Brasília, Sandi Sato, esclarece os principais pontos sobre a amamentação.


1. Qual o tempo ideal de amamentação?

Especialistas recomendam que a amamentação deve ser a alimentação exclusiva dos bebês nos primeiros seis meses. O leite materno é tão completo que, nessa fase, não é necessário sequer que a mamãe ofereça água ao recém-nascido. “O próprio leite já tem quantidade suficiente de água para manter o bebê hidratado”, explica Sandi.


Depois desse período, mesmo com a introdução de outros alimentos, o leite materno deve continuar a ser ofertado ao bebê. “O ideal é que ele continue recebendo leite materno até os 2 anos”, acrescenta a médica.


2. Como amamentar o bebê nos primeiros dias?

O posicionamento é um ponto importante para que a amamentação aconteça de forma tranquila. Veja algumas orientações. A posição mais indicada para a amamentação é aquela que traz mais conforto à mãe e ao bebê. Existem quatro posições básicas que facilitam o momento da amamentação: a tradicional, a deitada, a cavalinho e a invertida.


Na tradicional, a mãe fica sentada e sustenta o corpo do bebê ao longo do braço, mantendo-o alinhado; ela pode colocar um travesseiro no colo para apoiar o corpo do pequeno. Na posição deitada, a mamãe se deita de lado e posiciona o bebê de frente para ela. Na posição cavalinho, a mãe fica sentada e coloca o bebê sentado em uma das pernas dela; ele fica com as pernas e o quadril apoiados no corpo da mãe. Ela sustenta a cabeça e o pescoço do bebê em uma das mãos. É a posição mais indicada para bebês prematuros. “Esses bebês, em geral, têm um tônus muscular diminuído, são mais sonolentos e hipoativos. Por causa dessas características, essa posição ajuda o bebê a ter uma sucção mais efetiva”, explica a especialista. Já na posição invertida, a mãe deita o bebê, sustentando o pescoço e a cabeça com as mãos, o corpo e o antebraço. Os pés do pequeno ficam livres.


Vale lembrar que, em qualquer posição, é importante que o bebê fique bem próximo e voltado para o corpo da mãe, com a cabeça e o tronco bem alinhados e a boca de frente para a região areolar. Veja, a seguir, como deve ser a posição do bebê durante a mamada:

  • a boca do bebê deve abocanhar o mamilo e também a aréola, principalmente na área inferior do seio, para garantir a saída do leite;
  • o queixo do bebê toca a mama e as bochechas ficam arredondadas. Para facilitar, a mãe deve alinhar a cabeça do filho com o seio e segurar a mama, sem que a mão cubra a região areolar.


3. Como saber se o bebê está satisfeito com o leite materno?

Veja alguns sinais de que o bebê está saciado com o leite da mamãe:

  • o bebê larga espontaneamente o seio materno;
  • observe se a mama foi esvaziada; compare um seio com o outro;
  • o bebê pode “brigar” com o seio materno;
  • o bebê relaxa os membros.


O bebê saciado apresenta comportamento ativo durante os intervalos de sono, urina ao menos seis vezes por dia e ganha peso.


4. Como deve ser a amamentação do recém-nascido?

Os primeiros passos da amamentação são importantes para a mamãe começar a se familiarizar com essa prática. Para isso, é necessário fazer tudo com calma e, de preferência, contar com uma rede de apoio de familiares e profissionais. Veja outras dicas:

  • escolha um ambiente calmo e aconchegante para o ato de amamentar;
  • quando o bebê começar a mamar, a mãe pode relaxar e aproveitar o momento;
  • sempre que puder, faça carinho e converse com o bebê;
  • é recomendado que a mãe apoie os pés e as costas em uma superfície macia, como uma almofada ou travesseiro, sempre que for amamentar;
  • é comum que o bebê durma durante a amamentação, por estar saciado ou por sonolência mesmo. Em casos de não ter mamado o suficiente, a mãe deve acordá-lo para que ele continue;
  • quando for preciso tirar o bebê do peito, a mãe pode colocar o dedo mínimo no canto da boca do bebê, entre as gengivas;
  •   é importante observar se a mama foi completamente esvaziada antes de oferecer a outra.


5. Quando o bebê vomita, posso dar o peito de novo?

Vômitos e regurgitações são frequentes no lactente em razão da imaturidade do trato gastrointestinal. “Se o bebê não apresentar perda de peso e dor, consideramos que ele tem refluxo gastroesofágico fisiológico, ou seja, dentro do considerado comum”, explica a pediatra.


É importante que o bebê seja avaliado pelo pediatra para ver se será necessário dar novamente o seio materno. Nas situações em que o bebê vomita, de modo geral, não devemos insistir na mamada. Mantenha a amamentação em livre demanda.


6. O que comer para aumentar a produção de leite materno?

A recomendação é que a mãe mantenha uma alimentação balanceada, com proteínas, gorduras boas, fibras, nutrientes e vitaminas, e que, preferencialmente, alimente-se várias vezes ao dia com porções pequenas. E atenção aos itens abaixo!

  • água – o ideal é que sejam consumidos, no mínimo, dois litros por dia para manter o corpo hidratado.
  • bebidas com cafeína – por serem estimulantes, elas devem ser consumidas com muita moderação, sobretudo os refrigerantes e o café. Assim como chás e mates.


7. O que atrapalha a produção de leite materno?

Algumas situações podem, eventualmente, diminuir a produção de leite materno, entre as quais estão:

  • ansiedade e estresse;
  • doenças como ovário policístico, pressão alta e diabetes;
  • uso de alguns tipos de medicamento.


8. É normal o leite materno secar de repente?

A diminuição da produção de leite pode acontecer em algumas situações, mas ele não seca de repente. A seguir, relatamos algumas razões que podem contribuir para a redução da liberação de leite.

  • mamadas em horários rígidos.
  • afastamento de mãe e filho.
  • uso de algumas medicações.
  • uso de bicos artificiais.


9. O que evitar durante a amamentação?

Existem determinados alimentos que não devem ser consumidos durante o período de amamentação. De modo geral, todos os itens considerados saudáveis e naturais devem ser ingeridos de forma balanceada. Veja alguns produtos que devem ser evitados:

  • álcool;
  • ​alimentos processados;
  • produtos cosméticos à base de formol.


10. Como posso contar com o Banco de Leite da Maternidade Brasília?

O nosso Banco de Leite oferece apoio às mamães na orientação sobre amamentação em atendimento 24 horas. Os nossos profissionais também disponibilizam atendimento por telefone, com hora marcada. Assim, as mamães podem tirar dúvidas e solucionar questões relacionadas com a amamentação e também como doar o leite materno.


Aquelas mamães que já estão amamentando, têm leite de sobra e querem doá-lo para o Banco de Leite podem receber orientações por telefone para ordenhar e acondicionar o leite a ser ofertado. E nem precisa sair de casa! Enviamos um profissional para buscar os potinhos.


Depois de recebermos as doações, o leite é sub​metido a um processo de pasteurização e é utilizado na amamentação de bebês prematuros internados no nosso Centro de Terapia Intensiva Neonatal.​​

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.