Mostrando postagens com marcador TV. Mostrar todas as postagens

 

A Show Self Storage trabalha com o conceito americano de auto serviço de armazenagem (self Storage). Esse modelo consiste no aluguel de boxes privativos. Funciona como uma extensão de sua casa, empresa ou escritório. Nesse sistema você conta com privacidade, facilidade de acesso e segurança. Foi pelo trabalho sério e por suas inovações que a  Show Self Storage, foi agraciada com o Prêmio Empreender Brasília 2021



Paulo Melo entrega o Prêmio Empreender Brasília para Junior Alves da Show Self Storage.

Com cinco anos de experiência, a Show Self Storage conta com diversas premiações. Com o serviço de auto armazenagem, a empresa apresenta diversos tamanhos de box para armazenagem de diferentes categorias de produtos e pertences. “A Show Self Storage é líder no segmento de Self Storage no Distrito Federal e na região Centro-Oeste. Além de ser a mais capilarizada da capital da república, é a que possui a maior quantidade e diversidade de boxes, com a maior área locável”, comentou  Koenigkan.



Para Marco Koenigkan, sócio da Show Self Storage, "É sempre uma honra receber qualquer premiação. Isto indica que estamos no caminho certo. Nossa meta para 2021 é consolidar nossa marca Show Express, que é Self Storages Autônomos. Já fizemos duas unidades em Brasília, que são os dois primeiros do Brasil.”

Paulo Melo, editor do portal Empreender Brasília, destaca a importância de premiar as lideranças empresariais que se empenham em empreender na capital de todos os brasileiros, “o portal Empreender Brasília vê o empreendedor do Distrito Federal como um grande vencedor, que apesar das dificuldades da pandemia mantém o seu negócio aberto, que está gerando empregos e pagando os seus impostos, todos os empreendedores que não quebrarem com esses lockdowns, são merecedores do prêmio Empreender Brasília, pela sua capacidade de superar dificuldades”.

Conheça a Show Self Storage e alugue seu box na hora que quiser, sem qualquer burocracia , fica o tempo que precisar, sem fidelidade ou multa por cancelamento. Quanto mais tempo ficar, mais barato fica. A  Show Self Storage é a maior empresa de Brasília em número de boxes e área locável, com um grande mix de boxes para você escolher aquele que melhor te atende. Com a Show Guarda Fácil você contará com nosso Sistema de Segurança monitorada 24 horas por empresa especializada. Apenas você tem acesso ao seu box e pertences. Local totalmente cercado com cerca elétrica e alarme. 




Prêmio Empreender Brasília
Em 2020 nasceu o Prêmio Empreender Brasília, abrindo as portas para o reconhecimento e valorização dos empreendedores que investem e buscam se destacar no Distrito Federal.  O prêmio promovido pelo portal Empreender Brasília é feito através de pesquisa quantitativa popular e eletrônica. O prêmio Empreender Brasília busca impulsionar os negócios do Distrito Federal. A iniciativa do portal Empreender Brasília tem o objetivo de estimular o empreendedorismo no DF,  consolidando os empreendimentos das cidades, impulsionando negócios nascidos em Brasília, dando destaque a valorização do empreendedorismo para o fortalecimento do setor de comércio e serviço e criando oportunidades de networking e colaboração entre empreendedores.



O  Prêmio Empreender Brasília foi criado para valorizar, incentivar e estimular os pequenos negócios a crescerem cada vez mais, em um ambiente mais justo, competitivo e sustentável. O prêmio é uma iniciativa realizada pelo portal Empreender Brasília, referência no setor, com forte penetração no mercado ao longo dos seus 7 anos de história. O Prêmio Empreender Empreender Brasília 2021 segue com critérios técnicos por meio de pesquisa quantitativa, popular e eletrônica que visa destacar empreendedores em diversas categorias. Aproveite e conheça o portal Empreender Brasília: https://www.empreenderbrasilia.com.br/

Sobre a Show Self Storage
A Show Self Storage ou Show Guarda Fácil é uma empresa de Armazenagem no modelo Self Storage, com boxes privativo para armazenagem de bens, é a opção do que é de mais moderno em locação de boxes para auto serviço de armazenagem, a Show Self Storage já possui o maior número de boxes para aluguel e a maior área locável no Distrito Federal, sendo também a maior empresa no seguimento de guarda móveis.




Telefone: 61 3345-0514

WhatsApp: 61 98383-1610

Site Show Guarda Fácil : http://www.showguardafacil.com.br/home/

O Síndico

Paulo Roberto Melo é um Síndico Profissional preparado para administrar condomínios dos mais diversos padrões e níveis de complexidade. A sua experiência permite solucionar todas as situações de gestão condominial. Sua história começou por acaso em dezembro de 2011, quando assumiu o Condomínio Edifício Anya, sendo que no 1º semestre de 2012 vendo a necessidade de especialização conseguiu a criação do curso de formação de síndicos oferecido pela administração de Brasília, com essa ideia ele fez o curso sendo aluno destaque, se tornou coordenador do curso já na segunda turma é fez outras seis turmas do curso como coordenador formando mais de mil pessoas nos cursos de formação para síndicos. Participou de vários cursos, palestras e eventos relacionados com administração de condomínios, destacando-se no Encontro Nacional de Administração de Condomínios em Salvador em 2012 e Brasília em 2013, quando ganhou o prêmio DESTAQUE de 2012, pela implantação em seu condomínio o Projeto Eco Óleo. Atualmente é presidente da Associação de Síndicos e Subsíndicos do Distrito Federal e Região Metropolitana - ASSOSÍNDICOS/DF, hoje associação importante no DF que já conta com aproximadamente três mil síndicos associados por livre espontânea vontade, na ASSOSÍNDICOS/DF ele lançou é está em funcionamento mais de 18 programas que beneficia do síndico aos funcionários de condomínios. Paulo atua hoje no Condomínio do Edifício Anya na Asa Sul e no Condomínio do Edifício Athenas em Taguatinga.


Vantagens de eleger um síndico profissional

A principal vantagem em eleger um síndico profissional é a imparcialidade, não havendo envolvimento com vizinhos e empregados, outra vantagem é que não existe vinculo empregatício, tratando-se de uma eleição em assembleia ordinária ou extraordinária nos mesmos moldes como se fosse um condômino, apenas assumindo uma postura profissional.

Acompanhamento diário da vida condominial em tempo hábil.

Elaboração de normas de normas de segurança e treinamento de pessoal.

Redução de despesas condominiais.

Acompanhamento do trabalho da Administradora.

Filosofia
Promover a qualidade de vida colaborando para uma convivência mais humana e harmoniosa. Sua meta é tornar mais segura, econômica e agradável á vida condominial.

Responsabilidade e compromisso com os condôminos
Tem profundo respeito pelo patrimônio dos condôminos, não faz concessões que coloquem em risco este patrimônio e trabalha qualificando processos e pessoas para garantir o cumprimento deste compromisso.

Valorizando o ser Humano o 
Condôminos, prestadores de serviço, equipe funcional das administradoras de condomínio recebem todo seu respeito e cordialidade.

Negociação
O Síndico Profissional consegue negociar produtos e serviços, obtendo resultados compensadores para os condôminos.

Prerrogativas
Desenvolver novas ideias, para que sejam ouvidas, debatidas. Observando que a criatividade aliada à experiência é o segredo da liderança e do sucesso.

Experiência
A experiência profissional permite um planejamento e controle das contas.

Manutenção preventiva a 
Os condomínios devem fazer a manutenção preventiva da estrutura, que é realizada periodicamente por um profissional da área.

Administração
A administração feita por um síndico profissional gera mais economia, com mais organização financeira para o condomínio evitando cotas extras.

Manutenção preventiva a 
Os condomínios devem fazer a manutenção preventiva da estrutura, que é realizada periodicamente por um profissional da área.


Redução de despesas condominiais
Avaliando o balancete do condomínio, e apurando todas as despesas e desenvolvendo um plano de redução de cada uma delas.

Legislação

A lei 4591/64, que regula o funcionamento global dos condomínios e, após Janeiro/2003, o Novo Código Civil, deu amparo ao exercício da função de síndico profissional, como pode ser visto no seu artigo 1347, onde está especificado, “A Assembleia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se”. Desta forma a Assembleia Geral do Condomínio, pode perfeita e legalmente atribuir a terceiros as responsabilidades da função de síndico, desobrigando que um condômino assuma a função de síndico, contribuindo para que nas assembleias de eleição de síndico, ninguém fique com a preocupação de assumir sem ter a mínima vontade e responsabilidade que a função exige.

Imunizante já é utilizado em 58 países e possui 91,6% de eficácia



Nesta quarta-feira (07), o vice-presidente da Câmara Legislativa e presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento da Vacinação (Conav/Unale), deputado Delmasso se com o diretor da União Química, Rogério Rosso, e com os deputados participantes da comissão para tratar da articulação para que a vacina Sputnik V tenha a aplicação em uso emergencial liberada pela Agência Nacional de Saúde (Anvisa). Estiveram presentes, o deputado Sérgio Aguiar (PDT-CE), deputada Zilá Breitenbach (PSDB-RS), deputado Vinicius Camarinha (PSB-SP), deputada Goretti Reis (PSD-SE), deputado Angelo Almeida (PSB-BA) e deputado Coronel Adailton (PP-GO).

Com o pedido formal realizado ainda em janeiro deste ano, diversas questões documentais têm impedido a certificação pela Anvisa para que a Sputnik V possa ser importada para aplicação na população brasileira e também possuir fabricação nacional, dentre estes impedimentos está a conclusão da Fase 3 de análise da eficácia do imunizante, que envolve testes clínicos em voluntários, com duração em média de 45 a 60 dias. O presidente da Conav, deputado Delmasso, questionou o presidente da União Química, Rogério Rosso, acerca do "que tem ocasionado esses impasses na liberação do uso da Sputnik V pela Anvisa".

Rosso explicou que desde o início do ano o pedido para uso emergencial encontra-se em análise na Anvisa, porém sempre são solicitados mais documentos comprobatórios e informações sobre o imunizante, que prontamente têm sido entregues à Agência. "São variantes importantes para serem analisadas e que levam um certo tempo para que sejam verificados, rigorosamente, todos os requisitos preestabelecidos. Tempo este, em que o momento de saturação do sistema de saúde público e privado, com mais de 4 mil mortes por Covid-19 em 24 horas, não tem", analisou Rosso. "O cenário de pandemia que o mundo vive exige uma ação mais rápida de todos os órgãos sanitários", acrescentou.

O presidente do centro químico informou que a instituição farmacológica possui os mesmos equipamentos técnicos e insumos biológicos que a Rússia tem utilizado para a produção da Sputnik V, e que a produção a nível nacional será em conjunto com a produção russa. Além disso, o imunizante já está sendo utilizado em 58 países e já foi administrado em cerca de 20 milhões de pessoas. Países como na Rússia, Argentina, Paraguai, Bielorússia, Sérvia, Palestina e Argélia já o utilizam.

"A Sputnik V possui 91,6% de eficácia comprovada e a produção nacional dela proporcionará uma grande vantagem contra a disseminação do vírus e na corrida pela vida. Já temos qualidade, segurança e eficácia comprovadas", acrescentou Rosso.

Na oportunidade, também foi sugerido que os deputados estaduais estudam junto às bancadas federais a possibilidade de uma apresentação de um projeto de lei que promova um termo de responsabilidade individual, para o cidadão que desejar fazer o uso do imunizante. Desta forma, poderia ser acelerada a burocracia estabelecida para a liberação por parte da Anvisa e o processo de imunização seria acelerado em todos os estados. Neste caso, seria avaliada a análise risco-benefício de cada cidadão, em vista das legislações já aprovadas pelo Congresso Nacional, nº 14.124 e nº 14.125, de março de 2021 (vide abaixo).

O presidente Delmasso destacou, em nome da Conav e em representação à presidente da entidade, deputada Ivana Bastos (PSD-BA), que a Unale irá emitir uma carta de representação à Anvisa, em nome de todos os deputados estaduais, para que a análise do pedido de uso emergencial da Sputnik V seja finalizada o quanto antes. Também será recomendado, visto a situação calamitosa de contágio entre os brasileiros, que esta análise seja feita com base na liberação do seu uso concedida por outras relevantes agências de saúde mundiais. O objetivo é que a ação regulatória do imunizante seja concluída o quanto antes para que "a população brasileira possa contar com mais esta preciosa arma no combate à Covid-19", finalizou Delmasso.

Através de um formato inovador na capital federal, profissionais da arquitetura e da decoração discutem sobre as mudanças da forma de morar por meio das cores 



Nesse momento, época em que se vê a necessidade de inovação em todos os sentidos e que ao mesmo tempo se percebe que o aconchego do lar também pode ser renovado para remeter acolhimento e proteção, mais de cem arquitetos e designers de Brasília se reunirão em uma plateia virtual para falar sobre cores e discutir como elas podem transformar um ambiente e automaticamente transmitir sensações. O encontro será realizado no dia 07 de abril, em moldes inovadores, permitindo que os profissionais estejam juntos em um único espaço, mas de forma virtual.


Além do objetivo de apresentar as possibilidade da renovação de um ambiente  por meio das cores, o evento - idealizado pelo Grupo Ac Coelho (composto pela Finitura Acabamentos, Ac Coelho Tintas e Ac Coelho) em parceria com a Coral Tintas - também marcará lançamento do Colour Futures 2021, que revelará a cor do ano, fundamental para o segmento da arquitetura e da decoração por traçar tendências no segmento.  


Para a Coral Tintas, diante de tempos desafiadores e que marcaram mudanças e descobertas, a casa ganhou o reforço de status de lar, um local de reconexão e de enxergar a personalidade do morador contida nela. Por esse motivo, a empresa explica que para a cor do ano de 2021- que será revelada no dia do evento - houve a inspiração de fatores como a solidez da terra, o acolhimento do lar e a  força da natureza. Tudo isso para retratar nos ambientes a sensação de equilíbrio, estabilidade, crescimento e de coragem para realizar mudanças.  Fernanda Moceri, Color Expert e especialista no desenvolvimento de estratégias, consultorias e tendências de cores, disse que ao participar de um evento, cujo o intuito é mostrar como as cores podem agregar na vida das pessoas, o processo criativo “ e aprendizado do conteúdo será maior com a participação dos arquitetos brasilienses". 


Falar de cores, segundo o diretor comercial do Grupo AC Coelho, Bruno Coelho, é falar de transformações e de energia, que refletem não só no ambiente em que se vive, mas também na rotina das pessoas. "Nesse evento queremos reforçar aos arquitetos o poder que eles possuem, em conjunto com as cores, de proporcionar bem-estar às pessoas por meio dos seus projetos, e por isso é que a cor do ano também existe, para ser ferramenta auxiliadora nesse processo.”, disse.  


 

Serviços:

Evento:  Colour Futures 2021

Data: 07 de abril

Horário: 19:30h

Assessoria de Imprensa: Agência Fato ( 061) 9.9235-1791



Apostando no desenvolvimento de pessoas e comunidades, o crescimento foi de 34,4%. O Sicoob, o maior sistema de cooperativas de crédito do Brasil, registrou aumento de 34,4% em ativos totais no ano passado. Segundo comunicado à imprensa nesta segunda-feira (05), os ativos saíram de R$ 117,3 bilhões no fim de 2019, saltando para R$ 157,7 bilhões em 2020



Com a performance, o patrimônio líquido do Sicoob atingiu R$ 26 bilhões no 4º trimestre de 2020, ante R$ 23,2 bilhões no mesmo período de 2019; um crescimento de 12,4%, diz a nota. O saldo de crédito alcançou R$ 88,7 bilhões no 4T20, avançando 36% na mesma comparação. Em depósitos totais, acrescentou a instituição, houve crescimento de 45,1%, já que a cooperativa chegou a R$ 107,6 bilhões neste quesito.

O diretor-presidente do Sicoob, Marco Aurélio Almada, creditou a performance da entidade ao atendimento especializado dado aos clientes e ao aumento na oferta de serviços e produtos.

"Acreditamos que cada vez mais as pessoas têm buscado alternativas financeiras com condições comerciais competitivas e conscientes e isso contribui muito para o crescimento sustentável do Sicoob", disse Almada.

A nota ainda ressalta que no ano passado, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, o Sicoob investiu ainda mais em tecnologia e inovação para adaptar seus processos aos novos tempos, possibilitando a realização de assembleias virtuais, evitando, assim, o deslocamento de cooperados em todo o País. Isso "facilitou o processo de filiação às cooperativas, unificando aplicativos e tornando a experiência do usuário cada vez melhor", disse a cooperativa.

Por fim, o Sicoob adicionou outro ponto que corrobora com seu crescimento, que são "as sobras, equivalente ao lucro em empresas não-cooperativas, só que no caso do Sicoob, revertido aos cooperados, observando a legislação vigente", explicou a entidade, acrescentando:

"Em 2020, a soma chegou a R$ 3,2 bilhões, um incremento de 34,6% com relação ao ano anterior. O papel desempenhado pelo Sicoob, tanto em grandes metrópoles quanto em áreas mais remotas do Brasil, representa um importante fator de desenvolvimento das economias locais, movimentando e reciclando seus recursos financeiros nas próprias comunidades onde atuam".

Quem é síndico de condomínio sabe que de moleza a profissão não tem nada. Por muitas vezes, os síndicos acabam ficando totalmente atarefados com atividades para serem feitas e não dão conta de gerir tudo de uma forma organizada e rápida. Pensando nisso, a agência Sicoob DFMil, localizada no centro de Taguatinga, região administrativa do DF, tem serviços especializados para síndicos e condomínios.

Desde o atendimento até o aplicativo do banco, tudo é facilitado de uma forma que o processo aconteça organizadamente. A agência é conhecida como a "casa do sindico" com o suporte devido. Atualmente a DFMil atende condomínios no DF e no Entorno de Brasília.

O gerente da agência, Bernardo, explicou que tudo é feito para ajudar o sindico. "Nossa agência tem esse objetivo: ajudar os síndicos e condomínios. Os síndicos costumam vim na agencia muito pouco, pois nosso aplicativo é muito completo. Porém quando algum imprevisto acontece temos nosso canal telefônico, ou email, WhatsApp e as visitas agendadas", destaca.

Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios.

O Sicoob, maior instituição do segmento de cooperativa, abriu em 2020, mesmo com a pandemia da covid, 197 agências, representando um crescimento de 6% em sua base, que alcançou 3,48 mil postos. Hoje, a cooperativa só fica atrás do Banco do Brasil em número de agências.

Sobre o Sicoob 
O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,7 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 390 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quarta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras.

Sobre o Sicoob DFMil
A cooperativa Sicoob DFMil foi criada em Brasília-DF e se aproxima dos 14 anos de história. Hoje a instituição atua em todo o Distrito Federal. São mais de 7 mil associados atendidos em 29 cidades e R$900 milhões em ativos administrados. Sempre atenta aos compromissos com a sociedade, a cooperativa, ao lado de seus colaboradores e cooperados, promoveu doação de mais de R$60 mil em ações sociais no último ano.

A agência Sicoob DFMil fica localizada no seguinte endereço: C1 Lote 09/10, Loja 04 - Taguatinga Centro, Brasília - DF. O telefone para contato é o (61) 3223-0953.

Você já conhece todos os produtos Sicoob DFMil para o seu condomínio?

Foi pensada exatamente para facilitar seu trabalho e gerar resultados ainda melhores!!

Entre em contato com nosso atendimento:

(61) 99650-7013 | (61) 9 9852-5725 | condominio@sicoobdfmil.coop.br

Telefones fixos: 61) 3223-0953 | (61) 3344-8707

Telefones celulares: (61) 9 9650-7013 | 61 9 9852-5725

E-mail: condominio@sicoobdfmil.coop.br

E-mail: dfmil@sicoobdfmil.coop.br

Site: www.sicoobdfmil.coop.br

Alguns pacientes podem desenvolver um quadro mais grave no segundo contágio pelo novo coronavírus



Não é porque uma pessoa já teve covid-19 que ela deve relaxar nos cuidados. Muito pelo contrário. A chance de reinfecção existe e a doença pode manifestar-se com sintomas muitos mais fortes em uma segunda vez. A descoberta foi feita por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Instituto D'Or de Ensino e Pesquisa (Idor).

O estudo avaliou casos de reinfecções no estado do Rio de Janeiro que mostraram que pacientes desenvolveram uma resposta corporal inflamatória mais intensa e com sintomas mais agudos em relação à primeira infecção.

De acordo com os pesquisadores, essas reinfecções não estavam ligadas a nenhuma variante do coronavírus, derrubando a crença de que o segundo contágio só ocorre por conta das novas cepas como a brasileira, a do Reino Unido e da África do Sul.

O estudo – que ainda será revisado por pares – reforça a necessidade de manutenção das medidas de prevenção ao novo coronavírus, a higiene das mãos, distanciamento social e uso de máscaras.

Sintomas para ficar atento

Sintomas mais comuns:
  1. febre
  2. tosse seca
  3. cansaço

Sintomas menos comuns:
  1. dores e desconfortos
  2. dor de garganta
  3. diarreia
  4. conjuntivite
  5. dor de cabeça
  6. perda de paladar ou olfato
  7. erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés

Sintomas graves:
  1. dificuldade de respirar ou falta de ar
  2. dor ou pressão no peito
  3. perda de fala ou movimento

Procure atendimento médico imediatamente se tiver sintomas graves. Sempre ligue antes de ir ao médico ou posto de saúde, clínicas ou hospitais.

Em média, os sintomas aparecem após 5 ou 6 dias depois de ser infectado com o vírus. Porém, isso pode levar até 14 dias.

Em dois anos, mesmo em meio à crise sanitária da covid-19, o BRB cresceu e teve uma valorização espetacular: de R$ 1,1 bilhão para R$ 16,5 bilhões, com a criação do banco digital em parceria com o Flamengo. Banco se tornou líder no DF em crédito imobiliário na capital
   
O Banco de Brasília (BRB) tornou-se o principal apoio na política econômica e social do Governo do Distrito Federal (GDF) em meio à maior crise sanitária da história do país. Lançou dois programas de liberação de crédito e renegociação de dívidas para pessoas físicas e jurídicas respirarem em meio a lockdowns, restrições e duas ondas severas da covid-19.

O novo programa, Acredita-DF, criado há um mês, liberou R$ 1 bilhão de crédito. E o número de beneficiados dobrou. Numa outra frente, o BRB lidera o processo de construção do hospital acoplado em Samambaia. Liberou R$ 3 milhões e tem captado recursos do setor produtivo. A unidade de saúde terá 100 leitos para pacientes com o novo coronavírus. E não será desativada depois da pandemia.

O presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, diz que essa é também a missão do banco: "Em momentos como esse, as instituições públicas dão um passo adiante e ajudam a atenuar o impacto das crises na vida do cidadão e das empresas".

Enquanto isso, o BRB se tornou líder no DF em crédito imobiliário. De cada 10 operações, quatro são fechadas com o BRB. Em dois anos e três meses, o banco cresceu, teve uma valorização espetacular — mesmo em meio a tantas adversidades — de R$ 1,1 bilhão para R$ 16,5 bilhões, com a criação do banco digital em parceria com o Flamengo. "O BRB se valorizou quase 1400% no governo Ibaneis", afirma o presidente. Confira a entrevista:

1-) Como tem sido administrar um banco num cenário caótico de pandemia?
De certa forma, um cenário como esse requer que as instituições mostrem força, e neste sentido um banco público é um parceiro importante, porque consegue atuar em várias frentes, visando melhorar a qualidade de vida da população. Essa é a nossa visão. O nosso planejamento estratégico reserva o papel de transformar a vida das pessoas. E a gente faz isso de muitas formas, pelas operações de crédito, pelas ofertas de investimento, pelos programas sociais que a gente opera e, agora, com uma atuação mais forte do Instituto BRB. Desde o início da pandemia, no ano passado, o BRB se posicionou de maneira muito firme, muita categórica. Nós já movimentamos R$ 5,5 bilhões de recursos nos dois programas, o Supera-DF, de março a setembro, e agora o Acredita, que começou em primeiro de março.

2-) Depois de 30 dias do programa Acredita, qual é o balanço? Qual é a diferença em relação ao Supera?
A essência dos programas é a mesma: o banco se colocar no mercado para ajudar as pessoas e as empresas a superarem as dificuldades. Então, tivemos redução da taxa de juros, ampliação ou concessão de prazos de carência e possibilidade de suspensão de parcelas por seis meses em todos os tipos de empréstimos. O objetivo era criar uma condição para que as pessoas possam passar por esse momento.

3-) Os nomes dos programas mostram bem os dois momentos: Supera, quando se acreditava que a crise era passageira, por meses apenas, e Acredita, quando veio a segunda onda mais forte...
A escolha dos nomes não foi por acaso. Queríamos dar as condições para as pessoas superarem essa fase e acreditar. Todo mundo comemorou a chegada de 2021 para depois descobrir que era 2020.1. No Supera-DF, a gente atendeu 32.700 pessoas, 4.600 empresas e 180 mil pessoas por meio dos programas sociais. Se multiplicarmos por quatro, falaremos de 720 mil por meio dos programas sociais do GDF, sendo que o DF tem 3,2 milhões de pessoas. Estamos falando de mais de 20% da população do DF atendida. E agora, no Acredita, a gente já atendeu até mais clientes. Essa, talvez, seja uma grande surpresa. A gente já atendeu 63.203 clientes nesse mês, contra 32.700 em seis meses do ano passado.

4-) Depois de um ano de pandemia, as pessoas estão mais apertadas e precisando de mais crédito?
A gente atendeu mais pessoas físicas e menos jurídicas. Desse número que passei, de 63.203, 62.159 são pessoas físicas. A quantidade de empresas atendidas foi 1.181, ou seja, um quarto da quantidade de empresas atendidas no ano passado. A visão que eu tenho é que o ambiente econômico está mais desafiador, as pessoas estão precisando de mais dinheiro e as empresas já não têm mais condição de tomar crédito.

5-) Quais são as exigências do banco para captar recursos?
Não é que a gente não está aprovando. É que as empresas não estão buscando. Existe um certo desalento. Falta de um cronograma claro sobre quando vêm as vacinas, ausência de uma visão de fim do túnel sobre uma solução econômica e, por que não, política? Talvez nós que vivemos aqui em Brasília sintamos mais essa questão política. Eu destacaria que os programas refletem momentos diferentes, mas têm o mesmo objetivo de ajudar a superação da crise, dos efeitos da pandemia, de gerar um impacto positivo. Essa marca de R$ 1 bilhão alcançado no primeiro mês do Acredita é bastante relevante. Mostra que a gente pode superar o valor alocado no ano passado, mas o destaque é a procura pelas pessoas físicas. E menos pelas pessoas jurídicas que ainda aguardam uma clareza na evolução do ambiente econômico e sofrem de uma maneira mais forte esses impactos da extensão da pandemia.

6-) O BRB tem sido um parceiro do governo na política contra a crise sanitária. Sem uma ajuda do BRB com liberação de créditos e outras iniciativas, seria mais difícil fechar atividades econômicas ou decretar restrições?
Em momentos como esse, as instituições públicas dão um passo adiante e ajudam a atenuar o impacto das crises na vida do cidadão e das empresas. A gente pode olhar muito bem o caso da Caixa, por meio do auxílio emergencial, e o BRB, por meio do programa de alocação de recursos para pessoas e empresas, por meio dos programas sociais e, mais que isso, entendendo que uma instituição que tem uma boa capacidade de gestão pode ajudar em outras frentes. A gente, por exemplo, aceitou o desafio de atuar em conjunto com a iniciativa privada, para construir um hospital, um hospital diferente, porque não é um hospital de campanha, é um hospital acoplado. Ele terá uma estrutura permanente, que ficará um legado para a sociedade, com 100 leitos destinados aos pacientes do coronavírus neste momento, mas que depois, numa região populosa como Samambaia, vai poder ser utilizado para suprir o sistema de saúde.

7-) Como funciona essa parceria?
O BRB ajuda de duas formas. Primeiro, a gente fez uma doação de R$ 3 milhões. Segundo, a gente atuou de maneira coordenada com o governo e com entes privados para captar os recursos remanescentes para fazer o hospital, que custa R$ 14,5 milhões. Encontramos um amplo apoio do setor produtivo; não falamos de valores, mas houve apoio expressivo, uma colaboração fundamental.

8-) Pensando friamente como acionista, essas ações trazem lucro ao BRB ou é uma questão apenas social?
Não é só o BRB que está fazendo isso. A gente vê que o BTG está fazendo, o Bradesco, o Itaú, o Santander, a Ambev, a Gerdau, a JBS. Tem um rol de empresas. Se a gente voltar no papel tradicional de uma empresa, ela visa produzir riqueza e promover o bem-estar social. Então, a gente cumpre a nossa missão como empresa e gera empatia. Essa empatia é muito mais forte no BRB, sobrevivente entre os bancos estaduais. E a gente sempre se colocou como um banco competitivo, um banco que tem se modernizado, buscado agilidade, dado apoio ao setor produtivo, um parceiro da população nos seus sonhos, parceiro na construção da casa própria, de estímulo à atividade cultural, à atividade esportiva, preparação dos equipamentos públicos. O que a gente procura? Que o cidadão de Brasília perceba o bem que faz um banco público da sua cidade.

9-) E a parceria com o Flamengo, um time do Rio? Traz benefícios para o banco?
Muitos. Em primeiro lugar, na minha visão, não existe espaço no mercado para instituições muito pequenas. Precisa ser competitivo, investir mais em tecnologia, nas pessoas, ganhar escala e gerar resultados suficientes para se modernizar. Então, desde a nossa chegada, a gente tinha um plano de expansão, em primeiro lugar, regional e, depois, nacional do BRB. Essa parceria com o Flamengo permitiu que a gente caminhasse nessa direção e transformasse o BRB numa instituição mais conhecida no Brasil inteiro.

10-) Quando o jogador faz um gol, o BRB é alçado ao plano nacional?
Isso é mensurável. E tem uma segunda parte. A gente procurou fazer um modelo de negócio com o Flamengo de parceria da construção de um banco digital. Nesses 18 meses de existência do banco, a gente abriu 270 mil contas. Estamos presente em todos os municípios brasileiros com mais de 40 mil habitantes, em 33 países e 5 continentes. Num mercado que o BRB não tinha presença, o mercado digital. Precisávamos de uma marca conhecida nacionalmente, com uma torcida grande e apaixonada, que pudesse girar essa alavanca para nossa expansão digital e nacional. E essa parceria tem cumprido esse objetivo porque é inovadora, envolve uma divisão de resultados das duas partes.

11-) É uma aposta do ame ou odeie? Assim é o torcedor em relação ao Flamengo. Isso não afasta alguns clientes do banco?
Brincamos internamente que todo mundo é torcedor do Flamengo, uns contra e outros a favor. É por isso que a gente criou um banco novo do ponto de vista de conceito, de marca e plataforma. Criamos o banco Nação BRB Fla e mantivemos a nossa essência, que chamamos de Banco Azul. A gente procurou separar essas duas plataformas para que numa a torcida do Flamengo expresse o seu amor pelo clube e a gente consiga converter isso numa plataforma de negócios para o Flamengo e para o BRB, e do outro lado a gente deixou o Banco Azul, que não mistura essas questões.

12-) Você é flamenguista também?
Eu me tornei. Quem torce pelo BRB tem que torcer pelo Flamengo. Internamente, os empregados dizem que quando o Flamengo faz um gol é um gol do BRB, porque a gente abre mais contas, faz mais negócios. Sou pernambucano, torcedor do Santa Cruz. Está na terceira divisão. Não tem perigo.

13-) O BRB cresceu muito na área de crédito imobiliário. O que você tem de números em relação a isso?
A gente acabou de fechar o trimestre com a produção de R$ 713 milhões de crédito imobiliário, ou seja, um número bastante significativo. Para você ter uma ideia, tínhamos produzido no primeiro trimestre do ano passado R$ 278 milhões. Nós mais que dobramos, crescemos 156%.

14-) No meio de uma crise...?
Isso é curioso. Pelas características de Brasília, o mercado imobiliário está bastante aquecido mesmo durante a crise, por uma conjunção de fatores. Primeiro, as pessoas têm uma estabilidade maior de emprego, taxas de juros muito baixas, investimentos que não têm rendido muito, porque a Selic também está muito baixa. Além disso, as pessoas passaram a valorizar mais o espaço de casa, cumprindo o isolamento social. Então, quem não dava atenção passou a valorizar, e quem pode passou a procurar uma casa maior, um apartamento maior, saiu de um apartamento para uma casa. O ambiente residencial passou a ser mais valorizado. O mês de janeiro, segundo pesquisa da Ademi (Associação de Empresas do Mercado Imobiliário), foi o melhor mês da série em vendas de imóveis. A gente fechou o ano como líder do crédito imobiliário do DF. Fechamos o mês de fevereiro como líder. Isso é fundamental, porque também é uma operação que retém o cliente por muito tempo. Como normalmente a parcela do pagamento do crédito imobiliário representa muito do orçamento doméstico, é no banco que se tem o financiamento imobiliário que o cliente concentra os seus negócios e lá fica por muito tempo. Estamos falando de operações de 20 ou 30 anos.

15-) Falando da questão do crédito imobiliário, o financiamento para a compra da casa do senador Flavio Bolsonaro atendeu a todos os padrões do banco?
Essa é uma operação estritamente regular. Quem conhece o sistema financeiro sabe que é muito regulado, muito fiscalizado. Não posso ficar discutindo os números, mas uma pessoa politicamente exposta passa por um acompanhamento mais detalhado dentro do processo de concessão de crédito. A maioria dos nossos clientes que optaram pelo mesmo tipo de financiamento teve uma taxa mais baixa, de 3,40% mais IPCA, contra 3,65% mais IPCA. As pessoas perguntam pela renda, mas quem entende e lê a escritura vai ver que aquele campo que fala da renda é o seguro. Então, quando se fala da renda, ela só serve de balizamento. Como ali houve uma composição de renda dele e da esposa, só serve para dizer qual é o percentual que o seguro cobre. A totalidade da renda não está declarada ali, aquela não é a renda para fins de análise de crédito.

16-) Passou por você?
O valor da operação não chega na alçada da diretoria. Qualquer banco tem valores de alçada. Abaixo de R$ 10 milhões não chega na diretoria do banco. Não teve deliberação nossa, mas foi uma decisão colegiada. A gente, às vezes, entra num debate político sem ter nada a ver. Mas, somos líder de mercado no DF. De cada 10 operações de crédito imobiliário, quatro é com o BRB. Além disso, nosso principal cliente é o servidor público do DF e do governo federal. É natural que o BRB fosse um banco procurado.

17-) Qual é a sua expectativa para os próximos meses em relação à recuperação da economia e redução da crise?
A questão central é a vacinação. A velocidade da vacinação é que vai determinar o impacto da pandemia e da recuperação econômica. Acredito muito que a vacinação vai ganhar velocidade, e que no último trimestre do ano teremos uma situação econômica melhor.

18-) O programa Acredita-DF alcançou o patamar de R$ 1 bilhão. E agora? Continua?
Sim. Até o final de maio, com a perspectiva de alocar R$ 2,5 bilhões na economia do DF.

19-) Com bons resultados, fica mais distante a possibilidade de privatizar o banco?
Um banco eficiente que impacta a sociedade, que gera resultado e que remunera adequadamente os seus acionistas não tem por que abrir essa discussão. O BRB valorizou quase 1400% nesses dois anos e três meses do governo Ibaneis. Hoje o banco vale R$ 16,5 bilhões. Valia R$ 1,123 bilhão, uma valorização de 1369,38%. Não foi um bom investimento?

Por  Ana Maria Campos
Fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2021/04/4915990-em-crescimento-brb-se-destaca-na-politica-economica-e-social-do-df.html



Você, consumidor, já pagou muito caro na conta de água e pensou que o valor estava errado? Um novo sistema no Distrito Federal está fazendo sucesso com os consumidores



Com os aumentos das contas de águas dos lares residenciais e condomínios por conta de as pessoas estarem mais em casa por conta da pandemia da covid-19, o sistema controlar resolverá os seus problemas.

A Controlar Soluções Sustentáveis é uma empresa voltada para o desenvolvimento e comercialização de projetos relacionados à sustentabilidade, auxiliando na preservação do meio ambiente, principalmente para o recurso natural mais precioso: a água.

O destaque da empresa é a Válvula Controladora de Ar da Controlar, um produto de fabricação própria que proporciona economia na conta de água em até 40%.

A válvula de modelo residencial está presente nas principais lojas de materiais de construção do Distrito Federal e para grandes clientes que possuem consumo de água alto, a empresa fornece um modo diferenciado, a Válvula Industrial de alta durabilidade e que proporciona economia para grandes condomínios, shoppings, indústrias e grandes empresas. Vale destacar que o atendimento para grandes empresas é feito no próprio estabelecimento.

A missão da empresa é contribuir para um mundo onde as pessoas entendam a importância de combater o desperdício de água, utilizando produtos e serviços sustentáveis e se conscientizando que preservar o meio ambiente é investimento para um futuro melhor.

Segundo estudos feitos, é comprovado até 40% de economia na conta de água com Válvula Controladora de Ar da Controlar.

Mais vantagens: 
  1. Instalação 100% legal. Tudo dentro da lei.
  2. Instalação simples e rápida. Sem quebrar e cortar nada.
  3. Garantia de redução na sua conta ou seu dinheiro de volta
  4. Evita pancadas de ar nas torneiras e máquinas de lavar.
  5. Evita danificar a bóia da caixa d'água e gerar um alto vazamento
  6. Evita queimar a resistência do chuveiro por falta de água
INSTALAÇÃO 100% LEGAL
O Bloqueador de AR é legalizado em todo o Brasil por ser um produto instalado após o hidrômetro, em decisão já transitada o tribunal de justiça determinou que as companhias de água, mandam até o relógio de água, apelação civil 151.713-3,4-C civil em 22/12/2004, portanto depois do relógio pertence ao consumidor e ele instala o que quiser.

GARANTIA NA REDUÇÃO DE SUA CONTA
Garantimos a redução do seu consumo de água de no mínimo 15% mensal. Sendo que a média é de 40% podendo chegar até 60%. Se isso não ocorrer, a  Válvula Controladora de Ar da Controlar reembolsa 100% do valor pago na instalação.

Para maiores informações, o WhatsApp do Sistema Controlar é o: (61) 98678-7217.




O resultado coloca Goiás novamente na primeira colocação entre Estados da Região Centro-Oeste. Em dois meses de 2021 já são 34.447 trabalhadores contratados no território goiano, ante 26.258 ao longo do ano passado



Em fevereiro, indústria foi o segundo setor que mais gerou vagas formais em Goiás, com um total de 4.382 contratações -  Foto: Rodrigo Cabrala

Em apenas dois meses de 2021, Goiás superou o saldo de empregos registrado em todo ano de 2020, quando 26.258 Carteiras de Trabalho foram assinadas. De acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (30/03) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério da Economia, o Estado apresentou saldo de 17.990 novas vagas em fevereiro. Somadas às 16.457 de janeiro, o resultado são 34.447 trabalhadores contratados no território goiano nesse período.

O resultado do segundo mês do ano coloca Goiás novamente na primeira colocação entre os Estados da Região Centro-Oeste, a frente de Mato Grosso (11.795 vagas), Mato Grosso do Sul (7.054) e Distrito Federal (3.238). Com destaque, também, para a colocação no cenário nacional dos empregos, em sétimo lugar, atrás de São Paulo (1º/128.505 vagas), Minas Gerais (2º/51.939), Paraná (3º/41.616), Santa Catarina (4º/33.994), Rio Grande do Sul (5º/29.587) e Bahia (6º/18.993). O saldo é o registro de 58.791 admissões contra 40.801 desligamentos.

Quando é feita a avaliação dos dois primeiros meses de 2021, Goiás pula para o sexto lugar nacional na geração de empregos, atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Nos últimos 14 meses de registro, de janeiro de 2020 a fevereiro de 2021, Goiás soma 60.705 vagas com Carteira de Trabalho assinada. Nesse período, apenas em quatro meses os números do emprego em Goiás ficaram com saldo negativo (março, abril, maio e dezembro de 2020).

O governador Ronaldo Caiado destaca que ações têm sido tomadas para assegurar emprego e renda aos goianos, mesmo no atual cenário onde a prioridade é salvar vidas e combater à pandemia.  "Promovemos toda uma política com a Secretaria da Retomada para alicerçar os micro e pequenos empresários, empresários individuais, como também a área de turismo, do lazer, da cultura, para que fossem resgatados e você vê que Goiás respondeu como exemplo para o país", afirmou.

O titular da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços, José Vitti, disse que os números relativos ao saldo de fevereiro "são fantásticos" e mostram toda a força dos empreendedores goianos e a capacidade das empresas de se reinventarem nesse período de pandemia para garantir empregos e renda. "Temos, sim, que comemorar os números do Caged. Ao mesmo tempo em que enfrentamos uma crise sanitária sem precedentes, atuamos em outras frentes para fortalecer e levar apoio aos empresários", pontuou Vitti.

Um dos setores da economia que mais sofreu com a perda de vagas de empregos em 2020 foi o de serviços. Mas em fevereiro despontou como o maior gerador de vagas, com registro de 7.204 carteiras assinadas, seguido pelos setores de indústria (4.382), comércio (3.697), agropecuária (1.453) e construção (1.254).

Empregos no Brasil
O saldo dos empregos no Brasil foi expressivo para o segundo mês do ano. Saltou de 258.141 vagas em janeiro para 401.639 no mês de fevereiro, número que superou os dois melhores meses do ano passado, outubro e novembro, quando foram registrados saldos de 391.344 e 397.530, respectivamente.

Embora eu tenha muito orgulho de ser um capitão reformado do Exército Brasileiro, eu pertenço a uma família de médicos, pois meus saudosos pai e avô foram médicos, irmãos médicos, primos médicos e minha filha caçula se prepara também para o honrado exercício da medicina. Estamos vivendo um momento triste, quando perdi meu pai para a Covid 19, amigos da caserna e fora dela


Por Capitão Castello Branco

São quase 330 mil famílias enlutadas em nosso país, e o inimigo invisível avança aqui e em todo o planeta Terra. Mulheres e homens da ciência arriscam suas próprias vidas na tentativa de descobrir um caminho para extirpar da história da humanidade um vírus devastador que nos atinge desde março de 2020 e não dá sinal de que vá nos deixar em paz.

Enquanto isso a economia sofre de forma nunca vista na nação brasileira, especialmente em São Paulo, o carro-chefe de nossa economia, quando vemos multiplicar a cada dia o número de moradores de rua, e a quebradeira no comércio e na indústria é geral, com o empresariado fechando suas portas e dispensa em massa os trabalhadores. Neste sentido, o IBGE anunciou no dia 31/3 o recorde de 14,3 milhões de desempregados no país.

Sabemos que a revolta dos trabalhadores é enorme e, infelizmente, o governador de São Paulo, que faz uma administração da Pandemia  da Covid 19 na contramão da economia pujante que sempre orgulhou o povo paulista e paulistano, certamente impede a cidadã e o cidadão de levar comida para casa, quando sabemos que o lockdown precisa ser administrado conciliando o trabalho necessário ao equilíbrio da economia e apertando o cerco nas medidas fundamentais para conter a crise sanitária, o que é tecnicamente possível, segundo especialistas  experientes que não são ouvidos com a atenção que o caso merece pela grande imprensa e  pelo governo de nosso Estado, infelizmente!

Meus sentimentos aos parentes dos quase 330 mil brasileiros, bem como aos cerca de  75 mil paulistas e paulistanos que perderam a vida para a Covid 19. Conclamamos os brasileiros de todos os cantos pela união a favor do Brasil, neste momento em que o Ministério da Saúde acelera o processo de vacinação e garantiu a compra de 562 milhões de vacinas até o final de 2021.

Portanto, precisamos nos conscientizar de que em um país complexo como o nosso, onde a corrupção rolou solta e de forma escandalosa, atravessando a Pandemia  com 14,3 milhões de desempregados, ainda assim,  o governo federal está conseguindo superar as dificuldades, inclusive  amparar os desamparados e equilibrar a economia, permitindo que mesmo com o ataque violento e traiçoeiro de nosso maior inimigo, que é o Coronavírus, o Brasil vencerá todas as dificuldades pelas quais passamos por meio da união de todos nós, independentemente de etnia, religião, nível de renda, de escolaridade, entre outras. Somos um povo de fé, e juntos somos um só!


*Capitão Oscar Castello Branco de Luca nasceu em 10 de novembro de 1962, na cidade de São Paulo-SP. De família tradicional de militares há muitas gerações, Castello Branco é sobrinho neto do ex-presidente Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco. Foi eleito deputado estadual com 38.026 votos no pleito de 2018, pelo Partido Social Liberal (PSL).



No Cristianismo, o Sábado de Aleluia é comemorado por acontecer entre a Sexta-feira da Paixão, dia da crucificação de Jesus Cristo, e o dia da sua ressurreição, o Domingo de Páscoa. O significado do sábado de aleluia é celebrar a alegria da ressurreição de Jesus



Então chama todo mundo e venha pra Nativas saborear toda variedade desse rodízio. Com carnes macias, suculentas e muito saborosas é na Nativas Grill. Uma das melhores casas de carnes no Brasil tem virado sensação na capital do país. A Churrascaria Nativas Grill oferece a sua clientela seletos cortes de carnes, vinhos e um buffet diferenciado

Neste ano de 2021, com a pandemia de Coronavírus (Covid-19), muitos restaurantes tiveram que se reinventar e na Nativas não foi diferente. "A pandemia foi algo diferente, tivemos que inovar, de uma hora para outra a casa fechou as portas. Inventamos a costela fogo de chão, servimos delivery, inovamos", comenta o gestor Renato Loureiro .

A Nativas atualmente tem 95 funcionários e um fator é preponderante para o sucesso: o bom atendimento alinhado com a boa variedade de carnes e buffet. "A nativas agrega vários fatores: sushi, saladas, pratos quentes. Temos carnes na parrilla também, que é a angus, sholder, costela premium, isso ajuda muito, são mais de 30 tipos de carne".

A rede de churrascarias, que tem mais 05 anos, com unidades em Brasília, Goiânia, Cuiabá, Campo Grande, São Paulo, Campinas, Sorocaba, Ribeirão Preto e Fortaleza. Sabe aquele seu almoço de final de semana, ele fica ainda mais gostoso na Nativas Grill. Rodízio de carnes selecionadas, buffet variado, ambiente aconchegante e familiar, atendimento exclusivo e preço justo na Nativas Grill.

A churrascaria que mais cresce no Brasil. Goiânia, Brasília, Cuiabá, Campo Grande, Fortaleza, São Paulo, Ribeirão Preto, Campinas, Sorocaba, Curitiba. Famosa em outras oito cidades do Brasil, a Nativas Grill tem, de longe, o mais completo buffet das churrascarias da capital, com uma variedade difícil de acreditar e com itens selecionados e exclusivos.

O gestor Renato Loureiro afirma que um dos diferenciais da casa é o preço baixo. "Se o cliente quiser consumir apenas nosso buffet, ele vai sair daqui tão satisfeito quanto em qualquer outro restaurante", diz Loureiro, gestor da casa.

Últimas mesas para o almoço de Sábado de Aleluia. Garanta a sua na Nativas Grill. Quantidade de mesas limitadas, reserve já a sua pelo fone 61 3038-4680 ou pelo WhatsApp 61 99695-8441

#nativasgrill
#churrascaria
#brasilia
#sia
#esplanada
#asanorte
#vempranativas



Nunca vivemos tempos tão duros como estes da pandemia. Há um empobrecimento geral das nações e, principalmente, das pessoas, insegurança generalizada, famílias sendo desfeitas pela voracidade com que o coronavírus ceifa vidas


Por Everardo Gueiros  

Todos estamos vendo um aumento de casos e óbitos nesta segunda onda da pandemia. No Brasil a situação é gravíssima, não apenas por sermos um país com 220 milhões de habitantes, mas também pela nossa extensão territorial, a imensa costa e os milhares de quilômetros de fronteiras.

Não vamos vencer o vírus esperando milagres, mas sim trabalhando e com cada um de nós fazendo a sua parte. É hora de unir, não de separar.

Em Brasília temos testemunhado o esforço do governador Ibaneis Rocha em administrar a crise. Nossa cidade é povoada por pessoas dos quatro cantos do planeta, chineses, árabes, europeus, sul-americanos, estadunidenses, da Austrália, Nova Zelândia, da Indochina e da Índia.

Somados a eles, temos um sem-número de trabalhadores que vivem no entorno, mas ganham a vida em Brasília. Outros vivem em cidades da Bahia, Goiás ou Minas e correm até a capital em busca de socorro quando adoecem.

Com a pandemia a situação dos hospitais de Brasília piorou muito, praticamente entramos em colapso, porque além dos cidadãos brasilienses, passamos a atender outros que, diante do risco iminente da morte, não tiveram outra alternativa a não ser buscar nossa rede hospitalar.

O governador viu o quadro se agravar diante da teimosia de parte da população, que não deu bola para a pandemia e decidiu não tomar as devidas precauções.

Isso acabou acelerando a contaminação e obrigando o lockdown e o toque de recolher, medidas impopulares, mas ao mesmo tempo extremamente necessárias para baixar o nível de contaminação e reequilibrar a situação por aqui.

Ibaneis foi presidente da seccional brasiliense da Ordem dos Advogados do Brasil. Fez uma gestão exitosa, que o credenciou para ocupar o Palácio do Buriti.

Alguns de seus adversários cruzaram o limite da crítica construtiva e partiram para a traição, como a atual direção da OAB-DF, que usa a pandemia para fazer política de olho na reeleição do atual presidente Délio Lins e Silva Junior.

O doutor Delinho é um rapaz de boa família, que frequentou boas escolas e nunca passou necessidades na vida. Nunca andou de transporte público, não veio de longe, não tem a menor ideia de como funciona a vida das pessoas que são obrigadas a batalhar todos os dias para alimentar seus filhos e pagar contas de luz, gás, aluguel.

Doutor Delinho ameaçou processar o governador alegando que ele não tem plano de vacinação e nem adotou medidas de combate ao coronavírus.

Uma bravata de quem usa a dor alheia para se promover. Se estivesse preocupado em apurar direito, veria que temos um plano de vacinação desde o fim do ano passado (https://igesdf.org.br/wp-content/uploads/2020/12/Plano-Distrital-de-Vacinacao-contra-a-Covid-19-2.pdf ) já estamos vacinando adultos da faixa etária do 67 anos e que o combate ao vírus vem sendo feito no dia a dia, basta visitar algum dos centros de vacinação.

O governador enfrentou protestos até na porta da sua casa, porque adotou medidas duras para frear a transmissão da doença em Brasília. Fez o que era preciso e aguentou a pressão. Teve coragem. É isso que diferencia o sujeito com coragem para enfrentar a dificuldades daquele que ganhou tudo na vida sem fazer muito esforço.

Se o presidente da OAB-DF colocasse o interesse da população, da sociedade brasiliense, acima dos seus interesses pessoais, provavelmente estaríamos numa situação melhor. Ele até agora foi incapaz de agir, de mostrar atitude e coragem, de usar o prestígio da Ordem para ajudar Brasília a sair desta tragédia. Mas seu negócio é jogar pedra, nada além disso.

Ele até agora foi incapaz de cuidar dos advogados, que nunca passaram por um momento tão difícil, sem trabalho, confinados em casa, vivendo todo tipo de privação, completamente desamparados, enquanto magistrados e procuradores aumentam seus salários, abrigados no porto seguro do serviço público mantido com nossos impostos.

Luther King dizia: "A covardia coloca a questão: é seguro? O comodismo coloca a questão: é popular? A etiqueta coloca a questão: é elegante? Mas a consciência coloca a questão: é correto? E chega uma altura em que temos que tomar uma posição que não é segura, não é elegante, não é popular, mas o temos que fazer porque a nossa consciência nos diz que é essa a atitude correta".

Atacar o governador num momento em que a cidade precisa de união, de serenidade e responsabilidade é algo repugnante. Este governador que aí está não é perfeito, não está acima do bem e do mal, é um ser humano como qualquer outro, mas tem sido capaz de decidir sob pressão, de agir tentando acertar, muito mais do que jogar para a plateia.

O doutor Delinho, que tem se vangloriado por ter distribuído cestas básicas aos advogados, quando o certo era garantir as condições mínimas de trabalho e as prerrogativas nossas, silencia ao ver tele audiências, oitivas de testemunhas por telefone e tantos outros absurdos.

Deveria ter vergonha de usar a OAB-DF para sua politicazinha rasteira. Ao invés da atitude correta de estender a mão, ele esfaqueia pelas costas.

* Everardo Gueiros, advogado, foi conselheiro federal da OAB, presidente da Caixa dos Advogados do Distrito Federal, desembargador do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) e Secretário de Projetos Especiais do governo do DF nos anos de 2019 e 2020.



Em parceria com municípios, que vão doar lotes urbanizados e legalizados para construção das casas, Agehab dá início a processo que visa atender as dez regiões de planejamento do Estado, com lotes de 400 a 650 moradias em cada uma delas



Edital, com regras da licitação, está disponível no site da Agência (Foto: projeto padrão/Agehab)

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), está com licitação aberta, na modalidade Registro de Preço, para contratação de empresas do ramo da construção civil para produção de 4.450 moradias de interesse social nas dez regiões de planejamento do Estado. A licitação é em nível nacional, com regime de execução de empreitada por preço global, e o julgamento será a menor preço por lote.

A sessão de abertura das propostas será realizada no dia 13 de abril, às 9h, na sede da Agehab, por meio da sua Comissão Permanente de Licitação (CPL). O edital, com todas as regras para participação neste procedimento licitatório, foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 18 de março e está disponível para consulta no site da Agência e também neste link.

Por determinação do governador Ronaldo Caiado, os recursos para a construção dessas moradias serão disponibilizados pelo Fundo Protege, vinculado à Secretaria da Economia do Governo de Goiás. A Agehab firmará parceria com os municípios que doarem os lotes urbanizados e regularizados para os empreendimentos, com possibilidade de construção de 30 a 50 unidades por contrato.

A contratação das construtoras será por lotes de 400 a 650 unidades habitacionais (UH), distribuídos por regiões de planejamento, da seguinte forma: lote 1 – 500 UH – Centro Goiano; lote 2 – 400 UH – Nordeste; lote 3 – 400 UH – Noroeste; lote 4 – 400 UH – Norte; lote 5 – 650 UH – Oeste Goiano; lote 6 – 400 UH – Região Metropolitana de Goiânia; lote 7 – 500 UH – Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno (RIDE); lote 8 – 400 UH – Sudeste; lote 9 – 400 UH – Sudoeste Goiano; lote 10 – 400 UH – Sul Goiano.

As construtoras terão prazo de 120 dias para a construção de até 50 unidades habitacionais, contados a partir do recebimento da ordem de serviço. Será executado o projeto padrão de casas da Agehab. O valor referencial por unidade é de R$ 85.560,22 (Data Base Goinfra). A previsão é que as primeiras moradias sejam entregues no segundo semestre deste ano.

Mais informações (62) 30965003/3096-5041
E-mail da CPL: cpl@agehab.go.gov.br



Em 2020 nasceu o Prêmio Empreender Brasília, abrindo as portas para o reconhecimento e valorização dos empreendedores que investem e buscam se destacar no Distrito Federal



Identificados por meio de pesquisa popular eletrônica, os empreendedores são coroados em um grande encontro de Empreendedores.

Principais objetivos do Prêmio Empreender Brasília:
Estimular o empreendedorismo no DF;
Consolidar os empreendimentos das cidades;
Impulsionar negócios nascidos em Brasília;
Destacar a importância da valorização do empreendedorismo para o fortalecimento do setor de comércio e serviço;
Criar oportunidades de networking e colaboração entre empreendedores.

Para reconhecer, valorizar e divulgar ações empreendedoras que servem de exemplo e estímulo ao surgimento de novos negócios, o portal Empreender Brasília promove todos os anos o Prêmio Empreender Brasília , que é voltado a empreendedores, empresas, associações e administrações públicas.

O  Prêmio Empreender Brasília foi criado para valorizar, incentivar e estimular os pequenos negócios a crescerem cada vez mais, em um ambiente mais justo, competitivo e sustentável. O prêmio é uma iniciativa realizada pelo portal Empreender Brasília, referência no setor, com forte penetração no mercado ao longo dos seus 7 anos de história.

O Prêmio Empreender Empreender Brasília 2020 segue com critérios técnicos por meio de pesquisa quantitativa, popular e eletrônica que visa destacar empreendedores em diversas categorias.

Conheça o portal Empreender Brasília: https://www.empreenderbrasilia.com.br/


Em entrevista ao portal Empreender Brasília, o engenheiro Fernando Autran explica que a manutenção preventiva aplicada rotineiramente pode ampliar a vida útil predial em até 50%, além de reduzir os custos das manutenções



1) Fernando Autran, por que a manutenção preventiva é tão importante?

"Não temos no Brasil a cultura da manutenção preventiva especialmente em condomínio e edificações, sejam residenciais, comerciais, públicas e privadas. O que reina no Brasil, é a manutenção reativa que é quando acontece um problema e vai se buscar solução daquele conserto ou reparo para trazer de volta a operação de um sistema que se tornou um indisponível, dessa maneira se vê a questão de manutenção como custo e realmente acaba sendo, porque quando se tem uma postura reativa referente a operação da solidificação toda vez que você tem uma quebra, uma indisponibilidade ou um problema, acaba se tornando uma dor de cabeça violenta. A cultura da manutenção preventiva, corretiva e até mesmo preditiva devem ser encarados como um investimento, já existem estudos que comprovam que a manutenção preventiva aplicada rotineiramente e levada a sério pode ampliar a vida útil de um determinado sistema em até mais de 50%, sem dizer que vai estar sempre mantendo o desempenho daquele sistema o mais próximo daquele desempenho original, quando se fez a instalação do equipamento do sistema. Então a manutenção preventiva é importantíssima por ser algo que reduz custos, aumenta a disponibilidade dos sistemas e equipamentos e principalmente aumenta a questão da segurança daqueles que dependem ou fazem uso de um determinado sistema ou equipamento."
 

2-) E sobre a NBR 5674, o senhor pode explicar um pouco sobre a norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que regulamenta as orientações das edificações?

"A norma 5674/2012, trata da gestão de manutenção e orientação de que todo e qualquer edificação, inclusive anterior à publicação da norma deve elaborar e implementar o PMP ou seja um Plano de Manutenção Preventiva que é um documento que vai fazer todo o levantamento dos ativos do prédio, quais são os sistemas e equipamentos, operação e vai traçar uma programação das manutenções preventivas rotineiras e periódicas que precisam ser realizadas ao longo do tempo. Lembrando sempre que quem vai executar essas manutenções tem que ser profissional e empresas qualificadas, ou seja, que tenham formação em cursos reconhecidos pelo MEC, que tenham registro no respectivo conselho profissional, eu, por exemplo, sou engenheiro e tenho registro no CREA e a minha empresa que atua na área de engenharia também tem o registro no CREA, a gente tem até a previsão dos profissionais capacitados, que não tenham uma habilitação, mas quando é o caso, esses profissionais capacitados, que receberam treinamento para exercer uma função técnica específica de manutenção, eles têm que ser supervisionados por um profissional qualificado e habilitado. "
 

3-) E o que deve conter no plano de Manutenção Preventiva Predial?

"Um plano de manutenção preventiva é regulamentado por norma técnica e deve se levar em consideração também o manual de uso, operação e manutenção fornecidas pela Construtora. Com essas informações complementadas por uma inspeção do prédio, levantamento dos ativos e de como está a saúde da edificação vão ser os subsídios para gerar o plano de manutenção preventiva. Não existe um documento genérico, não existe uma manutenção genérica, o plano de manutenção preventiva deve ser elaborado exclusivamente para cada prédio, pois um PMP é um trabalho bem especializado e faz total diferença na condução da vida técnica da edificação e impacta diretamente para redução de custos, aumenta a segurança, habitabilidade e sustentabilidade do prédio."
 

4-) As vistorias devem ser realizadas dentro de quanto tempo?

"Excelente pergunta e convém explicar sobre a distinção dos termos antes de responder quanto a periodicidade. Devemos fazer uma distinção dos termos técnicos, dentro do que a gente chama de uma escala de progressividade diagnóstica, a vistoria é diferente de inspeção, que é diferente de auditoria, que é diferente de perícia. Então cada uma dessas tem um conjunto de tarefas associadas. Uma vistoria é algo muito básico, é simplesmente você entrar no ambiente e registrar, ou documentar, o que nós chamamos tecnicamente de manifestações patológicas ou anomalias, os problemas relacionados aos sistemas existentes, esses sistemas podem ser os sistemas construtivos, eletroeletrônicos, hidrossanitários, mecânicos, incêndio, acessibilidade e etc. O que acontece muito é que às vezes o pessoal contrata um profissional de engenharia ou uma empresa e sem conhecer, ou as vezes o profissional não explica isso direito e pensa que irá receber um documento completo e recebe uma vistoria simplificada, até para contornar esse tipo de problema no ano passado foi publicada pela ABNT a norma 16.747/2020, que trata de todas as orientações para elaboração de laudos de inspeção predial, uma inspeção já está em um nível superior a uma vistoria, existe a parte da vistoria onde são verificados no prédio os seus múltiplos sistemas, mas além disso é feito uma análise de todo a documentação do prédio, de como funciona e se existe uma manutenção do prédio, análise de como foi feita a construção e após, tudo isso é processado e é gerada uma lista de prioridade do que deve ser atacado e como é o tratamento a ser dado para cada problema que foi identificado, então o documento que nos temos hoje que faz o levantamento da saúde dos sistemas em operação de qualquer edificação é o laudo técnico de inspeção predial, normatizado pela 16.747/2020, que inclusive tive o privilegio de fazer parte da comissão da ABNT que elaborou a norma, foi um trabalho de quase 10 anos, muito bonito, e óbvio, a partir da publicação a norma esta sendo utilizada e colocada a prova por muitos profissionais e eventualmente irá passar por revisões, emendas, ajustes, como qualquer norma técnica, ela precisa evoluir.
 
Em relação a periodicidade, muito se discutiu durante a elaboração dessa norma, que rege a elaboração dos laudos técnicos de inspeção predial, o que deveria ser colocado como prazo ou não, como é muito importante não confundir norma técnica com legislação, se deixou a questão da periodicidade para eventuais decisões legislativas de cidades, estados ou do próprio país, só para te dar um exemplo, aqui no DF nós temos dois projetos de lei em discussão na Câmara Distrital, temos também um projeto que trata de inspeção e de manutenção predial no Congresso Federal, se eu não me engano a última informação era de que tramitava pelo senado, mas já tem muitas cidades, estados que saíram na frente e já tem legislação, é o caso por exemplo do nordeste a maioria dos estados hoje já tem legislação, senão da capital, já do estado, Fortaleza é um excelente exemplo disso, eles correram depois daquela tragédia que houve, creio que em 2018, que ruiu um prédio onde a síndica veio a falecer, eles correram e fizeram a legislação deles, mas assim de forma geral, aonde não tem legislação própria, qual é a regra de ouro, qual é a boa prática de engenharia que a gente adota, para prédios de até 20 anos, um laudo de inspeção predial de 5 em 5 anos, para prédios de 20 a 30 anos, de 4 em 4 anos, de 30 a 40 anos, de 3 em 3 anos, a partir de 40 anos, laudos bienais, dependendo do caso, existe até necessidade de laudos anuais conforme a edificação vai envelhecendo e se degradando, se não são feito as manutenções periódicas adequadas, se não existe acompanhamento do prédio, vai se diminuindo o intervalo dessa inspeção predial. Um ponto muito importante da inspeção predial, até mesmo reforçado pela norma, é que nós engenheiros da área da engenharia diagnóstica utilizamos muito as referências do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia – IBAPE, o instituto tá com mais de 50 anos, caminhando para os 60 ou mais, mas antes de termos a norma da ABNT, toda a documentação que se fazia, todo o trabalho de engenharia diagnóstica era muito pautado nas orientações do IBAPE, eu por exemplo sou membro do instituto a muitos anos,  participo de diversos fóruns e é muito importante e algo que veio a ser reiterado e reforçado com a nova norma, o caráter multissistêmico, ou seja abordar todos os sistemas que existem no prédio e um trabalho de perfil multidisciplinar, não se fala hoje de inspeção predial sem que se tenha pelo menos participando da equipe de inspeção, pelo menos, um engenheiro civil, um engenheiro eletricista e um engenheiro mecânico, dependendo do prédio pode ser necessário inclusive outros perfis, outras habilitações para que se tenha uma visão ampla, detalhada, mais global de como está a saúde da edificação."


5-) De forma resumida como deve ser feita a descrição dos serviços de um contrato de manutenção predial?

"A gente bate muito nessa tecla porque uma grande dificuldade que os condomínios tem é a falta de uma assessoria de engenharia, e hoje se fala né do "quadripé" da assessoria condominial, um bom Condomínio é aquele condomínio que tem o gestor presente, seja ele orgânico ou profissional, mas que tem uma assessoria contábil, uma assessoria administrativa, uma assessoria jurídica e uma assessoria de engenharia. Uma outra dificuldade que os prédios tem, é que não elaboram o escopo de serviços ou sistemas, ou equipamentos que eles precisam comprar, é muito comum você ver os síndicos ligando para as empresas, pegam no Google, pegam os contatos em grupos do WhatsApp, ai ligam e falam, "preciso de uma proposta para tal coisa" e aí vem aquelas propostas de R$ 5.000, de R$ 10.000 e de R$ 30.000 e o síndico fica perdido sem saber e questiona, tá mas qual que vai se resolver a minha vida? Qual que realmente é mais barato? Eu tô comprando gato por lebre? Ou eu tô pagando um barato que vai sair caro? Então assim, aonde a gente faz esse serviço de assessoria de engenharia normalmente a gente tenta um trabalho de dar suporte na contratação de serviços especializados, como é o caso de manutenção predial, então a gente elabora um termo de referência que vai ter todo um crivo de filtro, tanto administrativo, legal, técnico e principalmente, anexo a esse termo de referência, o termo de referência em si é um anexo de uma carta-convite, ele vai trazer a especificação detalhada do que se espera, no caso de manutenção, quais são as atividades, se existe um PMP, se vai respeitar o PMP, qual é o procedimento, qual a quantidade de pessoas, qual a especialização e habilitação da empresa do engenheiro responsável, dos profissionais que trabalham, questões de segurança do trabalho, enfim você especifica tudo ali, solta no mercado de maneira que quando recebi as cotações você pode comparar entre elas, sendo esse o grande barato da especificação. Falando em termos, descrição dos serviços de contratos de manutenção predial, a descrição vai depender muito do PMP, vai depender também do "quero contratar manutenção predial Total" se quer uma total tem que conhecer como é o prédio, quais são os sistemas que tem no prédio, tem prédio que tem gerador e outros que não tem, tem prédio que tem sistema de reuso de água, outros não tem, que tem sistema de aquecimento central e outros que não tem, então sempre vai depender de um conhecimento detalhado do prédio para você especificar quais são as rotinas de manutenção, normalmente isso se reflete no PMP, é muito comum também as vezes, contratar a empresa para elaborar o PMP e depois baseado nisso contratar uma ou mais empresas de manutenção predial, porque não precisa ser só um, podem ser várias empresas cada uma no seu segmento, o importante nesses casos é também lembrar que serviços técnicos tem ter a responsabilidade técnica comprovada, então é muito comum aqui no DF, por exemplo, você tem empresas que fazem manutenção do sistema de acesso de Circuito fechado de televisão (CFTV), que é um sistema de telecomunicações e segurança eletrônica, tem equipamento de cabeamento de alimentação de energia e você vê empresas que não tem um responsável técnico, não são cadastradas em um conselho profissional, não tem a menor condição de dar uma manutenção regular e continuada e isso é um perigo. Então assim, é muito importante que os síndicos ou gestores condominiais voltem a sua atenção para buscar empresas no mercado que sejam qualificadas e habilitadas, pois eventualmente acontece um problema mais sério, vai reclamar para quem? Pro papa? A mesma coisa é que médicos, clínicas e hospitais também têm que estar registrados, também tem que ter o responsável técnico, se acontece um problema você reclama aonde? No CRM, mas se a empresa que tá prestando serviço lá, por exemplo, manutenção de ar-condicionado, a gente lembra dos aparelhos de ar condicionado que pegaram fogo lá no ninho do urubu, aquela tristeza e tragédia que foi eu vejo isso todos os dias, nos prédios que a gente faz assessoria de engenharia eu não permito que seja uma empresa que não seja devidamente qualificada ou habilitada que entre para apresentar se quer uma proposta."


 Fernando Autran é engenheiro eletricista/Telecom, pela Universidade de Brasília. Possui Pós-graduação em Tecnologias de Redes (UNB) e Segurança do Trabalho (USP).

Por Rebeca Rabelo do Portal Empreender Brasília -  www.empreenderbrasilia.com.br

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.