Mostrando postagens com marcador Rede Inovação. Mostrar todas as postagens

O governador Ronaldo Caiado vistoria trecho de rodovia no trevo de Rio Quente com a GO-507: R$ 1 bilhão em obras de pavimentação, recuperação da malha viária, construção de pontes, entre outras ações nas estradas e nos municípios até o final de 2021


Foto: Pedro Alves.

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), vai investir R$ 1 bilhão em obras de pavimentação, recuperação da malha viária, construção de pontes, entre outras ações nas estradas e nos municípios até o final de 2021. Antes, no início do segundo semestre, serão entregues mil quilômetros de rodovias reformadas, em trechos estratégicos para o desenvolvimento goiano – uma meta ousada que já está em execução.

Os dois compromissos estão firmados pelo governador Ronaldo Caiado, que, na última semana, durante a assinatura da ordem de serviço para duplicação de um trecho da GO-330, no perímetro urbano de Catalão, enfatizou: "O ponto principal para a gente governar é exatamente mostrar ao povo que o dinheiro pago em impostos retorna em forma de benefícios. Na Goinfra, o dinheiro é para investir em asfalto, ponte e melhoria de vida para as pessoas".

Os investimentos em infraestrutura são realizados dentro do programa Goiás em Movimento, dividido pela Goinfra em eixos – pavimentação, duplicação, obras civis, sinalização, pontes e outros. No escopo do programa estão a implantação e a substituição de mais de 180 pontes e a entrega de obras prioritárias do biênio 2021/2022, a maioria aguardada há anos por moradores de regiões historicamente negligenciadas por gestões passadas, caso do Norte e Nordeste goianos, além do Entorno do Distrito Federal. Há ainda construções e reformas de hospitais, unidades penitenciárias, ginásios de esportes e outras edificações executadas sob a responsabilidade técnica da agência.

Para o presidente da Goinfra, Pedro Sales, a duplicação da GO-330, em Catalão, é um marco do programa Goiás em Movimento, já que a obra, como definiu, abre a "agenda puro sangue de realizações" por ter sido concebida, desde o projeto, sob a administração de Caiado.

"Imprimimos aqui a marca de uma gestão com novo padrão de engenharia e de qualidade", resumiu Pedro Sales. O momento é de ampliar o volume de frentes de serviços. Depois de dois anos de ajuste fiscal e equilíbrio das contas públicas, além do enfrentamento à pandemia da Covid-19, é hora de intensificar o lançamento de obras pelo Estado e acelerar as entregas, destaca o dirigente.

Pedro Sales citou que o trabalho da Goinfra, por determinação de Caiado, tem transformado todos os cantos de Goiás, com a reconstrução de estradas e a implantação de infraestrutura fundamental ao desenvolvimento regional e ao bem-estar da população. "As obras estão alcançando lugares que estavam esquecidos há 20, 30 anos. Recebo diariamente mensagens de pessoas que dizem 'nós nunca vimos uma máquina do Estado chegar aqui'", contou. "É gente que, sob o ângulo puramente político, de voto, jamais seria lembrada, mas que tem gigante expressão humanitária, e a quem o governador faz chegar o seu governo."

Obras entregues

A nova etapa do Goiás em Movimento dá sequência a obras já promovidas em eixos estruturantes e prioritários, a exemplo das reformas de mais de 200 quilômetros de estradas entregues no primeiro trimestre deste ano, que contemplou rotas turísticas, corredores de escoamento de grãos e trechos de alta circulação de veículos. Muitos deles em atendimento a antigas reivindicações, como é o caso da revitalização da GO-213, entre os trevos de Caldas Novas e de Rio Quente, e da GO-338, que liga Pirenópolis a Posse d'Abadiânia.

Também foi resolvida uma demanda histórica com o recapeamento de três quilômetros da GO-462, que liga Goiânia a Santo Antônio de Goiás, onde havia um problema crônico de buracos que apareciam em tempos chuvosos, reforçado pela falta de drenagem nos bairros.

Nesse período, as equipes também focaram esforços no recapeamento da GO-222, entre Anápolis e Nerópolis, importante corredor até a GO-080, além de rota de escoamento da produção das indústrias farmacêuticas e do setor de alimentos, em trajeto alternativo para Goiânia. Elas estiveram ainda na GO-330, entre Campo Limpo e Ouro Verde, e reformaram mais uma rodovia próxima a Anápolis.

Em execução    

Dentro do eixo Manutenção, o trabalho segue firme para a conclusão dos mil quilômetros de trechos reformados. No Entorno do Distrito Federal, por exemplo, as máquinas estão concentradas no recapeamento de 46,45 quilômetros de rodovias nos perímetros urbanos dos municípios de Formosa, Padre Bernardo, Novo Gama, Planaltina de Goiás, Cidade Ocidental e Santo Antônio do Descoberto, contabilizando melhorias realizadas nas GOs-116, 430, 230, 520, 534, 521 e 225, com investimento de R$ 11,2 milhões.

Há frentes de serviço de recapeamento ainda na GO-164, entre São Miguel do Araguaia e a divisa de Goiás com o Tocantins; na GO-230, entre Goianésia e a Vila São Propício; na GO-422, de Aparecida do Rio Doce ao entroncamento com a GO-174; na GO-333, de Rio Verde a Paraúna; na GO-325, de Arantina a Santa Helena; entre outros trechos.

No escopo das obras prioritárias já estão em execução a pavimentação de mais de 53 quilômetros da GO-050/184, entre a GO-050 e o entroncamento da GO-220; as restaurações das rodovias GO-060 (Firminópolis a Iporá), GO-326 (Sanclerlândia a Buriti de Goiás), GO-418 (Fazenda Nova ao entroncamento com a GO-060), GO-070 (entroncamento com a GO-164/Mossâmedes à cidade de Goiás); a duplicação da GO-070 (Inhumas a Goiás), além da construção de pontes na GO-484 (Rio Paranã), na GO-236 (Rio Santa Maria) e na GO-230 (Rio Mangabeira), entre Água Fria e Mimoso.

Todos os trechos que passam por intervenções da Goinfra são contemplados com a implantação da sinalização vertical e horizontal e de tachas refletivas, dentro do eixo Sinalização, do programa Goiás em Movimento. "Isso significa cuidado com a segurança das famílias goianas que trafegam por essas vias", diz Pedro Sales.

"Como todos podem ver, as obras nunca foram interrompidas nesse governo. Ao contrário. É determinação do nosso governador que a Goinfra mantenha e, sobretudo, amplie as suas frentes de serviços ativas em todas as regiões do Estado, com muita qualidade, para oferecermos serviços à altura do merecimento e da importância do povo goiano", completou o presidente.

Governador Ronaldo Caiado e presidente da Goinfra, Pedro Sales, durante vistoria a obras de revitalização da malha viária no interior do Estado: "O dinheiro é para investir em asfalto, ponte e melhoria de vida para as pessoas". (Foto: Secom)

Os investimentos promovidos pela Goinfra são provenientes de recursos do Tesouro Estadual, em sua maioria, e ainda resultados de parcerias com Governo Federal, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), via Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco). Há casos ainda de cooperações técnicas, como a que foi estabelecida com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), empresa vinculada ao Ministério da Integração Nacional, que aplicará R$ 21,8 milhões na execução de 54 pontes no Estado.

"Respeito e Responsabilidade: pratique no trânsito" é o tema da 8ª edição do movimento



O Departamento de Trânsito do Distrito Federal lança, na segunda-feira (3), o Movimento Maio Amarelo 2021 no DF. O lançamento ocorrerá por meio de uma live institucional, realizada às 15h, no canal da autarquia no YouTube (www.youtube.com/detrandfoficial), com a presença da jornalista Adriana Bernardes, do diretor de relações institucionais do Observatório Nacional de Segurança Viária, Francisco Garonce, e do diretor-geral do Detran, Zélio Maia.

"Vamos abordar o histórico do Maio Amarelo, as principais atividades realizadas e a importância e relevância social do movimento na preservação de vidas no trânsito. Estamos na 8ª edição da campanha e, apesar das restrições impostas pelo momento de pandemia que vivemos, precisamos encontrar mecanismos para manter o movimento Maio Amarelo vivo", explica o diretor-geral do Detran, Zélio Maia.

O tema deste ano é "Respeito e Responsabilidade: pratique no trânsito". Esta já é a 8ª edição da campanha que une sociedade civil e órgãos governamentais em prol de um trânsito mais humanizado e seguro.

Em 2020, devido à pandemia de Covid-19, a campanha foi realizada prioritariamente de forma digital em todo o país, evitando as atividades presenciais. Este ano, com a volta às aulas na rede particular de ensino, o Detran-DF vai levar espetáculos teatrais, repentistas e contação de histórias para algumas escolas particulares. As peças teatrais serão encenadas para crianças de 6 a 10 anos, com foco nas orientações sobre a circulação em via pública, comportamento adequado no interior de veículos e circulação de bicicletas. Já as crianças com idade entre 4 e 5 anos vão ouvir histórias que abordam as orientações sobre a circulação em via pública e o comportamento adequado no interior de veículos.

Também estão programadas apresentações de repentistas na Estação do Metrô da 112 Sul, na terça-feira (4), das 10h às 12h, e uma blitz educativa com abordagem de condutores, próximo à Funarte, na quinta-feira (6), das 10h às 12h. A apresentação de dupla de repentistas terá foco na responsabilidade do condutor em relação à segurança dos demais usuários da via pública.

Engenharia e fiscalização
No DF, iniciativas como o Maio Amarelo têm sido importantes na redução de mortes no trânsito. Além de campanhas educativas, o Detran tem investido em ações de engenharia de trânsito e na intensificação da fiscalização, com vistas a reduzir o desrespeito às regras de segurança viária, principalmente o uso do celular ao volante, a condução de veículos sob influência de álcool, a falta do cinto de segurança pelo motorista e passageiros, o desrespeito ao pedestre na faixa e a direção de veículos por pessoa não habilitada ou com o direito de dirigir suspenso.

No mês de maio, já estamos com mais de 120 operações do tipo blitz e patrulhamento com abordagens programadas em diversas cidades do DF.

O Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador é comemorado anualmente em 1º de maio em diversos países do mundo. O Dia do Trabalho é feriado nacional no Brasil, em Portugal, EUA, Rússia, França, Espanha, Argentina, entre outras nações



Esta data representa o momento que os empregados e as empresas têm para refletir sobre as legislações trabalhistas, normas e demais regras de trabalho. Nesta data também é homenageada a luta dos trabalhadores que reivindicavam por melhores condições trabalhistas. Graças à coragem e persistência desses trabalhadores, os direitos e benefícios atuais dos quais usufruímos foram conquistados. O dia 1º de maio entrou para a história com enormes greves trabalhistas que aconteceram nos Estados Unidos, em 1886

O primeiro dia de maio marca o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador, feriado nacional. Mas a data não é celebrada apenas no Brasil: o Dia do Trabalho também existe em países como Estados Unidos, México, Rússia, Índia, China e em países da Europa Ocidental e da América do Sul.

Mas, afinal, por que comemora-se o Dia do Trabalho em 1º de maio? Descubra, abaixo, a história do feriado e curiosidades sobre ele.

Por que 1º de maio é o Dia do Trabalho?
Esse dia foi escolhido para celebrar o Dia do Trabalho porque em 1º de maio de 1886, houve uma grande manifestação em grandes cidades dos Estados Unidos, como em Chicago. Trabalhadores pediam redução da carga horária máxima diária de trabalho.

Para se ter uma ideia, era comum que, naquela época, as pessoas trabalhassem 100 horas por semana, o equivalente a uma média de 16 horas por dia, em seis dias da semana! Depois das manifestações, a carga horária caiu para 8 horas diárias.

A luta por direitos trabalhistas dos americanos logo ganhou o mundo. Em 1890, os europeus também passaram a fazer manifestações e greves no dia 1º de maio.

Atualmente, o Dia do Trabalho é celebrado em mais de 80 países. Curiosamente, os Estados Unidos celebram o Dia do Trabalho na primeira segunda-feira de setembro. A mudança teria sido feita para que a data não fosse associada a movimentos socialistas - leia mais abaixo.

A greve que fez história em Chicago
Em 1886, trabalhadores se manifestaram em várias cidades dos Estados Unidos, entre elas Nova York, Detroit e Milwaukee. Mas a greve geral de Chicago foi a que mais marcou, devido à repressão e à violência policial.

Chicago viu sua população crescer muito rapidamente. Em 1850, a cidade tinha 30 mil habitantes. Em 1880, o número pulou para 500 mil. Chicago era o principal destino de muitos imigrantes, em especial os alemães, que traziam consigo ideais anarquistas e socialistas de liberdade e justiça social.

Não à toa, Chicago foi palco das maiores greves em 1º de maio. As manifestações duraram alguns dias. Em 4 de maio, cerca de 2.500 manifestantes ocuparam a praça Haymarket, onde fica a assembleia. O slogan bradado pela multidão era "eight-hour day with no cut in pay!" (em português, "oito horas por dia sem redução de salário").

Por volta das 8h30 daquele dia, o prefeito Carter Harrison Sr. foi ouvir os manifestantes e dialogar com eles - dois dias antes, dois grevistas haviam sido mortos pela polícia na porta de uma fábrica, e o prefeito queria resolver tudo o mais pacificamente possível.

Tudo correu bem. Duas horas mais tarde, às 10h30, a conversa terminou. O prefeito e a grande maioria dos grevistas foram embora. Sobraram apenas 200 manifestantes. Eles foram cercados por 170 policiais, que pediram que se retirassem. Diante da negativa, houve confronto.

A partir daí, foi uma confusão geral: uma bomba foi jogada na polícia e houve muita correria. Quatro trabalhadores e sete policiais morreram, e 130 pessoas ficaram feridas.

Nos dias seguintes à tragédia, que ficou conhecida como Massacre de Haymarket, a polícia ocupou vários sindicatos de Chicago, à procura dos manifestantes que estavam envolvidos no confronto. Mais de 100 trabalhadores foram presos, acusados de incitar violência policial.

Oito dos trabalhadores detidos foram processados pelo Estado. Dois deles foram condenados à prisão perpétua, e outro foi encontrado morto na cela. O manifestante Rudolph Schnaubelt, o principal acusado de ter atirado uma bomba contra a polícia, fugiu para a Europa antes de ser julgado.

Em novembro de 1887, quatro dos acusados foram enforcados: os sindicalistas Adolph Fischer, George Engel, Albert Parsons e August Spies.

Seis anos mais tarde, o governador John Altgeld concedeu perdão aos acusados que sobreviveram. Segundo ele, o julgamento tinha sido muito mal conduzido. Artistas da época, como os escritores Oscar Wilde e George Bernard Shaw, também criticaram o julgamento e as condenações.

A vida difícil das estátuas na praça Haymarket
O Massacre de Haymarket é lembrado com estátuas na praça de Chicado. Mas essas obras não tiveram uma vida nada fácil: várias delas foram derrubadas e reconstruídas ao longo dos anos.

O primeiro monumento foi inaugurado em 1889 e foi derrubado por manifestantes em 1927.

A estátua foi reconstruída mas, em 1956. Só que, em 4 de maio de 1968, durante um protesto contra a Guerra do Vietnã, ela foi novamente vandalizada (desta vez, foi pichada de preto). O monumento foi limpo, mas durou pouco: no ano seguinte, manifestantes destruíram a estátua com uma bomba.

Em 4 de maio de 1970, mais uma tentativa: a estátua foi reconstruída e reinaugurada. Durou menos ainda. Em outubro daquele ano, manifestantes derrubaram o monumento.

Em 1972, a prefeitura de Chicago desistiu. A estátua foi removida da praça Hatmarket e foi levada para o escritório central da polícia.

Em 2004, um novo monumento foi inaugurado na praça Haymarket - esse, sim, está lá até hoje. Trata-se de uma estátua marrom de 4,5 metros de altura. Ela retrata manifestantes subindo em uma carroça - em 1886, os grevistas subiram no veículo para falar sobre o direito dos trabalhadores.

Nem sempre é 1º de maio
Embora mais de 80 países celebrem o Dia Mundial do Trabalho em 1º de maio, alguns países decidiram celebrar o feriado em outras datas.

Os Estados Unidos, assim como o Canadá, celebram o Dia do Trabalhador na primeira segunda-feira de setembro. Dizem que a data foi alterada para que o Dia do Trabalhador não fosse ligado a ideais socialistas e anarquistas - aqueles que baseiam as greves em Chicago em 1886.

Na Austrália, o Dia do Trabalho varia de acordo com cada região - cada uma celebra em uma data que marcou a sua história em particular.

Já na Nova Zelândia, o Dia do Trabalho é celebrado na quarta segunda-feira de outubro. Por lá, o feriado lembra a luta dos trabalhadores locais, que haviam conseguido a jornada de oito horas diárias, antes do massacre em Chicago.

O Dia do Trabalho no Brasil
No Brasil, a importância do dia 1º de maio já era reconhecida em 1890, quando a República já estava instituída e a indústria brasileira começava a acelerar.

Nas duas primeiras décadas do século 20, movimentos trabalhistas organizados começaram a se formar, sobretudo em São Paulo e no Rio de Janeiro. Assim como em Chicago, esses movimentos tinham a influência dos imigrantes italianos, que, por virem da Europa, também tinham ideais de liberdade e justiça social.

Em 1917, São Paulo foi palco de uma das maiores greves gerais que aconteceram no Brasil. Os movimentos trabalhistas foram aumentando, e, em 1925, o presidente Arthur Bernardes declarou que 1º de maio seria Dia do Trabalhor, um feriado nacional.

Na época do Estado Novo, regime de Getúlio Vargas, o Dia do Trabalhador virou Dia do Trabalho - uma mudança aparentemente sutil, mas que teve muito significado. A data deixou de ser um dia de luta e era deliberadamente usada para eventos de autopromoção do governo, com festas para trabalhadores e muitos discursos demagógicos.

No dia 1º de maio de 1943, o governo anunciou a criação da Consolidação das Leis do Trabalho, a CLT.

O Dia do Trabalho é feriado ou ponto facultativo?
Essa dúvida sempre paira sobre os brasileiros. Afinal, o Dia do Trabalho é feriado mesmo? O comércio fecha? Ou o 1º de maio é ponto facultativo, quando cada empresa escolhe se vai liberar os funcionários ou não?

Pois bem: o 1º de maio é considerado Dia Mundial do Trabalho e é, sim, feriado nacional. Ele está no mesmo balaio de datas como a Independência do Brasil, o feriado de Tiradentes, a Proclamação da República e o Natal.

No Dia do Trabalho, portanto, os serviços públicos não funcionam. Isso inclui, por exemplo, agências bancárias e Correios. O rodízio de veículos também é suspenso.

Já mercados, lojas e shoppings podem funcionar, mas talvez tenham horário reduzido - tudo depende de cada estabelecimento e seus sindicatos.



Na última terça-feira (27) foi aprovada no plenário da Câmara Legislativa uma emenda aditiva do deputado Delmasso (Republicanos), à Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2021, sobre a isenção de IPVA de veículos elétricos. O objetivo da proposição é incentivar o uso de automóveis movidos à energia elétrica ou a hidrogênio, conferindo maior eficiência e menor consumo em comparação àqueles movidos à combustão



A finalidade da emenda aditiva aprovada foi acrescentar nova modalidade ao Anexo XI da LDO 2021, para conceder isenção em relação aos veículos automotores impulsionados a energia elétrica ou a hidrogênio. Também estão incluídos, os chamados "veículos híbridos", movidos com motores a combustão, motores elétricos ou a hidrogênio.

A emenda aditiva ao Projeto de Lei nº 1.864, de 2021, altera a Lei n° 6.664, de 3 de setembro de 2020, que dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício financeiro de 2021. Acrescentou-se ao Anexo XI, uma Projeção dos Benefícios Tributários para o IPVA de veículos elétricos.

Para o deputado Delmasso foi dado um passo importante para o incentivo à aquisição de carros elétricos. "Essa aprovação é muito significativa, e após a sanção do governador, abre-se caminho para a aprovação no nosso projeto de lei que isenta o IPVA para os carros elétricos".




Região administrativa é a quarta a receber o projeto



Nessa sexta-feira (30) foi inaugurado mais um Espaço da Juventude, agora no Centro de Ensino Fundamental Queima Lençol. A unidade recebeu dezesseis estações de trabalho completas (CPU, monitor, mouse e teclado) com acesso à internet para que os jovens da região possam fazer trabalhos escolares e cursos on-line, dentre outras atividades.


O Centro da Juventude da Fercal é o primeiro localizado em uma área rural | Fotos: Divulgação/Sejuv

A Secretaria de Juventude apresentou o projeto com os equipamentos para a Coordenação Regional de Ensino da Fercal, que por sua vez, se comprometeu a providenciar o espaço apropriado para a realização das atividades, garantindo a infraestrutura do local e o funcionamento dos aparelhos.

A entrega do espaço contou com a presença de Kedson Rocha, secretário de Juventude do Distrito Federal; Emilly Coelho, secretária Nacional da Juventude; Fernando da Silva, administrador da Fercal; Lindonor Maria, diretora do CEF Queima Lençol; Fábio Alves, vice-diretor do CEF Queima Lençol, além de funcionários da escola.

Feliz por mais uma entrega, o secretário de Juventude agradeceu a presença de todos que prestigiaram o evento e falou sobre a importância da entrega do espaço. "Hoje celebramos a inauguração do quarto Espaço da Juventude, sendo o primeiro em uma zona rural que vai beneficiar quase 700 jovens que estudam aqui hoje. E é com imensa alegria que a Sejuv faz essa entrega, porque esse projeto oportuniza acesso à tecnologia e promove dignidade aos nossos jovens", comemora. O chefe da pasta agradeceu, ainda, a parceria firmada com a equipe diretiva da escola.

O Centro da Juventude da CEF Queima Lençol recebeu 16 computadores nesta sexta (30)

Segundo Emilly Coelho, secretária Nacional da Juventude, a conectividade ainda é um problema para muitos jovens e por isso o Espaço da Juventude é muito importante. "Hoje no Brasil temos 47,2 milhões de jovens e a conectividade ainda é um problema de muitos, então toda vez que sou convidada para entregas como essa, fico extremamente feliz, porque essa é uma política pública que permite que os jovens sejam inseridos na 4° Revolução Industrial, e eu, na qualidade de secretária Nacional da Juventude, agradeço todo o empenho que a Sejuv tem dado na implementação desses espaços aqui no Distrito Federal", declarou.

Para a diretora Lindonor, essa parceria veio no momento certo. "Todos sabem das dificuldades que as escolas do campo enfrentam no dia a dia e ser beneficiado com esse projeto é uma conquista muito importante tanto para os alunos, como para a comunidade. Quero agradecer a Secretaria de Juventude e a Administração da Fercal pela iniciativa e disponibilidade em nos oportunizar essa conquista. Esse é o primeiro passo para atender a carência de acesso aos meios tecnológicos que ainda existem na zona rural", agradeceu.

Por fim, o administrador da RA, Fernando da Silva, elogiou a integração promovida pelo Governo do Distrito Federal. "Antes, a educação era uma preocupação apenas da Secretaria de Educação, e hoje temos esse exemplo da Sejuv trabalhando em conjunto com a administração local em benefício não somente da juventude, mas da comunidade como um todo", pontuou.



Contemplados no programa da Secretaria de Desenvolvimento Social devem verificar data e local de retirada dos cartões no site GDF Social



Foi aberta a consulta, nesta sexta-feira (30), para as pessoas que solicitaram o Cartão Prato Cheio verificarem se estão na lista de concessões da nova etapa do programa do Governo do Distrito Federal (GDF). O programa beneficia famílias em insegurança alimentar e nutricional. No total, 31.955 pessoas vão poder se informar pelo site GDF Social sobre a data e local de retirada do cartão, que será feita das 8h às 14h.

Para acompanhamento do saldo do cartão, que só pode ser utilizado na função débito e em estabelecimentos alimentícios, o BRB oferece o aplicativo BRB Social | Foto: Divulgação

"Estamos começando um novo ciclo de pagamento do cartão. Por três meses, essas famílias terão a certeza que o valor do benefício será creditado no seu cartão, podendo ir até o comércio da sua região e escolher os produtos alimentícios do seu gosto"Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

A entrega dos cartões, com crédito de R$ 250, está prevista para iniciar na próxima segunda-feira (3). O BRB utilizou o endereço informado pelo beneficiário na hora do cadastramento para programar a retirada do cartão em uma agência bancária mais próxima da residência. Outro critério utilizado pelo banco para facilitar a entrega considera a primeira letra do nome do beneficiário, seguindo ordem alfabética (confira o cronograma abaixo).

A secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, explica que o Cartão Prato Cheio é um auxílio emergencial de segurança alimentar e nutricional, não se caracterizando uma transferência de renda. "Estamos começando um novo ciclo de pagamento do cartão. Por três meses, essas famílias terão a certeza que o valor do benefício será creditado no seu cartão, podendo ir até o comércio da sua região e escolher os produtos alimentícios do seu gosto", explicou. Mayara Noronha Rocha ainda destaca que "o programa tem um papel importante para a economia do DF, uma vez que fortalece os pequenos e médios comerciantes das regiões administrativas".

Para acompanhamento do saldo do cartão, que só pode ser utilizado na função débito e em estabelecimentos alimentícios, o BRB oferece o aplicativo BRB Social. "O BRB segue, como banco público, atuando para fazer a diferença na vida das pessoas e colaborando com o desenvolvimento econômico e social do Distrito Federal", afirma o presidente do banco, Paulo Henrique Costa.

A secretária Mayara Noronha Rocha lembra  que as pessoas que receberam o benefício referente aos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, caso ainda se encontrem em situação de insegurança alimentar, podem agendar um novo atendimento nos centros de referência de assistência social. "É importante que as pessoas passem por um novo atendimento com os especialistas em assistência social para que eles possam entender a situação dessas famílias e orientá-las sobre os serviços, programas e outros benefícios socioassistenciais. Temos que lembrar que os auxílios de segurança alimentar são temporários, ou seja, não são pagos de forma contínua", destaca.

Com o Decreto nº 41.570, de 7 de dezembro de 2020, o Cartão Prato Cheio passou a ser pago por três meses consecutivos, respeitando os critérios de priorização

Prioridades
Com o Decreto nº 41.570, de 7 de dezembro de 2020, o Cartão Prato Cheio passou a ser pago por três meses consecutivos, respeitando os critérios de priorização. Os beneficiários devem ter renda familiar per capita igual ou inferior a meio salário mínimo; estar em situação de insegurança alimentar; residir no Distrito Federal; e ter a inscrição no Cadastro Único ou no Sistema Integrado de Desenvolvimento Social da Secretaria de Desenvolvimento Social. Com as novas diretrizes do programa, as famílias que receberão o auxílio de forma preferencial serão: as monoparentais chefiadas por mulheres com crianças de 0 a 6 anos; as famílias com crianças de 0 a 6 anos; as que possuem alguma pessoa com deficiência; as que têm um familiar idoso e o beneficiário em situação de rua, desde que esteja em acompanhamento regular pela equipe socioassistencial.

"Nesta pandemia, o GDF tem trabalhado de forma a garantir a segurança alimentar e nutricional para a população mais vulnerável. O início desse novo ciclo do Prato Cheio alcança novos beneficiários e, consequentemente, o acesso à alimentação", afirma a secretária de Desenvolvimento Social.

Como proceder
– O cidadão já pode consultar pelo site GDF Social o local e data de retirada do cartão de 31.955 novos beneficiários do Programa Prato Cheio;
– A agência para retirada do cartão foi selecionada de acordo com o endereço informado pelo beneficiário durante o atendimento na unidade socioassistencial;
– A entrega dos cartões nas agências bancárias do BRB ocorrerá das 8h às 14h, seguindo o seguinte cronograma:

Letra    Data
A – D    3/5
E – I     4/5
J – L     5/5
M – O   6/5
P – Z     7/5

– Para retirada do cartão, o beneficiário deve comparecer à agência portando documento de identificação com foto e CPF;
– O beneficiário poderá desbloquear seu cartão diretamente na agência bancária ou por meio da Central de Atendimento no telefone 3029-8440;
– O desbloqueio do cartão e acompanhamento do saldo poderá ser feito por meio do Aplicativo BRB Social;
– O valor do benefício é de R$ 250 por família, e pode ser utilizado apenas na função débito em estabelecimentos que comercializam produtos alimentícios.



O senador Vanderlan disse que está à disposição e todos vão unir forças para concluir obras do Hospital Regional de Águas Lindas de Goiás  


Foto: Leandro Arantes.

Em visita ao município de Águas Lindas de Goiás, no entorno do Distrito Federal, o senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), visitou a estrutura do Hospital Regional da cidade, em construção há mais de 15 anos. Vanderlan afirmou que a finalização da unidade de saúde é imprescindível e que vai buscar apoio junto à bancada federal para ajudar a finalizar a obra.

"Nossa bancada federal goiana é unida e forte e vou buscar ajuda para que possamos finalizar, o quanto antes, a obra desse hospital tão importante para a população do município e do entorno. Também vamos estudar com atenção a solicitação do prefeito, Dr. Lucas, para construção da Maternidade. Coloco-me à disposição do governador, Ronaldo Caiado, do secretário estadual de saúde e da Goinfra para traçarmos um planejamento com objetivo de resolvermos essa questão", disse o senador.

Com cerca de 250 mil habitantes, Águas Lindas de Goiás é o quinto município mais populoso do Estado de Goiás e, por duas vezes, viu empresas abandonarem as obras do hospital. "Isso é inadmissível. Já é a segunda empresa que abandona a obra do Hospital Regional de Águas Lindas e isso tem ocorrido em todo país. Uma das causas  é a alta abusiva dos preços do aço e de outras matérias-primas que chegaram a subir 140%. Estamos debatendo esse assunto na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, a qual sou vice-presidente", explicou.

Para o prefeito, Dr. Lucas de Santa Mônica, estreitar laços com a bancada federal é primordial para o desenvolvimento do município. "Somos um município populoso e tanto a conclusão do hospital como a construção da maternidade são as nossas demandas mais urgentes. Só conseguimos trazer desenvolvimento para o município através de recurso federal, por isso, sou muito grato pela disponibilidade do senador Vanderlan aqui com a gente", disse o prefeito.

Cartório - Durante a visita, Vanderlan anunciou a destinação de uma motoniveladora ao município e disse que vai analisar outras demandas. "Recebemos a informação que a cidade possui apenas um cartório para atender toda a população, por isso, os vereadores solicitam a instalação de mais duas unidades, cartório de notas e registro civil. Vamos buscar ajuda para resolver essa questão também. Gosto de fazer política dessa forma, conhecendo de perto as maiores necessidades de cada região", finalizou Vanderlan.



Sancionada pelo governador Ibaneis Rocha e publicada no Diário Oficial do Distrito Federal- DODF, nesta sexta-feira (30) a Lei nº 6.840/20, proposta pelo deputado Martins Machado (Republicanos), que possibilita a expedição de medidas protetivas por meio da Delegacia Eletrônica, enquanto durar o isolamento social causado pela pandemia de Covid-19

Fotos: Renato Alves.

De acordo com a proposição apresentada, às mulheres, crianças, idosos e pessoas com deficiência poderão registrar Boletim de Ocorrência e solicitar medidas protetivas de urgência pelo site da delegacia. Audiências relativas às denúncias também serão realizadas, preferencialmente, por canais virtuais ou telefônicos.

O parlamentar afirmou que há uma necessidade de melhorar a acessibilidade do processo durante a quarentena. "Infelizmente, o isolamento social em virtude da Covid-19 trouxe dificuldades para todas as pessoas. Mas, há grupos que têm sentido a violência no ambiente doméstico e familiar, causando fortemente um efeito negativo tanto no físico e mental provocando vários danos. Nosso objetivo com a lei é facilitar a forma de denunciar essa covardia", declarou Martins Machado.



O  Complexo Hospitalar Centro-Sul deixa de ser um sonho do deputado distrital Delmasso (Republicanos), morador do Guará, e passa a ser oficialmente absorvido pelo Governo do Distrito Federal.  A Secretaria de Projetos Especiais (Sempe) publicou hoje (30) no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) o edital de chamamento público para que empresas manifestem interesse em realizar estudos para a implantação e gestão do Complexo Hospitalar da Região de Saúde Centro-Sul




O deputado Delmasso (Republicanos) solicitou em (17/03/2021) a inclusão do edital de chamamento público, na pauta da reunião do Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público-Privadas (PPP), da construção do Complexo Hospitalar da Região de Saúde Centro-Sul, o novo hospital do Guará. "Pedi à Secretaria de Projetos Especiais do Distrito Federal para que o assunto seja debatido, pois o projeto arquitetônico já está praticamente concluído, faltando detalhes do projeto executivo", observou.
 
A proposta de construção, aparelhamento, gestão e operação dos serviços médico-hospitalares da unidade foi apresentada pela Secretaria de Saúde do DF para reduzir o déficit no atendimento hospitalar da rede pública e promover acesso ao atendimento para os moradores do Guará I e II, Park Way, SCIA/Estrutural, SIA, Candangolândia, Núcleo Bandeirante e Riacho Fundo I e II.

Para iniciar o projeto, Delmasso destinou ainda em 2019, no orçamento de 2020, o valor de R$ 1,5 milhão em emendas parlamentares que foram alocados para os projetos arquitetônicos e complementares do hospital, que envolvem a parte elétrica, hidráulica, segurança hospitalar, entre outros serviços. "O novo hospital do Guará será um marco não só para a cidade, mas para o DF, com uma arquitetura arrojada e moderna seguindo os parâmetros utilizados em grandes redes hospitalares, como a Rede Sarah, em Brasília", garante o deputado padrinho da iniciativa.
 
"A construção do Hospital Centro Sul vai beneficiar uma população de mais de 370 mil pessoas, que hoje é atendida apenas pelo Hospital Regional do Guará. Isso também vai ajudar todo o Distrito Federal.", analisou o Secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

 O Complexo Hospitalar deverá ocupar uma área de 70 mil metros quadrados no Guará e vai ampliar a oferta de especialidades médicas, serviços de diagnóstico e terapia. Disponibilizar leitos de terapia intensiva adulto e pediátricos.

 "Vamos ampliar a oferta de leitos para internação e incluir especialidades médicas que atualmente são apenas ofertadas em outros hospitais de maior porte", salientou Okumoto.

A unidade, de acordo com estudos preliminares do GDF, deverá ser composta por um bloco hospitalar e um bloco ambulatorial (Policlínica, Centro de Apoio Diagnóstico, Central de Exames e Central de Laudos de Radiologia. A expectativa é de que sejam criados  cerca de 400 leitos de internação, UTI adulto, diálise, pronto socorro e neonatologia.

Parceria Público-Privada
Nessa primeira fase do projeto, que é o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), as empresas interessadas devem apresentar, até o dia 1º de junho, a documentação necessária para serem autorizadas a desenvolver os estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica.

A estruturação da proposta fica a cargo da Secretaria de Projetos Especiais que, em parceria com a Secretaria de Saúde, vai viabilizar a concepção do projeto.

 "A área de saúde é muito sensível, e o governador Ibaneis Rocha tem buscado todas as alternativas para viabilizar essa área. Por isso, uma Parceria Público-Privada, vai ser primordial para que esse projeto possa ser realizado. Estamos priorizando essa PPP, mas é claro, sem deixar de seguir com as outras parcerias em andamento pela secretaria", comentou o Secretário de Projetos Especiais, Roberto Andrade.

As empresas terão quatro meses para desenvolver os estudos, que serão apresentados em consulta e audiências públicas. Quem fará a licitação do Complexo Hospitalar será a Secretaria de Saúde.

Documentação
Os interessados poderão entregar os requerimentos de autorização para realização dos estudos até o dia 1º de junho de 2021, das 08h às 18h, no endereço: Praça do Buriti, Zona Cívico-Administrativa, Palácio do Buriti, sala P50, Gabinete da Secretaria de Estado de Projetos Especiais, Brasília, mediante protocolo.

Também poderão ser enviadas para protocolo.casacivil@buriti.df.gov.br, com cópia para sepe.gab@buriti.df.gov.br, sem limitação de horário.



Para consultar os documentos necessários e o edital do Procedimento de Manifestação de Interesse é só entrar no site da Sepe.

 

No decorrer da nossa vida, adquirimos amigos, memórias, laços e bens. Este último, muito visado, pode ser difícil de adquirir, de manter, e de suceder. Os bens são patrimônios e outros pertences que conquistamos herdando ou trabalhando. Podem ser imóveis, automóveis, ações, jóias e outros pertences pessoais. Na família, geralmente, quando se há um patriarca, os bens são compartilhados, principalmente quando este falta.

Entretanto, aqui no Brasil, somos cercados de muitas burocracias jurídicas, que, principalmente em casos de luto, podem ser difíceis de lidar, se deixadas para última hora. Uma delas, é com relação a partilha de todo este patrimônio conquistado.

Este planejamento sucessório, é capaz evitar muitos problemas futuros e custos desnecessários. Um dos mecanismos sucessórios válido é a chamada Holding Familiar.

Segundo o advogado Bruno Faigle, “A Holding Familiar é um dos meios mais eficazes de planejamento sucessório”.

“Na Holding Familiar, todo o patrimônio conquistado ao longo dos anos pela família passa a ser propriedade de uma pessoa jurídica, cujos membros da família serão os sócios”, explica o advogado.

Esta nova Pessoa Jurídica, por deter, centralizar e agrupar, facilita todo o processo de divisão do espólio. Em linhas gerais, a herança é dividida em vida.

Fazer uma Holding Familiar, mesmo com muitos outros benefícios, pode ser um ótimo meio de se preparar para a eventualidade que persegue a todos.

Essa nova sociedade permite organizar de forma antecipada e cuidadosa a transferência de patrimônio, de modo que fique planejado, desde muito antes, como os herdeiros se beneficiarão dos bens da família.

“Tendo a oportunidade de delimitar a ordenação de herdeiros, bem como quem ficará com o quê, o patriarca e toda a sua família têm a segurança de que o patrimônio familiar estará, acima de tudo, disposto da maneira que idealizou”, afirma o advogado. E continua, “a Holding Familiar inclusive facilita na gestão dos bens, pois tudo é gerido por uma corporação”.

Bruno Faigle

Senior Lawyer – Lima & Vilani Advogados Associados

 

É início do ano outra vez. As metas começam a ser cumpridas e as promessas são colocadas em ação. Muito comum no final do ano anterior as pessoas fazerem planos para o seguinte que se iniciará. Ler mais, trabalhar menos, escrever artigos, fazer faculdade, começar a fazer exercícios físicos e, a mais conhecida, entrar na dieta.

O ano que pegou todos de surpresa passou. Pandemia, máscaras, álcool gel, ficar em casa… Tudo isso foi inesperado por todos. Em decorrência do isolamento social, algumas pessoas começaram a adotar novos modos de comportamento, como comer mais, ser mais sedentário… O que pode gerar problemas de saúde como diabetes e hipertensão.

Visando levar uma vida mais saudável, algumas pessoas adotaram, então, dietas para ajudar no emagrecimento. Entretanto, algumas dietas, mesmo que indicadas por nutricionistas, podem gerar mau hálito nas pessoas, em decorrência dos alimentos que são continuamente consumidos e também dos que não são.

Nas dietas que o consumo de carboidratos é pequeno ou quase nulo, o corpo começa a utilizar como fonte de energia a gordura já armazenada e não a glicose, que é a quebra preferida do organismo. Segundo a Presidente da Associação Brasileira de Halitose, Dra. Cláudia Gobor, “Emagrecendo desse modo, o organismo entra no processo conhecido como cetose. Nele, o corpo converte a gordura em três tipos de cetose, incluindo a acetona, que confere à boca o mau hálito”.

Mesmo com essa alteração no hálito, a especialista em halitose afirma: “A dieta com menos carboidratos além de beneficiar o corpo como um todo, apesar do meu hálito, também ajuda na saúde bucal, já que não se consome açúcares e evita cáries”.

Para evitar o mau hálito nas dietas, a Dra. Cláudia Gobor recomenda:

  • Mascar chicletes sem açúcar para ajudar na salivação;
  • Manter uma boa higiene bucal;
  • Adicionar ervas frescas à água e ao chá.

Mesmo com dificuldade, é importante sempre tentar manter um estilo de vida saudável. A Dra. ainda reforça que “Para lidar com o mau hálito excessivo que aparentemente não tem causa, procure um dentista especialista em halitose para fazer o devido tratamento.”

Cláudia Christianne Gobor

Cirurgiã Dentista especialista pelo MEC no tratamento da Halitose

Presidente da Associação Brasileira de Halitose

https://www.bomhalitocuritiba.com.br/

Rua da Paz, n° 195, Sala 102, Mab Centro Médico, Centro/ Alto da XV, Curitiba- PR

(41) 3022-3131

Whatsapp: (41) 99977-7087

Instagram: @Claudiacgobor

Facebook: @ClaudiaCGobor

Youtube: Claudia Gobor

 Atingindo cerca de 50% das mulheres entre 30 e 50, segundo o Hospital Samaritano de São Paulo, o mioma uterino é um tumor que se aloja na parte muscular do útero. Com mais de 2 milhões de casos por ano no Brasil, o mioma uterino pode ter graves consequências em alguns casos, como infertilidade, parto prematuro e até mesmo aborto.

Mesmo que às vezes esse tipo de tumor seja assintomático, ele pode também manifestar dores abdominais e lombares, ciclos menstruais intensos e cólicas muito fortes. O crescimento desses tumores pode variar de paciente para paciente. Em algumas mulheres, o mioma pode se desenvolver de forma lenta, em outras rapidamente, ao mesmo passo que pode permanecer do mesmo tamanho por alguns anos. 

Apesar de ser muito comum, a maioria das pessoas desconhece a causa do mioma uterino. |Segundo as 5 Leis Biológicas, teoria fundamentada pelo médico alemão Ryke Geerd Hamer, os miomas uterinos estão intrinsecamente ligados com mulheres que não podem engravidar, ou que, por alguma razão, querem gerar um filho mas não podem. A terapeuta Bianca Drabovski explica que “Esses tumores surgem, em sua maioria, em mulheres que estão passando por algum problema relacionado à impotência de ter filhos. É como se o corpo tentasse de alguma forma preencher o espaço que não está sendo preenchido por um bebê”. 

Esse conflito biológico, definido pelo Dr. Hamer, é muito frequente porque, geralmente, em algum momento da vida as mulheres podem desejar um filho, mas por algum motivo isto não se torna realidade. Cada caso é diferente, e a história da mulher deve ser considerada em cada situação. “Esse conflito pode acontecer por exemplo quando o parceiro não deseja ter um bebê ou, até mesmo, quando esta não tem um parceiro”, afirma Bianca. 

Os miomas uterinos podem ser tratados com cirurgias para retirada dos tumores, mas é sempre importante investigar a causa, bem como ressignificar com terapias para evitar a reincidência.

Segundo Bianca, “Para tratar da paciente que desenvolve esse tipo de tumor, é importante tratar da origem. Lidar com os conflitos que a fazem sentir impotente perante ter um filho, nesse caso. No tratamento, podem ser utilizadas diversas ferramentas que ajudem a paciente a acessar a sua consciência, de modo a trazer clareza e trabalhar as suas emoções e crenças limitantes”. Dentre as terapias sugeridas, estão as da Barras de Access, a Reprogramação Biológica e a Reprogramação Biomuscular.

Serviço: Bianca Drabovski Chemin

Co-criadora da Descompressão Tecidual Global, Facilitadora de Consciência e Terapeuta em Saúde Integrativa.

41.98896.1704

@bianca.consciencia

@bianca.consciencia

https://www.youtube.com/channel/UCQOsEgQOpzdoCLuqPhXzCog

contato@biancaconsciencia.com.br

www.biancaconsciencia.com.br

Rua Boanerges de Menezes Caldas, 264, Boa Vista, Curitiba -PR.


 

Ainda sofrendo as consequências em decorrência da pandemia do coronavírus, muitas empresas acabam tendo que fazer um planejamento geral para poder continuar gerando lucro. Não só problemas relacionados ao vírus, entretanto, com quase um ano de hiato, as corporações tiveram que lidar com várias situações de uma vez só.

Uma delas, se refere à comunicação interpessoal. Com o nosso mundo globalizado, esse é o século em que as gerações mais sofreram diferenças. Uma pessoa de 40 anos, atualmente, tem muita dificuldade em se relacionar com uma de 18, por exemplo. Houve um crescimento gigantesco quanto às tecnologias que colocou um marco entre um período de tempo e outro.

Segundo Paulo Dalla Stella, coach profissional, “dentro de um ambiente organizacional, pessoas da geração “Baby Boomer” nascidos entre os anos de 1946 e 1964 convivem ainda atualmente com membros da geração Z, formada de jovens nascidos entre 1995 e 2010. Por conta das mudanças comportamentais destes jovens causada em conexão com mudanças radicais e exponenciais em tecnologia nas últimas décadas, o convívio entre estas diferentes gerações marcadas principalmente pelas diferenças em expectativas e percepção do mundo como um todo, vem causando conflitos dentro das empresas que, se não atendidos, poderão ao fim afetar o lucro dessas corporações”.

Para lidar com essas relações mal definidas, é importante colocar em pauta algumas habilidades de convívio. O Soft Skills é um termo que  pode ser traduzido como “habilidades sociais” e representa aquele conjunto de habilidades específicas em relacionamentos com outras pessoas que garantem um ambiente de trabalho e ou de interação social leve, marcado por cooperação entre seus membros e livre de discórdia e competição desnecessária.

Podendo também ser definido como habilidades inter-relacionais, colocar em prática os Soft Skills envolve um alto grau de inteligência emocional. Através de conhecimento de si próprio e empatia com terceiros, com ele é possível garantir sucesso nas relações interpessoais. “Uma boa interação entre os colaboradores de uma empresa, independente da idade, reflete em bons resultados para a marca”, explica o especialista.

As diferenças de comportamento de diferentes gerações dentro de uma empresa não surgem lá. Esses modos de ação entre um e outro grupo de determinada idade ocorrem no dia a dia em diversas situações. Mesmo dentro de casa, pais e filhos têm uma grande defasagem no que se refere à uma comunicação assertiva. “Levar isso para o ambiente de trabalho pode não só gerar problemas pessoais entre um e outro colaborador, mas também gerar prejuízos à própria empresa”, ressalta Paulo. 

O treinamento de soft skills empregado às empresas visa ajudar tanto membros de gerações mais antigas quanto o de gerações novas. Com essa mentoria, ambos aprendem a conviver uns com os outros, a nivelar expectativas de desempenho dentro das empresas e a garantindo assim o bem estar geral, já que propicia situações positivas e lucro para as empresas.

Um problema de comunicação organizacional pode ser um problema grave em uma corporação. “Colocar em pauta o bem estar dos empregados, para a empresa, é priorizar a produtividade. Com profissionais que se relacionam bem, tempo é poupado e, com isso, dinheiro também”, finaliza.

Paulo Dalla Stella
Stellar Consultoria ltda.
Fone / Whats: (41) 99748-7247
Email: 
pdallastella@hotmail.com
Facebook: Paulo dalla stella
Instagram: 
@paulodallastela
Likedin: Paulo Dalla Stella
Site: 
http://www.paulodallastella.com.br



O prazo de inscrições para os cursos gratuitos de qualificação profissional do Senac-DF termina nesta sexta-feira (30). O 10º edital do Programa Senac de Gratuidade (PSG) disponibilizou 4.400 vagas em 79 cursos técnicos e de formação inicial e continuada nas áreas de Beleza, Saúde, Gestão e Negócios, Gastronomia, Informática, Turismo e Lazer, Moda e Comunicação


Fotos: Silvia Melo

Desse total, até a manhã desta quinta-feira, ainda restavam pouco mais de 1,3 mil vagas para cadastro reserva em alguns cursos de formação inicial e continuada. As vagas dos cursos técnicos foram todas preenchidas. A inscrição deve ser feita no site df.senac.br/psg/#/consulta-de-vagas, onde também está disponível o edital. Cada candidato poderá se matricular em até dois cursos, desde que sejam realizados em turnos diferentes.

As turmas ofertadas serão desenvolvidas na modalidade presencial nas unidades de Taguatinga, Gama, Ceilândia, Setor Comercial Sul (TTH e Jessé Freire), 903 Sul, Sobradinho e Ações Móveis (entidades parceiras). Porém, enquanto o Senac-DF constatar que há a necessidade de adoção de medidas necessárias para conter a pandemia do novo coronavírus, as atividades educacionais serão desenvolvidas com apoio de recursos tecnológicos (atendimento remoto), e/ou com atividades flexíveis entre presencial e remoto conforme protocolos internos.

Para participar dos cursos do Programa Senac de Gratuidade é necessário possuir renda familiar per capita de até dois salários-mínimos; ter idade igual ou superior à idade mínima exigida para acesso ao curso; ter a escolaridade exigida para o curso escolhido; e não ter evadido ou desistido de outro curso PSG, com prazo igual ou inferior a um ano da data de evasão ou desistência.

A classificação dos inscritos obedecerá aos seguintes critérios: atendimento aos requisitos de acesso, ordem de inscrição e quantidade de vagas ofertadas no curso escolhido. O resultado da classificação será divulgado no dia 14 de maio no site do Senac-DF (df.senac.br/psg/#/consulta-de-vagas). As aulas terão início nos meses de junho e julho.

Alguns dos cursos livres (formação inicial, aperfeiçoamento ou atualização) que ainda possuem vagas disponíveis ou cadastro reserva são: Açougueiro, Administração em Serviços Hospitalares, Administrador de Banco de Dados, Análise em Faturamento de Serviço de Saúde, Assistente de Pessoal, Assistente de Secretaria Escolar, Assistente de Logística, Assistente de Secretaria, Agente de Alimentação Escolar, Atualização no Tratamento de Feridas e Curativos, Barbeiro, Bares e Restaurantes: Gestão Operacional, Boas Práticas para Serviços de Alimentação, Branding e Marketing de Moda, Cabeleireiro, Camareira(o), Confeiteiro, Congelamento de Alimentos, Consultoria de Estilo – Personal Stylist, Consultoria de Imagem, Costureiro, Depilação Masculina, Design de Sobrancelhas, E-Commerce: Vendendo no Comércio Eletrônico, Especialização Técnica em Oncologia, Faturamento em Serviços de Saúde, Front-End: HTML, CSS, Bootstrap, JL e JQuery, Garçom, Garde Manger, Gestão de Condomínio, Maquiador, Modelista, Operador de Computador, Organizador de Eventos, Padeiro, Pizzaiolo, Recepção em Serviços de Saúde, Técnicas Básicas para Cozinheiro, Técnicas de Petiscos e Comida de Boteco, Vendedor e Vitrinismo e Visual Merchandising para Varejo de Moda.



Sabemos que a educação moderna e de qualidade muda efetivamente os destinos de um povo. Entretanto, o jornal O Estado de São Paulo publicou no dia 27/4/2021, nar coluna Estado/Educação,  que o governo de São Paulo estima que levará  11 anos para recuperar a aprendizagem perdida em Matemática durante a Pandemia da Covid 19 nos anos iniciais do Ensino Fundamental



Por Walter Brito*        

Vale lembrar que durante toda pandemia o deputado Castello Branco (PSL-SP) subiu à tribuna por diversas vezes para alertar o governo de São Paulo sobre os cuidados com o ensino nas escolas, os cancelamentos mal planejados de aulas, pois correríamos o risco de a atual geração passar para a história como Geração Perdida. Neste sentido perdemos uma janela de aprendizado -  única em neurociência educacional, o que chamamos de período de ouro das sinapses cerebrais, ou seja: 80% delas ocorrem entre o nascimento e os 16 anos no máximo. E mais, de 0 aos 10 anos é de fato  o melhor período da relação ensino - aprendizagem. Dificilmente se recupera o conteúdo perdido nesta faixa etária.            

Recentemente, o deputado Castello Branco protocolou na ALESP o Projeto nº 227, de 2021,  que propõe inovar a educação do Estado de São Paulo imediatamente por meio da Educação 5.0, o que poderá servir de modelo para todo o país, além  de avançar 20 anos em apenas cinco anos de trabalho.  

Trata-se da evolução do termo anterior, a Educação 4.0, baseada em 4 pilares, agora baseada em 5 pilares, a saber:
  1. Modelo Sistêmico de Educação: avaliar o contexto atual e estabelecer estratégias para construir um plano de inovação  efetivo.
  2. Mudança no Senso Comum:  Utilizar referenciais que abordam a educação do ponto de vista científico e tecnológico.
  3. Engenharia e Gestão do Conhecimento: analisar as competências e habilidades dos alunos, compreender como se dá o desenvolvimento humano através da produção e do conhecimento tácito e conhecimento explícito e construir linguagens digitais que se harmonizem com as características da cultura.
  4. Cibercultura: preparar o ambiente de aprendizagem, seja presencial, remoto ou mesclado, mas que ofereça um novo modelo de educação, moderno e de interação com as mídias digitais.
O conceito 5.0 surgiu no Japão em 2016 e seu principal objetivo é  utilizar o valor criativo e tecnológico humano para melhorar a vida das pessoas, também  conhecido como Cultura Maker: " qualquer pessoa com as ferramentas certas e dotadas do devido conhecimento   poderá criar  suas próprias soluções" .   É  aí  que o aluno se inspira e ao mesmo tempo se capacita para entrar no concorrido e hoje exigente mercado do empreendedorismo.                                

*Walter Brito é jornalista e coordenador de comunicação do Fórum Nacional para Educação 5.0.


A castrense Aline Sleutjes, uma das parlamentares mais respeitadas em Brasília, presidente da Comissão de Agricultura e vice-líder do governo no Congresso Nacional, continua seu trabalho árduo pelo desenvolvimento do estado do Paraná, pelo Agro e pelo Brasil



Castro
O município de Castro, sua cidade natal, a Câmara Municipal referendou, por meio do termo de colaboração, a emenda parlamentar da deputada federal Aline Sleutjes para o Asilo São Vicente de Paulo no valor de R$ 100 mil reais. Ao todo, mais de R$ 17 milhões já foram indicados para Castro pela deputada Aline.

O recurso será utilizado para custear as despesas da instituição. A emenda é de autoria individual da parlamentar via Fundo de Assistência Social, para o SSVP – São Vicente de Paulo (Serviço de Acolhimento Institucional para Idosos São Vicente de Paulo).

A parlamentar registrou sua felicidade em poder destinar recursos para esse importante local de acolhimento aos idosos. "Esse termo de colaboração veio em boa hora, pois o asilo passa por sérias dificuldades financeiras nesta época de pandemia, onde a cada dia, os gastos aumentam e as arrecadações diminuem. Os custos subiram muito, principalmente de itens como máscaras, luvas e álcool em gel, fraldas, alimentos. Por isso, estamos aqui sempre para ajudar no que for possível", contou.

Arapoti
Já para Arapoti, a Associação de Pais e Amigos Excepcionais (APAE) recebeu R$ 200 mil reais em emenda de autoria da parlamentar. "O meu mandato tem o compromisso de promover a garantia dos direitos das pessoas com deficiência. Fui professora da Apae, conheço a realidade e as necessidades da instituição. Este apoio financeiro por meio de emenda, faz com que as instituições possam continuar realizando um atendimento de excelência para quem tanto precisa", destacou a parlamentar.

Piraí do Sul
Na última quinta-feira, 22 de abril, o município de Piraí do Sul recebeu a emenda parlamentar de R$ 500.000,00 de autoria da deputada para pavimentação asfáltica no município. O dinheiro já está na conta da prefeitura para a realização do novo asfalto.

O recurso será para o recapeamento asfáltico da Avenida Nossa Senhora das Brotas e adequação ao projeto, compreendendo o trecho entre a Praça Pedro Lupion e a faixa de domínio da Rodovia PR-151. "Nossa missão em Brasília é trazer o máximo de recursos necessários para os municípios paranaenses. Contem com o meu trabalho", ressaltou Aline.

Educação
O PL 5595/2020 que torna a educação serviço essencial durante a pandemia, aprovado na Câmara dos Deputados e que agora será discutido e votado no Senado Federal, foi o tema da reunião entre a parlamentar paranaense Aline Sleutjes, que é co-autora do projeto, as autoras, deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF) e deputada Adriana Ventura (Novo-SP), o Senador Marcos do Val (Podemos-ES), que será o relator da matéria no Senado e o ministro da Educação Milton Ribeiro nesta terça-feira, 27 de abril, no Ministério da Educação.

O projeto torna a educação básica e superior serviços essenciais, aqueles que não podem ser interrompidos durante a pandemia, exceto se houver critérios técnicos e científicos justificados pelo Poder Executivo quanto às condições sanitárias do estado ou município.

"Viemos pedir apoio ao Ministério da Educação, bem como solicitar sua ajuda na agilização junto ao ministério da Saúde para a priorização da vacinação a equipe educacional. Já obtivemos vitória na Câmara e agora o projeto está no Senado com o nosso colega Senador Marcos do Val na relatoria. Não podemos mais aceitar as nossas escolas fechadas. Lugar de criança é na escola", destacou Aline Sleutjes.



O Ministro da Educação Milton Ribeiro destacou o trabalho das deputadas em apresentarem esta matéria na Câmara. "Agradeço o empenho desses parlamentares que tiveram na Câmara muito trabalho para reconhecer que a educação fosse considerada atividade essencial. Isso pra mim é uma vitória muito grande. Agradeço as parlamentares Aline Sleutjes, Adriana Ventura e Paula Belmonte pelo grande feito, a educação agradece", comemorou o Ministro.

"Em outubro de 2020, encaminhou para a Casa Civil um pedido de vacinação para os profissionais da educação. Agora, estive com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga e renovei o meu pedido. Quero dizer a você professor, que o Ministério da Educação encaminhou para todas as escolas municipais e estaduais do país mais de R$ 444 milhões de reais somente para a compra de insumos de proteção contra a Covid, como álcool gel para a volta das aulas. Nós acreditamos que a educação é a força que pode mudar o nosso futuro!", comentou a deputada.

Nesta quarta, 28, os parlamentares irão até o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pedir apoio ao projeto bem como reforçar a solicitação de priorização de vacinação aos profissionais da educação.



 O deputado conclamou a toda a sociedade para que "onde for instalada uma casa de passagem, que seja abraçada"  


Foto: Carlos Gandra/CLDF.

Durante a sessão remota desta quarta-feira (28), o deputado Delmasso (Republicanos) recorreu a uma palavra pouco conhecida para apresentar reflexão sobre as casas de passagem. O distrital argumentou que muitas pessoas têm "aporofobia" – aversão ao pobre – mas não reconhecem, e que isso é um desafio para a instalação de unidades de acolhimento para pessoas em situação de rua e de abandono no Distrito Federal.

"Temos visto essa prática por algumas pessoas que se utilizam de interesses que não atendem aos princípios constitucionais, se movimentando contra as casas de passagem", disse Delmasso. "Ninguém vai dizer que um morador de rua não deve ter uma condição social digna, mas muitos dizem: 'longe de mim, longe da minha casa'", continuou.

"A implantação das unidades de acolhimento faz parte de uma política de atendimento ao princípio do resgate da dignidade humana. A implantação é, sim, um ato humanitário", defendeu o distrital. E concluiu: "Clamo a toda a sociedade: onde for instalada uma casa de passagem, que seja abraçada".

A fala de Delmasso foi elogiada pelo deputado Fábio Felix (PSOL), que já havia tratado do assunto na sessão de ontem. "Do lugar de seus privilégios, muitas pessoas não querem as unidades de acolhimento. Mas não adianta reclamar da crise social por que passamos e não ajudar o Estado a estruturar essa política", defendeu.

Arlete Sampaio (PT) concordou com os colegas: "A sociedade precisa ter solidariedade, fraternidade e não esse ódio". A parlamentar também argumentou que a "aporofobia" pode ser percebida no próprio governo, "ao derrubar barracos sem oferecer nenhuma alternativa".



Ultracongelador vai armazenar na Rede de Frio e servidores da imunização foram treinados para lidar com novo imunizante  


Fotos: Brteno Esack.

A Rede de Frio Central do Distrito Federal está preparada para receber as vacinas da farmacêutica norte-americana Pfizer, produzida em parceria com o laboratório alemão BioNTech. A previsão é que a primeira remessa desse imunizante chegue na capital federal no início de maio. As vacinas precisam ser armazenadas a temperaturas entre -65°C e -80°C, conforme orientação do fabricante.

A Secretaria de Saúde promoveu um treinamento com os responsáveis técnicos das salas de vacina e núcleos de redes de frio regionais. A capacitação tem por objetivo preparar os servidores para o correto manuseio das vacinas e aprimorar as condições de armazenamento, apresentação, preparo e via de administração da vacina, e eventos adversos.

Segundo a chefe do Núcleo da Rede de Frio, Tereza Luiza, "a expectativa da pasta é ampliar os grupos prioritários e conseguir avançar na vacinação, reduzindo assim a hospitalização e os óbitos".

O frasco da Vacina Pfizer/BioNTech contém seis doses. O intervalo entre a primeira e a segunda dose é de 21 dias. De acordo com estudos realizados sobre o imunizante, a vacina garante 85% de eficácia já na primeira dose. No entanto, é necessário completar o esquema vacinal com duas doses.

Armazenamento
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), analisou as exigências de armazenamento da vacina e flexibilizou as temperaturas utilizadas para conservação em baixas temperaturas. O órgão garante que o armazenamento a uma temperatura entre -15°C e -30°C, por um período de até duas semanas, e de -2°C e -8°C por até 5 dias, a vacina não perde a eficácia dos componentes.

Após o prazo de duas semanas as vacinas devem voltar a temperatura recomendada pelo fabricante, entre -65°C e -80°C. O ultracongelador da Rede de Frio Central tem capacidade de 570 litros, e consegue armazenar até 40 mil doses de imunizantes. O aparelho consegue atingir a temperatura de -80°C.

Já nas salas de vacina, as doses ficarão armazenadas entre -2°C e -8°C, que é a capacidade das câmaras frias desses locais.

A Secretaria de Saúde espera ampliar o público-alvo da campanha de vacinação contra a Covid-19 com a chegada dessas doses e ressalta que, no Distrito Federal, não houve interrupção da aplicação de doses como ocorre em alguns estados. O Comitê Estratégico de Vacinação fez todo um planejamento para que não houvesse falta de vacinas para nenhum grupo iniciado com a primeira dose e, até mesmo, para quem precisa completar o esquema vacinal.

Por ADRIANA SILVA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF



Ao todo, a Secretaria de Saúde vai pagar mais de R$ 7,6 milhões pelos serviços extras prestados no mês de fevereiro



Na noite desta quarta-feira (28), a Secretaria de Saúde fará o pagamento aos 4.830 servidores que fizeram o Trabalho por Período Definido (TPD) no mês de fevereiro. De acordo com a subsecretaria de Gestão de Pessoas (Sugep), o valor encaminhado para crédito em conta bancária é de R$7.666.878,05.

A subsecretária da Sugep, Silene Almeida, destaca que o pagamento desse trabalho extra vem sendo feito dentro do prazo previsto em legislação, que é de até 60 dias após as horas extras trabalhadas. Para a gestora, pagar o servidor em dia é um compromisso desta gestão com os profissionais que diariamente dedicam seu tempo para salvar vidas.

"Cumprimos o prazo rigorosamente em dia, conforme determinação do governador Ibaneis Rocha e do secretário Osnei Okumoto", afirma Silene que lembra que esse prazo nem sempre foi seguido. "Na gestão passada, os servidores demoravam até 150 dias para receberem o que a lei manda pagar em 60 dias", observa.

O que é o TPD?

O Trabalho por Período Definido é um recurso utilizado pela Secretaria de Saúde para suprir eventuais déficits de servidores e garantir a assistência ao cidadão. Dessa forma, os profissionais do quadro disponibilizam-se para fazer escalas em dias ou horários fora do seu plantão, seja para substituir a falta de outro servidor, seja para reforçar as equipes diante de alguma necessidade.

No início do governo, havia atraso no depósito dos valores de horas extras realizadas até junho de 2018 e, após essa data, transformadas em TPD. A atual gestão conseguiu regularizar os pagamentos e tem depositado em dia os recursos referentes a este ano e a 2020.

"A melhor forma de reconhecer e valorizar o maior patrimônio da Secretaria, que são os seus servidores, é fazer o pagamento como determina a lei, ou seja, dentro do prazo previsto", finaliza Silene Almeida.

Por  JOHNNY BRAGA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF.



Nesta quinta (29), haverá uma Audiência Pública para debater sobre a Ocupação do Solo no Comércio do SIA, através do aplicativo Zoom. A iniciativa é do Deputado Delmasso, vice-presidente da Câmara Legislativa, que é autor do Projeto de Lei Complementar 67/2020. O objetivo é ouvir as principais dificuldades dos empresários e de toda a população da Poligonal do SIA

O deputado Delmasso afirmou que a proposta apresentada é fruto de anos de estudos e pesquisas sobre o assunto, os quais abordaram a situação atual da ocupação das áreas públicas dos comércios locais. "Estamos fazendo essa audiência para ouvir os empresários. O objetivo é ordenar definitivamente o espaço público, uma vez que atualmente não existem parâmetros a serem seguidos pelos comerciantes", disse.

A Administradora do SIA, Luana Machado, agradeceu pela audiência na Região. "Essa é uma forma de buscar soluções para os problemas que os empresários enfrentam diariamente. Eles são essenciais para o crescimento da nossa cidade", disse.

A ocupação, por concessão de uso das áreas públicas próximas às lojas situadas no comércio local, será disciplinada da seguinte maneira:

As áreas públicas situadas nos Trechos 1, 2, 3 e 4, serão permitidos ocuparem, entre 1.000 e 20.000 metros quadrados, a partir do limite das lojas registrado em cartório; As áreas situadas nas Quadras 3C a 5C serão permitidos ocuparem entre 100 e 8.000 metros quadrados, a partir do limite das lojas registrado em cartório.

 As áreas públicas situadas no Setor de Transportes Rodoviários e Cargas (STRC), serão permitidos ocuparem entre 500 e 12.000 metros quadrados, a partir do limite das lojas registrado em cartório. As áreas cuja ocupação por mesas e cadeiras for permitida serão delimitadas por separadores físicos removíveis, apenas durante o horário de funcionamento do estabelecimento.

Estarão na mesa: o vice-presidente da Câmara Legislativa, Deputado Delmasso, o Deputado Cláudio Abrantes, o Secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), Mateus Leandro de Oliveira, a Administradora do SIA, Luana Machado, o Presidente da Fibra, Jamal Bittar, o Presidente da Fecomércio, José Aparecido Freire e o Empresário Ricardo Oliveira.

Evento: Audiência Pública para debater sobre a Ocupação do Solo no Comércio do SIA

Data: 29-04-2021.

Horário: 10h

Via Zoom (ID da reunião): 290 482 1982.

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.