Mostrando postagens com marcador INOVAÇÃO. Mostrar todas as postagens

 



Encontro ocorreu em Ceilândia e marcou o anúncio de novas funcionalidades para os usuários

Com a visão de ser a “vitrine do trabalhador na América Latina”, a plataforma brasiliense Oddie já conecta quase 10 mil usuários no Distrito Federal e 26 unidades da federação, em apenas quatro meses de operação. Criada para simplificar o relacionamento entre profissionais autônomos e clientes de maneira rápida, gratuita e sem burocracia, a startup Oddie agora trabalha para aumentar o número de cadastros e entregar novas funcionalidades para melhorar a experiência dos usuários.

No último sábado (26/3), a startup promoveu um café da manhã, em Ceilândia, para empreendedores brasilienses, imprensa e população da região. O objetivo foi destacar os impactos da plataforma de serviços aos empreendedores, apresentar novas funcionalidades, e convidar os prestadores a contribuírem na construção dos próximos passos da plataforma. 

Quando começamos a trabalhar na ideia da Oddie, nossa hipótese era de que, se eliminássemos todos os obstáculos, financeiros e de usabilidade que existem entre clientes e prestadores de serviços, conseguiríamos oferecer o maior valor possível para ambas as partes. E, quando os usuários percebessem esse valor,  recomendariam para outras pessoas, acelerando o crescimento da plataforma. É isso o que estamos conseguindo fazer”, ressalta o co-fundador da Oddie,  Daniel Alano. 

Novidades – Uma das novidades anunciadas na ocasião, foi a recém lançada funcionalidade que permite a emissão de recibos e orçamentos.  Segundo Daniel Alano, agora, o prestador cadastrado poderá emitir orçamentos e recibos para os negócios fechados pela plataforma. 

“Eles já estão emitindo orçamentos completos, com todas as informações sobre o seu negócio, o que dará mais confiança e credibilidade para o relacionamento com o cliente, além de ajudar na organização das suas contas”, ressalta Alano. “O encontro foi uma excelente oportunidade para conhecer um pouco mais sobre as novas funcionalidades, tirar dúvidas e contribuir com novas ideias para aperfeiçoar o sistema”, completa.

A proposta da Oddie é facilitar a vida dos clientes oferecendo uma vitrine de profissionais, ainda pouco conhecidos no mercado de trabalho ou na região onde atuam. Desde dezembro de 2021, a plataforma já possibilitou a realização de centenas de negócios por meio do sistema. Em torno de US$ 1,1 milhão estão sendo aplicados na execução da ferramenta, recurso estrangeiro proveniente de fundos de investimento e investidores anjos.

Ao todo, já são mais de 260 especialidades cadastradas na ferramenta. Entre os serviços mais demandados no sistema estão os de babá, “marido de aluguel”, eletricista, pintor, pedreiro, e faxineira, atividades que têm auxiliado milhares de brasilienses, especialmente diante das restrições impostas pela pandemia da Covid-19.

Dayse Ramos é uma das empreendedoras do DF que apostam na plataforma. Há dois anos, ela se tornou “marida de aluguel” e atende principalmente o público feminino. A empreendedora faz serviços de hidráulica, elétrica, pintura, montagem de pequenos móveis, instalação de cortinas, persianas, varais, e muitas outras coisas. Com auxílio da Oddie, a autônoma tem vencido os obstáculos impostos pela pandemia para divulgação dos seus serviços e ampliado a clientela. 

“Antes, eu divulgava meus serviços por meio das redes sociais e pelo famoso boca a boca. Depois que conheci a Oddie, a plataforma se tornou meu principal meio para divulgação, especialmente por ser uma ferramenta gratuita”, ressalta. “Por meio do aplicativo fica mais fácil chegar ao cliente, posso emitir recibos e orçamentos, além de oferecer cartão de visita digital, que pode ser compartilhado pelo WhatsApp e nas outras redes sociais. Isso facilita muito”, avalia a empreendedora.

Sobre a Oddie – Criada por um grupo de empreendedores brasilienses do setor de startups para conectar empreendedores junto a parceiros por meio de ferramentas gratuitas, a Oddie tem a missão de empoderar o capital humano facilitando e estimulando a digitalização do trabalho autônomo. 

Trata-se de uma ferramenta digital gratuita, fácil de usar e com uma escalabilidade essencialmente ilimitada, que valoriza o trabalho dos profissionais independentes e cria uma realidade mais rentável e produtiva para os usuários da plataforma. 

Na Oddie, trabalhadores de todo o país podem criar um perfil on-line e divulgar seus serviços por meio de ferramentas digitais modernas que visam valorizar o trabalho do prestador de serviço e criar uma realidade mais rentável e produtiva. 

Saiba mais sobre a Oddie em: https://oddie.com.br/quem-somos 






 

Além do curso, participantes ganharam um kit de semijoias para entrarem no mercado de trabalho e começarem a gerar renda para suas famílias.

No último sábado (26), mais de 70 mulheres tiveram a oportunidade de mudar sua vida profissional na Faculdade Mauá, em Taguatinga.  O programa  #Girl Power — Vamos Juntas Empreender, trata-se de um curso totalmente gratuito voltado ao empreendedorismo feminino. “É uma iniciativa voltada para mulheres em situação de vulnerabilidade ou de baixa renda, que estão em busca de uma oportunidade de capacitação para o mercado de trabalho, e querem se desenvolver profissionalmente com técnicas de venda”, explica a idealizadora do projeto e fundadora do Instituto Reciclando o Futuro, a auditora federal Renata D’Aguiar.

Foram mais de três horas de capacitação em que as inscritas puderam entender a importância do conhecimento no empreendedorismo, aprenderam a como iniciar uma carreia autônoma, a colocar a ideia em ação e a montar uma rede de contatos. “Essa iniciativa é mais que um curso, mas também uma oportunidade para mulher se sentir motivada em sua autoestima. E quero aqui, enfatizar a importância da Renata D’Aguiar nesse processo que não apenas ministra palestras, mas entrega a vara na mão dessas mulheres para irem atrás de sua autonomia econômica”, enfatiza Roberta Monzini, escritora e mentora de mulheres.

Ainda como parte do curso, a palestrante Gizele Corrêa de Alencar Leite Lino ministrou sobre planejamento financeiro, técnica de vendas, como ter um capital de giro e a importância da formalização do MEI (Microempreendedor Individual). “Com o que aprendi aqui, certamente, vou conseguir alavancar minhas vendas, pois consegui absorver muitas técnicas para atingir metas maiores com meu público-alvo, comemora Nilcéia Rodrigues, professora.

As mulheres também foram motivadas por cases de sucesso como o do menino Ryan Maia, de 10 anos, o empresário mais novo do Brasil e Janaina Braga, idealizadora do Instituto Divas. “Eu passei pela violência doméstica, minha filha teve um tumor na cabeça e quase morreu, mas de todas as dificuldades, resolvi me levantar e ajudar outras mulheres. Somos fortes e, juntas, somos mais fortes ainda”, afirma Janaina.

Ao final do evento, todas receberam o certificado do curso, foto oficial da turma e um mostruário com dezenas de semijoias, com meta de venda de R$ 500 (quinhentos reais). “Depois de certa idade, fica difícil voltar ao mercado de trabalho. Quando temos pessoas que nos orientam e confiam no nosso potencial é fundamental para que a gente possa se sentir capaz”, comemora Maria de Fátima Varela, de 66 anos.

Como funciona o programa?

O Programa Mulheres Empreendedoras Reciclando o Futuro foi pensado para gerar oportunidades para as mulheres.

A pandemia da Covid 19 aumentou o desemprego no Distrito Federal, sobretudo entre o público feminino.

Ter o seu próprio horário, depender apenas do seu próprio esforço e poder passar mais tempo com a família são o sonho de toda mulher, e o empreendedorismo possibilita a realização deste sonho. 

O primeiro módulo do Programa Mulheres Empreendedoras Reciclando o Futuro foi desenvolvido para desafiar as mulheres a descobrirem seus talentos como empreendedoras.

Durante a primeira aula, as mulheres receberão um estojo personalizado de bijuterias finas, da Luiza Criações, contendo 23 peças, com uma tabela de preços sugeridos, que somam R$ 500 reais.

Dez (10) lideres ficarão acompanhando as alunas durante o período de dois meses, com a responsabilidade de ajudá-las e motivá-las. Cada líder ficará responsável por um grupo de 10 mulheres.

No final do primeiro mês, as alunas poderão comprar peças novas para completar o estojo por um valor de R$ 50,00 reais. 

No final do segundo mês, as alunas poderão comprar peças novas para completar o estojo por um valor de R$ 75,00 reais. As alunas que conseguirem passar dessa etapa estarão automaticamente inscritas no módulo 2 do Programa, em que aprenderão sobre como abrir uma empresa, na prática. Estas alunas terão o acompanhamento de um contador pelo período de um ano. 

Serviço:

Instituto Reciclando o Futuro
www.reciclandoofuturo.com.br
Mais informações: 99192-0316
@reciclando_futuro no Instagram

 

 

A iniciativa da WOB é apoiada pela ONU Mulheres Brasil


As integrantes do Conselho de Administração, Iêda Cagni - presidente do CA - Rachel Maia, Debora Nascimento, representaram o Banco do Brasil no recebimento do Certificado WOB - Women on Board que reconhece, valoriza e divulga boas práticas corporativas sobre a presença de mulheres em conselhos de administração ou conselhos consultivos, para demonstrar os benefícios desta diversidade ao mundo empresarial e à sociedade.

A WOB acompanha os benefícios para as companhias oriundos da diversidade em posições de liderança, um ativo estratégico e importante para empresas que pretendem se destacar em eficiência, criatividade e responsabilidade social. Trata-se de uma iniciativa apoiada pela ONU Mulheres Brasil.

"Quando falamos em equidade de gênero, é claro que olhar para a nossa história como sociedade nos mostra lutas, conquistas e avanços. E, se por um lado sabemos que sempre temos muito em que avançar, também é motivo de orgulho, para nós do conglomerado BB, marcarmos a posição de liderança também em indicadores de diversidade, com viés de equidade de gênero, em um momento em que globalmente se debate sobre as questões ASG", afirmou a presidente do Conselho de Administração do BB.

Cabe destacar que, no dia 8 de março, o BB lançou o movimento "BB pra Elas", dedicado à mulher brasileira cliente BB ou que venha ser cliente BB. O objetivo é apoiar as mulheres e o empreendedorismo feminino, por meio de soluções financeiras, educação empreendedora, saúde e bem estar, e uma série de condições especiais.

Para o presidente Fausto Ribeiro, tanto o reconhecimento, como o lançamento do movimento reforçam o compromisso do BB em oferecer opções adequadas aos clientes. "O Banco do Brasil, ao se colocar de forma relevante nesse movimento em benefício do empreendedorismo feminino, demonstra que é de fato uma instituição que apoia as mulheres para que continuem a levar adiante sua força e vitalidade em todos os campos da nossa sociedade", afirmou.

No Banco do Brasil, temos 38 milhões de mulheres como clientes, representando aproximadamente 50% de nossos clientes. Do total do público feminino que tem relacionamento ativo conosco, 55% tem maturidade digital avançada, o que é mais uma demonstração da dedicação das mulheres brasileiras em se capacitar e em se adaptar às transformações de um mundo conectado.

BB Pra Elas
No Banco do Brasil, todos os dias nos relacionamos com mulheres com voz ativa no agronegócio e nas decisões de micro, pequenas e médias empresas. Sabemos do valor e importância das executivas dos grandes conglomerados, da profissional liberal e da gestora pública. A presença feminina na sociedade engrandece todas as frentes de negócios dos quais o BB participa. O BB criou uma plataforma (bb.com.br/bbpraelas) com ações diretas e de parceiros nesses três eixos temáticos. Para cada um dos eixos, existirão benefícios exclusivos pensados especialmente para o público feminino. Para semana de lançamento, serão mais de vinte ofertas, distribuídas nos três eixos, para as Mulheres clientes BB.

Soluções Financeiras
O BB disponibilizará R$ 85 bilhões, para mais de 3 milhões de mulheres empreendedoras clientes BB, com taxas promocionais. Será oferecido desconto de até 57%, na taxa de administração dos grupos de consórcio de bens móveis e imóveis. Para bens móveis, a empreendedora cliente BB poderá adquirir motos e veículos. Os consórcios de demais bens poderão ser utilizados para comprar de tudo o que a empreendedora precisar (batedeiras, máquinas de costura, lavatórios, celulares, notebooks, eletros, eletrônicos; etc). Em linhas de crédito agro são mais de R$ 90 bilhões em limites disponíveis.

Educação Empreendedora
Haverá mais de 1,3 mil cursos profissionalizantes para mulheres (EduK), três meses de treinamento grátis, para todas as mulheres clientes que se cadastrarem na semana de lançamento da plataforma BB pra Elas.

Saúde e Bem Estar
Para todas que se cadastrarem na plataforma, terão ofertas gratuitas, de 30 dias de consultas médicas online e orientações sobre saúde da mulher cliente BB e para sua família.

Esse é um dos nossos 10 compromissos pela sustentabilidade (www.bb.com.br/sustentabilidade). No Brasil, temos pessoas de várias etnias, gostos, preferências, e essa pluralidade é um dos traços mais característicos de nossa sociedade. Mas as lideranças de boa parte das empresas ainda não refletem essa rica diversidade. Especialmente sobre o debate de gênero, nosso objetivo é trabalhar para que os cargos de chefia do BB possam ser ocupados por pessoas que refletem e representam melhor a realidade social do Brasil. Por isso, nossa meta é atingir um índice de pelo menos um terço de mulheres em cargos de liderança até 2025. E o trabalho de formação desses futuros líderes começa agora. Esse é o nosso compromisso com a sustentabilidade.

Conheça o portal FOCO NACIONAL: foconacional.com.br

19:48
Ao lado do governador Ronaldo Caiado, o presidente da Alego prestigiou a entrega da ponte entre os municípios de Maurilândia e Turvelândia. Obra foi viabilizada através da articulação e do constante trabalho de Lissauer junto ao Executivo estadual e ao setor produtivo goiano



Foto: Ruber Couto 

Retomando sua agenda municipalista e sempre com o olhar voltado para as cidades que representa no Parlamento goiano, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira, cumpriu agenda nesta quarta-feira, 23, em Maurilândia, no Sudoeste do estado. No município, o parlamentar participou da inauguração da ponte de concreto armado sobre o Rio Verdão, anseio antigo da população local e concretizado através da atuação do chefe do Poder Legislativo junto ao governo do estado, que autorizou a continuidade da obra em setembro de 2019, após assinatura do Termo de Ajuste de Referência Especial, entre o estado e Usina Vale do Verdão.

Ao lado do governador Ronaldo Caiado, do vice-prefeito de Rio Verde, Dannillo Pereira, de prefeitos, vereadores e demais autoridades, o presidente da Alego destacou a relevância da obra para Maurilândia, Turvelândia e toda a região. "Essa obra é fruto da responsabilidade do Governo de Goiás com o dinheiro público. Além de reduzir o tráfego de veículos pesados nestes municípios, essa ponte vai contribuir muito para a melhoria no escoamento da produção de grãos, sobretudo, para o setor sucroalcooleiro. Sem dúvidas, mais um grande benefício para a nossa região Sudoeste", ressaltou Lissauer.

O governador Ronaldo Caiado também salientou que a inauguração da ponte, além de dar fim a uma espera de décadas, fortalecerá significativamente o setor produtivo local. "Não é uma obra pequena, é bem significativa, e ficou prometida por 20 anos. Tenho três anos, dois meses e 23 dias de governo e vejam o que fizemos. Este é um sinal de desenvolvimento, de respeito a todos os cidadãos que aqui habitam. São condições muito melhores e benefícios diretos para as empresas, com um trajeto mais curto, acesso mais fácil e menos risco no transporte de toda a cana que vai ser transformada", pontuou.

Por sua vez, o prefeito de Turvelândia, Siron Queiroz, reforçou a importância da conclusão da obra. De acordo com ele, um investimento que fará a diferença na vida dos moradores e dos produtores rurais de toda a região. "A construção dessa ponte representa muito para nós. É o governo de Goiás devolvendo a dignidade para as nossas cidades. Além de melhorar a condição de trafegabilidade nos municípios, essa obra também vai beneficiar as usinas aqui da região, vai deixar nossas cidades mais limpas, contribuindo, assim, para a qualidade de vida de toda a população", ressaltou o gestor.

Investimentos

Com 177 metros de extensão, a construção da ponte sobre o Rio Verdão havia sido iniciada na gestão anterior, mas estava paralisada. A obra foi retomada pela Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), que precisou reconstruir toda a estrutura de escoramento, devido aos desgastes e danos provocados pela ação do tempo e por uma enchente.

Ao todo, foram investidos R$ 6,3 milhões provenientes do Tesouro Estadual e da parceria entre o Governo de Goiás e a Usina Vale do Verdão, que, através da atuação do presidente da Alego em torno do projeto de lei relativo à concessão de crédito outorgado de ICMS pelo estado, celebraram um Termo de Acordo de Regime Especial (Tare) para viabilização de recursos.

Também participaram da solenidade de inauguração o deputado federal, Delegado Waldir; ex-deputado federal, Daniel Vilela, presidente da Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte (Goinfra), Pedro Sales; assessor especial da governadoria, Lívio Luciano; vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás, André Rocha; diretores da Usina do Grupo Vale do Rio Verdão, Edson Rizzardo, Leonardo Mendonça, Gilson Soares e Eduardo Silveira.

Estiveram presentes ainda os prefeitos das cidades de Acreúna (Claudiomar Portugal); Castelândia (Marcos da Farmácia); Goiatuba (Zezinho Vieira); Gouvelândia (Fausto Caiado); Mairipotaba (Carlos Henrique); Porteirão (Henrique); Quirinópolis (Anderson de Paula); Santo Antônio da Barra (Zé Cândido); o filho do prefeito de Rio Verde, Lucas do Vale; coordenador do Assentamento Monjolo de Turvelândia, pastor Edmilson Vicente, vereadores, lideranças e demais autoridades.

Conheça o portal FOCO NACIONAL: foconacional.com.br

19:44


A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) lança, nesta segunda-feira (21/3), a campanha institucional referente ao Dia Mundial da Água. O objetivo é incentivar o consumo responsável dos recursos hídricos do Distrito Federal, bem como informar a população sobre as diversas formas de se economizar, reutilizar e preservar esse bem tão precioso



 Com o mote "NOSSA ÁGUA É SÓ O OURO, PRESERVE SEU TESOURO", a campanha tem como principal público-alvo as crianças e os adolescentes, uma vez que são os agentes multiplicadores das mudanças esperadas para que não falte água potável no futuro. Veja o vídeo da campanha, aqui.

 "O acesso à água potável e ao saneamento básico são direitos fundamentais e indispensáveis à saúde, portanto, a missão da Adasa na regulação simultânea da água e dos serviços de saneamento básico nos traz uma grande responsabilidade perante a população do DF.  O Dia Mundial da Água é uma data importante para estimular uma reflexão sobre a forma como cada indivíduo lida com esse recurso essencial à vida.  É um momento de celebrar avanços, mas principalmente lembrar dos desafios que temos pela frente", destaca o diretor presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro.

Além do lançamento da campanha, as comemorações da água seguem até o final do mês e contam com as atividades a seguir:

Hoje às 10h, o diretor presidente da ADASA, participa da cerimônia de abertura da Semana da Água de Minas Gerais.

Na terça-feira (22), 14 Restaurantes Comunitários do DF promovem o evento Um Mergulho na Fonte da Vida, uma ação que envolve atividades relacionadas à utilização consciente e à importância da hidratação para a saúde. As unidades vão expor painéis e apresentar vídeos educativos durante todo o horário de almoço, de 11h às 14h, além de oferecer um cardápio especialmente preparado para a data. A Adasa participará da ação no restaurante comunitário de Sobradinho II.

Na sexta-feira (25), às 7h, na Fercal, o superintendente de Abastecimento de Água e Esgoto, Rafael Mello, realizará palestra sobre o uso racional da água para funcionários da Ciplan.

Na terça-feira (29), haverá o Fórum de sustentabilidade do DF EGOV, com abertura solene com Raimundo Ribeiro e palestra de Miguel Sartori.

Gincana da Água
As atividades alusivas ao Dia Mundial da Água começaram desde o mês passado, quando a agência lançou a Gincana da Água. Voltada para o público estudantil (das séries finais do ensino Fundamental) das redes pública e particular de ensino, a Gincana ocupou as escolas por um mês, por meio da execução de tarefas – artísticas, comunitárias e pedagógicas – com foco na água.

A ação tem o objetivo de destacar a importância da água no cotidiano da população, reafirmar o papel da Adasa como incentivadora da sustentabilidade dos recursos naturais e de desenvolver atividades pedagógicas socioambientais, na qual, toda a escola esteja envolvida nas atividades da gincana, e assim, haja uma maior interação da comunidade escolar.

Na quinta-feira (31), a Adasa irá finalizar as comemorações alusivas ao mês da água com a cerimônia de premiação das escolas participantes da gincana e a assinatura de um termo de cooperação com a Secretaria De Educação do Distrito Federal (SEEDF) para fortalecer a educação ambiental na rede pública de ensino por meio do atendimento do Programa Adasa na Escola.

Na ocasião, a agência lançará, em parceria com a TV Câmara Distrital, o programa "Entre no Fluxo com a Adasa", um canal de comunicação que abordará diversos temas referentes à regulação do uso, reuso e preservação dos recursos hídricos.
 
Por fim, a agência também irá inaugurar o Espaço Adasa, um local para exposição de materiais educativos, compostos por maquetes das bacias hidrográficas, mapas hidrológicos e materiais audiovisuais sobre a atuação da Agência.


Com dimensões continentais, o Brasil conta com elevado número de terras disponíveis, que precisam ser protegidas e, ao mesmo tempo, utilizadas, a fim de cumprir a sua função social, sejam propriedades privadas ou públicas (terras da União). Hoje, regida pela Lei n°11.952/2009, a regularização fundiária de terras públicas depara-se, há pelo menos uma década, com tentativas de alteração legislativa que provocam mudanças em seus parâmetros temporais e de dimensões territoriais, sendo os destaques mais atuais para os Projetos de Lei de n°510/2021 e n°2.633/2020.

Por ser um assunto complexo, que exige pareceres técnicos, o 2º Congresso Brasileiro de Direito do Agronegócio (CBDA) convidou especialistas que possam contribuir para uma análise fundamentada sobre a Regularização Fundiária, durante o segundo painel do evento. São eles: Cristina Leme Lopes, gerente de Pesquisa, Direito e Governança do Clima no CPI Brasil (Climate Policy Initiative)Janaína Vargas, sócia do Mattos Filho Advogados; e Marcelo Honorato, juiz Federal Titular da 1ª. Vara Federal de Marabá (PA). A moderação será de Francisco de Godoy Bueno, membro do Conselho Acadêmico do Instituto Brasileiro de Direito do Agronegócio (IBDA), organizador do evento, que acontecerá no dia 6 de abril, em formato virtual. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site oficial.

O objetivo desse painel é disseminar o debate sobre o tema, com informações técnicas, que contribuam para a diminuir a desinformação sobre a regularização fundiária, e contribuir para a formulação de um novo marco regulatório, que atenda os compromissos do país e as demandas sociais, ambientais e econômicas.

Composto por mais três painéis: Licenciamento e Compliance AmbientalDefensivos AgrícolasCrédito Privado, Seguro e ESG, o Congresso evidenciará a importância de se debater os desafios jurídicos e regulatórios dos Sistemas Agroindustriais (SAGs), a fim de sustentar a competitividade do setor em uma economia global e corroborar para seu desenvolvimento mercadológico e tecnológico. 

Mais informações: https://congressodireitoagro.com.br/ 

Sobre o IBDA

O Instituto Brasileiro de Direito do Agronegócio (IBDA) nasceu da vocação de estudar os Sistemas Agroindustriais e sua regulação sob o prisma de Direito & Economia. Traz um novo modelo de difusão do conhecimento, formando um observatório para a formulação de políticas públicas e melhor interpretação do conjunto de normas que regulam o setor. Mais informações: www.direitoagro.com

 

SERVIÇO:

II Congresso Brasileiro de Direito do Agronegócio

Data: 6 de abril de 2022

Horário: a partir das 9h00

Transmissão online pelo site oficial

Mais informações: https://congressodireitoagro.com.br/

4ª edição do YAMI será realizado nos dias 26 e 27 de outubro, em São Paulo (SP)



A nova geração do agronegócio do Brasil e de toda a América Latina tem um encontro marcado no Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP), nos dias 26 e 27 de outubro, na 4ª edição do Youth Agribusiness Movement International – YAMI, congresso com programação voltada aos jovens do setor.

A edição desse ano tem como tema central "O agro do mundo para a juventude do Brasil" e pretende apresentar e promover o conceito do empreendedorismo e cooperativismo da juventude rural brasileira. "Os jovens são o futuro do agronegócio e, ao longo das últimas edições, pudemos confirmar o mundo de oportunidades que eles possuem nesse setor, que se torna cada dia mais essencial para o Brasil e para todo o planeta", afirma a Show Manager do evento Carolina Gama.

Nessa edição, o evento pretende, por meio de suas palestras e debates, inserir o jovem no cenário de um agronegócio sustentável e tropical, que apresenta ainda mais oportunidades locais e internacionais para essa geração de novos profissionais do setor. "Essa edição do YAMI contribuirá para um melhor desenvolvimento nas atividades do agronegócio que compreendem: ciência, digitalização, mecanização, agroindústrias, comércio, serviços, logística e acesso a mercados internacionais, administração, liderança familiar e sucessão", destaca Carolina.

Com foco em impulsionar os jovens, o YAMI 2022 reforça sua programação com players para um debate que ajude o setor a repensar e adequar seus processos, com o objetivo de produzir um resultado mais lucrativo e sustentável. "O novo agro pede talentos que saibam gerar conexões e se relacionar com a diversidade. Por isso, o YAMI buscará debater e auxiliar o jovem a estar preparado para esse momento", reforça a Show Manager.

Jovens embaixadores pelo Brasil

Novidade na edição desse ano, o 4º YAMI passa a contar com um reforço em sua divulgação e abrangência no Brasil. O evento nomeou Saile e César Farias (@jovensdoagro), Samuka Alves (@samukaramosalves), Aretuza Negri (@aretuzanegri), jovens do agro para representarem o Congresso em todo o país ao longo desse ano.

"Nada melhor do que ter jovens do agro representando esse que é o maior espaço de debate direcionado a eles no Brasil. Convidamos para fazer parte desse time de parceiros representantes da nova geração que estão conosco há alguns anos e que reforçam a importância de debater e trocar experiências, com a nova geração, mas também com aqueles que fazem o agro há tanto tempo", pontua Carolina.

As inscrições para a 4ª edição do YAMI já podem ser feitas pelo site: https://www.yamimovement.com.br/.

Entidade tem nova diretoria e logomarca



O Conselho de Consumidores da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) ganhou uma nova logo.  A mudança acontece juntamente com a troca da diretoria, que tomou posse neste mês.

 Os novos Conselheiros do Conselho de Consumidores da Caesb tomaram posse para o biênio 2022-2024. Foram eleitos representantes das diversas classes de consumidores. Pela Classe Residencial, Rodolfo Rodrigues Gomes Moura e José Antônio da Silva Junior (suplente), da Associação de Moradores e Amigos de Águas Claras – AMAAC ; pela Classe Comercial, Francisco Valdemir Machado Elias e Dilson Fernando Barbosa  (suplente), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio); pela Classe Industrial, João Carlos de Siqueira Lopes e Roberto Lins Portella Nunes (suplente), da Federação das Indústrias do DF (Fibra); pela Classe Pública, Cássia Maria de Souza Barretto e Abílio Augusto Maia Pinto (suplente), indicados da Secretaria de Estado da Casa Civil; pela Área Rural, Natália Cristina Chagas M. Teixeira, da Federação da Agricultura e Pecuária do DF (Fape), e Rita de Cássia Borges Corrêa, da Confederação Nacional da Agricultura Familiar do Brasil (Conaf).

A nova logo é composta por três "C", que correspondem as iniciais de Conselho de Consumidores da Caesb, e por cinco segmentos curvos, representando as cinco classes do Conselho (residencial, comercial, industrial, pública e área rural). A forma circular simboliza estabilidade, colaboração e perseverança. A letra C foi utilizada simbolizando as palavras da entidade para esta representação, que lembram cooperação, união e amizade. Estas são características essenciais para o trabalho dos cinco segmentos que formam o conselho.

O principal objetivo do Conselho de Consumidores da Caesb é permitir a participação popular na prestação e regulação de serviços, aproximando a sociedade da Caesb e da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa). O Conselho opina sobre assuntos relacionados à prestação dos serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário do DF e pode ser consultado para orientação, análise e avaliação das questões relacionadas à esses assuntos, bem como às tarifas e à adequação dos serviços prestados ao consumidor. A participação dos conselheiros no Conselho de Consumidores é voluntária e não remunerada.

Para o representante da Caesb e Secretário Executivo do Conselho, Eduardo Romualdo Soares, é fundamental que a população busque, por meio do Conselho de Consumidores, participar e contribuir para a melhoria dos serviços prestados pela Caesb. "O lançamento da novo logo é mais uma das ações empreendidas pelo órgão para se aproximar da comunidade representada", explica Eduardo.

Qualquer cidadão pode apresentar sugestões ao Conselho por meio do e-mail conselhodeconsumidores@caesb.df.gov.br ou do telefone 3329-9090.


O mercado de investimentos tem se diversificado cada vez mais e a novidade neste setor está nos NFTs, na tradução, é a sigla para token não fungível, que é um ativo criado a partir da tecnologia blockchain, a mesma utilizada para as criptomoedas, que tem atraído a atenção de empreendedores e investidores do mundo todo. O ativo digital, que pode ser da moda, dos games e das obras de artes, está também na música e, para a alegria dos fãs do rock nacional, um artigo único do grupo Charlie Brow Jr. está disponível em NFT através da plataforma ICHELLO: uma camisa usada em um show por Chorão, ex-vocalista da banda.  

A vestimenta foi entregue ao economista George Cuesta pelo próprio vocalista do Charlie Brown Jr., em um show realizado no Teatro da Rádio Mix, em São Paulo, no ano de 2009.  "O Chorão entregou a camisa nas minhas mãos e não teve aquela disputa de item arremessado na plateia, como sabemos que acontece nos shows. Hoje a blusa está emoldurada e só de olhar para ela já é algo que arrepia, principalmente para quem é muito fã do grupo. Já vi pessoas chorarem na frente dela e o mais interessante é que a vestimenta nunca foi lavada e ficou preservada desde o evento até a moldura dela. Uma outra curiosidade e que faz dela um artigo muito raro e exclusivo, é que contém marcas de suor do artista na apresentação", comenta.

Segundo o economista, a ideia de colocar o item presenteado pelo cantor Chorão como NFT surgiu quando a equipe da ICHELLO percebeu que a camisa era um produto com grande potencial. "A empresa apresentou uma proposta inovadora unindo música e arte, além de uma consultoria sobre o mundo de NFTs. Foi quando entendi que o item realmente possui um valor agregado e seria interessante torná-lo público e acessível. Desta forma, me senti confortável em seguir os passos que tornariam então a peça em uma arte digital, além do item físico em si. A comunidade já não apenas entendeu, como se entusiasmou com o movimento iniciado pela iniciativa da ICHELLO. Hoje a camisa está em posse da agência, todavia, espero que muito em breve esteja com o felizardo que terá a possibilidade de ter esse item consigo ao longo da vida", conclui George Cuesta.

NFT

O NFT - sigla para non-fungible token, ou token não fungível, um ativo criado a partir da tecnologia blockchain, a mesma utilizada para as criptomoedas, tem atraído a atenção de empreendedores e investidores, de todo o mundo. O ativo serve como identidade digital de um item e assegura a autenticidade do item físico ou digital. Estima-se mais de R$ 130 bilhões de reais já tenham sido movimentados em todo o planeta com esta nova forma de fazer negócios.

A ICHELLO vai disponibilizar como NFTs direitos autorais de músicas consagradas, composições, acessos exclusivos e vitalícios a camarins, reuniões de network promovidas por artistas, objetos colecionáveis, instrumentos musicais e outros itens que têm como característica a escassez.

ICHELLO

A startup de tecnologia ICHELLO foi criada para atuar no segmento musical e a experiência do CEO da empresa, Bruno Perdigão, foi determinante, pois, além de ser produtor musical da dupla César Menotti & Fabiano, tem grande bagagem em produções e gestão de carreira para vários outros artistas, com mais de 23 anos de trajetória profissional. "É uma verdadeira revolução na música. Com a plataforma, uni minhas duas paixões, que é trabalhar com arte e empreender. NFT é a palavra do ano e com certeza, será a palavra da vida de muitas pessoas", profetiza o empresário.

Metaverso

Além do NFT, a palavra metaverso também tem sido bem difundida, pois é uma tendência na rede mundial de computadores. Trata-se de um ambiente virtual imersivo, coletivo e hiper-realista, onde as pessoas poderão conviver usando avatares customizados em 3D. E a ICHELLO também investe na novidade. "Temos um universo de possibilidades para trabalharmos. Já estamos planejando mentorias, workshops e até mesmo shows no metaverso. Em breve, o que estamos fazendo agora não será mais um diferencial, mas sim uma opção obrigatória que os promotores de entretenimento em geral deverão oferecer para seus clientes", finaliza Bruno Perdigão.

ICHELLO

Plataforma: www.ichello.com.br

Instagram: @ichelloarts

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC0j7K16jWewqIuC7jCqxK6A



Livre de vírus. www.avast.com.

 


                                                                                    foto Karolina Grabowska

 

Março amarelo é o mês de conscientização mundial sobre endometriose

 

Sem causa definida, mais 7 milhões de brasileiras vivem com a condição; especialista aborda a importância dos tratamentos clínicos e cirúrgicos

 

Cerca de 10% das brasileiras são acometidas pela endometriose, de acordo com o Ministério da Saúde. O cirurgião ginecológico do Hospital Brasília Alexandre Brandão alerta para a importância de continuar o tratamento mesmo durante a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o médico, a endometriose é uma doença que precisa de acompanhamento. “Na maioria das vezes o tratamento é clínico. Porém, há casos em que a cirurgia é necessária, como, por exemplo, quando há acometimento de outros órgãos. Entretanto, somente com a avaliação clínica é possível saber”, explica.

Durante o período de isolamento social, muitas pacientes vêm deixando os tratamentos clínicos por medo de contrair a covid-19. “Mesmo vivendo um momento complicado, não podemos deixar de cuidar da nossa saúde. Inúmeras pacientes deixaram de seguir o tratamento e apresentaram uma piora no quadro clínico”, lamenta.

O médico ainda reforça que a endometriose é uma doença causadora de sofrimento às mulheres e precisa ser tratada de maneira adequada. O resultado é uma vida com bloqueios, estresse em níveis altos e até depressão. Março é comemorado o Mês Mundial de Conscientização sobre a Endometriose, que afeta aproximadamente 7 milhões de brasileiras, segundo a Associação Brasileira de Endometriose.

O que é a endometriose?

Formada pelo tecido interno do útero, o endométrio, a endometriose é uma doença inflamatória crônica caracterizada pela presença de endométrio fora da cavidade uterina. Ela acomete os ovários, a bexiga e, em alguns casos, pode acometer o intestino.

Os principais sintomas são: cólica menstrual incapacitante, dor na relação sexual, dor para evacuar/mudança do ritmo intestinal e dor ao urinar. Esta última pode, inclusive, ser confundida com infecção de urina. Além dos sintomas desconfortáveis, a endometriose pode ser uma das causas de infertilidade.

Existem cinco tipos de endometriose: a de parede abdominal, a ovariana, a peritoneal, a profunda e a extra-abdominal.

Exames para detecção

Os principais exames para detectar a endometriose são a ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal e a ressonância nuclear magnética da pelve. De acordo com a médica ginecologista, ultrassonografista e especialista em endometriose, do Exame/Dasa, Ana Glauce, ambos são exames com excelente sensibilidade e especificidade para a detecção da doença.  

“Quando feito por um profissional experiente, os dois exames podem levar ao diagnóstico. A avaliação das estruturas posteriores ao útero (alças intestinais), por exemplo, são melhores caracterizadas pelo exame de ultrassonografia com preparo intestinal, já que é possível manipular facilmente as alças com o transdutor endocavitário – aparelho de ultrassom que pode ser introduzido tanto na vagina como no reto. Segundo a médica, demais estruturas pélvicas também são facilmente estudadas com o transdutor, desde que haja um bom preparo intestinal (limpeza do intestino) e um profissional experiente no exame.

Já a ressonância nuclear, de acordo com a médica especialista, pode complementar o diagnóstico em relação a pequenas lesões ovarianas que, em alguns casos, passam despercebidas na ultrassonografia, já que permite a visualização com detalhe das estruturas pélvicas. “Se realizado por alguém experiente, esse exame pode chegar a um resultado semelhante à ultrassonografia. Mas vale lembrar que é super importante fazer os exames com profissionais qualificados e ter um bom preparo intestinal em ambos, pois, assim, a visualização das camadas da parede do órgão se torna muito mais fácil e aumenta a sensibilidade do exame”, explica a média.

Tratamento

O ginecologista afirma haver duas formas de tratamento: a clínica e a cirúrgica. No tratamento clínico, algumas das opções são: bloqueio hormonal, que visa a parar a menstruação e assim aliviar as pacientes com a condição; fisioterapia e atividade física; não ingestão de alimentos que causam má digestão, gases dores abdominais, distensão do intestino; cuidados com a saúde mental. “As pressões sociais são desgastantes para as pacientes com a condição. É recomendado procurar um psicólogo, meditar e orientar os familiares para entenderem melhor a doença”, explica.

O tratamento cirúrgico depende também da avaliação clínica. Algumas das principais indicações são: risco de infertilidade; comprometimento de algum órgão, função do intestino, bexiga ou uretér, ou obstrução desses órgãos; dor na relação sexual; falha no tratamento clínico multidisciplinar.

Laparoscopia ou cirurgia robótica são as indicadas pelo médico como tratamento cirúrgico para a endometriose. “Nunca é feita uma cirurgia aberta, como uma cesariana. A histerectomia também não é o suficiente para acabar com a doença. É preciso eliminar todos os focos de endometriose ou ela continuará a crescer”, alerta. Alexandre Brandão ainda finaliza dizendo que, mesmo com cirurgia, é necessário um acompanhamento clínico.

 


Eliana Martins é uma das homenageadas pelo prêmio Mulheres Empreendedoras de 2022.  Ela recebe o prêmio por ser referência no empreendedorismo  feminino e em ações de empoderamento econômico e da autoestima da mulher. 

O evento, que é organizado pela Revista Viver Goiás, acontece no próximo dia 29.Várias outras mulheres empreendedoras do estado de Goiás serão homenageadas.

 

Acedriana Vicente Vogel*


“Precisamos amar para não adoecer”, disse o célebre Sigmund Freud. Muito antes da realidade contemporânea, com telas por todos os lados e a rotina corrida da grande maioria da população, Freud já alertava sobre uma das dimensões mais importantes da vida humana: a preservação da saúde mental por meio do afeto.

Trocar abraços, sorrisos e experiências, conversar, brincar, rir com outras pessoas, todas essas interações com outras pessoas nos ajudam a ser mais felizes. Mas estar emocionalmente saudável é muito mais que desenvolver relacionamentos saudáveis. Por se tratar de um conceito muito amplo, quase um século depois de Freud, a saúde mental segue sendo uma questão complexa, especialmente entre crianças e jovens. Essa amplitude dificulta a prevenção, o diagnóstico e o tratamento e, por conseguinte, mantém o estigma e amplia o sofrimento psíquico.

Contribuir para uma mudança drástica nesse cenário também é papel da escola. O levantamento internacional "Boas práticas de saúde mental em escolas: um olhar para oito países" mostra, ao longo de muitas páginas, as lições e propostas que escolas de várias partes do mundo trazem para lidar com esse assunto em tempos de pandemia.

O fechamento das escolas por tanto tempo, consequência direta da covid-19, impôs a milhões de estudantes riscos à saúde física e mental, além de insegurança alimentar, falta de proteção contra a violência doméstica e afastamento das atividades escolares. Confinados em suas casas, crianças e jovens se viram, de repente, longe do afeto, do convívio social e das possibilidades de interação. Drama parecido viveram os professores, que precisaram produzir e entregar suas aulas mesmo em condições precárias de infraestrutura e conhecimento tecnológico. Além da distância do contato humano, esses profissionais tiveram de lidar com inúmeros problemas técnicos e de infraestrutura.

Promover o bem-estar, nesse contexto, é tarefa ainda mais dura. Como intervir e socorrer essas crianças e jovens antes que eles adoeçam? Como acolher os medos e as frustrações dos professores em sua atividade profissional, evitando o desdobramento em síndromes de tratamento mais complexo? Responder a essas perguntas foi o grande desafio de escolas públicas e privadas, do Canadá à Nigéria, do Brasil ao Reino Unido.

De repente, a saúde mental precisou passar a ser a pauta prioritária também quando o assunto é educação. Isso exige uma arquitetura de trabalho que inclua alternativas de promoção, prevenção, tratamento e recuperação para quem vive, aprende e trabalha nesse ambiente que é, por natureza, humanizador. Mas cuidar do emocional dos estudantes requer um passo para além dos muros da escola.

Além de estudantes e professores, é imprescindível incluir toda a comunidade escolar nessas iniciativas. Entre os fatores de sucesso para projetos de saúde mental em escolas são destaque: amparo legal, orçamento direcionado, investimento em comunicação e combate ao estigma, equipe dedicada, formação dos envolvidos, material estruturado, integração com o currículo, diagnóstico e intervenção precoce, processos claros de avaliação e envolvimento da comunidade, expandindo para um diálogo intersetorial. Ninguém imaginou que seria simples, não é mesmo? 

No Brasil, instituições de ensino já vislumbravam alguns desses aspectos antes mesmo da pandemia. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) prevê as competências socioemocionais como um componente fundamental do ensino formal, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Trabalhar com essas competências é parte importante do sistema de suporte para a saúde mental de estudantes e professores, com propostas de atividades curriculares que envolvam o autoconhecimento, a autorregulação, as habilidades de relacionamento, a consciência social e a tomada de decisão responsável de maneira estruturada e contínua.

Parece pouco, mas é um bom começo quando se sabe que um fator determinante da saúde mental é a aquisição de capacidades que assegurem o bem-estar no enfrentamento dos desafios da vida. Se precisamos amar para não adoecer, como sugeriu Freud, o carinho com o bem-estar emocional do outro deve ser nosso ponto de partida.

*Acedriana Vicente Vogel é diretora pedagógica do Sistema Positivo de Ensino.

 


                                                        foto Cottonbro


Mês de alerta para o câncer colorretal

 

Março azul-marinho reforça a importância do diagnóstico precoce e estilo de vida saudável no combate à doença

 

O câncer colorretal está relacionado a tumores malignos que podem atingir o intestino grosso, o reto e o ânus. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), para cada ano do triênio 2020/2022, a estimativa é que sejam diagnosticados no Brasil mais de 41 mil novos casos da doença, prevalente tanto em homens como em mulheres. Em mulheres, ele perde em incidência apenas para o câncer de mama e, em homens, fica atrás de tumores no pulmão e na próstata. A prevenção, por meio de um estilo de vida saudável e exames de rotina para diagnóstico precoce, é ainda a melhor forma de evitar a doença ou obter sucesso no tratamento.

De acordo com o médico proctologista do Hospital Brasília/Dasa Oswaldo Filho, alguns dos fatores que contribuem para o surgimento da doença são a idade (acima de 45 anos), sedentarismo, obesidade, alimentação pobre em fibras e com alta ingestão de carne vermelha e processada, além do tabagismo.  “Histórico familiar e síndromes hereditárias também estão relacionados com o câncer colorretal”, aponta o especialista.

Entre os possíveis sintomas da doença estão sangue nas fezes, alteração de hábito intestinal para constipado ou para diarreia, perda de peso, anemia, fraqueza ou, até mesmo, a sensação de uma massa no abdome palpável. “Esses não são sintomas específicos de câncer colorretal, por isso é indispensável procurar um médico especialista, que fará uma avaliação e, se necessário, solicitará exames direcionados para a investigação e diagnóstico”, enfatiza o proctologista.

 Diagnóstico e Tratamento

O tratamento depende do local do tumor e do estágio da doença. No estágio precoce, a principal medida, geralmente, é a operação, mas também pode ser necessário fazer a quimioterapia antes ou depois da cirurgia. “Nos cânceres de reto e canal anal, às vezes, é necessário fazer a radioterapia”, enfatiza o médico.

De acordo com a médica radiologista do Exame/Dasa Mayra Veloso, apesar do câncer colorretal usualmente apresentar sintomas, em alguns casos, a doença pode seguir silenciosa até estágios mais avançados, o que reforça a importância de se fazer exames de rotina para a detecção precoce da doença, com destaque para a colonoscopia que, segundo a médica, deve ser realizada a partir dos 45 anos.  

“A colonoscopia permite detectar lesões bem pequenas e, em alguns casos, precursoras de câncer. Quando a gente faz essa detecção precoce, conseguimos um resultado de cura para o paciente. Então, é muito importante a adesão a esse exame de rastreamento”, reforça a médica radiologista.

Em casos em que o câncer colorretal já está estabelecido, é importante realizar avaliações adicionais. A médica explica que o exame de tomografia computadorizada do tórax e abdome ajuda a identificar o local da lesão e se o tumor já se disseminou para outros órgãos como fígado, linfonodos e pulmão.

“Para o câncer de reto, especificamente, fazemos também uma avaliação pré-tratamento, que é o exame de ressonância magnética. Dessa forma, conseguimos dizer ao cirurgião o quanto a doença está avançada e, assim, em conjunto, traçamos a melhor estratégia terapêutica para o paciente – se é preciso cirurgia imediatamente ou se há necessidade de realizar quimioterapia e radioterapia no pré-operatório para tentar reduzir o tumor e aumentar a efetividade do tratamento”, conclui a médica.

 



 



 A palestra do advogado Leonardo Resende será aberta ao público e abordará as garantias da lei para a reputação dos negócios


Campus Party Brasília 2022 terá a participação do advogado especialista na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), Dr. Leonardo Resende, às 16h deste domingo (27), que fará a apresentação “As garantias da LGPD para a reputação dos seus negócios”. O debate abordará de que forma a lei se apresenta como um fator diferencial para as inovações do mercado.  


O advogado se apresentará no Palco Fábrica de Empreendedores, no Estádio Nacional Mané Garrincha. CEO da DPO Max Tecnologias e Software, Leonardo Resende dividirá o palco com o sócio Alex Rezende, especialista em Sistema de Gestão da Privacidade da Informação (SGPI) e em arquitetura de soluções TIC e Privacidade de Dados.


“No cenário contemporâneo, é certo afirmar que as novas regulamentações de dados tendem a causar um impacto cada vez mais significativo nas empresas. Com isso, tópicos como segurança e respeito à privacidade têm se tornado uma prioridade de investimento devido as exigências pontuais do mercado”, afirma Leonardo Resende.


Em sua quarta edição na capital, a Campus Party Brasília é considerada a versão brasileira do maior festival de empreendedorismo e tecnologia do mundo. O evento se estenderá até o dia 27 de março. 


Durante os cinco dias de tecnologia do evento, o público terá acesso a palestras, workshops e hackathons (maratona de programação na qual hackers se reúnem). A programação será híbrida, com atividades presenciais no Estádio Nacional Mané Garincha e online. A Campus Party Brasília conta com o apoio institucional da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti) e da Fundação de Apoio à Pesquisa do DF(FAPDF). 




Sobre o Dr. Leonardo Resende - Advogado e empresário, o Dr. Leonardo Resende atua há mais de duas décadas nas áreas de Direito Digital, Sindical, Penal, Civil, Trabalhista, Empresarial e nos últimos anos, em LGPD, fomentando a adequação e implementando a LGPD. Em seu escritório, oferece, de forma organizada e produtiva, um atendimento digital, eficiente e simplificado para todos aqueles que necessitam de assistência jurídica. Também é CEO e cofundador da Startup de marketplace FEIRA.CASA e Diretor Especial da Associação Comercial do Distrito Federal.


Sobre Alex Rezende - Co Founder & CTO da DPO MAX TECNOLOGIAS E SOFTWARE, é especialista Full Stack e possui 23 anos de experiência em TI, Sistemas, BI, Datacenters, CRM, EAD e CDN’s. também é especializado em Sistema de Gestão da Privacidade da Informação (SGPI) e Especialista em arquitetura de soluções TIC e Privacidade de Dados.


SERVIÇO

Dr. Leonardo Resende no Campus Party Brasília

Data: 27/03, domingo

Horário: 16h

Local: Estádio Nacional, Palco Fábrica de empreendedores

 




UNICEPLAC comemora 20 anos do Curso de Medicina com aula magna com Ministro da Saúde


Marcelo Queiroga, visitou o Centro Universitário e conheceu o maior
centro de simulação realística do Centro-Oeste



No último sábado, 19/03, o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve presente na celebração de 20 anos do curso de medicina do Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos – UNICEPLAC. Também tivemos a honra da participação do ministro na nossa Cerimônia do Jaleco, evento notório do curso, ministrando a Aula Magna aos alunos e participantes presentes no auditório, que contou com, aproximadamente, 500 pessoas.

Na visita ao campus, o ministro conheceu o nosso centro de simulação realística, o maior do Centro Oeste. Inaugurado em 2018, o local recria o ambiente hospitalar e possui 5 salas para treinamento dos alunos, com manequins de última geração que ajudam nas simulações clínico-patológicas, emergenciais em UTIs e simulações cirúrgicas (inclusive partos). O UNICEPLAC é a única Instituição do Distrito Federal que possui estrutura tão robusta, que forma futuros médicos por meio de um ensino cada vez mais tecnológico e moderno.

O ministro Marcelo Queiroga, na Aula Magna, enfatizou os enormes avanços da medicina nos últimos anos. Lembrou que há menos de 100 anos era realizado o primeiro cateterismo no coração e também ressaltou a importância dos alunos para o futuro da Medicina, que "Não se trata de uma profissão, mas é uma missão”, afirmou o ministro.

Comumente realizada nos semestres, a Cerimônia do Jaleco, é conhecida por solenizar o momento da entrega do primeiro jaleco como estudante de medicina aos alunos, manto que simboliza a missão dos profissionais da saúde, aos alunos e alunas recém aprovados no curso por seus pais, responsáveis e pessoas próximas. 

A reitora do UNICEPLAC, professora Kelly Santiago, agradeceu a presença do ministro em nome de toda a instituição de ensino e falou sobre a importância da aula magna para alunos e alunas que acabam de ingressar no curso de Medicina em uma época na qual a profissão ganha, cada vez mais, importância na vida da sociedade. “Este momento será eternizado em todas as famílias”, ressaltou a reitora.

Em 20 anos de curso, o UNICEPLAC já teve mais de 40 turmas de Medicina, com mais de 1200 médicos e médicas formados/as pela instituição.


Sobre o UNICEPLAC

O Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos (UNICEPLAC) foi inaugurado em 1987 e prioriza a excelência e constante inovação do ensino. São mais de 20 cursos, com destaque para Odontologia (o primeiro de Brasília e região), Medicina, Medicina Veterinária, Fisioterapia e Direito. Na modalidade de ensino a distância (EAD), oferece duas opções de formação: Gestão da Qualidade e Pedagogia. O UNICEPLAC é avaliado com nota máxima pelo Ministério da Educação.

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.