Começou a tramitar na Câmara Legislativa projeto de autoria do deputado Iolando que trata da utilização de tecnologia assistiva para atendimento às pessoas com deficiência auditiva nos shopping centers, galerias e centros comerciais e nas agências bancárias no Distrito Federal.

De acordo com o artigo 1º do projeto de lei, os shopping centers, galerias e centros comerciais, que disponham de, no mínimo, 50 (cinquenta) lojas, e as agências bancárias no Distrito Federal, ficam obrigados a disponibilizar tecnologia assistiva para pessoas com deficiência auditiva.

Para o deputado Iolando, a justificativa do projeto tem o objetivo de fortalecer a dignidade das pessoas com deficiência auditiva e contribuir para a sua efetiva integração social. “A sociedade como um todo deve contribuir para a integração social das pessoas com deficiência, especialmente os centros comerciais de maior porte (com mais de 50 lojas) e os bancos, os quais todos sabem da capacidade econômica para suportar a imposição pretendida, contribuindo estes de forma mais efetiva para a construção de uma sociedade livra, justa e, principalmente, solidária”, destaca o distrital.
Ainda na justificativa do projeto do deputado Iolando destaca-se que a proposição é consentânea com a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinada em Nova York, em 30 de março de 2007, a qual tem o status de Emenda Constitucional por força do Art. 5º, § 3º da CRFB/88. Nesse sentido, o decreto n. 6.949, de 25 de agosto de 2009, que institui a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência prevê em seu artigo 3º, dentre os princípios gerais da Convenção, “a plena e efetiva participação e inclusão na sociedade” e “o respeito pela diferença e pela aceitação das pessoas com deficiência como parte da diversidade humana e da humanidade”.
“Dessa forma, entende-se que o projeto trará benefícios ainda à economia local, uma vez que contas correntes de pessoas surdas serão abertas com mais facilidade, além das pessoas surdas se sentirem mais à vontade para frequentarem shoppings centers como espaço de compras e de lazer. O mercado de trabalho também será aquecido para pessoas formadas em cursos técnicos em tradução e interpretação em Libras. A nova regra será mais um passo rumo à inclusão social dessa importante parcela da população que ainda carece muito de reconhecimento da cidadania e dos seus direitos fundamentais”, disse o deputado Iolando.

Por: Laezia Bezerra

Foto: Atividadeparaeducacaoespecial

 



Agendado para as 19h de quinta-feira (13), encontro apresentará temas de interesse dos moradores da região




Na solenidade virtual em comemoração ao Dia Nacional do Líder Comunitário, no último dia 5, foi anunciado o início de reuniões com a comunidade de cada região com representantes da Secretaria de Atendimento à Comunidade (Seac), de forma remota e segura. Coordenada pelo titular da pasta, Severino Cajazeiras, a primeira audiência pública da série será nesta quinta (13), às 19h, tendo como foco a comunidade da Estrutural.

Para participar, basta ser morador da Estrutural e solicitar o link da reunião no Google Meet, pelo WhatsApp da Secretaria: (61) 99334.1407. Quem quiser acompanhar poderá assistir pelo Instagram da pasta.

A dinâmica conta com o relato de moradores das regiões, que vão poder tratar das principais demandas para solicitar encaminhamento às secretarias e demais órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF).

 

Foto Willian Fortuna

Cólicas no bebê: o que devo fazer?


As cólicas podem ter várias causas diferentes. Compreender esses gatilhos é um passo importante para diminuir a frequência desses quadros


Não há nada mais normal na rotina dos bebês do que as crises de choro. Para os pais, elas são motivo de desespero e dúvida, afinal, como diferenciar cólica de bebê, de fralda suja? A pediatra da Maternidade Brasília Sandi Sato dá algumas dicas que vão ajudar a descobrir se é cólica ou não, e a trazer alívio para essa fase da infância.

 

As cólicas nos primeiros meses de vida são muito comuns e estão associadas a vários fatores. Elas podem significar imaturidade gastrointestinal ou do sistema nervoso, intolerância a algum alimento ou até mesmo questões externas. Trata-se de um processo natural do desenvolvimento da criança, sem maiores agravantes. Essa etapa exigirá apenas cuidado e paciência. Vale lembrar que as cólicas em bebês são autolimitadas, ou seja, passam logo, logo, com o crescimento da criança.

 

Como saber se o bebê está com cólica?

Essa é uma dúvida comum que deixa as famílias desnorteadas, mas que encontra boas respostas tendo a observação como uma aliada. O choro é o principal recurso linguístico dos bebês, é a forma com que eles se comunicam, como mostram que algo de errado está acontecendo.  Portanto, choro intenso é, sim, um alerta vermelho, mas é preciso traduzi-lo. Um bebê com cólica costuma chorar muito, mas o bebê com fralda suja também, assim como com fome ou frio. Dessa forma, essas outras pequenas causas devem ser descartadas antes de diagnosticar a cólica. Se mesmo assim o choro persistir, talvez seja a hora de consultar um médico ou colocar em prática algumas dicas. 


O que causa cólica nos recém-nascidos?

Identificada a doença, o próximo passo é investigar o que agrava o sintoma em cada bebê. É exatamente aqui que o pediatra é tão fundamental. Afinal, a dor causada pela cólica não tem nada de anormal, mas alguns fatores a acentuam. Nesses casos, é provável que uma pequena mudança na rotina alimentar da criança ou da mãe traga mais conforto para a fase.


As cólicas do lactante acontecem tanto para os bebês que se alimentam de leite materno quanto para aqueles que já iniciaram a alimentação na mamadeira. No entanto, algumas fórmulas causam quase que o dobro do risco de cólicas, o que exige cuidado redobrado. Desse modo, evite iniciar qualquer fórmula ou alimentação sem instruções adequadas e acompanhe o tempo de adaptação. Pode acontecer também, embora mais raro, de o leite materno conter substâncias que não fazem bem ao bebê. Caso isso ocorra, é provável que a orientação médica seja uma dieta específica para as mães durante a amamentação.

 

Dicas de como aliviar cólica de bebê

     Segure o bebê no colo e coloque-o de barriga sobre a barriga da mãe. O contato direto e aproximado tranquiliza a criança, reduzindo a sensação de dor. 

     Enrole o bebê em uma manta ou um cobertor e mantenha-o bem aquecido.

     Faça a posição de cócoras na horizontal. Para isso, basta flexionar as coxas do bebê contra sua barriga, com calma e leveza, similar a uma massagem.

     Dê banho morno ou faça compressas de água quente na barriga também ajudam bastante.

     Evite locais barulhentos ou repletos de estímulos como luz ou pessoas.

     Não utilize nenhum medicamento, chás ou substâncias que não tenham sido prescritos pelo pediatra como adequados para cólica de bebê.


Massagem

Massagear o abdome do neném é muito simples e benéfico, já que não só reduz a dor como acalma a criança. Há alguns movimentos que favorecem as atividades intestinais. Experimente mover os dedos no sentido horário ao redor do umbigo do bebê; faça isso com suavidade e uma leve pressão. 

 

Banho de ofurô

Parece chique, não é mesmo? Porém, a prática é muito simples e pode ser um momento de cuidado e carinho com o bebê. Basta imergir a criança, até os ombros, em água morna; pode ser feito em uma banheira ou balde. A ideia é que o bebê fique seguro na posição e consiga relaxar. A teoria dessa prática é criar um ambiente semelhante ao útero da mãe, sensação que os bebês adoram.

 

Jamais esqueça

Cólicas em recém-nascidos são passageiras. Assim, procure ter paciência e não recorra a medicamentos não indicados pelo médico nem às chupetas. Essas práticas podem ser muito prejudiciais à criança.

 




Em dois anos, o GDF finaliza o Complexo Viário Governador Roriz. Ao todo são 23 viadutos, 4 pontes, 14 km de ciclovia e 28 km de asfalto para mais de 100 mil motoristas. Investimento de R$ 220 milhões e 770 empregos gerados



Uma das maiores obras viárias já feitas na história do Distrito Federal será inaugurada nesta quarta-feira (12). Desde 2019, o Governo do Distrito Federal (GDF) priorizou a construção do Complexo Viário Governador Roriz, que compreende o Trevo de Triagem Norte (TTN) e a Ligação Torto-Colorado (LTC).

Foram feitos 23 viadutos, quatro pontes, 28 quilômetros de vias e 14 de ciclovia. O complexo beneficia mais de 100 mil motoristas que trafegam pela Saída Norte diariamente, gerando uma redução de até 55% de tempo nas viagens.

Uma obra que também ajudou a movimentar a economia com a geração de 770 empregos e investimento de R$ 220 milhões.

O diretor-geral do DER/DF, Fauzi Nacfur Jr, lembra que antes da gestão atual acelerar as obras da Saída Norte, a mobilidade na região estava esquecida. "Vamos dar mais conforto para os usuários que trabalham no Plano Piloto e utilizam esses trajetos, como de Sobradinho, Planaltina, Lago Norte. Antes mesmo dos serviços serem finalizados, os motoristas diminuíram o tempo que passam no trânsito de 1h30 para 40 minutos, por exemplo", informa.

Com o trabalho integrado do governo local, Fauzi Nacfur Jr explica que foi possível agilizar as obras – que vinham em ritmo lento por anos. "Foi uma questão de gestão, de programação, de resolução de questões ambientais. Viabilizamos junto ao BNDES [Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social] e ao Banco do Brasil – financiadores dessa obra – o desembolso de recursos de uma forma mais acelerada para que a gente pudesse agilizar e concluir os serviços", pontua.

Materiais de alta tecnologia
Os materiais utilizados para construir as obras de arte especiais são de alta tecnologia. Segundo o diretor de Obras do DER/DF, Cristiano Cavalcante, desde a terra, argila, areia, cascalho, ferro, madeira até a brita, todos garantem maior durabilidade. "A previsão de vida útil é de 50 anos, por exemplo, dando a segurança e conforto para a população da capital", garante.

Engenheiro do DER/DF e responsável pelo trecho de 2,7 quilômetros – onde foram construídos cinco viadutos e uma ponte – nas imediações do balão do Torto-Colorado, Jarbas Martins, explica que o concreto utilizado nas estruturas foi armado. "Usamos o concreto autoadensável que dá uma resistência maior e mais rápida. Dessa forma, é possível dar agilidade na execução das obras", afirma.





Terceirização do serviço de vistoria do Detran beneficia cidadão e servidor, afirma Júlia Lucy



Para a Deputada Distrital, a iniciativa irá trazer mais oferta de postos, menos tempo de espera e utilização dos servidores para atividades mais importantes, como policiamento e fiscalização do trânsito.

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) divulgou as regras para o credenciamento de empresas interessadas em oferecer o serviço de inspeção veicular.

Pela proposta, as empresas deverão oferecer, no mínimo, sete boxes para vistoria: seis boxes normais, com um deles adaptado para atendimento de pessoas com necessidades especiais, e um para veículos de grande porte. Os vistoriadores deverão apresentar também certificados em cursos de capacitação e Certidão Negativa Criminal.

Atualmente, o Detran conta com sete unidades que oferecem a vistoria veicular. A partir do credenciamento de empresas, a expectativa é que o serviço seja oferecido em, pelo menos, 30 postos. A previsão é que todos estejam montados em até 180 dias, atendendo em diversos pontos do Distrito Federal.

A Deputada Distrital Júlia Lucy parabeniza a iniciativa do governo e afirma que a terceirização desse serviço representará mais agilidade, mais eficiência e melhor aproveitamento dos quadros do Detran. "Esse é um serviço que a população sempre reclamou, com atendimento lento, espera de meses e muita dor de cabeça para quem precisa da vistoria. Agora, o atendimento do Detran vai ficar mais rápido, mais eficiente e os servidores poderão se dedicar a atividades mais complexas".

Segundo a parlamentar, um estudo feito pela direção-geral do Detran mostrou que, nos últimos três anos, os custos com a prestação do serviço de vistoria chegaram à média de R$ 100 milhões, incluindo despesas de pessoal e estruturas físicas, como água, energia e sistemas. A receita arrecadada, no entanto, segundo a autarquia, chegava à casa dos R$ 90 milhões, não sendo suficiente para cobrir os custos necessários.

Além disso, com a transferência desse serviço para as empresas credenciadas, os 106 agentes que atualmente trabalham na vistoria vão reforçar o policiamento e a fiscalização de trânsito nas vias do Distrito Federal, informa o departamento.

"Como todos esses estudos e dados mostram, essa é uma decisão muito acertada por parte do Executivo local'', finaliza a parlamentar.

A vistoria é um procedimento obrigatório para a realização da transferência de propriedade do veículo, de mudança entre unidades da Federação e de serviços como alteração de característica e inclusão de gravame, entre outros.



No último domingo (9), durante entrevista ao programa Conectado ao Poder, na rádio Metrópoles FM, comandado pelo jornalista Sandro Gianelli, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) afirmou que seu governo vai continuar entregando escrituras e moradias até o fim de seu mandato


Foto: Renato Alves.

A política habitacional do governo Ibaneis vem contemplando famílias que aguardavam há anos receber a escritura de seu imóvel ou ter a situação fundiária da cidade em que vivem legalizada para poder ter seu lote regularizado.

"Nós estamos usando um pouco do nosso conhecimento jurídico para trazer segurança jurídica para as pessoas", destacou Ibaneis.

Ele informou que seu governo está regularizando os terrenos e entregando escrituras de forma legal.

Leia também  PARQUE DOS IPÊS | GDF convoca cadastrados na Codhab para manifestar interesse no empreendimento

"Esses dias nós entregamos 1.800 escrituras em Brazlândia. Esses documentos são reais. Eles foram todos registrados em cartório. Nós estamos fazendo isso por todas as cidades, regularizando condomínios e todas as áreas que estamos conseguindo alcançar. Estamos trabalhando agora forte para regularizar o Itapoã e o Paranoá, que estão lá consolidados há muitos anos e nunca conseguiram regularizar", apontou o governador.

Leia também  VALPARAÍSO DE GOIÁS | Pábio Mossoró promove melhorias na iluminação pública da cidade

Ibaneis Rocha lembrou que a regularização de Vicente Pires está avançando e revelou que 2,5 mil escrituras serão entregues à população da região.

"Fizemos mais do que os três últimos governos. Nós esperamos fazer o maior programa de regularização fundiária da história do Distrito Federal", declarou o chefe do Buriti.

Ainda durante a entrevista, Ibaneis anunciou que o GDF vai lançar um novo empreendimento na região de São Sebastião, o Alto Mangueiral. Ele ainda falou que as obras do Itapoã Parque estão em estágio avançado e no local serão erguidas 12,2 mil unidades habitacionais.

"Já entregamos em torno de 5 mil moradias. Ao todo, serão entregues aproximadamente 40 mil moradias até o final desse nosso mandato", previu o governador.

Além do Alto Mangueiral e do Itapoã Parque, Ibaneis disse que há projetos habitacionais em andamento no Recanto das Emas e no Riacho Fundo II.

"Para o próximo ano, nós temos muitas entregas a fazer", garantiu Ibaneis Rocha.

Da Redação Expressão Brasiliense.



No domingo (9), durante o programa Conectado ao Poder da rádio Metrópoles FM,  o governador do Distrito Federal manifestou a intenção de autorizar a realização de eventos a partir da próxima sexta-feira



Liberar as atividades do setor de eventos, seguindo protocolos já utilizados em outros países do mundo e devidamente testados, é uma excelente sinalização para esse setor.

Há que se observar que estudos de universidades internacionais, como a Queen Mary University of London com dados Office for National Statistics (ONS) de março de 2021, constataram que eventos ao ar livre acarreta um "risco excepcionalmente baixo" de transmissão COVID-19, o que acontece com os eventos realizados em parques e locais abertos para festas.

"Desde o início da pandemia que venho defendendo o funcionamento do comércio de forma responsável e adotando todos os protocolos de prevenção à Covid-19 determinados pelos órgãos competentes. As pessoas precisam manter o seu sustento, seus empregos e os seus compromissos em dia. O mesmo ocorre com os empresários e comerciantes". Destacou a deputada Júlia Lucy (Novo).

Projeto determina advertências e multa de até R$ 10 mil 

Foto: Rogério Lopes  

O vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, deputado Delmasso (Republicanos), protocolou o Projeto de Lei 1.911/2021, que determina sanções administrativas como advertências e multas a quem praticar atos de aporofobia - aversão a pessoas pobres. A preocupação do parlamentar é resguardar a integridade física das pessoas em situação de pobreza.  

Segundo o projeto, dentre as práticas que podem sofrer punições estão a ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória. Assim como negar emprego por conta de condição social, preconceito, comercialização de produtos que induzam à discriminação e recusar a prestação de serviço de saúde, seja público, ou privado.

"Temos visto essa prática de aporofobia por algumas pessoas que se utilizam de interesses que não atendem aos princípios constitucionais, se movimentando contra as casas de passagem", por exemplo. "Ninguém vai dizer que um morador de rua não deve ter uma condição social digna, mas muitos dizem: 'longe de mim, longe da minha casa'. Por isso, clamo a toda a sociedade: onde for instalada uma casa de passagem, que seja abraçada", aponta o autor do projeto.

Se aprovado, o projeto também obriga a fixação de cartazes, nos locais públicos e privados, afirmando que o cometimento de aporofobia será punido pelo poder público. "Atos que podemos exemplificar como característico de aporofobia, por exemplo, seria não deixar uma pessoa com aparência de "sem-teto" entrar num bar e não ser atendido por ser pobre, ou não o deixarem usar o banheiro. Existe também a violência gratuita praticada por quem nutre sentimento de ódio contra mendigos, sem-teto, ou moradores de rua, sem apresentar nenhum sentimento de empatia pelo próximo, que não tem como se defender", afirma o parlamentar.

O deputado também estipula punições no projeto de lei com advertência e multa de R$ 5 mil e de R$ 10 mil em caso de reincidência. Os valores podem aumentar conforme a renda de quem praticou a discriminação. Agente público, servidor público, ou militar, no exercício de suas funções, serão punidos conforme a legislação específica de cada carreira. "Geralmente nos crimes de ódio estigmatiza-se uma pessoa ou grupo atribuindo-lhes risco à sociedade, difícil de comprovar, porém, baseia-se em pré-conceitos", explica Delmasso.



Local administrado pela Secretaria de Esporte e Lazer passará por reformas e melhorias nos próximos meses, ao custo de R$ 8,5 milhões



A Secretaria de Esporte e Lazer (SEL) pretende concluir e enviar para licitação em 60 dias o projeto de reformas e melhorias da Piscina com Ondas, um dos mais emblemáticos  atrativos do Parque da Cidade que está sem uso há duas décadas.

A previsão é da dirigente da pasta, Giselle Ferreira. Com investimento estimado de  R$ 8,5 milhões provenientes do orçamento próprio da SEL, o projeto arquitetônico e urbanístico da empresa selecionada por meio de chamamento público começará a ser executado ainda no segundo semestre.

"No período pós-pandemia, apresentar mais opções de lazer e atividades físicas é fundamental. Esporte é saúde!"Giselle Ferreira, secretária de Esporte e Lazer

Equipamento histórico
Nos próximos dois meses, a secretária adianta que estará concluído o projeto completo com toda tecnologia e custo-benefício necessários para o desenvolvimento das atividades. Assim, ela afirma devolver à população uma área de lazer apreciada pelas primeiras gerações da capital.

"A Piscina com Ondas faz parte da história de todos nós, inclusive da minha", destaca Giselle Ferreira. "É um desafio para nós, que estamos à frente da Secretaria de Esporte, retomar com atividades nesse equipamento tão querido pela população. No período pós-pandemia, apresentar mais opções de lazer e atividades físicas é fundamental. Esporte é saúde!"  

Em abril, o governador Ibaneis Rocha assinou ordem de serviço para reformar as 27 quadras poliesportivas do Parque da Cidade

Quadras em reforma
Em março passado, o governo Ibaneis Rocha, na presença da secretária Giselle Ferreira, assinou uma ordem de serviço para que 27 quadras poliesportivas do Parque da Cidade recebessem pintura, substituição de alambrados e pisos, entre outros serviços, para tornar a área mais atrativa.

O pacote incluiu os vestiários da Piscina com Ondas, com a troca das instalações hidráulicas e elétricas, do piso, dos azulejos, das divisórias de banheiros e trocadores, das esquadrias e do forro de gesso do teto.



Aparecida de Goiânia é um município brasileiro do estado de Goiás. Localiza-se na Região Metropolitana de Goiânia. Sua população, conforme a estimativa de 2020, era de 590 146 habitantes, sendo o segundo município mais populoso do estado, ficando atrás somente de Goiânia. Estendendo-se por uma área de 288.4 km² e ostentando um PIB de 13.265.875 bilhões de reais em 2018 (terceiro maior PIB de Goiás atrás de Goiânia e Anápolis), é um dos principais centros industriais do estado, sendo intensamente conurbada com Goiânia



A fundação da cidade de Aparecida de Goiânia foi possibilitada pela doação de terras feita por um grupo de fazendeiros da região à Igreja Católica em maio de 1922 e pertencia ao Município de Pouso Alto (atual Piracanjuba), logo depois em 1958 passou a integrar-se ao Município de Grimpas (atual Hidrolândia), tornando-se distrito. Em seguida, no dia 14 de novembro de 1963, o Distrito de Aparecida de Goiás emancipou-se de Hidrolândia , passando a se chamar Aparecida de Goiânia. Aparecida de Goiânia passou então a ser o alvo de inúmeros assentamentos promovidos principalmente pelo governo do estado, o que a impulsionou na classificação de um dos maiores índices de crescimento populacional do Brasil.

O Município de Aparecida de Goiânia se chamou, ainda como povoado, Aparecida, nome derivado da padroeira do lugar, Nossa Senhora Aparecida. Em 1958, a Lei Municipal n. 1295 alterou-lhe o nome para Vila Aparecida de Goiás, e restaurou a condição de Distrito, sendo a derivação implícita. Ainda em 1958, a Lei Municipal n. 1.406, de 26 de dezembro, fixou-lhe o nome de Goialândia, formado de Goia de Goiânia e Lândia de Hidrolândia, o que indica Vila situada entre os municípios de Goiânia e Hidrolândia. O nome "Goialândia" porém não foi aceito por parte dos seus moradores, permanecendo o anterior.

A Lei Estadual n. 4.927, de 14 de novembro de 1963, eleva à categoria de Município o Distrito, modificando-lhe o nome para Aparecida de Goiânia, já com foros de cidade, que pode ser dada como cidade que nasceu de Goiânia. Os primórdios da evolução social do pequeno povoado repousam na capelinha Nossa Senhora Aparecida. Local onde os moradores de então praticavam o culto religioso àquela que seria mais tarde consagrada a padroeira do lugar.

Habitavam naquelas paragens os fazendeiros José Cândido de Queirós, Abrão Lourenço de Carvalho, Antônio Barbosa Sandoval, João Batista de Toledo e Aristides Frutuoso suas mulheres e filhos que, juntando-se a mais outros, formavam o núcleo populacional que marcou o início da sua história.

As frequentes desobrigas levadas a efeito pelos padres sediados em Campinas acabaram por incutir nos primeiros habitantes o sentimento religioso da Igreja Católica Apostólica Romana. Os sacerdotes se transportavam para o pequeno lugarejo em animais a fim de cumprirem missão de fé, acentuando indelevelmente a agregação religiosa, incrementando, consequentemente, a afluência de residentes em função do culto.

Economia
Em seus aspectos econômicos, a pecuária, com a criação de gado bovino com a finalidade de corte e leite é uma das atividades na sua pequena extensão rural. No município onde predomina a indústria extrativa de areia para construções, pedras, barro comum para fabricação de tijolos, a agricultura não é expressiva, tendo-se em vista que são atividades conflitantes, dentro de uma pequena área territorial rural, visto que 70% do seu território encontra-se hoje ocupado por grande proliferação imobiliária, cujos lotes e áreas diversas estão ocupadas por moradias e setores industriais.

O intercâmbio comercial, em maior escala, é realizado com o município de Goiânia e com outros estados, tendo como principal meio de acesso a rodovia BR-153. Por seu turno, Goiânia é o principal centro consumidor de seus produtos extrativos e industrializados. Supermercados, armazéns, mercearias e semelhantes realizam o abastecimento interno.

Aparecida de Goiânia possui agências dos Correios e Telégrafos, milhares de telefones instalados, ônibus de percurso entre a Capital e a maioria das regiões do município, bastante asfalto e muitos bens e serviços públicos, existindo agências bancárias como o Banco do Brasil, Bradesco, CEF, Itaú e outros.

Industrialização
Aparecida de Goiânia tem vocação industrial, pois conta com espaço, investimentos em infra-estrutura e logística de transporte que dão suporte à expansão econômica na região". Ao mesmo passo perde o título de cidade dormitório. Na área de serviços, o Produto Interno Bruto (PIB) do município registrou crescimento de 46% entre os anos de 2002 e 2006. Índice superior ao do Estado que foi de 35%. Segundo levantamento da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), o PIB geral de Goiás teve elevação de 35%, enquanto que o de Aparecida registrou 54%. Um avanço decorrente da expansão da atividade industrial na região. Além de Goiânia, a cidade faz limite com os municípios de Aragoiânia, Bela Vista de Goiás, Hidrolândia e Senador Canedo. O município conta com o Polo Empresarial Goiás, que reúne várias empresas de diversos segmentos, como as fraldas Sapeca, JC Distribuição Logística, entre outras.

Conta com grandes indústrias como: Grupo ORTOMIX, NASA Transportes, Companhia do sono LTDA., Emtram Transportes, Stock Hospitalar, 100 Parar Transportes, Grupo Mabel, Grupo Somafertil LTDA.

Festival de balão celebra aniversário de Aparecida
Evento é realizado em pontos diferentes da cidade para evitar aglomerações e permitir que os moradores contemplem o pôr do sol recheado de cores

Aparecida celebra seus 99 anos de fundação e história nesta terça-feira,11. Tradicionalmente o aniversário da cidade é celebrado com eventos públicos como o desfile cívico militar, o Aparecida Show e cerimonias religiosas. Devido a pandemia da Covid-19, as comemorações pelo segundo ano consecutivo foram adaptadas para evitar aglomerações e consequentemente a disseminação da doença.

Nessa tarde, 15 balões espalhados em pontos estratégicos coloriram o céu da cidade. Olhando para cima nos próximos dois dias, os moradores terão a oportunidade não apenas de contemplar a aquarela de cores, mas também refletir sobres os desafios superados nas últimas décadas, lembrar das conquistas que os enchem de orgulho e prospectar dias ainda melhores.

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que prestigiou o primeiro final de tarde com o Festival Brasileiro de Balonismo, destacou à imprensa que mesmo em meio à pandemia a população tem motivos para celebrar o aniversário da cidade. Segundo ele, as conquistas alcançadas nos últimos anos são fruto das gestões administrativas e também da garra do povo aparecidense.

"Com a pandemia, não tivemos condições de realizar nossos grandes eventos, mas este festival é uma maneira de trazermos um pouquinho de alegria; as crianças estão eufóricas. Aparecida, que ficou muito tempo no 'plano' hoje 'voa', enchendo de orgulho sua população. Esperamos que nos próximos anos, a cidade continue sendo destaque para Goiás, para o Brasil e o mundo", disse Mendanha ao ressaltar que as atividades deste ano marcam ainda o início das comemorações do centenário do município.

Ao celebrar os 99 anos de Aparecida, o prefeito projeta festa maior para o próximo ano. "Esperamos que no dia 11 de maio de 2022 possamos celebrar o centenário com uma grande festa, com grandes atrações, nos abraçando e comemorando com nossa população, inclusive, nossas crianças vacinadas", pontuou o gestor municipal.

Quem saiu de casa para contemplar o colorido no céu de Aparecida não perdeu a viagem. Ao contrário, viveu e registrou momentos felizes, respeitando as orientações de distanciamento social e com uso de máscara. O aposentado José Ribeiro de Paula, 65, assistiu parte do espetáculo com brilho no olhar.  

"Quando chegamos, Aparecida era simplesmente ali [apontando para Região Central] a igrejinha e a Vila Brasília, não tinha nem a Cidade Livre. Hoje, temos muito que comemorar: o crescimento da cidade, o asfalto e muito mais", disse ele, morador da cidade há 45 anos, ao lado da esposa, Divina Maria dos Santos, e da netinha Emanuela Araújo.

Contemplação
O idealizador e realizador do Festival Brasileiro de Balonismo, Rafael Carvalho, explica que, por questões de segurança, os balões não podem sobrevoar grandes cidades. Assim, ele lembra que os balões irão permanecer até quinta-feira, 12, a uma altura de cerca de 100 metros em locais fixos e monitorados, permitindo que os moradores possam contemplar toda beleza do espetáculo à distância.

"Não podemos fazer esse tipo de evento, com o sobrevôo, em regiões metropolitanas. Estamos fazendo tudo controlado e com os balões fixados em cordas. Assim, mesmo de longe, em suas casas, as pessoas podem visualizar e admirar a beleza", destacou o empresário que realiza festivais em diversas regiões do Brasil.

Parceria
O Festival Brasileiro de Balonismo é uma realização da prefeitura em parceria com a Associação Comercial e Industrial e Comercial de Aparecida de Goiânia (Aciag). A entidade, por meio de seus empresários filiados patrocina o evento que até a próxima quinta será realizado das 16h às 19h em vários pontos da cidade.



Diante de um quadro deficitário de equipamentos e condições para a aplicação da vacina contra a Covid-19 no DF, Janine Brito, CEO da Pinheiro Ferragens e apoiadora da Campanha Unidos pela Vacina, do Grupo Mulheres do Brasil, fez uma honrável ação para ajudar no enfrentamento ao coronavírus na capital: A doação de 100 metros de tecido Dry-soft. "Temos que agir rápido e colocar as mãos à obra", comenta a empresária



Sindicalista patronal há anos no cenário empresarial candango, Janine Brito tem se esforçado, juntamente a várias pessoas do grupo Mulheres do Brasil, por donativos que possam subsidiar a produção de EPI's e uniformes para a utilização da Secretaria de Saúde do DF no enfrentamento à pandemia do coronavírus em Brasília. Com esse material doado pode-se produzir cerca de 1500 kits com touca, gorro, "propés", capotes e muito mais.Janine Brito, CEO da Pinheiro Ferragens e membro do grupo Mulheres do Brasil fez uma honrável ação para ajudar o enfrentamento ao coronavírus na capital: A doação de 100 metros de tecido Dry-soft.

A Secretaria de Saúde, em parceria com a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso do Distrito Federal, consegue fazer parte ou a totalidade dessa produção dentro do Sistema Prisional, permitindo aos apenados a oportunidade de prestar um retorno à população ajudando com sua mão de obra.



O Grupo Inova, conglomerado formado por 20 veículos de comunicação (portal Prefeitos e Governadores, Blog do PAULO MELO, portal Cidades e Condomínios, portal Na Hora do Brasil, TV Inovação, site Plano Piloto DF, Tribuna do Entorno, portal Foco Nacional,  Rádio Inovação, site isso É GOIÁS, portal DEZ Minutos, Folha do Planalto, site isso É AGRO, portal Empreender Brasília, Correio do Poder, site isso É BRASIL, portal Brasília de Todos Nós, site Guará DF, portal Congresso News e site Brasil de Fé),  entrevistou nesta segunda-feira (10) o vereador de Valparaíso de Goiás (GO), Paulo Brito (PSC), sobre as ações desses 120 dias de mandato e os projetos do vereador para os próximos quatro anos na Câmara Municipal de 
Valparaíso de Goiás  



1-) Como o senhor avalia o resultado das eleições? O que representa esta renovação na Câmara de Vereadores?
Tem acontecido uma renovação na política em todo o Brasil e vimos isso também em Valparaíso nessas eleições. As pessoas estão cansadas da velha política e estão em busca dessa renovação, as redes sociais e o acesso à informação fazem com que as pessoas estejam mais ligadas, mais conscientes e participem mais do dia a dia dos problemas da cidade. Isso acaba trazendo essa busca por novos nomes para representar os desejos da população.

2-) Quais são as suas principais preocupações durante esses 120 dias de mandato? 
Em primeiro lugar estou buscando compreender os caminhos que existem dentro do processo legislativo e da Câmara para continuar servindo essa cidade, isso já venho fazendo junto à Fiscalização Tributária nessas décadas em que trabalho pelo município como servidor. Quero manter a fiscalização e cooperar com projetos que tragam benefícios reais ao povo de Valparaíso. Uma de nossas prioridades é ter o gabinete sempre aberto para receber e ouvir a população. Nosso lema é" ouvir e servir"!


3-) Para o senhor quais os grandes problemas de Valparaíso? E de que forma seria possível solucioná-los?
Acredito que os maiores problemas estão relacionados à infraestrutura de nossa cidade. É claro que no momento temos a luta da COVID-19 que espero que seja logo vencida com a vacinação que tem avançado bastante no município. Mas para vencermos maiores problemas da falta de estrutura urbana precisamos buscar recursos no âmbito Estadual e Federal, realizar obras nas ruas, bairros, construir hospital e melhorar o trânsito na nossa cidade. Penso que esses são os maiores problemas que precisamos enfrentar.

4-) Como descreve sua relação com o governo municipal?
A relação é dupla. Fiscalizar e cobrar as melhorias que a cidade precisa e contribuir na criação de projetos e do planejamento das obras e melhorias necessárias.

5-) Quais são os planos e como o senhor pretende atuar em relação às comunidades?
Nossos bairros têm necessidades diferentes, temos realidades diferentes em cada um deles. Durante toda minha vida sempre conheci de perto os desafios de cada região. Também durante a campanha pudemos visitar mais uma vez cada bairro e temos ouvido as demandas e problemas de cada um. Vamos lutar por recursos, obras e projetos que cheguem até a casa, até a rua de cada morador, que ofereça qualidade de vida, segurança, mobilidade urbana, saúde de qualidade. Essas são as maiores queixas das pessoas que temos ouvido.

6-) O que a população de Valparaíso pode esperar do vereador? 
Pode-se esperar seriedade, comprometimento e, acima de tudo, estar sempre com o gabinete aberto para ouvir e servir a cada um, representando a comunidade junto a Câmara.

7-) O que o senhor planeja para esse mandato de 4 anos? Quais entregas pretende fazer? 
Já tivemos algumas vitórias, dentre elas aprovação unânime deste projeto para praças de Food Trucks, e a busca de recursos para estruturar esses espaços. Isso vai ajudar o comércio, formalizar os ambulantes e proporcionar um local para as famílias se reunirem, usando os espaços públicos que existem com o mínimo de estrutura. Muitos outros projetos virão. Estamos motivados!

8-) Chegamos ao final da nossa entrevista, o senhor tem alguma mensagem de otimismo para os cidadãos? 
Faremos dessa cidade uma cidade melhor, melhor para viver, para trabalhar. Nossa cidade é grande e pode e deve crescer ainda mais, com qualidade e boa infraestrutura. Para isso estamos trabalhando. Os problemas são grandes e desafiadores, mas com trabalho sério, as mudanças vão acontecer.



Com mais de 16 programas sociais, o GDF também tem o programa
 Bolsa Maternidade que distribui um enxoval com 21 itens, entre roupinhas, fraldas, mantas e pomada, para dar suporte ao recém-nascido nos primeiros dias de vida. O programa foi regulamentado há um ano, no Dia das Mães, programa foi incluído no Auxílio-Natalidade para atender mães em situação de vulnerabilidade social



"Eu gostei muito da Bolsa Maternidade. As peças são todas bonitinhas, bem cuidadas, vou poder aproveitar bastante. Tem muita mãe que precisa. É muito bom poder sair do hospital já com as roupinhas do bebê". Esse é o relato da Amanda Cabral Sá da Silva, mãe do pequeno Pedro Miguel, de apenas um mês. Moradora do Itapoã, ela recebeu o enxoval na semana passada no banco de leite do Hospital Regional do Paranoá.

"Fiquei sabendo do benefício por um grupo de gestantes e entrei em contato com o Centro de Atendimento em Assistência Social (Cras) pelo telefone 156", diz Elaynne Carvalho dos Santos, moradora de São Sebastião| Foto: Renato Raphael/Sedes

Chefe de família, além de Pedro Miguel, Amanda é mãe do Guilherme, de 5 anos. "Eu moro sozinha com meus dois filhos pequenos e estou sem trabalhar. Quando estava grávida de oito meses, decidi procurar o Centro de Referência em Assistência Social (Cras) para tentar receber os benefícios sociais neste momento que estou sem renda", conta.

"Com a pandemia da covid-19, a crise deixou muitas mães e pais de família desempregados, sem recursos para sustentar o bebê e comprar o enxoval neste começo. Tem neném que nasce sem uma roupinha para usar, dependendo de doações. Foi pensando nessas famílias que efetivamos o auxílio da Bolsa Maternidade"Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

Amanda é uma das 1.916 mães que já receberam o enxoval do programa Bolsa Maternidade. Lançado há um ano, no Dia das Mães, o Bolsa Maternidade foi incluído no benefício eventual Auxílio Natalidade como bem de consumo para atender às mães em situação de vulnerabilidade social. O benefício é concedido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), após cadastro prévio e análise das unidades socioassistenciais.

O Bolsa Maternidade é um enxoval com 21 itens, entre roupinhas, fraldas, mantas e pomada, para dar suporte ao recém-nascido nos primeiros dias de vida. Neste ano, 659 bolsas já foram entregues às mães em vulnerabilidade social, e 431 kits estão já autorizados, aguardando o nascimento das crianças.

"Quando nós regulamentamos o benefício da Bolsa Maternidade, a ideia era justamente dar esse apoio às mães neste momento tão único, e, ao mesmo tempo, tão delicado para muitas famílias, ainda mais para aquelas que já estão em situação de vulnerabilidade social. Com a pandemia da covid-19, a crise deixou muitas mães e pais de família desempregados, sem recursos para sustentar o bebê e comprar o enxoval neste começo. Tem neném que nasce sem uma roupinha para usar, dependendo de doações. Foi pensando nessas famílias que efetivamos o auxílio da Bolsa Maternidade", destaca a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.
 
 "O governo tem procurado reduzir o impacto da crise para as famílias mais carentes. Já atendemos 700 mil pessoas com algum tipo de auxílio, estamos gerando empregos com obras públicas, mas este tipo de ação que vemos hoje também é importante", disse o governador Ibaneis Rocha.  

Apoio
Quem também teve a oportunidade de receber esse benefício foi a pequena Maria Geovanna Moura, hoje com nove meses. Seus pais, o repositor de supermercado Hudson Willian de Moura, de 27 anos, e a esposa Thais Almeida dos Santos, de 24 anos, são moradores de Samambaia Sul, e receberam o Bolsa Maternidade em dezembro de 2020, no banco de leite do Hospital Regional da Samambaia, depois de fazer a solicitação no Cras.

"Eu estava desempregado na época que minha filha nasceu. Então, o enxoval ajudou muito a neném. Até hoje, ela usa a 'mantinha' que nós ganhamos no kit", conta o pai da Maria Geovanna. Thais dos Santos foi uma das 1.276 mães beneficiadas pelo programa de maio a dezembro do ano passado. "Não tinha como comprar as coisas da bebê e minha esposa não pode trabalhar por ter limitações de saúde. Estávamos passando por um momento difícil, com dificuldade até de pagar aluguel. O Bolsa Maternidade e o dinheiro do Auxílio Natalidade foram muito importantes", explica Hudson.

"Eu estava desempregado na época que minha filha nasceu. Então, o enxoval ajudou muito a neném. Até hoje, ela usa a 'mantinha' que nós ganhamos no kit"Hudson Willian de Moura, 27 anos, pai de Maria Geovanna

Uma das mães que recebeu recentemente o Bolsa Maternidade foi Elaynne Carvalho dos Santos, moradora de São Sebastião. Ela retirou o kit para a pequena Sofia, de um mês, também no banco de leite do Hospital Regional do Paranoá.

"Fiquei sabendo do benefício por um grupo de gestantes que eu participava e entrei em contato com o Centro de Atendimento em Assistência Social (Cras) pelo telefone 156. Foi rápido", pontua Elaynne. "Todas as peças da Bolsa Maternidade têm sido úteis para a minha filha, tive que comprar poucas coisas para ela nesse começo. Nos próximos dias vou receber também os R$ 200, do Auxílio Natalidade".

Bolsa Maternidade
O Bolsa Maternidade pode ser solicitado diretamente nas unidades do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) pelo link: http://www.bolsamaternidade.sedes.df.gov.br:8080/bolsamaternidade/index.html.

O pedido para a concessão do benefício deve ser feito a partir da confirmação da gravidez, até 30 dias após o nascimento do bebê. O enxoval é retirado tão logo a mulher dê à luz nas maternidades públicas do DF.

Além do Bolsa Maternidade, o Auxílio Natalidade garante às mães em situação de vulnerabilidade social uma parcela única do benefício eventual de R$ 200, quando a criança nasce, para ajudar nos primeiros cuidados. Tanto esse valor, quanto o bolsa, são fornecidos por criança nascida e valem também para pais adotivos. O benefício só é pago para quem reside no DF há, pelo menos, seis meses.

O Bolsa Maternidade é voltado a famílias em situação de vulnerabilidade com renda per capita inferior a meio salário mínimo, inscritas no programa Criança Feliz Brasiliense. Também vale para famílias em situação de rua.

Uma parceria entre a Sedes e a Secretaria de Saúde (SES) determina que a retirada das Bolsas Maternidade seja feita nos bancos de Leite das maternidades públicas do DF. A iniciativa é uma forma de garantir que as mães, quando forem retirar o kit, também recebam orientações sobre a amamentação.

Outros projetos sociais do GDF

Programa Prato Cheio
Quem tem direito: Famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional, pré selecionadas pela SEDES.
Valor: R$250,00
Formas de uso: compras na função débito em estabelecimentos alimentícios.
Período de recebimento: Mensal, por três meses.

Programa Cartão Creche
Quem tem direito: crianças de 0 a 3 anos de idade, moradoras do Distrito Federal.
Valor: R$803,57
Formas de uso: função débito do cartão.
Período de recebimento: até a criança completar 4 anos de idade.

Programa Mobilidade cidadã
O benefício foi criado por meio de parceria entre as secretarias de Desenvolvimento Social; de Economia; e de Transporte e Mobilidade, para minimizar os impactos da pandemia da covid-19 junto a taxistas e motoristas de transporte escolar.  
Quem tem direito: Proprietários de veículos escolares e taxistas.
Valor: R$600,00
Período de recebimento: mensal, por três meses.

Programa DF Sem Miséria
O Plano Pela Superação da Extrema Pobreza – DF Sem Miséria,  programa que estabelece ações integradas e articuladas das diversas políticas públicas com vistas à garantia de direitos de cidadania e superação da extrema pobreza no DF, por meio de acesso à renda, serviços públicos, projetos de inclusão produtiva e geração de emprego e renda.

Programa Criança Feliz Brasiliense
O programa Criança Feliz Brasiliense tem a finalidade de apoiar as famílias em seu papel protetivo, além de ampliar a rede de atenção e cuidado para o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância. Para isto, tem como principais ações as visitas domiciliares e a articulação intersetorial. As visitas domiciliares do Programa, tem duração média de 45 minutos e acontecem de forma planejada e sistemática, nelas os visitadores realizam orientações sobre práticas que fortalecem o desenvolvimento da criança, os vínculos familiares bem como sobre o acesso aos serviços para a garantia de direitos.

Programa Tarifa Social do GDF
Famílias cadastradas na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) têm direito a descontos de até 65% na conta de energia. Atualmente, cerca de 12 mil clientes do Distrito Federal estão inscritos, mas a NEOenergia Distribuição Brasília acredita que o contingente pode ser ainda maior. Para ter acesso ao desconto, o cliente deve estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). As famílias inscritas nesses programas devem obter o Número de Identificação Social (NIS) diretamente em um Centro de Referência e Assistência Social (Cras) da região administrativa onde residem.

Programa de Habilitação Social do GDF
O programa de Habilitação Social – Primeira Habilitação para o Transporte e Inserção de Novos Motoristas é uma iniciativa do GDF, Detran/DF e da Secretaria de Desenvolvimento Social. O projeto permite que jovens de baixa renda tenham acesso à primeira CNH gratuitamente em todo o DF.  O programa oferece às famílias em vulnerabilidade social a oportunidade de emitir gratuitamente a primeira carteira de habilitação. O Código Familiar é o número de identificação de cada lar junto ao Cadastro Único, ou seja, cada família tem o seu próprio código. E esse é o número que deve ser utilizado no ato da inscrição da Habilitação Social.

Programa Bolsa Maternidade
O programa Bolsa Maternidade do GDF, promovido por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), tem o objetivo de oferecer o suporte material necessário para os primeiros dias do bebê. O benefício é ofertado em bens de consumo e vai atender mães de família com renda per capita igual ou inferior a meio salário-mínimo e residentes no DF, é necessário comprovar residência no DF há pelo menos seis meses. Também têm direito ao benefício pessoas em situação de rua incluídas na Política de Assistência Social. A bolsa é entregue na própria maternidade, junto ao banco de leite é composta por body fechado, cobertos, cueiro, culote, macacão longo, macacão curto, meia, toalha, casaco com capuz, fralda descartável, lenço umedecido e pomada anti-assadura. Vale destacar que, em caso de gêmeos, trigêmeos ou mais, o benefício é concedido na mesma quantidade dos nascidos vivos.

Programa Cartão Material Escolar
É um cartão magnético de débito, cujos valores são utilizados para que o filho (ou filhos) dos beneficiários possam estudar na escola com alguns materiais específicos financiados pelo programa, comprando em papelarias credenciadas para o volta às aulas na rede pública, seja na educação infantil, educação básica ou em demais instituições de ensino.  Para quem está na educação infantil e no ensino fundamental, o auxílio é de R$ 320. Estudantes do ensino médio recebem R$ 240.

Programa Bolsa Alimentação Escolar
O programa foi criado em março de 2020, no início da pandemia da Covid-19, para garantir a segurança alimentar e nutricional dos estudantes das escolas durante a suspensão das atividades presenciais.  Os beneficiários da Bolsa Alimentação Escolar recebem proporcionalmente ao número de dias em que o estudante estaria na escola. Tinha direito a receber os 106.435 estudantes da rede pública que fazem parte do programa Cartão Material Escolar (CME), cujas famílias são beneficiárias do Bolsa Família. A Bolsa Alimentação Escolar atendeu mais de 106 mil estudantes, cujas famílias fazem parte do Bolsa Família. Para cada refeição (almoço e/ou janta) que fariam na escola, receberam R$ 3,98, definidos conforme o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). O investimento total da Secretaria de Educação chegou a R$ 88.555.187,06.

Programa Bolsa Alimentação Creche
O programa foi criado em março de 2020, no início da pandemia da Covid-19, para garantir a segurança alimentar e nutricional dos estudantes das creches durante a suspensão das atividades presenciais. O pagamento foi feito mensalmente e durou até março de 2021. A  Bolsa Alimentação Creche foi destinada a 23 mil crianças matriculadas nas nas creches do GDF e instituições parceiras. O valor é fixo: R$ 150 por mês. O investimento por mês foi de R$ 3.477.690.

Programa Bolsa Alfa
Programa de transferência de renda direta às famílias destinada aos integrantes das famílias beneficiárias do PBF com idade superior a quinze anos que estiverem inscritos e frequentando os Cursos de Educação de Jovens e Adultos da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.

Programa Bolsa Atleta
É um programa de patrocínio individual de atletas e Paratletas de alto rendimento que obtêm bons resultados em competições nacionais e internacionais de sua modalidade. O programa garante condições mínimas para que se dediquem, com exclusividade e tranquilidade, ao treinamento e competições locais, sul-americanas, pan-americanas, mundiais, olímpicas e paralímpicas. O benefício do Programa Bolsa Atleta será concedido no ano exercício, configurando até 12 recebimentos. O valor mensal do benefício será concedido de acordo com a classificação dos atletas e dos níveis da modalidade.

Programa Caminhos da Cidadania
É um programa da política de assistência social que visa beneficiar adolescentes de 15 a 17 anos inscritos no Cadastro Único, preferencialmente integrantes do Bolsa Família, com vistas para o alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento da vulnerabilidade social, bem como preparar o jovem para o mercado de trabalho. Integrado ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. (Atualmente Suspenso de acordo com o Decreto 40.520, de 14 de março de 2020)

Cesta Emergencial do GDF
 A Cesta de Alimentos Emergencial é um Programa de Provimento Alimentar Direto em caráter emergencial que consiste na concessão de cestas de alimentos em caráter temporário e transitório direcionadas às famílias e pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional (falta de alimentos de qualidade e em quantidade suficiente para prover a subsistência da família ou da pessoa). A Cesta Emergencial é composta por duas partes: a parte seca (alimentos não perecíveis) e a parte verde (frutas, verduras e legumes). Casos excepcionais de concessão de cesta básica in natura deverão ser avaliados por especialista em assistência social que sinalize o fator primordial que gera a necessidade da provisão alimentar prescindida dos critérios
estabelecidos.

Cesta Verde
Programa do GDF complementa cesta básica que já é entregue a famílias em situação de vulnerabilidade. A partir de agora, famílias em situação de vulnerabilidade com renda per capita inferior a meio salário mínimo (R$ 499) receberão do GDF uma cesta composta de frutas e vegetais juntamente com a cesta básica de produtos não perecíveis entregue todo mês.

Projeto Golfinho
O Projeto Golfinho atende atualmente 400 crianças e adolescentes, de 6 a 16 anos, da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal e que se encontram em situação de vulnerabilidade social (evasão escolar, trabalho infantil, violência doméstica, vitimização, drogas e desestruturação familiar). Os beneficiários do Projeto são de famílias de baixa renda e residentes de Ceilândia e do Itapoã. O ingresso no Golfinho ocorre na idade entre 6 e 10 anos. A seleção é feita por parcerias com Escolas Públicas que fazem a indicação e o encaminhamento. No Projeto são realizadas atividades pedagógicas (educação sanitária e ambiental, desenvolvimento da escrita, leitura e raciocínio lógico) e práticas esportivas (jogos cooperativos e natação), visando a integração e autonomia social, disseminação de valores éticos e construção da cidadania. Com funcionamento contínuo de janeiro a dezembro, todos os serviços essenciais à operacionalização (acompanhamento profissional, alimentação, transporte, material pedagógico e esportivo) são contratados pela Caesb por meio de licitação pública e a sua gestão está a cargo da Gerência de Qualidade de Vida e Responsabilidade Social, não havendo qualquer tipo de patrocínio ou convênio oneroso para a Caesb.



Durante a instalação de Companhia Independente da PM e entrega de viaturas, em Itapuranga. Medida atende reestruturação operacional e administrativa requerida pelo Estado para gestão do policiamento ostensivo e preventivo na região


Fotos: Júnior Guimarães  

Governador Ronaldo Caiado durante a instalação da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar do Estado de Goiás (22ª CIPM-GO), em Itapuranga, no Centro goiano, e entrega de quatro novas viaturas: "Governo meu é para dar atenção ao cidadão".

"Sempre dei total liberdade à área de Segurança Pública para que coloque em prática o compromisso que assumimos com a população: o cidadão em Goiás vai viver em paz", afirmou o governador Ronaldo Caiado, nesta segunda-feira (10/05), durante a instalação da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar do Estado de Goiás (22ª CIPM-GO), em Itapuranga, no Centro goiano. "Aqui não tem espaço para bandido", reforçou.

A estrutura da 22ª CIPM-GO fica localizada na Rua da Concórdia, no Setor Marista. A medida atende a necessidade de reestruturação operacional e administrativa requerida pelo Governo de Goiás para a gestão do policiamento ostensivo e preventivo na região. Durante a solenidade, também foram repassadas quatro novas viaturas à Polícia Militar. Caiado destacou que entre as características do seu governo está a não inauguração de obras e estruturas que não estejam prontas. "A Companhia Independente da Polícia Militar já está funcionando, uma estrutura que toda a região clamou por tantos anos. Governamos para dar atenção ao cidadão", reiterou.

Entre os municípios e distritos que serão atendidos pela nova unidade militar estão: Itapuranga, Diolândia, Heitoraí, Guaraíta e Morro Agudo de Goiás. A 22ª CIPM surge após a extinção da Companhia Destacada, que ficava no mesmo local, e será subordinada diretamente ao 4° Comando Regional de Polícia Militar (4° CRPM-GO), situado na cidade de Goiás, a 44 quilômetros de Itapuranga.

O investimento só é possível, segundo o vice-governador, Lincoln Tejota, devido à correta aplicação dos recursos públicos. "Temos um governador que deixa o Estado crescer, permite que as forças de segurança trabalhem. Isso é a prova de que quando a gestão é correta, o dinheiro é suficiente", declarou.

Lincoln ainda falou sobre outros benefícios estaduais levados à região de Itapuranga. "Hoje entregamos à população um Estado que honra suas contas, com obras que têm data para começar e para ser inaugurada", e completou: "Um governo que regionaliza a saúde, que reforma todos os colégios".

Com o reaproveitamento da estrutura utilizada pela antiga companhia, o governo estadual não terá novas despesas na criação da unidade. O comandante da 22ª CIPM-GO será o major Waldomiro Ferreira da Silva Júnior, membro do quadro de oficiais da Polícia Militar.

Secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), Rodney Miranda destacou que, por orientação do governador, as forças de segurança estão nos 246 municípios goianos. "E, em todos eles, posso dizer que temos reduções contundentes de violência. Não tem canto do Estado que não estejamos prevenindo e combatendo a violência", destacou.

Rodney também lembrou que, assim como a 22ª CIPM-GO, há demandas históricas em diversos outros municípios de Goiás, que necessitam de mais estrutura para melhorar e aperfeiçoar a segurança pública. "Estão sendo atendidas pelo governador. E virão mais. Este ano e o ano que vem serão de entregas, não só de consolidação de uma política eficiente de combate à criminalidade", reforçou o secretário.

Agradecido com a dedicação do Governo de Goiás em relação à Polícia Militar, o comandante-geral, coronel Renato Brum, disse que isso é "motivo de orgulho". "Nos motiva e nos dá forças para combater a criminalidade", comentou. "A importância dessa Companhia Independente está aqui hoje. É melhor estrutura, logística e acomodamento próprio. Só quem tem a ganhar é a região", acrescentou.

Na solenidade foram entregues quatro novas viaturas dos modelos Renault Duster, que serão usadas para atender às demandas da região. Os veículos possuem cubículos para a garantia da segurança dos policiais militares durante as diligências, além de maior tecnologia e potência. Além disso, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) fará a destinação de mais duas caminhonetes GM S10, a diesel, 4x4. "São dois veículos, por meio do Comando de Policiamento Rodoviário. Tenho certeza que não poderiam estar em melhores mãos", afirmou o presidente Pedro Sales.

Desde março de 2021, a frota da Polícia Militar passa por renovação. O governo estadual pretende entregar 2.689 viaturas, de forma gradativa, até o mês de julho, aos municípios goianos. A expectativa de economia aos cofres públicos por parte do Poder Executivo é de mais de R$ 22 milhões por ano.

Durante discurso, o prefeito de Itapuranga, Geraldo Paulo Fernandes, atestou que nenhum outro governante tinha dado valor às reivindicações do município. "E você, governador, em pouco mais de dois anos nos concede esse sonho", afirmou. Conhecido como Paulinho Imila, o gestor municipal ainda reconheceu a evolução da segurança pública na região. "Nasci e cresci aqui, e tenho percebido como a segurança da nossa cidade é bem executada pela Polícia Militar e Civil". Por fim, o prefeito também elogiou a atuação de Caiado: "Acima de tudo, quero parabenizar sua coragem, determinação e seriedade à frente do governo do Estado de Goiás", enfatizou.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Lissauer Vieira, fez considerações sobre a necessidade de "governos sérios". "E o governador Ronaldo Caiado tem feito isso. Continuaremos ajudando o Estado a trilhar o progresso e desenvolvimento, e com responsabilidade aplicando o dinheiro público onde a população necessita", apontou.

Educação
Assim que chegou ao município, o governador foi recebido por estudantes da rede pública de Goiás. Em uma faixa, os alunos diziam: "A comunidade escolar agradece ao Governo de Goiás e à Secretaria de Estado da Educação pelos recursos destinados à reforma e ampliação das escolas da Coordenação Regional de Itapuranga, no valor de R$ 7.558.813,45". Aos alunos, Caiado disse: "Coisa boa é ver professores e alunos bem. O que mais me anima é ver vocês sendo recebidos em um ambiente que é compatível com as necessidades de vocês".

Para a coordenadora regional de Educação, Sônia Martins Cardoso Freires, ver todo esse investimento ser feito nas unidades educacionais da região é como um "sonho".  "É com muita alegria e emoção que a gente recebe esses recursos, porque as escolas não tinham quase nada. Essas crianças merecem o melhor, e o melhor está sendo feito para elas", e completou: "A educação será outra. É um sonho que, com 35 anos de educação, nunca imaginei viver."



Pedido foi feito por moradores do local ao prefeito Rogério Cruz  



A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra), por determinação do prefeito Rogério Cruz, irá desenvolver  nos próximos dias um estudo técnico em busca de alternativas para a Rua da Dívida e da região do Setor Jaó, no Norte de Goiânia.

Os moradores do bairro querem que a Prefeitura de Goiânia mude o itinerário da via para a BR-153, preservando o bairro do fluxo intenso de veículos. Também foi pedido que a Seinfra realize uma vistoria nesta rua devido aos alagamentos que geram erosões e acidentes, além de engarrafamentos.

"Existe a necessidade de intervenção no sistema viário, mas também existe uma demanda da população para preservar o local e diminuir o volume de automóveis que trafegam por ali. Vamos cuidar disso", explica o secretário de Infraestrutura, Fausto Sarmento.

O prefeito Rogério Cruz e comitiva formada pela primeira-dama Thelma Cruz, os secretários Fausto Sarmento (Seinfra), Michel Afif Magul (Planejamento Urbano e Habitação), Horácio Mello (Mobilidade) e José Firmino (chefe de gabinete do prefeito), além do presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), Luan Alves, estiveram reunidos no local na manhã desta segunda-feira (10/4) com os moradores da região.

"Desse jeito não pode continuar. Vamos cuidar disso. Todas essas secretarias vão se unir para a gente trabalhar junto e fazer mais", garante o prefeito Rogério Cruz.

Lembrando que no início do ano, após a forte chuva, o córrego Jaó transbordou e a Seinfra executou uma nova canalização para saída d'água em excesso, fez a recuperação da via, reforçou os bueiros e conteve as erosões causadas pelas chuvas



O secretário de Estado de Atendimento à Comunidade do DF falou sobre o trabalho da pasta, dentre outros assuntos



Apresentado pelo cientista político Rócio Barreto, o programa Por Brasília, exibido na TV Brasília, deste último sábado (8), recebeu o secretário de Estado de Atendimento à Comunidade do Distrito Federal, Severino Cajazeiras.

Inicialmente, o secretário cumprimentou as lideranças comunitárias que celebraram o Dia Nacional do Líder Comunitário, no dia 05 de maio. "São pessoas que ajudam a fazer o Distrito Federal cada vez melhor", destacou Severino Cajazeiras.

Logo após, houve uma apresentação de um currículo extenso do secretário de Estado, que é muito conhecido principalmente como professor de diversas faculdades e cursos preparatórios e no mundo da advocacia.

O secretário de Estado explicou o trabalho realizado diariamente na Secretaria de Estado de Atendimento à Comunidade. "Recebemos, damos encaminhamento às demandas. A SEAC faz essa interface entre os demais órgãos do Governo e o governador", resumiu sobre as principais atividades da pasta.

Durante a entrevista, Severino Cajazeiras exemplificou como a comunidade pode buscar os serviços da Secretaria de Atendimento à Comunidade por atendimento presencial mediante agendamento, por telefone fixo ou por meios digitais como e-mail e whatsapp. "Costumo dizer que ninguém nunca pediu o céu, a lua nem as estrelas lá na Secretaria, as pessoas vão pedir o que é importante e de obrigação do Estado", finalizou Cajazeiras.

A entrevista na íntegra está no YouTube. Para conferir, basta clicar no link: https://www.youtube.com/watch?v=ltUqMqf6Uh4.



Após reconhecimento, Campanha Cartão Verde começa nova etapa em Águas Claras, Asa Norte, Ceilândia e Taguatinga


Foto;Marcelo Oliveira.

A partir desta terça-feira (11), o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) vai entregar 308 certificados para residências e condomínios que acertaram na coleta seletiva. A ação faz parte da campanha Cartão Verde, que busca melhorar a separação dos resíduos e aumentar o índice de reciclagem no Distrito Federal.

O certificado é entregue para os que receberam três cartões verdes ao longo de três semanas | Foto: Divulgação/SLU

A certificação é a última etapa da campanha, realizada durante quatro semanas. Na primeira, as equipes de mobilização passam na região avisando síndicos e moradores sobre o início da operação. Nas três semanas seguintes, os garis da coleta seletiva fazem avaliação e adesivação das lixeiras e contêineres. Quem fez a separação recebe cartão verde. Aqueles que misturam recicláveis e orgânicos, por sua vez, recebem cartão amarelo. Já quem não faz nenhuma separação recebe cartão vermelho. O certificado é entregue às pessoas que receberam três cartões verdes ao longo das três semanas.

"É uma forma de valorizar e reconhecer aqueles moradores e condomínios que estão preocupados em fazer a coleta seletiva e também de alertar aqueles que ainda não estão olhando para isso. Aqueles que receberam três cartões vermelhos poderão ser notificados pelo DF Legal e até receber multa, conforme prevê a legislação. Mas nossa intenção é educar", explica a assessora de mobilização do SLU, Adelaide Cristina.

Vão receber o certificado os moradores que acertaram na coleta seletiva do Guará (23), Asa Norte (206), Águas Claras (62) e Taguatinga (17).

Nova etapa
Além da entrega de certificados, a campanha Cartão Verde também inicia a sua sexta etapa. Os garis vão avaliar a qualidade da coleta em outra amostragem nas regiões de Águas Claras, Asa Norte, Ceilândia e Taguatinga.

As regiões que participam das etapas da campanha Cartão Verde são escolhidas pelo SLU com base em critérios técnicos de qualidade da coleta seletiva. A campanha já passou por Águas Claras, Asa Norte, Ceilândia, Gama, Noroeste, Recanto das Emas, Sudoeste e Taguatinga. Só em 2020, foram aplicados 4.226 cartões, sendo 2.171 verdes, 1.210 amarelos e 845 vermelhos.



Por meio do programa Goiás em Movimento nas cidades, o Governo de Goiás vai investir R$ 200 milhões no recapeamento asfáltico, drenagem e sinalização vertical e horizontal de malha viária urbana em 100 municípios goianos para melhorias de ruas e avenidas


Fotos: Wesley Costa.

Com Goiás em Movimento - Eixo Municípios, promovido pela Seinfra, o Governo do Estado vai estabelecer parcerias com prefeituras para reformar, na primeira etapa, malha viária de 100 cidades, em todas regiões. "Vamos, juntos, reconstruir esse asfalto e dar dignidade à população", diz governador

O governador Ronaldo Caiado anunciou, nesta segunda-feira (10/05), que fará investimento de R$ 200 milhões na reconstrução de vias urbanas, dentro do Goiás em Movimento - Eixo Municípios, programa promovido pela Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra). "Anuncio aqui, ao lado do presidente da Goinfra, Pedro Sales, o maior programa de assistência aos municípios para a recuperação das suas principais avenidas", disse em vídeo divulgado por meio de suas redes sociais.

Na primeira etapa, serão contempladas 100 cidades, onde foram identificados os casos de maior gravidade, segundo a equipe de planejamento da agência e com base em dados do Instituto Mauro Borges (IMB). Com o convênio firmado, a Goinfra irá promover recapeamento asfáltico, drenagem e sinalização vertical e horizontal de malha viária urbana em pontos definidos por cada prefeitura. "Vamos, juntos, reconstruir esse asfalto nas suas cidades e devolver Goiás aos goianos, dando dignidade à população que vive em cada um dos 246 municípios do Estado", enfatizou o governador no vídeo.

Dentre as 100 cidades da primeira etapa do programa, há representantes de todas as regiões do Estado. Elas foram divididas em lotes de 10 em 10 municípios, para atender com rapidez as demandas de cada grupo. A expectativa é que, em até 90 dias, o pacote de obras seja licitado e as máquinas comecem a chegar às cidades contempladas já no próximo semestre.

A vulnerabilidade dos municípios, sob o ponto de vista fiscal, somada aos custos elevados dos serviços rodoviários, levaram à depreciação das vias urbanas ao longo dos anos. "Diante deste cenário, as prefeituras não conseguiram investir em manutenção e recuperação de suas infraestruturas, que foram se depreciando com o tempo", pontuou o presidente Pedro Sales. A situação se agravou com a pandemia da Covid-19, quando as gestões municipais tiveram de forçar aporte na saúde.

"Chegou a hora de o Estado, por meio da Goinfra, que tem inteligência para operar o segmento rodoviário, socorrer os municípios e investir recursos para recuperar as condições de trafegabilidade na malha urbana das cidades", explicou Pedro Sales. "Esta é a etapa piloto do programa, com 100 municípios contemplados em todas as regiões do Estado. A partir daí, vamos aperfeiçoar nosso trabalho e atender a todos os 246 municípios goianos", projetou.

Sinaliza Goiás chega a 16 municípios do Entorno do DF na 1ª etapa
O Governo de Goiás, por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-GO), chega, nesta segunda-feira (10/05), a Novo Gama, o primeiro dos 16 municípios da região do Entorno de Brasília que vão receber os benefícios do programa Sinaliza Goiás. Lançado na semana passada, o programa vai investir mais de R$ 12 milhões para levar sinalização horizontal e vertical a 127 municípios goianos, na primeira etapa.

Ao todo, o programa Sinaliza Goiás vai contemplar os municípios com 30 mil unidades de placas e mais de 300 mil metros quadrados de sinalização horizontal. No lançamento do programa, o governador Ronaldo Caiado ressaltou a importância de levar a sinalização para os municípios que mais necessitam. "Ao colocar uma faixa na porta de uma escola, hospital, em um cruzamento, cria-se uma cultura para as pessoas entenderem o quanto é importante respeitar aqueles locais. Isso salva vidas", destacou o governador. "Até o final do nosso mandato, em 2022, todos os 246 municípios estarão 100% atendidos na sinalização de trânsito", informou.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece que a sinalização é uma atribuição do município. Porém, em dificuldades devido à pandemia de Covid-19, poucas cidades estão com capacidade adequada de investimento.  O presidente do Detran, Marcos Roberto Silva, explicou que o programa é uma forma de suprir as necessidades. "O Governo de Goiás mostra-se sensível às causas do trânsito e às dificuldades encontradas pelos prefeitos, sobretudo, nessa época de pandemia", afirmou.

Nos próximos dias, Luziânia, Valparaíso e Cidade Ocidental também já irão receber as equipes do Detran-GO para a realização de estudos técnicos, plano e execução de sinalização horizontal (faixas de pedestre, retenção e outras) e vertical (placas) em áreas urbanas. Todos os demais lotes, que abrangem as outras regiões do Estado, começam a executar as obras de sinalização nesta semana.

Dos 127 municípios atendidos na primeira etapa do Sinaliza Goiás, 58 serão contemplados com materiais de sinalização viária. O Detran-GO vai adquirir 14.140 placas de sinalização vertical e executar 144.390 metros de sinalização horizontal. Os outros 69 municípios serão atendidos por empresas terceirizadas. Elas devem receber 15.630 placas e 157.350 metros quadrados de sinalização horizontal.

O trabalho de sinalização implantado pelo Detran-GO tem como pilar o plano de circulação para diminuir pontos de conflitos; adequar a velocidade dos condutores à segurança da via; e aumentar a visibilidade e fluidez nos cruzamentos. Além de locais de grande fluxo e altos índices de acidentes, as equipes de engenharia de tráfego priorizam as imediações de escolas, visando oferecer melhores condições de travessias.

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.