Mostrando postagens com marcador TV Inovação. Mostrar todas as postagens



Casas da cidade oferecem receitas para todos os paladares 

 

Janeiro é sinônimo de férias! E para quem não viajou e quer aproveitar a época fazendo um tour gastronômico pelo quadradinho, os sanduíches são uma ótima pedida. Foi pensando nisso, que casas da capital federal oferecem deliciosas opções para todos os públicos. Sendo um ótimo programa para curtir em família. 


Uma das casas, é o Le Parisien, que traz opções para o lanche da tarde. Com assinatura do criativo chef Leandro Nunes, as delícias podem ser saboreadas das 15h às 19h. São três opções de sanduíches de dar água na boca. Entre eles, de filé (filé grelhado e laminado, molho de gorgonzola e picles de cebola roxa e alface – R$36) e de frango (frango salteado com pimentões assados e alface – R$34).  Para os vegetarianos, a sugestão é o de cogumelos (cogumelos salteados com baba ghanoush e rúcula – R$34). Os três sandubas vêm acompanhados de chips de batatas.


Inspiradas no Mediterrâneo, as criações do 002Café dão ao paladar um sabor mais refrescante. Entre as opções para se deliciar, o 200 (R$ 26): uma toast de babaganoush, funcho, limão siciliano, romã e melado, assinada pelo chef Mateus Abdalla, do Villab Cozinha Afetiva. Outra boa pedida são os Tacos Belos (R$ 30): uma duplinha de tacos, com pasta de feijão, pico de gallo, aioli de abacate e conserva de pimenta de cheiro.


No O Concorrente, na 409 Norte, o público poderá provar iguarias de dar água na boca. Entre os destaques, o Smash Burger (R$ 22 und./R$ 33 combo: blend angus de 90g, fios de cebola grelhada, queijo prato, picles, maionese caseira e pão brioche;  e o Soberano (R$ 39 und./R$ 50 combo): pão brioche, blend angus de 180g, queijo prato, queijo cheddar, cebola crispy, alface e tomate. Há ainda o Vegetariano (R$ 25 und/R$ 37 combo): hambúrguer de grão de bico empanado, shitake, pimentões defumados, crispy de abobrinha, alface americana, queijo muçarela, maionese caseira e pão brioche.


Já o Tá Doido Burger oferece opções acessíveis, como o Tá Doido! (a partir de R$ 14,90): pão brioche, blend 100g, queijo prato, alface americana e maionese defumada; Vey (a partir de R$ 14,90): pão brioche, blend 100g, queijo cheddar bacon crispy e maionese especial; e o Kbuloso (a partir de R$ 14,90) pão australiano, blend 100g, queijo cheddar, cebola caramelizada e maionese especial. 


O restaurante Blend Boucherie, na 412 Norte, também é um dos lugares que se destaca por oferecer hambúrgueres apetitodos. No cardápio, assinado pelo premiado chef Marcello Lopes, o Blend Burguer (R$ 38): pão, blend de angus, fondue de queijo, molho de tomate, crispy de copa, crock de parmesão, crispy de cebola, mix de folhas e maionese de parmesão; Para os vegetarianos, o Veggie Burguer (R$ 46): pão, hambúrguer de três cogumelos, fondue de queijo, molho de tomate, crock de parmesão, crispy de cebola, mix de folhas e maionese de parmesão.


No Geléia, o comensal pode provar o Clássico (a partir de R$ 21,90), feito com pão australiano artesanal, blend de fraldinha e costela (100g), queijo cheddar, cebola caramelizada e maionese caseira do Geléia. Outra opção é o Big Burger (a partir de R$ 25,90) preparado com pão brioche artesanal, 2x blend de fraldinha e costela (100g cada), 2x queijo prato, alface americana e maionese caseira do Geléia. 



Le Parisien Bistrot

Endereço: CLN 103, bloco B - Asa Norte 

Horário de funcionamento: Terça a sexta das 12h  às 15h e das 19h às 23h. Sábado das 12h às 16h e das 19h às 23h. Domingo das 12h às 16h. 

Siga: @leparisienbistrotbsb

Pedidos: iFood, Rappi e 99 Food


002Café

Local: 365.Store - CLS 402 Bloco A Loja 15

Horário de funcionamento: das 12 às 20h

Informações: (61) 99865.0051

Siga: @365.storebsb

 

O Concorrente

Endereço: CLN 409 BL B loja 1 - Asa Norte

Horário de funcionamento: segunda, das 17h às 21h, e de terça a domingo, das 11h30 às 21h. Delivery até às 22h. 

Siga: @oconcorrente

 

Tá Doido Burger 

Horários e endereços disponíveis nas redes sociais

Siga: @tadoidoburger

Delivery - iFood 

 

Blend Boucherie

Endereço: CLN 412 Norte, Bloco B

Take Out e delivery: (61) 3544-7444

Horário de funcionamento: de terça a quinta das 12h às 15h e das 18h30 às 23h / Sexta e Sábado das 12h às 16h e das 18h30 à 0h e domingo das 12h às 16h e das 18h30 às 23h

Siga: @blendboucherie

 

Geléia Burger

Horários e endereços disponíveis nas redes sociais 

Instagram - @geleiahamburgueria

Facebook - Geléia Hamburgueria

13:49
Um lugar de acolhimento, reflexões e empoderamento. Essa é uma das propostas do Grupo dos Mais Vividos, oferecido pelo Sesc-DF. Com turmas de segunda a sexta-feira, o projeto GMV está com inscrições abertas e oferece encontros presenciais, com todos os protocolos de segurança e oficinas de estimulação cognitiva, teatro, canto e coral, expressão corporal, dança, artesanato e muito mais. Para participar das atividades do Grupo Mais Vividos os interessados devem procurar a unidade do Sesc mais próxima


Foto: Carolina Santos.

O cadastramento será feito mediante apresentação do cartão Sesc, RG, CPF e comprovante de residência. Todas as pessoas a partir de 60 anos podem participar das atividades.

O Grupo dos Mais Vividos (GMV) é um projeto da coordenação de assistência do Sesc DF direcionado para pessoas acima de 60 anos com o objetivo de promover qualidade de vida e estimular a autonomia, o protagonismo e o empoderamento da pessoa idosa, através de atividades socioeducativas, lúdicas e interativas. As atividades acontecem nas unidades do Sesc na 504 Sul, 913 Sul, Ceilândia, Gama, Guará , Taguatinga Norte e também de modo virtual para projetos específicos.

A coordenadora da área de Assistência do Sesc-DF, Adriana Costa, explica que a iniciativa traz benefícios sociais, psicológico e de saúde. "São diversas atividades como oficina de memória, artesanato, oficina de redes sociais em parceria com o Senac-DF, coral, dança, memória e mais. É um trabalho social que desenvolve ações voltadas para o segmento idoso, com o objetivo de mantê-los ativos, autônomos e integrados na sociedade enquanto sujeito de direitos e deveres, contribuindo para a qualidade de vida e a autoestima. Nossos espaços seguirão as normas de segurança sanitária e os protocolos exigidos", explica Adriana.

Integrante assídua e ativa do GMV, Francisca Marineth da Silva, de 65 anos, conta a importância do projeto na sua vida e faz um convite para que mais idosos não deixem de conhecer e participar. "Nós do GMV somos muito fiéis e agradecidos ao Sesc. Nós amamos muito o projeto. Respondo por mim, tenho um amor e respeito enorme pelo Sesc e pelo trabalho feito com os idosos do GMV. Que mais idosos possam conhecer esse projeto", conta Francisca.
 
Desde 2003, Tereza da Costa, 85 anos, também participa do projeto e fala dos benefícios que o projeto acarreta. "Faço parte do grupo há muitos anos. Sou do GMV, acompanhado por assistentes sociais que promovem reuniões, palestras, alongamentos e várias outras atividades. Desfiles, dança, tudo isso é oferecido para nós da terceira idade gratuitamente. Os benefícios que o projeto nos traz não tem limites, principalmente na pandemia. Muitos não sabiam mexer direito com celular e fomos orientados da melhor maneira pela equipe do GMV", conta Tereza.

Quem pode participar?
Todas as pessoas a partir de 60 anos, podem participar das atividades do Grupo dos Mais Vividos (GMV).

Como são os encontros?
Com encontros semanais, os grupos têm atividades, rodas de conversas e oficinas direcionadas para a faixa etária e pautadas através da escuta dos participantes. Com idosos, são trabalhadas questões como o direito e cidadania, autonomia, saúde, empreendedorismo, a intergeracionalidade e outras várias temáticas, além de aproximá-los de práticas esportivas e culturais e promover a sociabilidade deles.

Como faço para participar?
Procure a unidade do Sesc-DF mais próxima com os seguintes documentos: cartão Sesc, RG, CPF e comprovante de residência. Para mais informações, whatsapp do GMV: (61) 9.9994-3652.

O evento incentiva o apoio às famílias e às entidades que lutam por essa causa e auxilia no combate ao preconceito
 


A 5ª Etapa da Purple Run 2022 será no dia 30 de janeiro e faz campanha pela conscientização sobre a epilepsia. O evento incentiva o apoio às famílias e às entidades que lutam por essa causa e auxilia no combate ao preconceito.

O atleta deve fazer sua pré-inscrição no site e doar 2kg de alimentos não perecíveis na retirada de Kit (dias 28 e 29 de janeiro, de 9h às 19h, na Administração do Guará). As inscrições estão abertas até o dia 23 de janeiro e outras informações podem ser consultadas no site: www.purplerun.com.br.

A atleta Lorena Nunes falou sobre a importância da Purple Run para as famílias do DF. "É uma corrida com foco em conscientização à epilepsia. É importante que todos saibam mais informações sobre a epilepsia. Esse é um evento muito agradável, com um percurso excelente, bem planejado e sinalizado, e o mais importante, ajuda muita gente! Consegui me consagrar campeã nela e voltarei com meu bebê, porque é muito especial", comemorou.

É obrigatório o uso de máscara de proteção. Os atletas a partir de 12 anos deverão ser acompanhados pelos responsáveis, conforme regulação Cbat e legislação local. A largada acontecerá às 7 horas em frente ao Edifício Consei, no Guará II. Os atletas participarão de percursos de 5km de corrida e 2,5km de caminhada.

O evento é realizado pela empresa Instituto Meninos do Pôr do Sol e Secretaria de Esportes do GDF, através de emenda parlamentar do Deputado Delmasso. A corrida é organizada pela ONG Viva Além das Crises e pelo Centro de Missões Dupla Honra, com a supervisão e o apoio técnico da Federação de Atletismo.

A edição 2022 virá com muitas novidades. Entre elas está a premiação "Eficiente". Os atletas PcD (Pessoas com Deficiência) farão sua inscrição, enviarão a documentação, e se houver guia, o documento e a inscrição também deverão ser realizados.

Purple  Run 2022

Inscrições: 17 ao dia 23 de janeiro
Data da corrida: 30 de janeiro
Horário: 07h
Largada: Canteiro Central, próximo ao Edifício Consei, Guará II.

 

Adultos e filhotes estarão aguardando ansiosos por um lar 


A capital federal vai receber, nos dias 22 e 23 de janeiro, uma feira Pet de adoção. O evento, que ocorre em parceria com os projetos Adoce uma Vida e Adote um Animal, será na 365Store, na 402 Sul, com entrada gratuita. 

Os interessados em levar um bichinho para casa devem apresentar comprovante de residência, RG e serem maiores de idade, além de assinar um termo de responsabilidade, onde se comprometerão a cuidar do pet. 

Os projetos Adoce uma Vida e Adote um Animal são organizações de protetores independentes e sem fins lucrativos. Ambos não possuem abrigo e, por isso, contam exclusivamente com a adoção responsável para dar aos bichinhos um final feliz.

Feira de Adoção 

Quando: 22 e 23 de janeiro (sábado e domingo)

Onde: Espaço 365Store, CLS 402, loja 15

Horário: 13h às 18h

Entrada gratuita. 

@adota_animal_df

@adoceumavida


  


                                                                                                      Foto Eva Elijas

Transtornos mentais podem afetar a saúde física e devem ser levados a sério

 

Campanha Janeiro Branco visa conscientizar sobre a importância da saúde mental no novo ano que se inicia

 

Prestes a completar dois anos de duração, a pandemia da covid-19 alterou radicalmente a rotina da população, forçando-a a se isolar e a viver em um cenário incerto. Apesar de a vacinação em massa ter permitido grande queda nos casos graves e mortes, além da volta à grande parte das atividades presenciais, o impacto que esses dois anos teve na saúde mental das pessoas foi enorme, e é preciso cuidado para que transtornos como ansiedade e depressão sejam tratados e não afetem de forma grave até mesmo a saúde física.

“Este período tornou tudo mais delicado. Afinal, o distanciamento social, o trabalho remoto e a impossibilidade de sair de casa forçaram muitas pessoas a ter que encarar situações das quais antes conseguiam se blindar de alguma maneira", comenta a psiquiatra do Hospital Brasília/Dasa Carolina Tajra.

Para começar o ano com chave de ouro é preciso destacar a importância de cuidar da saúde mental. Pessoas que enfrentam problemas nesse aspecto da vida costumam ter seu pensamento, humor e comportamento negativamente afetados. A parte delicada é que, muitas vezes, a causa dos transtornos psicológicos não é bem definida, podendo ir desde fatores biológicos, como genes ou química do cérebro, até experiências de vida, como um trauma ou abuso. Ter um histórico familiar de problemas de saúde mental também pode influenciar consideravelmente.

Existem inúmeros tipos de transtornos mentais, mas temos percebido um aumento significativo em alguns quadros, que acabaram se tornando mais comuns na sociedade, como: ansiedade; depressão; transtorno bipolar; esquizofrenia; e distúrbios alimentares.

 

Impacto na saúde física

 

Além do sofrimento psíquico causado por esses transtornos, eles podem causar sintomas físicos. Por exemplo, a ansiedade pode gerar palpitações e dificuldade de respirar. É possível que pacientes busquem atendimento médico para tratar esses sintomas, sem saber que sua origem pode ser psicológica.

“Dificilmente a paciente sozinha vai conseguir fazer a diferenciação entre um episódio ansioso e uma doença, pois sua percepção estará prejudicada”, conta a endocrinologista e pediatra do Exame Imagem e Laboratório/Dasa Fernanda Lopes. “O melhor é ela ser vista por um clínico que exclua doenças orgânicas e, assim, possa encaminhá-la para um psiquiatra ou psicólogo”, continua.

Além desses sintomas, os transtornos mentais podem ter efeitos negativos em outros sistemas do corpo, como o endócrino. “Distúrbios alimentares como a anorexia podem ter impacto importante na produção de hormônios sexuais, por exemplo, levando à ausência de menstruação nas mulheres. O estresse pode aumentar os níveis de cortisol, mas não chega a causar um hipercortisolismo”, conta Fernanda Lopes. “A ansiedade/ e depressão associadas a mudanças de padrão de sono podem interferir no ciclo circadiano e, consequentemente, atrapalhar a pulsatilidade de diversos hormônios”, continua.


Como tratar a saúde mental?

 

Existem diversas formas de controlar o desenvolvimento de problemas de saúde mental. Antes de mais nada é recomendável obter ajuda profissional, através da análise e do acompanhamento com um psicanalista, psiquiatra ou psicólogo. Esses especialistas serão capazes de intervir no quadro da maneira correta, desenvolvendo habilidades de enfrentamento junto ao paciente e conduzindo-o a um estado mental mais tranquilo e otimista, da melhor forma possível.

Alguns comportamentos pessoais podem fazer toda a diferença para a pessoa que sofre com um transtorno mental, como conectar-se com outras pessoas, tentar ao máximo manter uma atitude positiva, estar fisicamente ativo, buscar apoio e dormir o suficiente.

Um detalhe essencial, que vale ser ressaltado, principalmente se você for familiar ou amigo de uma pessoa que lhe expôs um problema relacionado à esfera psicológica, é evitar a minimização das dificuldades, através de comentários como "Há quem está pior" ou "Você deveria ser grato pela vida" ou “Existem outras coisas maiores para se preocupar", daí por diante. Esse comportamento é absolutamente contraproducente, pois aqueles que sofrem com dificuldades ou problemas psicológicos estão, na maioria das vezes, perfeitamente cientes de tudo isso, o que não significa que devam ser menosprezados ou desconsiderados em relação à luta que enfrentam. Essa é a hora de demonstrar todo o seu apoio, amor e acolhimento.

“Saber procurar ajuda especializada é um passo importante para buscar o equilíbrio mental", finaliza a médica.

 



     Aprender um idioma e conhecer um novo país são só alguns dos benefícios de estudar fora

                                                                                        Créditos: envato

Se viajar durante poucos dias para conhecer outro país já traz muitos aprendizados, estudar em um lugar diferente pode trazer ainda mais benefícios. Aprender outro idioma, desenvolver o autoconhecimento, conhecer uma nova cultura, fazer amigos e aprimorar o currículo são algumas das vantagens. O intercâmbio pode ser uma fase de muito aprendizado e amadurecimento para quem faz, como garante a estudante de agronomia, Anna Júlia Lütkemeyer. 

Durante quatro meses, a jovem morou em Wageningen, cidade da Holanda, e fez estágio na Wageningen University and Research na área de agricultura de precisão. Quase formada, a estudante de agronomia estudou sobre solos, biologia e tecnologia no setor de sistemas agrícolas. A mãe de Anna Júlia é holandesa e desde pequena ela tem contato com a cultura de origem da família. Essa convivência diária fez Anna ter ainda mais vontade de conhecer o país. “A cultura holandesa é muito importante para mim, porque são nossas raízes, é uma questão de honrar nossa família e tudo que foi conquistado. É um orgulho ser descendente e um privilégio cultivar a cultura, como também ter o passaporte holandês”, afirma a formanda em agronomia.  

Ela acredita que mudou em vários aspectos após a experiência de fazer intercâmbio. “Sempre fiz parte da comunidade holandesa na minha cidade. Mas depois que fui para a Holanda, enxerguei muito mais a realidade do que a imaginação”, revela Anna Júlia. A estudante também conta que foi uma vivência muito importante. “Aprendi a valorizar mais a minha família, meus amigos, as pessoas, os momentos e as oportunidades. Foi uma chance de crescimento enorme, tanto profissional quanto pessoal”, acrescenta. 

A conselheira da Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH), Janet Bosch, acredita que o contato desde criança com a cultura holandesa é o que instiga jovens como Anna Júlia a quererem ainda mais conhecer o país de origem dos pais e avós. “Os ensinamentos do idioma, a gastronomia e a tradição desde pequenos estimulam muitos jovens a procurarem o intercâmbio. Na Holanda, sempre tem possibilidades. E com isso, os estudantes podem aprender mais sobre nossa cultura viajando para lá”, destaca. 

Para quem tem interesse em fazer intercâmbio, algumas dicas: 

  • Busque informações na universidade ou colégio

Em muitas faculdades, colégios e cursos de idiomas há programas de intercâmbio. Com isso, o estudante que deseja estudar fora do país pode ter a facilidade de conseguir bolsas de estudo ou mais informações com instituições experientes. 

  • Conheça os modelos de intercâmbio

Há várias modalidades de intercâmbio: estudo universitário, colegial, cursos específicos e de idiomas. Cada formato tem um foco diferente. O estudante precisa saber quais os objetivos que têm para escolher o melhor formato de intercâmbio.

  • Levar toda a documentação necessária

Durante o período de preparação para o intercâmbio é essencial revisar toda a documentação que precisa levar. A estudante Anna Júlia Lütkemeyer não sabia que precisava levar a certidão de nascimento original. Com isso, ela não conseguiu abrir conta de banco no país. Anna Júlia orienta que o aluno que se prepara para viajar deve saber o que precisará fazer no país e os documentos que serão exigidos. 

Sobre a ACBH

A Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH) é uma organização formada por holandeses e descendentes de holandeses no Brasil, oriundos de diversas colônias. Visa preservar o patrimônio histórico artístico e cultural holandês e brasileiro para a posteridade. Também quer incentivar, desenvolver e divulgar as várias formas de expressão cultural. Mais informações: https://www.acbh.com.br/

O primeiro passeio ciclístico de 2022 será em Samambaia



Neste domingo (23), o Departamento de Trânsito do Distrito Federal realizará o primeiro passeio ciclístico de 2022. A concentração está marcada para as 7h30, no estacionamento em frente à Administração Regional da Samambaia, situado no Centro Urbano, Samambaia Sul. A saída está prevista para ocorrer às 9h.

Para participar do passeio é necessário que o interessado preencha a inscrição pelo site: https://www.even3.com.br/circuitodetrandfsamambaia/. A princípio, foram disponibilizadas 300 vagas. Os inscritos receberão uma "sacochila" do Detran, contendo pulseira refletiva e materiais educativos.    

Histórico
O evento foi lançado em 2021, durante a Semana Nacional de Trânsito, realizada anualmente no mês de setembro. Já em sua quinta edição, o Circuito Passeio Ciclístico Detran-DF nas Ras tem o objetivo de chamar a atenção para a segurança dos ciclistas no trânsito, além disso, visa estimular a utilização da bicicleta como meio de transporte e destacar o papel ativo do ciclista na construção de um trânsito mais seguro.

Serviço
5º Circuito de Passeio Ciclístico do Detran-DF nas RA's – Etapa Samambaia
Quando: Domingo (23/1/2022)
Endereço: Administração Regional da Samambaia, situado no Centro Urbano, Samambaia Sul Concentração: 7h30
Saída: 9h
Inscrições: https://www.even3.com.br/circuitodetrandfsamambaia/

Carolina Piva é gerente de Marketing e Mobilização de Recursos da Saúde do Grupo Marista
Créditos: Divulgação

 Carolina Piva*

Crises costumam ser impulsionadoras da solidariedade. Ao longo dos últimos meses, muitas pessoas se mostraram abertas a olhar para o próximo e, principalmente, despertaram para as necessidades das engrenagens que fazem um sistema de saúde público funcionar. Em meio a tantas dificuldades, se descobriram caminhos possíveis para captar recursos financeiros, e as ações de filantropia tomaram corpo para ajudar a fortalecer a saúde do Brasil. 

Desde a chegada do coronavírus, empresas, ONGs e a sociedade civil doaram cerca de R$ 7 bilhões para causas ligadas à covid-19, de acordo com dados do Monitor de Doações da Associação Brasileira de Captadores de Recursos. Mas o volume de doações não acompanhou o avanço da doença no Brasil. O aprofundamento da crise econômica no país atingiu com força o repasse de recursos pelas empresas, que recuaram com a incerteza que tomou conta dos mercados. Nesse cenário, os movimentos sociais lutam para colocar mais elos na corrente solidária formada em 2020.

Adaptações e aprendizados diários são o caminho para estabelecer novas estratégias. Dentro de um hospital com atendimento 100% do Sistema Único de Saúde (SUS), por exemplo, a busca por recursos é um trabalho extremamente desafiador. Os hospitais filantrópicos padecem com a gestão de seus orçamentos devido à tabela deficitária de pagamentos do SUS. A captação se torna uma necessidade urgente, que começa no relacionamento com parlamentares em busca da destinação de emendas, passa pelo contato com empresas para conseguir patrocínio e chega até as pessoas físicas, que podem destinar uma parte do seu imposto de renda ou simplesmente doar notas fiscais.

A principal ferramenta é sempre a sinceridade. Expor a realidade é importante para o início de qualquer conversa. Contar como funcionam os bastidores do atendimento universal de uma instituição filantrópica e como existem pessoas que se dedicam para a construção desse ideal é uma forma de gerar um despertar altruísta. Mas, apesar das diversas metodologias disponíveis, nem sempre é fácil sensibilizar os decisores da importância que as doações têm para a manutenção de um hospital. Porém, estamos sentindo que a cada dia, sobretudo o setor empresarial, que ainda é o maior desafio, está olhando para a filantropia e entendendo que, quando uma sociedade cresce de forma igualitária, quem ganha somos todos nós.

Não é possível prever o futuro, mas, mesmo assim, é possível traçar táticas para se reinventar e se adequar ao que o novo normal reserva e, dessa forma, garantir sobrevivência no momento atual e também depois. O ano de 2021 foi difícil, mas, ainda assim, foi possível somar várias conquistas. Agora, para 2022, a palavra é esperança de uma recuperação na economia que possibilite um aumento nas doações, melhora na saúde geral da população para desafogar as operações e retomada das atividades presenciais. A quarentena tirou das entidades recursos geralmente obtidos em eventos presenciais, como bazares e brechós. Coube então aos gestores recorrer às vendas por lojas on-line próprias ou de parceiros, para repor parte dessas perdas.

Enfrentar os desafios e expandir o alcance do investimento filantrópico também significa ampliar a disponibilidade de recursos para ações de desenvolvimento de diferentes setores. Essa expansão não é só urgente, como fundamental. A filantropia vai muito além do assistencialismo ou da caridade. Ela realiza mudanças estratégicas e efetivas, servindo como pontapé para alavancar projetos de impacto para a sociedade. Da gripe espanhola à covid-19, as ações filantrópicas tiveram papel importante na promoção da saúde e continuarão a ter. Independentemente das novas doenças que virão, o sistema de saúde precisa ser, acima de tudo, humano. 

O ato de doar faz tão bem para quem doa quanto para quem recebe. O sentimento de pertencimento ao grupo que efetivamente está fazendo algo para construir uma sociedade melhor nos torna pessoas mais empáticas, com uma visão de mundo mais abrangente. O resultado disso é vivermos em um mundo mais aberto ao novo e pacífico, porque, quanto melhor estiver o nosso entorno, melhor todos estaremos. Juntos, podemos cobrar e agir para que nenhum brasileiro perca a vida e deixe seus sonhos e familiares por falta de leito, equipamentos ou empatia.

 

* Carolina Piva, gerente de Marketing e Mobilização de Recursos da Saúde do Grupo Marista

João Alfredo Lopes Nyegray*


Uma das marcas do governo de Donald Trump foi a guerra comercial com a China. Ao prometer em campanha “fazer a América grande de novo” e retomar a geração de empregos, Trump dificultou a entrada de produtos chineses ao sobretaxar alguns dos itens vindos do país asiático. A China “devolveu a gentileza” e, igualmente, sobretaxou alguns produtos estadunidenses. Com a eleição de Joe Biden, a esperança geral era de que a disputa econômica que colocou as maiores economias mundiais em rota de colisão arrefeceria. Não foi o que aconteceu.

Às vésperas de entrarmos em 2022, enquanto muito da futura pauta internacional segue incerta, percebe-se que algumas desavenças não dão sinal de diminuir. No início de dezembro, o governo Biden anunciou que não irá enviar representantes diplomáticos às olimpíadas de inverno, previstas para ocorrer em Pequim em fevereiro do próximo ano. Esse boicote tem como suposto motivo o abuso aos Direitos Humanos cometidos pelos chineses. Até agora, o boicote estadunidense – que não afeta a participação dos atletas, mas sim o relacionamento diplomático entre as nações – foi seguido por Austrália, Reino Unido e Canadá. Os chineses, como era de se esperar, declararam que o boicote pode afetar suas relações com as nações sabotadoras dos jogos de inverno.

As alegações de que a China viola Direitos Humanos não são novas: desde Mao Zedong (ou Mao Tsé-Tung) pessoas são enviadas a campos de trabalho forçado – entre 1958 e 1962 estima-se que cerca de 45 milhões delas morreram nesses locais. Relatos atuais dão conta que esses campos não apenas seguem existindo, mas também, recebendo milhares de pessoas a cada ano.

Em paralelo, está a situação da minoria “uigur”. Trata-se de um grupo de pessoas praticantes do islamismo, que habitam especialmente a Região Noroeste da China (próxima da fronteira com Paquistão e Afeganistão, cuja capital é Xinjiang), falantes de um idioma muito mais próximo do turco do que do chinês e de caracteres absolutamente diferentes. Antes de Mao, os uigures chegaram a declarar independência, mas foram sufocados pelo regime comunista.

Numa tentativa de “padronizar” sua região noroeste e suprimir potenciais dissidências, o governo de Pequim enviou para a região uigur chineses de etnias tradicionais, falantes do mandarim e de hábitos semelhantes aos da região costeira do país. Desde então, a minoria uigur passou a sofrer discriminações variadas e – de acordo com poucos relatos que chegam de lá – ser enviada para campos de trabalhos forçados. Em dezembro de 2020, surgiram relatos de que os uigures estavam sendo submetidos a jornadas de trabalho extenuantes em lavouras de algodão, num regime de trabalho forçado equivalente à escravidão.

Há poucos dias, notícias sobre pessoas torturadas, espancadas e acorrentadas chegaram até nós. Dissidentes da região de Xinjiang declararam que a mera instalação do aplicativo WhatsApp é suficiente para a detenção. Toda essa situação faz com que potências ocidentais acusem a China de genocídio e crimes contra a humanidade.

Como forma de pressionar o governo de Xi Jinping, os EUA decidiram não enviar representantes para os jogos de inverno. A Rússia de Putin – discordante tradicional das posições estadunidenses – confirmou presença nos jogos. A tentativa chinesa de domínio sobre Hong Kong e suas incursões em espaço aéreo e marítimo de Taiwan também são motivos alegados para o boicote de EUA, Canadá, Reino Unido e Austrália. A União Europeia está, até então, dividida sobre o assunto, e nenhuma posição conjunta foi tomada.

Por mais nobre que seja o apoio à causa uigur, o amparo a essas pessoas já deveria ter vindo há tempos. A repressão de Pequim a essa minoria ocorre desde a década de 1990. Os EUA, que agora acusam a China de violar Direitos Humanos, já patrocinaram ditaduras, depuseram governos e praticaram atos abomináveis na prisão de Guantánamo em Cuba e de Abu Ghraib no Iraque. A tortura que os chineses praticam contra os uigures é tão execrável quanto a tortura institucionalizada pela CIA e chamada de “táticas singulares de interrogatório”.

No fundo, a pauta dos Direitos Humanos, que deveria ser mais cara do que qualquer outra, parece estar sendo utilizada como cortina de fumaça para a manutenção de disputas comerciais. Enquanto esperamos que 2022 nos livre da pandemia e traga boas novidades, os velhos confrontos permanecem: guerra comercial, disputas por áreas de influência e os Direitos Humanos como preocupação apenas quando convém. Muda o calendário, permanece a hipocrisia.

*João Alfredo Lopes Nyegray, doutorando em estratégia, professor de Geopolítica e Negócios Internacionais e coordenador do curso de Comércio Exterior na Universidade Positivo (UP).

E como forma de reduzir esses índices, o Detran lança desafio Multa Zero para incentivar o não cometimento de multas e assim evitar acidentes

Foto: Renato Santos.

Em 2021, o excesso de velocidade foi a infração de trânsito mais flagrada no Distrito Federal. Um levantamento preliminar feito pelo Departamento de Trânsito do DF, revela que, de janeiro a dezembro do ano passado, foram registradas 1.584.122 autuações por desrespeito aos limites de velocidade estabelecidos na via.  Esta é uma infração que tem preocupado o órgão de trânsito, pois potencializa muito os riscos de acidentes e ameaça a vida dos mais vulneráveis: pedestres e ciclistas.

Para o diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia, respeitar as normas de trânsito é exercer os direitos e deveres como cidadão. "Precisamos resgatar o senso de responsabilidade e cidadania de nossos condutores. Eles precisam se conscientizar de que, ao infringir uma regra de trânsito, a multa é o menor dos males, se comparado à possibilidade de provocar um acidente e ceifar uma vida ou deixar uma pessoa inválida de forma permanente, destaca o diretor-geral. Zélio Maia lembra ainda que é dever de todo condutor respeitar a sinalização e a velocidade da via independente da presença ou não de equipamentos de fiscalização eletrônica.

Estacionamento irregular e desrespeito à faixa exclusiva
Outro dado que também chama a atenção é a quantidade de condutores que insistem em estacionar o veículo de maneira irregular nas ruas do Distrito Federal. Somadas todas as situações previstas no artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro, o resultado é de 138.684 autuações registradas no ano passado.

Ao estacionar de forma inadequada, o condutor pode impedir ou atrasar o acesso de veículos de socorro a quem realmente precisa. Além disso, estacionar em calçadas ou passeios, por exemplo, faz com que o pedestre seja direcionado para a circulação na rua, colocando-o em situação de risco. E sem falar naqueles que, sem direito, apoderam-se de vagas especiais reservadas para idosos ou pessoas com deficiência.
 
No ranking das infrações mais flagradas, em terceiro lugar está o desrespeito à faixa exclusiva destinada aos veículos de transporte público coletivo de passageiros: 133.536 notificações. Seguido pela falta do uso do cinto de segurança. Em 2021, foram, 98.750 flagrantes de condutores ou passageiros sem utilizar o item de segurança. De acordo com a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), o cinto é um equipamento importante para a redução dos efeitos mais graves dos sinistros, como óbitos ou sequelas.

Celular ao volante, um risco real
A quarta conduta infratora, mas não menos perigosa, é o uso do celular ao volante. A quantidade de condutores flagrados utilizando o aparelho telefônico enquanto dirige pelas vias do DF é muito alta: 92.482. Vale destacar que a quantidade de pessoas que cometem esse tipo de infração pode ser muito maior que a registrada, já que nem sempre que os condutores que utilizam o celular são flagrados pela fiscalização de trânsito.

O diretor de Educação de Trânsito substituto, Régis Otávio, reconhece que o celular está muito presente no nosso dia a dia e que o seu uso se tornou, muitas vezes, imprescindível para a realização da maioria das atividades diárias. No entanto, ele destaca que não podemos descuidar da nossa responsabilidade com a vida no trânsito. "É preciso ter consciência dos riscos a que estamos submetidos ou submetemos outras pessoas ao utilizarmos o celular na direção de um veículo", enfatiza Régis.

No vermelho, pare!
Avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória também é uma infração recorrente e está entre as cinco mais flagradas. De janeiro a dezembro do ano passado, foram registradas 86.085 autuações pelo artigo 208 do CTB. Cabe lembrar que esta é uma infração gravíssima que incide sete pontos na habilitação e prevê multa de R$293,47.

Preservando vidas
Mas nem sempre o alto valor da multa coíbe o condutor infrator contumaz, como é o caso da alcoolemia ao volanteque possui multa de R$ 2.934,70 e prevê suspensão do direito de dirigir por 12 meses. Mesmo não figurandoentre as cinco infrações mais cometidas, a quantidade de pessoas flagradas dirigindo após o consumo de bebida alcoólica é preocupante. O levantamento do Detran aponta que, em 2021, foram flagrados 27.195 condutores alcoolizados.

 Para o diretor de Policiamento e Fiscalização de Trânsito, Glauber Peixoto, o alto quantitativo é reflexo da intensificação das operações com o foco na Lei Seca. "Esses dados comprovam o empenho do Detran e dos demais órgãos de fiscalização viária em garantir segurançano trânsito à população do Distrito Federal. O nosso objetivo é preservar vidas", reforça Peixoto.

Redução de acidentes
E o trabalho intenso do Departamento tem surtido efeito. Em 2021, o DF registrou uma redução de 26% no quantitativo de mortes no trânsito, se comparado com o ano anterior, quando foi declarada a pandemia. Mesmo com os dados positivos, o diretor-geral do Detran, Zélio Maia, faz um alerta aos condutores para que respeitem as leis de trânsito, não apenas pelo receio de ser punido, mas principalmente em atenção à vida, a fim de evitar acidentes.

Multa Zero
Em 2021, o diretor-geral do Detran, Zélio Maia, lançou o desafio Multa Zero, com o objetivo de incentivar os condutores a não cometer infrações de trânsito. Na maioria das situações, o infrator tem consciência da prática irregular, dessa forma, o erro poderia ser evitado. "Onosso intuito maior não é multar, mas educar os condutores, e a penalidade faz parte desse processo educativo para aqueles condutores que insistem em não cumprir as normas de segurança", explica Zélio.



Um dos espaços mais populares do Parque da Cidade ganhará complexo aquático; etapa inicial do projeto vai promover a recuperação da piscina

Foto: Renato Alves.

Foram 24 anos de espera. Parte da memória afetiva da cidade, a Piscina com Ondas do Parque da Cidade Sarah Kubitschek terá projeto de reforma licitado neste mês e vai ganhar também complexo aquático com área de rio lento – formada por correnteza de águas tranquilas, com os visitantes passeando em boias – e espaço para crianças com tobogã. A obra será executada em três fases, sendo que a primeira abrange a recuperação, propriamente dita, da piscina.

Localizado no estacionamento 7 do Parque da Cidade, o projeto prevê uma transformação total da área da antiga Piscina com Ondas, com a construção de um complexo aquático que terá rio lento e espaço para crianças com tobogãs | Fotos: Divulgação

"Já começamos o ano com boas notícias", comemora a secretária de Esporte e Lazer do DF, Giselle Ferreira. "O que é importante ressaltar é que é um projeto muito bem fundamentado e a empresa contratada para fazer essa parte tem muita experiência no ramo, o que dá mais segurança para o processo de licitação e execução".

"O Parque da Cidade se mistura com a história de Brasília, do DF, faz parte das lembranças de muitas pessoas; e, a pedido do governador Ibaneis, estamos trazendo de volta para a população seus espaços de recreação"Giselle Ferreira, secretária de Esporte e Lazer

A empresa escolhida para fazer o trabalho terá 120 dias para concluir essa etapa inicial, que conta com investimento de R$ 8 milhões, de emenda parlamentar da distrital Celina Leão. O valor total do investimento é de R$ 22 milhões. "O restante do recurso será captado à medida que a obra avançar para as demais etapas. Nossa meta é focar nessa primeira parte que já tem recursos", esclarece a secretária.

Localizado no estacionamento 7 do Parque da Cidade, a área da antiga Piscina com Ondas sofrerá uma mudança radical em sua paisagem. Quem frequentou o espaço de lazer, um dos mais queridos e populares do DF, vai perceber a mudança estrutural no local. Serão 30 metros quadrados de extensão.

"Fui muitas vezes na Piscina de Ondas nos anos 80, era uma grande sensação, um dos points de Brasília", lembra o ortopedista Fabrício Toledo de Souza, 45 anos. "Bem interessante esse novo modelo para o local que marcou toda uma geração", diz, feliz com a notícia da recuperação da piscina.

O projeto que será licitado agora em janeiro apresenta planejamentos arquitetônico, de engenharia, topográfico e hidráulico para a reforma do local. Em um segundo momento, será construída a passagem que abrigará uma correnteza de águas brandas conhecida como rio lento.

A área de rio lento terá correnteza de águas tranquilas, e os visitantes poderão passear com boias

Uma terceira e última fase será dedicada à criação de área para as crianças. A expectativa é que a nova Piscina com Ondas do Parque da Cidade e expansão sejam entregues à população ainda este ano. Um modelo de gestão administrativo do espaço está sendo estudado.

"Queremos democratizar da melhor forma possível", antecipa a secretária de Esporte. "O Parque da Cidade se mistura com a história de Brasília, do DF, faz parte das lembranças de muitas pessoas; e, a pedido do governador Ibaneis, estamos trazendo de volta para a população seus espaços de recreação."

Parque da Cidade renovado

Bem centralizado e ambiente agradável para práticas esportivas e de lazer, o Parque da Cidade Sarah Kubistchek – que chega a receber cerca de 100 mil pessoas no fim de semana -, passou por uma série de mudanças em 2021.

Leia também

Compete Brasília leva patinadoras para torneio nos EUA
Empresas farão estudos para implantação de marina pública
GDF prepara edital para licitação de concessão do Cave

Em ação compartilhada com o GDF Presente e o apoio de parceiros como a Novacap, DER, Detran, SLU e outros órgãos do governo, entre eles a Secretaria de Esporte e Lazer, inúmeras intervenções foram feitas no local, tornando o espaço mais seguro e confortável para os frequentadores.

Uma das mais significativas ações foi a reforma das 27 quadras poliesportivas, que, além de pintura nova, receberam adereços como traves de gols, aros e tabelas de basquete. Serviços de limpeza em toda a área verde foram executados, como roçagem, poda de grama e retirada de galhas, folhas e troncos de árvores. É um trabalho de extrema importância, pois evita o entupimento das bocas de lobo e bueiros.

De segunda a sexta-feira, a vacinação itinerante percorrerá as regiões Campinas/Centro, Sudoeste, Leste e Sul de Goiânia. A van oferece vacinas contra Covid-19 e Influenza


Foto: Jucimar de Sousa.

O atendimento da van da VacinAção continua e nesta semana, de segunda (17/1) a sexta-feira (21/1), a ação itinerante da Prefeitura de Goiânia percorre as regiões Campinas/Centro, Sudoeste, Leste e Sul de Goiânia. Hoje, as pessoas que estão passando pelo Camelódromo de Campinas 2 podem procurar a unidade móvel para receber a 1ª, 2ª ou a dose de reforço das vacinas contra a Covid-19 ou a dose única contra a Influenza. O atendimento ao público será das 8h às 17h.

"A van da VacinAção é um sucesso. Levamos a vacina, via buscas ativas da população que está apta a se imunizar, e temos um resultado ótimo", comemora o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, ao acrescentar que a iniciativa vai continuar enquanto for preciso. "Por isso, continuamos a contar com o apoio da população", frisa o prefeito.

Para o titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Durval Pedroso, lembra que com a ação, 25.976 doses já foram aplicadas até o momento com as "doses de esperança", em moradores de Goiânia. "Nossa intenção é ir aos locais em que a população vacinável estiver, por isso estamos indo aos parques, terminais de ônibus, praças, shoppings, igrejas e centros comerciais", enumera Durval Pedroso, lembrando que as duas vacinas, contra Covid e Influenza, podem ser aplicadas simultaneamente.

Confira os locais da VacinAção na semana (17/1 a 21/1):

Dia 17 – segunda-feira

Camelódromo de Campinas 2
Endereço: Avenida Anhanguera, 7840, Setor Campinas

Dia 18 – terça-feira

Terminal Bandeiras
Endereço: Avenida dos Alpes, 526, Jardim Europa

Dia 19 – quarta-feira

Santuário Basílica de Campinas
Endereço: Avenida Santo Afonso, Rua L01, Qd.: 15, Setor Campinas

Dia 20 – quinta-feira

Supermercado Carrefour Sul
Endereço: Avenida Deputado Jamel Cecílio, 3900. Jardim Goiás

Dia 21 – sexta-feira

Cepal Jardim América
Endereço: Rua C-108, s/n, Jardim América

Projeto institui o plano anual de desenvolvimento do vôlei, o qual estabelecerá as ações governamentais para o incentivo do esporte em Brasília

Foto: Rogério Lopes.

O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Delmasso (republicanos), protocolou projeto de lei que estabelece a Política Distrital de Fomento ao Voleibol no Distrito Federal, denominada Lei Pró-Vôlei. O projeto visa garantir a prática do esporte por meio da iniciativa e do fomento público, destinado às modalidades do voleibol, vôlei de praia e vôlei sentado paralímpico.

Delmasso explica que este projeto "oferece à população a oportunidade de se colocar positivamente no desporto regional, uma vez que o projeto é capaz de contribuir para o desenvolvimento local, integrado e sustentável e estimula a corresponsabilidade dos diferentes setores da comunidade e, principalmente, cria a oportunidade de integração e desenvolvimento pessoal, social, educacional e profissional da criança e do adolescente menos favorecido e, em situação de risco", defendeu o deputado.

Como ferramenta de garantia da lei, será criado anualmente o Plano Anual de Desenvolvimento de cada uma das modalidades especificadas na lei. Neste plano, que deverá ser elaborado pela Federação de Voleibol do Distrito Federal, será incluído as ações necessárias por parte do governo para a prática do vôlei no Distrito Federal.

Deverá ser observado uma série de diretrizes na criação do plano, tais como a implementação de núcleos para a formação de atletas, o apoio às equipes e aos atletas de vôlei, a realização de campeonatos e torneios de todas as categorias de idade, a realização de projetos sociais envolvendo o esporte e a realização de cursos para a formação de árbitros e novos técnicos.

O autor do projeto disse ainda que "através do esporte bem direcionado na comunidade conseguiremos criar ambientes favoráveis para combater a criminalidade e o uso das drogas, dificuldades no estudo, brigas familiares, violência, tendo como objetivo o desenvolvimento integral do indivíduo utilizando a formação esportiva como ferramenta", afirmou.

Ao ser apresentado, o Plano Anual deverá ser analisado em até 90 dias pelo órgão responsável do governo, que deverá obedecer ao tempo para que o fomento à prática esportiva seja permanente.

Para custear o projeto, deverá ser utilizado os recursos do Fundo de Apoio ao Esporte do Distrito Federal, com recursos de emendas parlamentares e de outros recursos captados no decorrer da execução desta política pública.

O projeto segue agora para as comissões pertinentes para que seja objeto de debates e contribuições por parte de outros parlamentares.

Justiça rejeita pedido de prisão contra Willian Bonner por 'promover' vacinação infantil. O jornalista ainda foi acusado de participar de organização 'criminosa', cujo intuito é 'divulgar' os benefícios da vacinação por um advogado negacionista do DF


Foto: Bernanrdo Viana.

O apresentador William Bonner foi acusado de participar de uma organização criminosa, composta por outros profissionais da Globo, para promover os benefícios da vacinação infantil. A "denúncia" ocorre após repercussão do editorial do Jornal Nacional no último dia 6. O signatário da ação, Wilson Issao Koressawa, foi responsável pela ação que pediu ainda a prisão do jornalista citando outros "crimes".

No entanto, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios rejeitou a ação neste domingo (16), que foi definida como "descabida" pela juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley. 

Bonner foi acusado também de crimes de indução de pessoas "ao suicídio, de causar epidemia e de envenenar água potável, de uso comum ou particular, ou substância alimentícia ou medicinal destinada a consumo". Koressawa ainda pediu que o jornalista fosse proibido de "incentivar a vacinação obrigatória de crianças e adolescentes e a exigência de passaporte sanitário".

"O poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa —quando não incendiados— por parte das instituições, sejam elas públicas ou não", explicou Foley.

Conforme a magistrada, o autor, que é advogado e promotor de Justiça aposentado, não possui legitimidade para solicitar a prisão preventiva do jornalista, já que os crimes mencionados são de ação penal pública e que "a representação é incompatível com a vara criminal à qual foi submetida".

"Vivemos tempos obscuros traçados por uma confluência de fatores. É preciso coragem, maturidade e consistência política e constitucional para a apuração das devidas responsabilidades pelas escolhas que foram feitas", diz a juíza em sua decisão.

"Os inúmeros mecanismos de pesos e contrapesos da democracia nos colocaram na presente situação, mas será somente por meio dela que o Poder Judiciário, trincheira do Estado democrático de Direito, poderá colaborar para que ensaiemos a superação da cegueira dos nossos tempos", continua.

A juíza finaliza destacando que o Supremo Tribunal Federal (STF) entende que as afirmações de Bonner fazem parte da sua liberdade de imprensa enquanto jornalista.

Koressawa alegou, no pedido apresentado ao TJDFT, que o jornalista comete os crimes de indução de pessoas ao suicídio, de causar epidemia e de envenenar água potável, substância alimentícia ou medicinal destinada a consumo. Tudo isso porque Bonner faz declarações públicas sobre os impactos positivos da imunização no combate à pandemia.

Na decisão, a juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley chamou o pedido do advogado de descabido. E com razão: para começar, apenas por meio de uma ação penal pública, proposta pelo Ministério Público, poderia se pedir a prisão de alguém pelos crimes citados.

A magistrada disse que, "como fundamento, [o autor] reproduz teorias conspiratórias, sem qualquer lastro científico e jurídico, esvaziando seu texto em mera panfletagem política".

"O Poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa – quando não incendiados – por parte das instituições, sejam elas públicas ou não. Além disso, a decisão do Supremo Tribunal Federal, na ADPF 130/DF, consagrou o entendimento de que o exercício da liberdade de imprensa assegura ao jornalista o direito de expender críticas a qualquer pessoa, especialmente contra autoridades e agentes do Estado. Para Eugênio Bucci, aliás, mais do que direito do jornalista, a liberdade de informação é direito do cidadão e dever da imprensa", escreveu a juíza.

Além da prisão de Bonner, o advogado pedia a suspensão da "vacinação obrigatória em todo o país, principalmente de crianças e de adolescentes, bem como da exigência do passaporte sanitário, até que sejam realizados exames periciais dos componentes de todas as vacinas". A magistrada que analisou o pedido determinou o arquivamento do processo.

Outras ações
Segundo o Cadastro Nacional dos Advogados (CNA), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Koressawa está com a inscrição ativa no órgão. Ele é da Subseção de Taguatinga, mesma região do DF onde registrou a ação judicial contra o jornalista da TV Globo. Taguatinga fica a aproximadamente 20 quilômetros do centro de Brasília.

Koressawa é promotor de Justiça aposentado do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT). Ele se aposentou em 2013, por invalidez permanente.

O homem já tentou se candidatar a deputado distrital pelo PSol, mas teve o pedido da candidatura indeferido, em 2006. Em maio de 2020, o advogado pediu a prisão de 40 autoridades consideradas antagonistas ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Manifestantes com faixa do grupo "Os 300 do Brasil" participaram de ato que se seguiu ao protocolo em frente ao prédio do STM, em Brasília (DF).

Em novembro, Koressawa entrou com um mandado de segurança para garantir direito de manifestação popular na Esplanada dos Ministérios "contra anunciadas fraudes nas eleições de 2022 e para que o Congresso dê andamento ao projeto de voto impresso". O pedido foi indeferido pela desembargadora do TJDFT Sandra de Santis.


O Akatu, grupo mineiro de pagode, vai gravar o seu novo DVD, Degrauzinho por Degrauzinho, no dia 27 de janeiro, quinta-feira, a partir das 21h, no Expominas (Av. Amazonas, 6030 Gameleira - Belo Horizonte/MG), com as participações de Belo, Ferrugem, Menos é Mais, Suel, Matheus Fernandes e Di Propósito. E para incentivar a imunização da população, o grupo criou a campanha 'Vacina Sim'.

A ação consiste em presentear os fãs que tomarem a 1ª ou a 2ª dose da vacina contra a Covid-19 com uma cortesia para o show de gravação do DVD. Para participar, basta realizar a imunização até quarta-feira (19 de janeiro) e enviar o comprovante vacinal para o WhatsApp do número (31) 99100-9095. A promoção é válida somente para as 200 primeiras pessoas.

DVD

De acordo os integrantes do Akatu, a gravação do DVD será um dos momentos mais marcantes na carreira do grupo. Eles destacam que a escolha do nome, Degrauzinho por Degrauzinho, para o novo DVD, não foi por acaso. "Além de Degrauzinho ser uma música que conta com um carinho enorme de todo o grupo, este título expressa um pouco do que tem sido a carreira do Akatu, conquistando um degrau por dia, passo a passo, com dedicação e amor pela música. Já estamos há 6 anos na batalha e há pouco tempo que passamos a ver o nosso trabalho tomando proporções nacionais e internacionais, pois ter Neymar e Thiago Silva compartilhando vídeos com a nossa música nas redes sociais, rádios tocando as nossas canções e, principalmente, o reconhecimento por parte dos fãs, é a prova de que cada degrauzinho está sendo vencido", relatam. 

Sucesso

Recentemente, os pagodeiros do Akatu tiveram a surpresa de ver o jogador do PSG e da Seleção Brasileira, Neymar Jr. compartilhando um trecho do Encontro de Gerações em sua conta do Instagram, com mais de 160 milhões de seguidores e, em seguida, Thiago Silva, também titular da Seleção e atleta do Chelsea, postou, para os seus 18 milhões de seguidores, parte de outro vídeo do projeto, marcando a banda de Minas Gerais.

O sucesso que o grupo Akatu vem fazendo entre os atletas é a prova de que pagode e futebol combinam muito. O vídeo que foi postado por Thiago Silva é o bloco que traz as músicas Complicado, Só por um momento e Pra ver o sol brilhar, em que os mineiros dividiram o palco com Vitinho. Só este trecho já conta com mais de 10 milhões de visualizações e, se depender dos ilustres admiradores do trabalho da banda, os números não vão parar de crescer. Este mesmo trecho foi o divulgado por Neymar Jr., que filmou a tela de um computador que reproduzia canal no YouTube, acompanhado pela palavra "pagodinn" e com o áudio amplificado em uma caixa de som.

O grupo Akatu, uma das maiores revelações do samba e pagode no ano de 2020, vem conquistando cada vez mais espaço no cenário musical nacional. Isso porque, após o lançamento do projeto audiovisual "Encontro de Gerações", em parceria com o Revelação e participações especiais de Xande de Pilares, Liomar e Vitinho, os mineiros seguem crescendo em números nas redes sociais e plataformas digitais. Hoje eles contabilizam mais de 66 milhões de visualizações no YouTube, 10 milhões de streamings e quase 500 mil ouvintes mensais no Spotify, além dos mais de 280 mil seguidores no Instagram.

Grupo Akatu

Formado atualmente por Angelo (reco e voz), Caique (tantan e voz), Lucas (pandeiro), Lukas Gabriel (voz) e BEG (voz), o Akatu foi criado em 2015 por jovens apaixonados por pagode na capital mineira. Hoje é uma banda em ascensão, que a cada dia ganha mais espaço no cenário musical.

Semente boa e mundo melhor: essas são as traduções do nome de origem Tupi, que hoje ecoa entre o público. Há seis anos, o grupo segue conquistando fãs com o seu pagode animado e irreverente. O show é uma mistura de canções autorais, que já estão na ponta da língua do público que acompanha a banda, e hits do samba e pagode, embalados pelo jeito irreverente e animado que os músicos conduzem a apresentação em cima do palco.

E desde o início da carreira, além de animar os shows, o Akatu sempre esteve focado nas produções de registros audiovisuais. Em 2017, lançou o CD "Meu Momento" e no ano seguinte o DVD "Vamo Cantar". Já em 2020, foram três trabalhos: "Ensaio Akatu", "Akatu Relax" e "Luau Akatu". Em 2021, lançaram com o "Encontro de Gerações", gravado com o Revelação, conquistando repercussão nacional. E agora, os mineiros se preparam para o principal evento da carreira do grupo, a gravação do DVD Degrauzinho por Degrauzinho.

Acompanhe o grupo Akatu na redes sociais

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZRz1x875YmSEDjkmREKMtQ 

Instagram: https://www.instagram.com/akatuoficial/

Facebook: https://www.facebook.com/grupoakatu

 

Serviço

Campanha 'Vacina Sim' – Gravação do DVD - 'Degrauzinho por Degrauzinho'

Promoção válida até o dia 19 de janeiro, quarta-feira

Envio do comprovante de vacinação pelo WhatsApp: (31) 99100-9095

 


Livre de vírus. www.avast.com.

    Créditos: Divulgação do Grupo Marista

*Carmem Regina Murara

Nós precisamos falar sobre a filantropia e a contrapartida real que ela dá para a sociedade brasileira. As instituições filantrópicas cumprem um papel de inclusão social relevante para o País, nas áreas da Educação, da Saúde e da Assistência Social, revertendo para a população muito além dos benefícios recebidos. A cada R$ 1 investido pelo Estado no setor com as imunidades fiscais, a contrapartida é de R$ 7,39 em benefícios entregues à população nessas três áreas.

Esses são dados da pesquisa “A Contrapartida do Setor Filantrópico no Brasil”, de 2018, realizada pelo Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (Fonif), em parceria com a consultoria independente Dom Strategy Partners e auditoria da Audisa. Na área da Assistência Social, são 3,6 milhões de vagas de serviços essenciais de proteção básica. Na Saúde, 260 milhões de procedimentos ambulatoriais e hospitalares. Na Educação, há cerca de 725 mil bolsistas no Ensino Superior e na Educação Básica. São dados que têm como base números oficiais dos ministérios da Saúde, da Educação e da Cidadania.

É importante ressaltar essas informações e, também, afirmar que muitas dessas instituições estão em lugares nos quais o governo não tem condições de chegar. Falta ao poder público a capilaridade para conseguir dar suporte a pessoas em situação de vulnerabilidade social nos mais diversos cantos do país. 

A começar pelo atendimento na área da Saúde: o Brasil conta com 906 municípios atendidos exclusivamente por um hospital filantrópico. Esse dado demonstra que o trabalho das filantrópicas é fundamental, não só em estrutura, mas também em qualidade. A maioria dessas instituições é de fundação centenária e historicamente presta esse atendimento por missão.  

Da mesma forma que na área da Saúde, na Educação as instituições filantrópicas cumprem relevante papel social e de inclusão. Atuam para garantir qualidade educacional que proporciona aos estudantes muito além do aprendizado dos conteúdos de disciplinas - como Matemática ou História -, trazendo uma proposta de tornar o aluno cidadão, comprometido em transformar a sociedade. Muitas vezes, instaladas em municípios com baixo IDH ou em regiões periféricas e empobrecidas, dão oportunidade a estudantes de baixa renda de terem acesso a uma escola de qualidade. A cada cinco vagas abertas para um aluno que paga mensalidade, a instituição filantrópica educacional concede uma bolsa totalmente gratuita a um aluno de baixa renda.

Desse modo, as instituições filantrópicas cumprem seu papel social e alcançam lugares onde o Estado, seja pela falta de orçamento ou de estrutura, não consegue se fazer presente. Por esses motivos, a imunidade tributária traz um benefício que até pode ser medido por meio de recursos, mas que vai além, pois insere a contrapartida na promoção do equilíbrio social e do atendimento essencial para as pessoas em vulnerabilidade, contribuindo assim para reduzir a desigualdade social em nosso país.

*Carmem Regina Murara é diretora de Relações Institucionais do Grupo Marista.

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.